Inicio Tags GNR

Tag: GNR

GNR: “Poupe quatro pontos, circule pela direita!”

Segundo a GNR, trata-se da segunda fase da operação Via Livre, que arrancou no passado dia 20 de março com ações de sensibilização, alertando os condutores para os constrangimentos e perigos provocados pela circulação indevida, tando ao nível da segurança rodoviária como da fluidez do tráfego.

“Poupe quatro pontos, circule pela direita!” – é o conselho deixado nesta campanha.

A primeira fase da operação Via Livre prolongou-se até dia 26 e a segunda fase, que hoje começa, vai durar até ao dia 2 de abril.

As ações vão decorrer em autoestradas e nas vias reservadas a automóveis e motociclos.

“A prática da circulação de veículos pela via do meio ou da esquerda sem que exista tráfego nas vias mais à direita, para além de constituir infração ao Código da Estrada, causa constrangimentos à segurança rodoviária e à fluidez de tráfego”, lembra a GNR em comunicado, frisando que esta atitude potencia outras infrações por parte dos condutores.

LUSA

Operação “Natal Tranquilo” arranca amanhã

Em comunicado, a Guarda Nacional Republicana (GNR) avança que a operação “Natal Tranquilo” tem como objetivos prevenir a sinistralidade rodoviária, garantir a fluidez do tráfego e apoiar todos os utentes das vias, no sentido de lhes proporcionar uma deslocação em segurança.

Durante a operação, os militares da GNR vão, sobretudo, controlar a falta de cartas de condução, a condução sob influência de álcool e substâncias psicotrópicas, excesso de velocidade, incorreta ou não utilização de cintos de segurança e sistemas de retenção para crianças e utilização indevida de telemóvel.

GNR reabre escola de Vieira do Minho, mas pois prometem megamanifestação

A sede do Agrupamento de Escolas de Vieira do Minho já reabriu, depois de a GNR ter retirado o cadeado colocado no portão pelos pais, em protesto contra a formação de uma turma mista na EB1 de Rossas.

O presidente da Associação de Pais, Paulo Magalhães, disse à agência Lusa que os cerca de 1.100 alunos que frequentam a escola sede do agrupamento “perderam os dois primeiros tempos lectivos”.

“O cadeado foi retirado mas os nossos protestos vão continuar, até que as nossas reivindicações sejam atendidas”, acrescentou.

Adiantou que está a ser preparada para terça-feira uma “megamanifestação” frente à Direcção-Geral dos Estabelecimentos Escolares do Norte, no Porto.

Em causa está a constituição de uma turma mista, com 11 alunos do 1.º ano e 15 do 2.º, na EB1 de Rossas.

Segundo os pais, bastava haver mais um aluno para o Ministério da Educação já autorizar a formação de turmas autónomas para cada ano. “Por um aluno, está-se a prejudicar o sucesso educativo de 26”, criticou Paulo Magalhães.

Na sexta-feira, os pais fecharam a cadeado aquela EB1, cujos alunos continuam sem ir às aulas.

Tutela fala em situação de excepcionalidade

Também na sexta-feira, em comunicado, o Ministério da Educação adiantou que aquela turma mista será para manter, sublinhando que “avançar com uma situação de excepcionalidade neste caso seria criar um foco de desigualdade relativamente a outros que se encontram em situações semelhantes”.

No comunicado, a tutela refere que a criação de turmas mistas “é a solução prevista na lei, e pedagogicamente validada, para as escolas com um número de alunos muito reduzido”.

Sublinha ainda que “é para evitar que haja a necessidade de recorrer a turmas mistas – as quais são uma minoria no panorama nacional – que, em alguns territórios, os municípios optam pela construção de centros escolares”, acrescenta.

Os pais dos alunos de Rossas contrapõem que o concelho de Vieira do Minho sofreu um reordenamento da rede escolar, com o encerramento de 27 escolas primárias e a redistribuição dos alunos quatro centros escolares/escolas básicas, precisamente para evitar a formação de turmas mistas.

Perseguição, tiroteio e assalto na A4, perto de Amarante

A perseguição e o tiroteio ocorreram perto das 17:30, ao km 45 da Autoestrada 4 (A4), desconhecendo-se para já o motivo do incidente, que já está a ser investigado pela Polícia Judiciária.

Segundo a mesma fonte, um carro furtado com três pessoas no interior perseguiu uma outra viatura, de matrícula espanhola, acabando por imobilizá-la após vários disparos com armas automáticas, que lhes furaram os pneus.

As três pessoas terão então roubado uma mala e puseram-se em fuga, encontrando-se ainda desaparecidos, acrescentou.

Deste episódio resultou apenas um ferido ligeiro, o condutor do veículo de matrícula espanhola, que não precisou de assistência hospitalar, disseram as autoridades.

 

ASAE abre 18 processos em fiscalização de transporte de mercadorias

Numa chamada “Operação Abastecimento” (com cooperação da PSP e da GNR), a ASAE fiscalizou 1.309 viaturas, desde terça-feira até à madrugada de hoje, verificando as condições de transporte de mercadorias em circulação (alimentares e não alimentares), nos principais acessos aos grandes centros urbanos, industriais e mercados abastecedores.

Foram ao todo 40 locais do continente onde se verificaram as condições “higiosanitárias de transporte, o controlo de temperatura e a rotulagem dos produtos e a documentação de acompanhamento das mercadorias”, explica a ASAE no comunicado.

E especifica que foram controladas mas de 2.100 toneladas de produtos como carne, combustíveis, peixe, fruta e hortícolas, pão, bolos e bebias, além de têxteis, calçado e peças de automóvel.

Os 18 processos de contraordenação deveram-se essencialmente a “incumprimento dos requisitos gerais e específicos de higiene”, e à “falta de condições de veículo para transporte de géneros alimentícios e irregularidades relativas ao controlo metrológico obrigatório”.

Foram ainda apreendidos 125 quilos de pescados e dois equipamentos de controlo de temperatura.

FP // MAG

Lusa/fim

Sudoeste: Onze detidos no festival por suspeita de tráfico de droga em operação da GNR

Onze pessoas foram detidas por suspeita de tráfico de droga durante a operação policial realizada pela GNR no festival Sudoeste, que terminou domingo na Herdade da Casa Branca, em Odemira, distrito de Beja, divulgou esta segunda-feira a Guarda.

Em comunicado, o Comando Territorial de Beja da GNR refere que os detidos, com idades entre os 21 e os 28 anos, foram sujeitos a termo de identidade e residência (TIR), numa operação que se saldou também por 19 autos de contraordenação por consumo de droga.

Durante a operação direcionada para a segurança e policiamento da 20.ª edição do festival, por onde passaram cerca de 200 mil pessoas, foram apreendidas 606 doses de haxixe, 36 doses de drogas sintéticas, quatro doses de canábis e outras quatro de cocaína, um bastão extensível e 658 euros em dinheiro.

Realizada desde 30 de julho, quando se iniciou o campismo, até esta segunda-feira, a operação policial contou diariamente com mais de uma centena de militares de todas as valências da GNR.

No comunicado, o Comando Territorial de Beja da GNR destaca “a excelente colaboração” com a organização do “Meo Sudoeste 2016”, “facto que permitiu garantir um ambiente de segurança às mais de 200 mil pessoas” que passaram pelo festival.

O promotor do festival, Luís Montez, assegurou, no domingo, terem sido batidos “recordes de público” este ano.

O Sudoeste regressa no próximo ano, entre os dias 02 e 06 de agosto.

Mais de 200 pessoas detidas pela GNR durante último fim de semana

A Guarda Nacional Republicana deteve mais de duzentas pessoas durante o último fim-de-semana, a maioria das quais por condução sob efeito do álcool ou por conduzirem sem carta.

A nota sobre a atividade operacional da GNR dos últimos dias em todo o país refere que foram detidos em flagrante delito 214 pessoas, entre elas 119 por condução sob efeito de álcool, 30 por condução sem habilitação legal, 24 por tráfico de estupefacientes e 16 por posse ilegal de arma.

Quanto ao material apreendido, a GNR dá conta de 795 doses de haxixe, 115 doses de heroína, 41 doses de cocaína e três plantas de canábis. Foram também apreendidas três armas de fogo, 16 armas brancas e mais de 600 euros em dinheiro.

No que se refere à fiscalização rodoviária, a GNR detetou mais de duas mil infrações, sendo 629 por excesso de velocidade, 344 por condução com taxa de alcoolemia superior ao permitido, 106 por falta ou má utilização do cinto de segurança ou de cadeiras para crianças, 89 por falta de inspeção obrigatória e quase 50 por uso do telemóvel durante a condução.

Vinte e quatro pessoas morreram este ano na sequência de 1.700 atropelamentos

Vinte e quatro pessoas morreram na sequência de 1.700 atropelamentos ocorridos nos primeiros seis meses do ano, em todo o país, mais 178 face ao período homólogo de 2015, segundo dados divulgados pela GNR.

Nos primeiros seis meses de 2015 e de 2016, foram registados, no total, mais de 3.200 atropelamentos, dos quais resultaram 49 mortos, correspondendo a 14% do total das mortes em acidentes rodoviários registados na área de responsabilidade da Guarda Nacional Republicana.

No primeiro semestre deste ano, foram registadas 24 mortes (menos uma do que em igual período de 2015), 94 feridos graves (mais 11) e 791 feridos leves (mais 66), num total de 1.700 atropelamentos.

Porto (202), Braga (182), Aveiro (142) e Viseu (110) são os distritos com maiores índices deste tipo de sinistralidade, adianta em comunicado a GNR, que está a realizar uma campanha, nas redes sociais, sobre atropelamentos, alertando para a necessidade de reduzir a velocidade junto às passadeiras.

“Os atropelamentos ocorrem muitas vezes por distração, tanto do condutor como do peão”, refere a corporação, sublinhando que “as principais vítimas de atropelamentos” são as crianças e os idosos.

Para prevenir estes acidentes, a GNR aconselha os condutores a redobrarem a atenção nas vias habitualmente utilizados pelos peões para passagem, mesmo fora das passadeiras, e a “reduzir a velocidade para um nível que permita imobilizar o veículo no caso de necessidade”, em zonas urbanas ou residenciais.

Recomenda ainda aos condutores para não realizarem atividades que provoquem distração, como o uso de telemóvel.

A GNR dirige também algumas recomendações aos peões, como caminharem pelos passeios e atravessarem nas passadeiras, sempre que existam. Quando não existirem, “atravessar pelo lugar mais seguro, a direito, depressa mas sem correr”.

Nas bermas, os peões devem caminhar no sentido contrário ao dos veículos, o mais afastado possível da faixa de rodagem, e usar vestuário de cores vivas para uma maior visibilidade, sobretudo durante a prática desportiva,

Outros conselhos passam pelos peões não atravessarem entre viaturas estacionadas, “tomar especial cuidado” ao atravessarem as vias, olhando para ambos os sentidos, e “evitar realizar atividades distrativas”, como enviar mensagens e consultar as redes sociais no telemóvel.

Operação Hermes. Quatro mortos em 631 acidentes

A GNR registou, entre sexta-feira e domingo, 631 acidentes, menos 60 do que no ano passado, adiantou à agência Lusa fonte da GNR. Destes acidentes resultaram 13 feridos graves, menos seis do que no mesmo período de 2015, e 251 feridos ligeiros, mais três do que no ano passado.

A terceira fase da operação teve início na sexta-feira nas principais vias de ligação a locais de férias, com a intensificação das ações de patrulhamento

As fronteiras terrestres, de entrada de emigrantes em território nacional, foram igualmente alvo de “atenção especial” pela parte da GNR, que, na sexta-feira, realizou “uma ação de divulgação de conselhos de segurança, sobretudo rodoviária”, em Vilar Formoso, com a participação de elementos da Guardia Civil de Espanha.

O balanço da primeira fase da operação Hermes, que decorreu no primeiro fim de semana de julho, elevou-se a sete mortos, mais quatro do que no mesmo período, em 2015, e 530 acidentes, menos 21 do que no ano passado, na mesma fase da operação, segundo os números então divulgados pela GNR.

Vinte e cinco feridos em estado grave (menos um do que em 2015) e 170 pessoas com ferimentos ligeiros (menos 51) foram também contabilizados durante os três primeiros dias da operação, este ano, em comparação com período homólogo, em 2015.

Na segunda fase da operação Hermes, entre 15 e 17 de julho, a GNR registou 620 acidentes, dois mortos e 18 feridos graves. Em relação à mesma fase da operação de 2015, a Guarda registou mais 30 acidentes, menos seis mortos e o mesmo número de feridos.

As próximas fases da operação “Hermes” realizam-se nos fins de semana de 12 a 15 e de 26 a 28 de agosto.

GNR deteve 174 pessoas no fim de semana, maioria por condução com álcool

A Guarda Nacional Republicana (GNR) deteve no passado fim de semana 174 pessoas em flagrante delito, a maioria das quais por condução sob o efeito do álcool, e apreendeu 291 doses de haxixe.

Em comunicado divulgado esta segunda-feira, a GNR adiantou que, no fim de semana, deteve 174 pessoas em flagrante delito, 102 das quais por condução sob o efeito do álcool, 21 por condução sem habilitação legal, seis por tráfico de estupefacientes, seis por furto, três por violência doméstica e um por tentativa de homicídio.

A GNR informou também que foram apreendidas 291 doses de haxixe e 3,13 toneladas de bivalves.

No âmbito do trânsito, a GNR detetou 2.271 infrações, das quais 1.080 deveram-se a excessos de velocidade, 317 a condução com taxa de álcool no sangue superior ao permitido por lei, 104 a falta de inspeção periódica obrigatória.

Das infrações detetadas, 99 deveram-se a falta ou incorreta utilização do cinto de segurança e/ou sistema de retenção para crianças, 63 por uso indevido do telemóvel no exercício da condução, 30 por falta de seguro de responsabilidade civil obrigatório e 25 relacionadas com tacógrafos.

As operações realizaram-se em todo o território nacional com o objetivo de prevenir e combater a criminalidade violenta e de fiscalização rodoviária, acrescenta a GNR no comunicado

EMPRESAS