Inicio Tags Evento

Tag: evento

Conferência “GSK – 50 anos a respirar inovação”

A iniciativa inclui um debate sobre “O contributo da inovação na resposta aos principais desafios da área respiratória em Portugal”, no qual participam representantes das principais sociedades médicas e associações de doentes ligadas à saúde respiratória em Portugal (ver programa abaixo). David Allen, SVP Medicine Design – Medicine Science & Technology da GSK, Silvia Guichardo, Diretora-Geral da GSK em Portugal, e Christopher Sainty, Embaixador Britânico em Portugal, são também presenças confirmadas.

As doenças respiratórias são um verdadeiro problema de saúde pública mundial. Calcula-se que, em todo o mundo, existam 300 milhões de pessoas a sofrer de Asma, 210 milhões de pessoas afetadas por Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica (DPOC) e 3 milhões com outras patologias respiratórias crónicas[1]. Segundo a Organização Mundial de Saúde, as doenças respiratórias são responsáveis por 3,9 milhões de mortes por ano, sendo que, em 2030, a DPOC pode tornar-se na terceira causa de morte em todo o mundo[2].

De acordo com o mais recente relatório do Observatório Nacional das Doenças Respiratórias estas patologias foram causa de 13.474 mortes em 2016[3]. Isto é, morrem cerca de 48 pessoas por dia (duas pessoas por hora) em Portugal devido a doenças respiratórias[4]. (13º Relatório do Observatório Nacional das Doenças Respiratórias).

Sobre a GSK

A GSK é uma multinacional farmacêutica, impulsionada pela ciência e inovação, com um propósito especial: ajudar as pessoas a fazerem mais, sentirem-se melhor e viverem mais tempo. Com uma história que começou há 300 anos atrás, a GSK emprega mais de 100 pessoas em Portugal na área farmacêutica. A sua ambição é ser uma das empresas farmacêuticas mais inovadora, com melhor performance e de maior confiança do mundo. Para saber mais: www.gsk.pt.

[1] Dados do Programa Nacional para as Doenças Respiratórias da Direção Geral da Saúde.

[2]  World Health Statistics; Geneva, WHO, 2008

[3] 13º Relatório do Observatório Nacional das Doenças Respiratórias

[4] 13º Relatório do Observatório Nacional das Doenças Respiratórias

“The power of imperfection” é o evento que vem provar que as imperfeições têm lugar nas empresas

O evento que teve lugar no dia 14 de março, Pavilhão Carlos Lopes, em Lisboa prometia ser disruptivo logo à chegada com um staff e espaço arrojado capaz de fazer inveja aos bastidores do filme “Back to the Future” de 1985. O conceito foi apreciado com agrado a cada convidado que ia enchendo o espaço reservado à receção. Os maiores mistérios residiam nas salas onde os mais recentes produtos da consultora iam ser apresentados.

Aos poucos, foram sendo desvendados. Divididos por pulseiras de cores diferentes, assim se formaram três grupos de convidados que, encaminhados pelo staff iam sendo levados de sala em sala. Uma sala para cada produto e apresentações extenuantes dos responsáveis por cada nova aposta da consultora.

Os novos produtos são fruto de muita investigação, brainstorming e de uma visão de futuro arrojado. Para pessoas que não querem rotinas, para empresas que não querem burocracias e para consumidores que querem acima de tudo inovação.

Chamam-se Diversity Driving DNA; Mapping and Matching (M&M); High Organic Performance (HOPe) e SPIL program.

A tocar uma visão futurista, os convidados eram surpreendidos sempre com salas repletas de surpresas. Com apresentações diferentes do habitual, a SDO Consulting quis provar que, o fazer diferente e bem, é uma realidade.

DIVERSITY DRIVING DNA

Este é um produto para impulsionar equipas através da colaboração e diversidade.

“A diversidade das equipas é o novo DNA das equipas”. Tal diversidade procura transformar as equipas ao invés de se concentrar na busca incessante de altos rendimentos. Esta solução pode ser vista como um projeto de transformação aproveitando as diferenças com que cada elemento da equipa contribui. Tal transformação revela benefícios como inovação, colaboração, capital intelectual e EVP e employer branding, que nada mais é do que tornar a marca atrativa e, por conseguinte, mais forte.

HOPE – HIGH ORGANIC PERFORMANCE

Já não se fala em mudança na SDO mas em evolução permanente e, neste sentido, nasce o HOPe – uma solução ambiciosa e que ajudará as organizações a ganharem agilidade competitiva para uma gestão consistente. Tudo isto através de cinco dimensões: pessoas, arquitetura, estratégia, cultura e liderança.

Esta solução pretende romper com os clássicos e, muitas vezes ineficazes, modelos de gestão. Para contrariar um tipo de liderança mais rígida e começar a olhar para o potencial humano como motor para a evolução tecnológica inevitável. Para isso existe um fator-chave: feedback contínuo de forma a conquistar uma melhoria contínua. O HOPe fará um speed scanning do que se passa na organização e para depois, através de uma análise possa implementar um plano de ação com base nas necessidades de cada cliente/organização.

M&M – MAPPING AND MATCHING

Tornar as organizações mais ágeis e eficazes para conseguirem ter equipas mais diversas e robustas.

A SDO está certa de que as empresas ainda padecem de uma lentidão na tomada de decisões e de que grande culpa do flagelo reside na falta de equipas rápidas e ágeis. Por isso mesmo esta solução incide na origem da formação de uma equipa.

São então criadas as chamadas UPTeams com base nas competências pretendidas para dar resposta a um determinado desafio organizacional.

De forma a criar as UPTeams, a SDO propõe fazer um mapeamento das capacidades e talentos dos colaboradores para descobrir o match perfeito. Com esta abordagem, a M&M promete conseguir resultados, compromisso e empoderamento.

São seis pilares de abordagem: estratégia, singularidade, organicidade, proatividade, agilidade e transparência.

Nesta era, a empresa consultora sugere aos seus clientes a disrupção com a tentativa, tantas vezes falhadas, de atingir níveis de perfeição e chama à atenção para aquilo que nem sempre é visível como por exemplo as valências de marketeer que um contabilista possa ter.

SPIL PROGRAM

Esta é a solução criada a pensar no líder e em como tornar as suas vulnerabilidades em mais-valias. A liderança é posta à prova todos os dias e nem sempre corresponde às expectativas. De forma a tornar a liderança mais eficaz, poderosa e certeira, antes de conhecer as suas equipas, um líder tem que se conhecer primeiro. As dúvidas fazem parte e as perguntas podem e devem ser feitas. A SDO desafia assim pessoas que ocupem cargos de liderança reflitam e entendam que o que, à partida parecem fraquezas, podem ser desmontadas e tornarem-se casos de sucesso e superação.

O programa desenvolve-se em três fases:

Selfie report, onde é realizado um diagnóstico sobre as vulnerabilidades de cada participante; o deep program, uma fase de três workshops: (in (pulse), inner (pulse) e our (pulse) e o Call2Action, um período de coaching individual para a implementação do programa que foi sendo definido ao longo das duas etapas anteriores. Com este produto, a SDO acredita que haverá um maior envolvimento das equipas, um maior foco no autodesenvolvimento, uma consciencialização acerca dos objetivos comuns, uma maior elasticidade no papel do líder perante uma gestão relacional e emocional. Tudo isto trará uma promoção de práticas inovadoras e adaptadas à realidade organizacional, tendo por base uma cultura de autenticidade.

As quatro soluções apresentadas são o resultado de anos de pesquisa e de rígida investigação e pretende revolucionar métodos arcaicos e sem resultados que persistem nas empresas teimosamente. O evento terminou com um jantar onde todos os convidados se mostraram alegremente surpreendidos e convencidos a tornarem as suas empresas um lugar onde os seus colaboradores gostem de estar.

O QUE ELES DIZEM…

Paula Oliveira senior partner na SDO Consulting

“Este evento é o lançamento da nova SDO e de um conjunto de serviços que propomos ao mercado para contrariar a tendência da perfeição e mostrar assim que é na nossa imperfeição que reside muitas vezes a nossa mais-valia”.

Patrícia Halm Administradora na SDO Consulting

“Este é um dia histórico para a SDO, que se reinventou passados 26 anos e, que está a fazer história no novo mercado das organizações. Este evento representa aquilo em que na SDO acreditamos: nas pessoas e nas suas singularidades. Queremos celebrar isto e trabalhar as pessoas neste sentido”.

Ricardo Fortes da Costa Managing partner na SDO Consulting

“Este evento é extremamente importante para nós porque é hoje que celebramos com os nossos clientes aquela que é a grande mudança que estamos a operar. Querendo, no fundo, lançar as tendências atuais no mercado e que cultivamos dentro da SDO”.

É urgente uma resposta mais agressiva na gestão do risco cardiovascular em pessoas com diabetes

“Atualmente é muito clara a necessidade de gerir de forma mais agressiva o risco de doença cardiovascular nas pessoas com diabetes, visto que são as doenças cardiovasculares a causa mais comum de morte entre os adultos com diabetes”, alerta José Luís Medina, presidente do 2.º O Coração da Diabetes, encontro organizado pela Associação Protectora dos Diabéticos de Portugal (APDP), que junta no Porto centenas de profissionais de saúde em torno das principais questões relevantes na diabetes e doenças cardiovasculares.

A segunda edição deste encontro nacional realiza-se a 22 e 23 de março na Fundação Engenheiro António de Almeida, centrando o debate na diabetes e na relação desta doença crónica com as doenças cardiovasculares e outras complicações, o seu peso na qualidade de vida dos doentes e cuidadores e para o próprio Estado e Serviço Nacional de Saúde.

A prevalência da diabetes tem vindo a aumentar nos últimos anos, o que realça a importância de diagnosticar e tratar a diabetes de forma adequada e explica o empenho da APDP na organização deste encontro.

“A diabetes afeta mais de um milhão de portugueses. 30% dos internamentos por acidente vascular cerebral (AVC) são em pessoas com diabetes e perto de 1/3 dos internamentos por enfarte agudo do miocárdio ocorrem em pessoas com diabetes. Não podemos ignorar esta doença nem as complicações a ela associadas”, afirma o endocrinologista.

O 2º O Coração da Diabetes vai juntar mais de 200 participantes, entre profissionais de endocrinologia, cardiologia, medicina interna e medicina geral e familiar, as áreas que mais lidam com o flagelo da diabetes e das suas complicações.

“Apesar dos progressos já alcançados na gestão dos níveis glicémicos e no tratamento dos fatores de risco cardiovascular, a taxa de mortalidade em pessoas com diabetes tipo 1, por exemplo, ainda é elevada”, explica José Luís Medina, acrescentando que “por se manifestar mais cedo na vida do doente [por exemplo em criança ou adolescente] na diabetes tipo 1 as complicações vasculares começam a desenvolver-se cedo, logo no início da doença, embora se manifestem depois na idade adulta”. Os temas a abordar no encontro têm uma relação direta com a prática clínica, procurando respostas para as importantes questões que assolam médicos e doentes na gestão da diabetes e das complicações a ela associadas. Obesidade, hipertensão arterial e insuficiência cardíaca, cirurgia bariátrica como meio de proteção vascular, síndrome metabólica na mulher e biomarcadores e outras formas de diagnóstico em doentes sem sintomas são alguns dos temas em foco neste encontro.

A diabetes é hoje uma das principais causas de morte, principalmente por implicar um risco significativamente aumentado de doença coronária e de AVC. Em 2014 a diabetes representou cerca de oito anos e meio de vida perdida por cada óbito por diabetes na população com menos de 70 anos.

Sobre a APDP

Fundada em 1926, a APDP é a associação de pessoas com diabetes mais antiga do mundo. Com cerca de 15 mil associados, desenvolve a sua atividade na luta contra a diabetes e no apoio à pessoa com esta doença, tendo sempre como meta a integração das pessoas com diabetes enquanto elementos ativos na sociedade. A APDP tem sido pioneira na prevenção, na educação e no acompanhamento personalizado. Conhecer melhor a doença e explorar novas formas de tratamento são os seus principais objetivos, a par da criação de estruturas capazes de dar resposta aos diversos problemas que envolvem a diabetes. www.apdp.pt

“Cidades Inteligentes – Um novo centro de competências em Portugal?”

Num momento em que as “Smart Cities” estão na agenda da União Europeia e em que já emergiram em Portugal projetos nesta área, a plataforma Portugal Agora junta em conferência representantes de empresas de referência e do Setor Público para debater o tema “Cidades Inteligentes – Um novo centro de competências em Portugal?”. A iniciativa tem lugar a 26 de março, no Jupiter Lisboa Hotel, em Lisboa.

Inês Ferreira (Altice Portugal), José Gonçalo Regalado (Millennium BCP), Miguel Pinto Luz (Câmara Municipal de Cascais), Nuno Piolty de Almeida (Samsung Electronics Portugal) e Luís Bravo Martins (IT People Group) são os oradores convidados para tentar responder a questões relacionadas com o papel da tecnologia e da inovação, processos de gestão urbana, sustentabilidade, atratividade e qualidade de vida das cidades e a possibilidade de criar um novo centro de competências em Portugal.

“A tecnologia atual apresenta-nos possibilidades de inovar na gestão urbana de forma nunca antes vista: no planeamento de espaços, numa maior conectividade entre pessoas e instituições, na busca de soluções que maximizem a eficiência energética, na gestão de resíduos e sustentabilidade ambiental, em novos modelos de mobilidade urbana e mesmo na alavancagem da uma cidadania mais ativa. Todas estas dimensões se conjugam nas chamadas Smart Cities.” explica Carlos Sezões, Coordenador do Portugal Agora.

O responsável do projeto acrescenta que “governar é tomar opções e definir uma estratégia, é decidir o que fazer e o que não fazer. Parece-me, pois, que criar condições para uma maior atratividade e qualidade das nossas cidades devia ser um desígnio para a próxima década.”

O tema em discussão encerra notório potencial, com a expectativa que o mercado global de Smart Cities alcance mais de 1,5 triliões de dólares até 2020, entre projetos embrionários e experiências mais consolidadas. Estudos recentes estimam mais de 600 projetos de cidades inteligentes a nível global até ao final da presente década. Muitas são iniciativas de “refundação” inteligente de cidades com séculos de história, exemplo de Santander, Barcelona ou Amesterdão, a par da construção de cidades de raiz.

As cidades, como polos de atração e inovação social, têm e continuarão a ter um papel importantíssimo no desenvolvimento humano. O talento, capacidade de inovação e competências tecnológicas de instituições portuguesas, pode ser decisivo, com ideias a aplicar na inovação local e, quem sabe, a exportar. Iniciativas meritórias, como eventos, debates e plataformas, têm emergido nos últimos anos, agregando os esforços de dezenas de entidades para potenciar o desenvolvimento de soluções inovadoras nestas áreas.

A participação na conferência, à semelhança de todos os eventos da plataforma Portugal Agora, é de entrada livre mediante inscrição prévia através do endereço info@portugalagora.com. 

PROGRAMA:

17.30h – Abertura: Carlos Sezões (Coordenador do Portugal Agora)

17.45h – Painel de oradores:

  • Inês Ferreira (M2M and IoT Group Product Manager – responsável pela Internet Of Things da Altice Portugal)
  • José Gonçalo Regalado (Chief Marketing Officer – Corporate & SMEs ∙ Millennium BCP)
  • Miguel Pinto Luz (Vice-Presidente da Câmara Municipal de Cascais)
  • Nuno Piolty de Almeida (B2B Enterprise Sales Manager – gestor de desenvolvimento de negócio da Samsung Electronics Portugal)
  • Luís Bravo Martins (Head of Marketing – IT People Group, especialista em AV/VR – Realidade Aumentada e Realidade Virtual)

19.00h – Debate

19.30h – Encerramento 

Sobre o Portugal Agora:

O projeto “Portugal Agora” destina-se a criar uma visão, desdobrada em modelos estratégicos para o país, para as próximas décadas. Tal será conseguido através de um espaço plural de discussão, durante um período delimitado, com o intuito de determinar onde são possíveis convergências, que se materializem em prioridades, nas quais Portugal se possa desenvolver. O projeto assume dimensões estratégicas – Atratividade, Conhecimento, Empreendedorismo – para Portugal e quer ligá-las à execução e à ação. Informações adicionais: http://www.portugalagora.com/

Comemore o dia da Mulher com Fábio Lagarto

O jantar decorrerá entre as 18:30h e as 22:30h e será composto por bebida à descrição, da selecção do Hotel, uma variedade de entradas, pratos quentes e sobremesas, tudo isto por apenas 25€ por pessoa.

No buffet destacam-se as entradas de salada grega com azeitonas, pérolas de novilho com molho barbecue, espargos brancos com queijo creme e presunto, salgadinhos e tábua de enchidos. Os pratos quentes são compostos por sopa de tomate com manjericão, penne carbonara, lombinho de porco assado com laranja e pica-pau de peixe. Por fim, as deliciosas sobremesas como crème brûlée de alfarroba, torta de canela, semi-frio de morango e chocolate.

Na companhia das suas amigas venha divertir-se ao som da música de Fábio Lagarto, entre as 20h e as 23h, um dos ícones no mundo da música no Algarve. A noite prolonga-se com DJ live, apartir das 23h até à 1:30h.

Não perca a oportunidade de ter uma noite exclusiva de mulheres para começar o fim-de-semana da melhor maneira!

Contributos para a implementação de um Business Intelligence no SNS

O encontro vai revelar os resultados de um White Paper desenvolvido pelo Grupo de Trabalho para a Gestão da Informação em Saúde da APAH sobre a tecnologia atual das ferramentas de Business Intelligence e os fatores essenciais para os sistemas de saúde, nomeadamente no que respeita a melhorar os aspetos clínicos e a prestação de cuidados ao utente.

A participação de várias personalidades de destaque do setor da saúde nacional vai motivar um debate focado na visão do Estado sobre a utilização de dados e informação na saúde e no acesso a esses dados na perspetiva dos utilizadores.

Conheça os temas de discussão e oradores em detalhe no programa.

A participação é gratuita, mas está sujeita a inscrição prévia.

Microsoft e GNR desafiam colaboradores de empresas a aprender com os filhos sobre Internet Segura

Em 2018, a Associação de Apoio à Vítimia (APAV), através da sua Linha Alerta registou mais de 1.000 denúnias de potencial ilicitude na Internet, incluindo pornografia infantil e discursos de ódio. Todos os anos, mais de 400 milhões de pessoas em todo o mundo são vítímas de cibercrime e esta é a vertente do crime económico que mais tem crescido em Portugal nos últimos anos. Reconhecendo a importância da temática e, enquanto membro do Consórcio do Centro Internet Segura desde a sua constituição, a Microsoft Portugal voltou a unir-se à Guarda Nacional Repúblicana (GNR) para ampliar a intervenção junto de alunos, encarregados de educação, professores, séniores e, este ano, também empresas.

Ao longo do último mês foram promovidas centenas de ações de formação por todo o país, com o objetivo de sensibilizar os participantes para a utilização da Internet de uma forma mais segura, justa e inclusiva.

Com o mote “uma internet melhor começa com cada um de nós”, foram abordadas questões como cyberbulling, furto de identidade, privacidade, incorreção das fontes de informação, vírus informáticos e dependência da internet. Este ano a iniciativa previu ainda que várias empresas acolhessem ações de formação entregues por alunos. Só nos primeiros dias, a iniciativa compreendeu 746 ações de sensibilização e chegou a cerca de 15.000 alunos, 1.200 idosos e centenas de encarregados de educação.

Assim, no próximo dia 27 de fevereiro, pelas 14h30, a Microsoft e a GNR vão fazer um balanço da iniciativa promovida ao longo do mês da Internet Segura. O evento incluirá ainda um debate e uma ação de sensibilização junto de colaboradores de diversas organizações, na sede da EDP, em Lisboa. O Colégio Vasco da Gama, do concelho de Sintra, foi um dos estabelecimentos de ensino que abraçou a iniciativa e, por isso, dois dos seus alunos vão apresentar o que aprenderam aos encarregados de educação presentes no evento.

Beatriz Oliveira, CEO e fundadora da Bindtuning, e Fernando Resina da Silva, Partner da Vieira de Almeida – Sociedade de Advogados, levam também as filhas a palco para discutir a temática, a par de Inês Menezes, fundadora do projeto Design the Future, num painel com moderação da psicóloga Júlia Vinhas.

Mariscar SEM Lixo arranca nos portos Palafiticos da Carrasqueira e do Possanco

O evento, que agora inicia a sua 3ª edição, integra ações de sensibilização direta, ações mensais de limpeza com voluntários e uma rede de stakeholders que visa implementar soluções que evitam o plástico no oceano, e nos últimos 2 anos contou com a participaram de 374 voluntários conseguindo retirar 14 toneladas de lixo das margens do Estuário do Sado.

A comunidade ganhou consciência para o problema do lixo marinho, mudou hábitos e pro-ativamente traz para terra o lixo apanhado nas redes de pesca. No entanto esta zona do Sado é propicia à acumulação de lixo, por ação das marés e nortadas, sendo de grande importância a realização desta campanha.

Porto de Setúbal presente na terceira edição do Leiria Centro Exportador

O Porto de Setúbal vai participar, no dia 26 de fevereiro, no Mercado de Sant’Ana, em Leira, na 3ª Edição do Leiria Centro Exportador com um espaço de expositor numa perspetiva de identificação de oportunidades e parcerias proporcionadas por contatos B2B, bem como através da presença da presidente do CA da APSS, Lídia Sequeira, como oradora na conferência dedicada à temática “Valor da Marca Portugal no Mundo”.

O evento, organizado pela AAPI – Associação de Ação Para a Internacionalização tem como objetivo promover a internacionalização das PME’S. Esta edição, subordinada ao tema “Cadeia de Valor Global”, conta com 18 oradores, 23 Câmaras de Comércio, 2 Associações Empresariais, 17 Expositores, entre outros agentes, por tal, também constitui uma excelente oportunidade para a divulgação dos serviços logístico-portuários do Porto de Setúbal junto dos empresários da Região Centro de Portugal.

Porto acolhe o progresso, a inovação e os desafios futuros na área da Esclerose Múltipla

A EM é uma doença crónica, inflamatória e degenerativa do sistema nervoso central. Embora se tenha tornado uma doença mais conhecida nos últimos anos, ainda há um grande desconhecimento sobre os seus sintomas, além de ter ainda um impacto negativo na qualidade de vida de muitos doentes, nomeadamente, mais de metade dos doentes relata níveis de incapacitação: 32% não conduzem e 77% não trabalham, sendo que 92% dos doentes que não trabalham estão abaixo da idade da reforma[2].

Maria José Sá, presidente do Congresso, afirma que “este é um momento de debate, análise e reflexão sobre os novos desafios que esta doença nos coloca. E, durante três dias, estamos reunidos no Porto para propagar a inovação e as mais recentes novidades, sobre esta doença do foro neurológico, para o resto do mundo num encontro que tem vindo a ganhar cada vez mais reconhecimento internacional”.

Um congresso que debate uma doença que, além dos desafios físicos e emocionais, apresenta um conhecimento dos custos e gestão, em Portugal, escasso. “É necessário debater, estudar e propagar as inovações, assim como melhorar o planeamento da assistência médica e a alocação de recursos. Estamos perante uma doença, em que o custo médio de um surto está estimado em 2931€” refere Maria José Sá, presidente do Congresso.

Além de acompanhar o rápido desenvolvimento da ciência, tecnologia e estilos de vida, o Congresso de 2019 conta ainda com a presença da Casa da Esclerose Múltipla que permitirá aos seus visitantes terem a percepção, a nível sensorial, do que é viver com EM, através de várias experiências nas tarefas do dia-a-dia.

Do programa, que cruza aspetos das ciências exatas e clínicas, fazem parte temas como “Matemática e Física na Esclerose Múltipla”; “Neuro imagem”; “O tempo importa na Esclerose Múltipla: caso da cognição” e cursos pré-congresso sobre a importância de ter uma equipa multidisciplinar ao serviço dos doentes, onde se sublinha o papel dos enfermeiros e dos neuropsicólogos, por exemplo.

Durante o Congresso será ainda realizada a votação e conhecidos os vencedores do prémio “MS Porto”, que pretende reconhecer a investigação e as melhores práticas clínicas nesta área.

Para consultar mais informações sobre o programa: https://www.multiplesclerosis2019.com/ 

Sobre o International Porto Congress:

Em 2011 realizou-se o 1st International Porto Congress of Multiple Sclerosis, organizado pela Consulta de Doenças Desmielinizantes do Hospital de S. João, Porto. Este Congresso tem vindo a tornar-se num acontecimento cada vez mais importante para o nosso país, no âmbito da EM, pois surge como uma excelente oportunidade para avaliação e discussão dos mais avançados conceitos nesta área da Neurologia, com oradores provenientes de centros de renomes de vários países do mundo. 

Sobre a Esclerose Múltipla

A EM é uma doença crónica, inflamatória e degenerativa, que afecta o Sistema Nervoso Central (SNC). É uma doença que surge frequentemente entre os 20 e os 40 anos de idade, ou seja, entre os jovens adultos. Afeta com maior incidência as mulheres do que os homens.

Esta patologia é diagnosticada a partir de uma combinação de sintomas e da evolução que a doença apresenta na pessoa afetada, com recurso a exames clínicos/exames complementares de diagnóstico (Ressonância Magnética Nuclear, Estudo de Potenciais Evocados e Punção Lombar).

Estima-se que em todo o mundo existam cerca de 2.500.000 pessoas com EM (dados da Organização Mundial da Saúde) e em Portugal mais de 8.000 (Gisela Kobelt, 2009).

A EM pode produzir sintomas idênticos aos de outras patologias do SNC, pelo que o diagnóstico poderá demorar anos a acontecer.

[2] Sa MJ, G Kobelt, J Berg, D Capsa, J Dalén, New insights into the burden and costs of multiple sclerosis in Europe: Results for Portugal, Multiple Sclerosis Journal 2017, Vol. 23(2S) 143 –154

EMPRESAS