Inicio Tags Contisystems

Tag: Contisystems

Contisystems: O seu Gestor de Comunicação com os clientes

Duarte Conceição, CEO da Contisystems há cerca de três meses, já exerce funções na empresa há mais de uma década. Por isso mesmo, as mudanças introduzidas no rumo deste projeto empresarial passaram por reforçar a visão e a missão recentes da Contisystems. “Queremos alcançar a excelência, a qual se consegue continuando a inovar, enquanto gestores da comunicação dos nossos clientes, com a garantia de que cumprimos o que nos comprometemos a fazer”, começa por realçar o nosso entrevistado. Os desafios são constantes e acarretam a necessidade de inovar continuamente. A equipa sabe que cada cliente tem uma ecossistema próprio e que isso  ajuda a crescer, aprender e inovar. “São cenários diferentes que nos fazem pensar diferente e fazer diferente. É com orgulho que partilhamos o sucesso das inovações com os nossos clientes”, refere.

Foi a pensar nesta necessidade de constante inovação que foi criada uma equipa de gestão intermédia. Constituída por cerca de dez pessoas de diferentes áreas, esta equipa de gestão permite à Contisystems dar uma resposta eficiente nos diferentes domínios. “A par da criação de divisões especializadas para cada uma das áreas de negócio, a constituição desta equipa de gestão é a mudança mais significativa que implementámos. Os resultados têm sido animadores, quer do ponto de vista de garantia de serviço aos nossos clientes, quer no domínio de processos internos e de criação de valor”, afirma Duarte Conceição.

DESAFIOS DA TRANSFORMAÇÃO DIGITAL

Os processos de transformação digital são transversais a todas as empresas dos diferentes setores.

Na Contisystems as mudanças que estão a ser introduzidas procuram ir ao encontro dos desafios da transformação digital, mas não só. Estas mudanças visam essencialmente corresponder às necessidades dos clientes, à missão e visão da empresa, bem como às novas práticas de gestão. “A transformação digital é, de facto, um driver que nos obriga a inovar e a desenvolver novos produtos e a repensar os modelos de negócio”, refere Duarte Conceição.

A Contisystems é mais do que uma empresa business-to-business, onde decorrem transações comerciais entre empresas. É, se assim se pode dizer, uma empresa “business-to-business-to-consumer” porque engloba as transações entre empresas e consumidor final. “Temos, por isso, a responsabilidade de comunicar com o consumidor final dos nossos clientes, atendendo aos seus canais preferenciais de comunicação”, acrescenta o nosso entrevistado.

O crescimento da empresa assenta quer na exploração de novos mercados no negócio tradicional, quer no desenvolvimento da área digital que já tem um contributo muito significativo no volume de negócios.

A Contisystems já se reinventou na sua história em três momentos: quando evoluiu de impressão gráfica offset de grande volume para a impressão de dados variáveis; no momento em que começou a personalizar cartões bancários; e, por fim, em 2015, com o lançamento de uma plataforma multicanal de gestão de comunicação com Clientes, onde se incluem serviços de desmaterialização de documentação, arquivo digital, criação de documentos dinâmicos, etc.

“A nossa equipa procura, agora, preparar uma empresa para os próximos 50 anos, deixando um conjunto de boas práticas de gestão e de inovação para continuar a crescer. Para isso, temos de nos transformar continuamente e adquirir a capacidade de nos adaptar às diferentes velocidades dos setores de negócio onde atuamos”, adianta Duarte Conceição.

LIDERANÇA E GESTÃO DE PESSOAS

A valorização do capital humano é algo que já faz parte do ADN da Contisystems. Contudo, atualmente, existe “uma maneira diferente de olhar para as pessoas”. A empresa preocupa-se com cada um dos seus colaboradores pelo que o foco da Contisystems tem sido a aposta na sua formação e na gestão de talento. Quando questionado sobre as características fundamentais que um gestor de equipa deve ter, Duarte Conceição não hesita: “o mais difícil não é gerir um processo ou garantir a execução do mesmo, mas sim garantir que a equipa funciona em sintonia. Temos de olhar para a equipa como um todo e garantir que há capacidade e vontade para fazer acontecer de forma articulada”.

CONNOSCO, A INFORMAÇÃO ESTÁ SEGURA

A proteção de dados, bem como o cumprimento das mais rigorosas práticas de segurança, é algo “natural” e que esteve sempre presente no percurso da Contisystems.

A Contisystems oferece flexibilidade e agilidade aos seus clientes na logística de entrega de comunicações com segurança ao consumidor final, através de canais físicos e digitais, e com a garantia de que o consumidor final encontrará sempre a mesma informação, apresentada de forma coerente e dirigida de forma personalizada. Isto porque a Contisystems sabe que cada mercado e cada empresa tem o seu cenário tecnológico e a sua estratégia de comunicação. “Temos soluções flexíveis que nos permitem ajustar a diferentes cenários tecnológicos, mercados e estratégias de comunicação”.

Para cumprir com as necessidades de suporte, bem como requisitos legais de armazenamento, os documentos gerados são guardados no data centre da Contisystems.

Quando questionado sobre o impacto do RGPD na Contisystems, Duarte Conceição mostra-se tranquilo “Naturalmente que estamos a ajustar alguns processos mas a proteção de dados sempre foi nossa preocupação, estamos preparados para suportar os nossos Clientes no cumprimento do regulamento”.

www.contisystems.pt

Contisystems reforça equipa comercial

Pedro TeixeiraNa continuidade da sua estratégia de crescimento e posicionamento no mercado, a Contisystems nomeou Pedro Teixeira para Head of Sales, ficando assim responsável pela coordenação das equipas comerciais. Pedro Teixeira é licenciado em Engenharia Mecatrónica pelo Instituto Superior de Transportes. Tem uma Pós-Graduação em E-Business pela Universidade Autónoma de Lisboa e frequentou o programa PAGE (Advance Managment Program for Executives) da Universidade Católica Portuguesa.
Aos 40 anos, Pedro Teixeira, tem tido um percurso profissional desafiante. Iniciou a sua carreira em 1998, na IBM Portugal com o cargo de Web Consultant. Assumiu a responsabilidade de Account Manager na DELL em Portugal e Espanha. Desde 2013 que desempenhava funções de Direção Comercial na Claranet.

“A Contisystems sempre apostou e investiu na segurança”

Pedro Caravana

A Contisystems apresenta-se como uma especialista em analisar, planear e implementar processos de suporte á comunicação. Fundada há cerca de cinco décadas, esta empresa sempre esteve ligada à segurança de documentos. Com os avanços tecnológicos, houve a necessidade de se reinventar. Hoje quem é a Contisystems?
A Contisystems, antes do reposicionamento, chamava-se Contiforme. O avanço tecnológico dos últimos quatro anos fez-nos repensar a estratégia. A empresa tem origens gráficas, mas numa altura em que vivemos uma transformação digital da comunicação, a Contisystems necessitava de ganhar algum awarness na área tecnológica. É hoje uma empresa one stop shop para a comunicação multicanal de players empresariais.
Tornámo-nos uma empresa end to end nesta área, cobrindo não só a produção dos suportes físicos como a carta e o envelope, bem como, passámos a gerir, enviar e custodiar todo o tipo de documentos eletrónicos. Não abandonámos as linhas de negócio mais antigas porque são ainda muito utilizadas.

Esta empresa foi criada por empreendedores com vários anos de experiência na área das tecnologias de informação. Em Portugal, quando se avança para a criação de um negócio desta natureza, quais são as principais preocupações?
Existem preocupações que são comuns a outros negócios. Quais as necessidades que identificávamos nos nossos clientes, que competências tínhamos para as satisfazer melhor que os restantes players do mercado. De facto, existem muitos players no mercado com um leque muito vasto de soluções, mas com base nas relações comerciais e operacionais já existentes, a Contisystems conseguiu encontrar uma proposta de valor única para a gestão de uma comunicação multicanal.

Hoje em dia, quais são as prioridades tecnológicas das empresas portuguesas e de que forma a Contisystems, a partir dos serviços que disponibiliza, tem conseguido responder às exigências?
A gestão da informação é hoje em dia uma das grandes preocupações. A transformação digital é cada vez mais o assunto do dia numa comunicação coerente e multifacetada.
A Contisystems disponibiliza aos seus clientes uma solução denominada por DOS (Document Outsourcing Services) que permite de forma integrada a gestão do ciclo de vida do documento, desde o seu desenho ao seu arquivo e consulta. É facilmente integrado em qualquer ponto dos fluxos de dados que suportam a comunicação dos nossos clientes.

A custódia digital e serviços de envio de documentos digitais é um dos negócios com peso crescente na empresa. De que modo é que estes serviços têm permitido que o vosso cliente obtenha vantagens competitivas relativamente à sua concorrência?
Sendo a Contisystems o player escolhido para outras atividades do ciclo de vida dos documentos, como a formatação, aplicação de regras e impressão, a custódia digital e os serviços de envio de documentos digitais vieram preencher as necessidades dos nossos clientes.

Desde a sua génese que a empresa imprime documentos para o segmento financeiro e entidades que precisam de segurança. De que forma a Contisystems tem sido o garante de uma total confidencialidade?
A Contisystems sempre apostou e investiu na segurança. Para além de ser uma organização certificada pela APCER, possui também um certificado da VISA e outro da MasterCard. Ambos exigem um elevado grau de segurança e confidencialidade.

Atualmente, muitas empresas estão a investir em TI para reforçarem a sua competitividade. De um modo geral, quais são as principais necessidades tecnológicas das empresas portuguesas?
Conceitos como o Cloud Computing, Big Data e IoT – fazem cada vez mais parte do nosso quotidiano. Estes conceitos vão fazer com que existam grandes transformações ao nível das infraestruturas de Tecnologias de Informação, por exemplo, a capacidade das próximas gerações de Data Centers (aumento de requisitos de velocidade, eficiência e capacidade de processamento). A tendência será para uma colaboração mais estreita entre o cliente e o provedor da solução.

As empresas têm escolhido o caminho da internacionalização como via para o crescimento estrutural das suas equipas. Na Contisystems esta é também uma realidade? Neste sentido, pesam mais os mercados ditos emergentes ou outros considerados mais maduros, como a Alemanha ou os países nórdicos?
Para crescer a Contisystems avançou para novas áreas de negócio e foi à descoberta de mercados fora de Portugal. Hoje temos clientes regulares em França, Espanha, Angola, Moçambique e Cabo Verde. No entanto, já fizemos projetos pontuais para a Nigéria, Estados Unidos da América, Inglaterra e Guiné.

Para 2016, que projetos esperam ver concretizados? O que podemos continuar a esperar da atuação da Contisystems?
Continuaremos a apoiar os nossos clientes na evolução da sua comunicação e na gestão dos seus documentos. Acredito que vamos ter um papel relevante na forma como as marcas se relacionam com os seus clientes finais. A transformação digital está a afetar definitivamente a experiência de loja e toda a interação com o cliente final.

EMPRESAS