Inicio Tags Energia Solar

Tag: Energia Solar

Iberdrola entra na energia solar em Portugal e adjudica 149 megawatts

Fonte LUSA

Em comunicado, a elétrica espanhola acrescentou que “esta capacidade está distribuída em duas regiões, Algarve e Vale do Tejo, de acordo com o resultado do leilão público”.

“Estes novos projetos destacam o compromisso da Iberdrola com a energia renovável e para continuar a contribuir para a transição para uma Europa descarbonizada”, refere o presidente da empresa, Ignacio Galán, citado no comunicado.

“Neste sentido, a Iberdrola reafirma, mais uma vez, o seu forte comprometimento com a transição para uma economia de baixo carbono, consolidando o seu papel fundamental no mercado elétrico nacional”, acrescenta.

“A empresa é líder no setor comercial de grandes consumidores, com quase 33% do mercado e possui uma carteira de 300.000 clientes, entre a eletricidade e gás natural”, acrescenta a Iberdrola.

A implementação do projeto está prevista para o período 2021-2023, significará um aumento de 6% do total de energia elétrica instalada no país e proporcionará energia limpa a 440 mil casas portuguesas”.

O grupo lidera também o projeto do Sistema Eletroprodutor do Tâmega, que envolve a construção de três novas centrais (Gouvães, Daivões e Alto Tâmega), com uma potência total de 1.158 MW e um investimento de mais de 1.500 milhões de euros.

Atualmente, a Iberdrola detém “a terceira maior participação em número de clientes de eletricidade no país (5,4%) e a segunda maior em consumo (17,4%)”, refere.

 Fonte LUSA

 

Audax assina o maior acordo de desenvolvimento de energia solar com WElink Group

A Audax Renováveis S.A. formalizou com a WElink Investment Holdings (Ireland) Ltd., um acordo que é um marco histórico no mercado energético europeu de energia produzida com tecnologia solar fotovoltaica.

O contrato para a venda de energia elétrica (PPA, Power Purchase Agreement) com a WElink estabeleceu-se durante 20 anos a preço fixo e a Audax irá adquirir a energia produzida pela usina fotovoltaica Solara4, pela Ourika e por outros novos projetos fotovoltaicos que serão desenvolvidos pelo WElink Group, tanto em Portugal como em Espanha, com previsão de alcançar um total de 708 MW de potência instalada. Estima-se que a central Solara4, que está a ser construída em Alcoutim (Algarve), esteja conectada à rede até meados de 2019. Será composta por 700.000 módulos solares de alta eficiência e será a maior central solar subsidiada na Europa suportada por um PPA privado a longo prazo. A instalação terá uma capacidade de 218,8 MWp, empregará uma média de 300 pessoas durante a sua construção e gerará energia suficiente para fornecer energia renovável a mais de 100.000 residências.

A esta planta soma-se a planta de Ourika, localizada no Sul de Portugal, que também é desenvolvida pelo WElink Group e representada pela Audax Renováveis S.A.. A sua capacidade ascende aos 46 MWp e ocupa a superfície equivalente a 100 campos de futebol, com mais de 142.000 painéis fotovoltaicos de alta eficiência e com uma capacidade de produção de 82 GWh/ano, o que a converte atualmente na maior central solar fotovoltaica de Portugal.

O PPA contribui para consolidar a posição da Audax Renováveis S.A. no mercado europeu e especialmente no mercado português, onde ocupa a sexta posição como fornecedor de pequenos negócios e a sétima como comercializador de clientes industriais, segundo o Relatório de Mercado Liberalizado de Eletricidade (dezembro de 2018) publicado pela ERSE, Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos. O contrato cobrirá uma grande parte da energia que a Audax necessita para abastecer os seus clientes em Portugal, o que lhe permitirá oferecer energia de origem 100% renovável livre de emissões de gases com efeito de estufa. A nível global, a quantidade de energia coberta com o PPA equivale apenas a 25% da energia total comercializada pelo Grupo Audax.

Segundo dados do Governo de Portugal, até 2021 em Portugal está previsto que se construam 31 novas plantas fotovoltaicas, um total de 1.100 megawatts (MW) dos quais a Audax irá gerir 267 MWp, ou seja, a Audax irá gerir um quarto de todas as novas centrais de energia fotovoltaica em Portugal.

Em março de 2018 a Audax assinou um PPA com a COX Energy, um contrato que foi também um marco histórico no mercado energético mundial ao converter-se no maior acordo assinado para a compra de energia produzida com tecnologia solar fotovoltaica até hoje, que agora foi superado pelo acordo com o WElink. O PPA com a COX Energy cobre um volume total de 660 MW de potência instalada suficiente para administrar uns 1.300 GW/h de energia renovável ou energia verde a 360.000 residências.

O objetivo da Audax Renováveis é continuar a apostar em energias renováveis no futuro e fechar novos projetos e acordos PPAs (Power Purchase Agreement) que lhe darão uma posição vantajosa no mercado energético mundial.

Audax Renováveis

A Audax Renováveis é o resultado da fusão entre a própria Audax Renováveis e a sua matriz, Audax Energia, que deu lugar a um grupo energético cujas actividades se centram na comercialização de energia elétrica e gás, assim como na geração de eletricidade 100% renovável. A Audax está presente em Espanha, Portugal, Itália, Alemanha, Polónia, Holanda, França e Panamá, com un portfolio diversificado e estável de mais de 305.000 clientes, mais de 500 empregados e um volume de negócio de mais de 1.200 milhões de euros,  o que o torna um tomador ideal para a subscrição de PPA com produtores.

Avião movido a energia solar completa primeira volta ao mundo

O avião Solar Impulse II, o primeiro aparelho aéreo movido exclusivamente a energia solar, completou esta madrugada a volta ao mundo que tinha iniciado em março de 2015.

O avião aterrou em Abu Dhabi, capital dos Emirados Árabes Unidos, às 04h05 locais (01h05 desta madrugada em Lisboa), de onde partira a 9 de março do ano passado para uma vigem inédita de mais de 40 mil quilómetros, passando por quatro continentes, que foi concluída sem usar qualquer combustível fóssil.

“Este é um momento muito especial para nós, completámos esta viagem, passo a passo, e estamos muito emocionados com a chegada a Abu Dhabi”, disse à agência espanhola EFE André Borschberg, um dos dois pilotos do Solar Impulse II. Na última etapa, entre o Cairo e Abu Dhabi, o avião foi pilotado por Bertrand Piccard.

CRISTINA QUICLER

“É um momento muito, muito especial, passei 15 anos a trabalhar para este objetivo”, declarou o piloto suíço ao “The Guardian” a partir do cockpit, pouco antes da aterragem. “Espero que as pessoas entendam que isto é inédito da história da aviação, mas que é inédito na história da energia. Todas as tecnologias limpas que usámos podem ser usadas em qualquer parte. Voámos 40 mil quilómetros, mas agora está a cargo de outras pessoas levarem isto mais adiante. Depende de cada pessoa em cada casa levar isto adiante, de cada chefe de Estado, de cada autarca, de cada empresário ou CEO de uma empresa. Estas tecnologias podem tornar o mundo muito melhor e temos de as usar, não só pelo ambiente, mas também porque são rentáveis e criam empregos.”

O Solar Impulse II tem uma envergadura mais ampla que um Boeing 747 e conseguiu manter-se no ar durante 23 dias graças às mais de 17 mil células fotovoltaicas instaladas nas suas asas. Durante o dia, esses painéis solares carregam as baterias do avião, que correspondem a um quarto das 2,3 toneladas de peso total do aparelho.

Para conservar a energia durante esta primeira viagem, os pilotos subiam 29 mil pés durante o dia e desciam até aos 5 mil pés durante a noite. O avião tem capacidade para voar a uma velocidade de quase 50 km/h, embora possa viajar mais depressa se o sol estiver a brilhar.

Avião solar completa volta ao mundo sem usar combustível

O avião Solar Impulse II, movido exclusivamente a energia solar, completou esta terça-feira a volta ao mundo que iniciou em março de 2015.

O Solar Impulse II aterrou em Abu Dhabi (Emirados Árabes Unidos) às 04:05 (01:05 em Lisboa), de onde tinha partido a 09 de março do ano passado para um périplo inédito de mais de 40 mil quilómetros, passando por quatro continentes e concluído sem usar combustível.

“Este é um momento muito especial para nós, completámos esta viagem, passo a passo, e estamos muito emocionados com a chegada a Abu Dhabi”, disse à agência de notícias EFE André Borschberg, um dos dois pilotos da aeronave. Na última etapa, entre o Cairo e Abu Dhabi, o avião foi pilotado por Bertrand Piccard.

O Solar Impulse II percorreu 40 mil quilómetros em 17 voos de mais de 500 horas. Sobrevoou o mar da Arábia, a Índia, a Birmânia, a China, os oceanos Pacífico e Atlântico, os Estados Unidos da América, o sul da Europa e o norte de África.

O projeto Solar Impulse II – liderado por dois pilotos suíços, Bertrand Piccard e André Borschberg, pretende consciencializar e convencer os diferentes líderes políticos da necessidade de optar por soluções tecnológicas que preservam o ambiente.

IKEA investe quatro milhões em energia solar em Portugal

As lojas IKEA existentes em Portugal vão passar a gerar 26% da sua própria energia, já que o grupo irá investir quatro milhões de euros em energia solar em território nacional, revela um comunicado enviado às redações.

“A IKEA Portugal vai instalar dez mil painéis solares nas três lojas que tem atualmente no país. Esta iniciativa, que reflete o compromisso do Grupo IKEA no combate às alterações climáticas, representa um investimento de mais de quatro milhões de euros e é o maior projeto em Portugal, ao nível de potência energética em coberturas”, esclarece a empresa que tem lojas em Loures, Alfragide e Matosinhos.

A IKEA está a fazer esta instalação fotovoltaica para cumprir o objetivo estabelecido pela própria empresa em que pretende, até 2020, “ser autossuficiente a nível energético, conseguindo assim produzir a mesma quantidade de energia renovável que consome em todas as suas unidades, a nível global”.

“Esta iniciativa do Grupo IKEA em Portugal estará concluída até à próxima primavera e vai permitir que quase toda a energia produzida pelos painéis solares (98%) possa ser utilizada pelas lojas, o que, por sua vez, representa 26% do total da energia consumida pelas lojas IKEA no país”, esclarece o comunicado.

EMPRESAS