Inicio Tags FBI

Tag: FBI

Tradutora do FBI casou em segredo com militante do Daesh

Aconteceu em 2014 mas a história de Daniela Greene só agora foi divulgada, depois de terem sido reveladas as gravações do tribunal federal que julgou o caso.

A agente do FBI, que trabalhava em Detroit, foi designada para investigar Denis Cuspert em janeiro de 2014.

Cuspert é um rapper alemão que se converteu ao Daesh. Acusado de vários crimes de terrorismo, aparece num dos vídeos de propaganda do grupo terrorista a segurar uma cabeça decapitada.

 Denis Cuspert (EPA)

Denis Cuspert (EPA)

Em junho de 2014, a tradutora, nascida na antiga Checoslováquia e fluente em alemão, disse aos seus superiores que planeava visitar os pais, que vivem na Alemanha. A viagem realizou-se mas o destino foi outro: Greene seguiu para a Turquia, onde, segundo a CNN, atravessou a fronteira síria com a ajuda de militantes do Daesh.

Foi já em território sírio que Greene casou com Cuspert. Na altura, a agente do FBI ainda estava casada com um oficial norte-americano.

O arrependimento surgiu rapidamente e, pouco tempo depois, a tradutora escreveu para uma pessoa não identificada nos Estados Unidos, a quem revelou o “ambiente muito duro” em que vivia e disse sentir que provavelmente já seria “tarde demais”.

Um mês depois de chegar à Síria, conseguiu, sob circunstãncias não apuradas, sair de território controlado pelo Daesh e regressar aos EUA.

Nos Estados Unidos, foi julgada e admitiu ter dito a Cuspert que este estava a ser investigado pelo FBI. Em dezembro de 2014, foi condenada.

Cumpriu dois anos numa prisão federal e foi libertada este verão. Atualmente, trabalha como rececionista num hotel.

Em declarações à CNN, o advogado de Daniela Greene explicou que a cliente é uma pessoa “inteligente, equilibrada e obviamente ingénua”, que se envolveu numa situação que fugiu do seu controlo.

Devia tapar a sua webcam, aconselha o diretor do FBI

O diretor do FBI, James Comey, aproveitou a oportunidade da conferência no Center for Strategic and International Studies para renovar o seu apelo que os utilizadores de computadores portáteis tapem a webcam. “Há pequenas coisas que deves fazer e essa é uma delas”, aconselhou o líder da autoridade federal dos EUA.

Esta não é a primeira vez que Comey aconselha os utilizadores de portáteis a fazê-lo, citando a necessidade de salvaguardar a privacidade. O diretor do FBI notou que, caso um hacker consiga invadir um computador, pode facilmente tomar controlo da webcam e conseguir ter uma verdadeira ‘janela’ par a vida íntima da vítima, conta o Engadget.

“Entras em qualquer escritório governamental e todos temos pequenas coisas nas câmaras no topo do ecrã. Todas têm pequenas tampas que as tapa. Fazes isso para que as pessoas que não tenham autoridade para as usar não o façam. Penso que é uma coisa boa”, explicou Comey.

FBI recomenda que Hillary Clinton não seja acusada por uso de email pessoal

James B. Comey, diretor do FBI, disse que não seria “razoável” acusar Hillary Clinton pelo uso do seu email pessoal para partilhar informações confidenciais enquanto ainda era Secretária de Estado, avança o New York Times. Apesar de não aconselhar uma acusação, considera que usar um sistema não secreto para partilhar informações secretas do país foi um ato “extremamente descuidado” por parte da ex-secretária de Estado e da sua equipa.

Estas declarações, que poderão ter impacto na corrida presidencial, surgem depois de uma investigação de um ano feita pelos serviços secretos. Os emails foram detetados por Charles McCullough III, inspetor geral dos serviços secretos, que reportou a descoberta ao Departamento de Justiça. O inspetor-geral foi alertado pela Comissão Parlamentar de Inquérito que investigava o ataque de setembro de 2012 à embaixada norte-americana em Beghazi, na Líbia, em que morreram quatro americanos, entre os quais o embaixador J. Christopher Stevens.

Em causa estava o envio de documentação secreta, mas que não estava identificada como tal, através do email pessoal de Hillary Clinton e as mensagens eram veiculadas através de um servidor que estava na sua casa, em Nova Iorque. Os críticos de Clinton dizem que, ao usar um sistema tão vulnerável, a ex-secretária de Estado pôs em risco a segurança nacional.

O Departamento de Estado analisou mais de 55.000 páginas de email, sendo que a candidata democrata solicitou que não fossem examinados cerca de metade desses emails, alegando que diziam respeito a assuntos pessoais.

À Comissão Parlamentar de Inquérito e aos serviços secretos, foram entregues cerca de 800 emails. Esses emails foram classificados em diferentes níveis de confidencialidade e mais de duas dezenas foram marcados como “Top Secret” — o nível máximo de confidencialidade. Alguns deles abordavam o programa de drones no Paquistão que, apesar de ser discutido nos meios de comunicação social americanos e paquistaneses, é um programa secreto.

FBI avisa para riscos de hacking a carros

O FBI e administração de segurança rodoviária dos Estados Unidos lançaram um boletim a avisar que os veículos a motor são “cada vez mais vulneráveis” a hacking e aconselha a manterem-se alertas para potenciais problemas e ameaças cibernéticas.

Em julho de 2015, a Fiat Chrysler Automobiles chamou 1,4 milhões de veículos norte-americanos para instalar software, depois de um artigo ter alertado para a possibilidade de hacking aos seus veículos.

Também o ano passado, a General Motors lançou uma atualização de segurança para a sua aplicação de smartphones porque poderia permitir a hackers tomarem controlo de algumas funcionalidades do Volt, o seu carro eléctrico.

Passwords de 320 mil utilizadores podem ter sido roubadas

A empresa de telecomunicações norte-americana Time Warner Cable admitiu que os seus 320 mil clientes podem ter as suas passwords comprometidas.

A Time Warner Cable diz que foi recentemente notificada pelo FBI sobre o possível roubo das passwords de alguns dos seus utilizadores. Segundo o The Next Web, os endereços de email e passwords terão sido roubados através de malware descarregado através de ataques de phishing, ou através da quebra de dados de outras empresas que armazenam as informações dos clientes da empresa.

A empresa ainda não determinou exatamente como terá acontecido. De qualquer forma, afirma que não encontrou qualquer indicação de que os seus sistemas tenham sido hackeados.

Hacker terá roubado 1,2 mil milhões de credenciais de acesso

De acordo com o Engadget, o FBI está a ligar o hacker conhecido como ‘mr. grey’ ao roubo de 1,2 mil milhões de credenciais de internet depois de ter encontrado o seu email nas provas recolhidas.

Não é claro se o hacker conseguiu todas as credenciais sozinho ou se se trata de um grupo. De qualquer forma, esta é a maior coleção de roubo de credenciais de acesso que o FBI alguma vez investigou.

As autoridades descobriram o caso depois da Hold Security, uma empresa de segurança cibernética, ter descoberto que um grupo de hacking russo chamado ‘CyberVor’ roubou 1,2 mil milhões de credenciais de log-in e mais de 500 milhões de endereços de email.

EMPRESAS