• next generation event
Inicio Tags Gondomar

Tag: Gondomar

Lacovale – Technology and Innovation renova frota para elétricos

A LACOVALE – Technology and Innovation, empresa metalomecânica com sede em Gondomar (distrito do Porto), renovou a sua frota automóvel passando a contar com oito veículos 100% elétricos (modelo Nissan Leaf), num investimento em regime de renting junto da Nissan Business Finance. Com esta medida – inserida na política de sustentabilidade ambiental -, a empresa espera diminuir significativamente a sua pegada ecológica, reduzindo as emissões de CO2 para a atmosfera.

“A renovação de frota é mais um passo evolutivo na política de sustentabilidade ambiental que temos vindo a desenvolver. O aumento da nossa frota operacional – agora com nove veículos elétricos -, permitirá reduzir significativamente o uso das viaturas a gasóleo. Com esta medida, a LACOVALE pretende, não só, reduzir a sua pegada ecológica, ao diminuir a emissão de gases com efeito de estufa, como também, apoiar o setor da mobilidade elétrica, setor onde se integram alguns dos nossos clientes.”, refere Carla Soares, diretora-geral da LACOVALE.

A sustentabilidade ambiental tem sido uma das maiores bandeiras da LACOVALE. Para além dos seus produtos serem quase todos recicláveis, a educação ambiental é uma prática interna da empresa ao instruir os seus colaboradores a adotarem comportamentos que visam contribuir para a redução da pegada ecológica.

“A atestar a preocupação ambiental da LACOVALE estão várias ações de incentivo à redução do consumo de papel; à redução do consumo de garrafas de plástico através da oferta – a cada colaborador – de uma garrafa reutilizável para consumo de água; à reciclagem de resíduos em todos os departamentos e à gestão responsável do uso da energia”, sublinha Carla Soares, anunciando ainda que estará para breve o aumento do número de painéis solares.

Aumento dos painéis solares

De acordo com a diretora-geral da LACOVALE, “atualmente, está em curso um estudo junto do nosso fornecedor de energia elétrica para o aumento significativo de painéis solares instalados de forma a sermos, cada vez mais, autossuficientes em consumo energético”, revelando que: “este estudo comtempla ainda o compromisso de consumo junto da rede elétrica, apenas de energia com origem ecológica.”.

De referir que, esta cultura de responsabilidade ambiental esteve em destaque na comunicação interna da LACOVALE, ao longo de fevereiro, mês escolhido pela empresa para reforçar, junto da equipa, a mensagem de consciencialização para gestos de preservação ambiental, numa iniciativa que intitulou de ‘Green February’.

Na opinião de Carla Soares, “é importante estarmos na vanguarda do desenvolvimento e, simultaneamente, darmos o nosso contributo para um mundo, cada vez mais, verde. Esta posição é fundamental na forma como abordamos o mercado, sempre com responsabilidade, honestidade, transparência e inovação.”

Sobre a LACOVALE – Technology and Innovation

Fundada em 1996, a LACOVALE – Technology and Innovation é uma metalomecânica, sediada em Gondomar, que dispõe de vários serviços ligados à transformação do metal – corte laser, quinagem cnc, soldadura e pintura electrostática – suportados por processos e materiais da mais alta tecnologia e inovação.

Considerada uma referência nacional no setor da metalomecânica, a LACOVALE assume um posicionamento bastante competitivo pela experiência e forte know-how acumulados ao longo de mais de duas décadas, procurando sempre implementar a melhoria contínua nas suas soluções, responder às necessidades de mercado e antecipar tendências.

O compromisso com a qualidade dos serviços e produtos que apresenta e o foco na satisfação dos seus clientes garantiram à LACOVALE, em 2015, a certificação – do seu Sistema de Gestão de Qualidade – pela norma ISO 9001.

Formada por uma equipa de 70 colaboradores, a LACOVALE tem inscrito no seu ADN “empresa familiar”, uma cultura que reflete no ambiente familiar da sua gestão interna, bem como, no modelo de negócio de proximidade, disponibilidade e flexibilidade que promove junto de fornecedores, parceiros e clientes.

A sustentabilidade ambiental é uma das maiores bandeiras da LACOVALE, sendo que, os seus produtos são quase todos recicláveis. A educação ambiental é uma responsabilidade incutida, também, na equipa com a prática de várias ações internas que visam a redução da sua pegada ecológica.

Gondomar: Associação dá aulas de mergulho a utentes com paralisia cerebral

Em curso há cinco anos em parceria com o Centro Cultural e Desportivo da Câmara do Porto, o projeto de mergulho adaptado, disse à agência Lusa a coordenadora de voluntariado da APPC Filipa Luz, “surgiu da vontade de criar atividade diferenciadas e aumentar a participação de jovens adultos com paralisia cerebral”.

Mensalmente, na piscina da Villa Urbana, unidade residencial da APPC onde vivem 31 pessoas com paralisia cerebral, participam nas sessões entre cinco e oito utentes de uma associação que tem “desde serviços educativos a serviços para pessoas com deficiência, acompanhando diariamente cerca de 1.500 pessoas”, disse a coordenadora.

E sobre as mudanças que a frequências das aulas permitiu, Filipa Luz destacou a “oportunidade de poderem participar em algo diferente”, frisando que as pessoas “são constituídas pelo número de experiências que conseguem vivenciar ao longo da sua vida” e o que o facto de ter nascido esta escolha “implicou na sua qualidade de vida”.

“Uma vez por mês é a periodicidade possível, não apenas por uma questão de logística do espaço”, mas também para permitir a todos participarem, numa experiência que já chegou a “um alargado número de utentes”.

Mergulhador há 33 anos e instrutor há 20, José Roças lidera a equipa de quatro mergulhadores voluntários que, em sessões de cerca de uma hora, permitem a quem passa o dia, por exemplo, numa cadeira de rodas, ter a sensação de caminhar dentro da piscina.

Equipados com colete, botija de ar comprimido e, sobretudo, muita atenção e dedicação dos mergulhadores, os utentes da APPC, com diferentes níveis de paralisia cerebral, podem evoluir na piscina de diferentes formas, aprendendo, sobretudo a “respirar debaixo de água”.

José Roças explicou à Lusa que as sessões “consistem em colocar um individuo não adaptado, com o equipamento necessário para a prática do mergulho, a sentir-se imbuído do espírito do mergulho, porque está debaixo de água e a respirar”.

E num grupo diferenciado de utentes, há quem use barbatanas e faça percursos subaquáticos na piscina e outros que, sendo de uma dependência total, têm sempre dois mergulhadores a acompanhá-lo.

“Existe o estigma de que o indivíduo deficiente é um extraterrestre quando, na verdade, consegue fazer coisas que nós, ditos normais, achamos que é um bocadinho perigoso, mas que eles fazem porque se sentem seguros e querem partilhar a vida connosco e ser o mais normais possível”, argumentou o instrutor que do trabalho dos seus alunos disse ser igual ao dos demais, “exigindo tempo e treino”.

Da evolução que acompanhou, disse haver pessoas que “estão nisto há alguns anos e cuja mudança é enorme”, exemplificando com o simples gesto de colocar a máscara de mergulho: “alguns não conseguiam pôr uma máscara de mergulho e hoje não só têm a mascara, mas também conseguem andar debaixo de água e conseguem respirar”.

Para José Roças, a “maior dificuldade é interagir, conseguir que o individuo perceba o que se lhe quer dizer e que consiga dizer se está bem ou se está mal e isto, às vezes, demora meses”.

Do seu trabalho neste projeto de voluntariado disse ser “uma realização pessoal e uma satisfação”, sustentando que o seu “grande objetivo é que tenham a possibilidade de mergulhar desde que o queiram”.

“Estes são um exemplo, pois com mais dificuldade fazem-no e isso dá-me um orgulho e uma satisfação enorme. E com a equipa que tenho conseguimos fazer estas coisas”, acrescentou o instrutor que questionado se havia uma idade limite para a frequência respondeu que desde que “haja capacidades físicas o poderão fazer”.

LUSA

“É importante levar as pessoas a agir”

Há 20 anos que a Samsys ajuda as empresas a aumentarem a eficiência e produtividade, estudando, desenvolvendo e implementando soluções tecnológicas que potenciam o crescimento mútuo. Para comemorar o 20.º aniversário, o evento anual da Samsys concretizou-se num formato completamente novo. O dia contou com atrações, entretenimento, palestras, convidados especiais e convívios. Um formato novo que juntou, num só sítio, especialistas em motivação, liderança, linguagem corporal e neuromarketing para reforçar a importância dos recursos humanos para o sucesso das organizações.

IMG_9206Nesta 6ª edição do ‘Dia do Cliente Samsys’, inserida na ‘Gondomar Cidade Europeia do Desporto, o objetivo passou por fazer compreender que o crescimento das empresas portuguesas vai para além das soluções tecnológicas, reforçando a importância da componente humana.

Durante a manhã, num primeiro painel, dois oradores convidados falaram sobre temas escolhidos pelos participantes na inscrição e Samuel Soares, Diretor Geral da Samsys, debateu o tema da Liderança Feminina com seis mulheres CEO´s de organizações de áreas diferentes.

À tarde, o evento contou com a presença de um leque de oradores enriquecedores como Alexandre Monteiro, Jamil Albuquerque, Paulo Moreira e Fernando Rodrigues.

Samuel Soares, Diretor Geral da Samsys orgulha-se do sentimento de felicidade, de concretização e de partilha que se respirou e viveu no evento. “Vive-se e respira-se aqui um espírito de partilha, partilha de ideias, de conhecimento, de dar sem pedir nada em troca. Poder providenciar todo este networking a todos os presentes é algo que nos enche a alma de concretização. Os assuntos que estamos aqui a trabalhar são assuntos que tocam todas as empresas e todas as pessoas. Temos painéis muito gratificantes e queremos que todos tirem partido deste evento”, refere Samuel Soares para quem, enquanto líder, o seu maior desafio é ajudar e formar outros líderes a desenvolverem-se e a crescerem. “Elevar a comunicação a uma tal ordem de excelência para ajudar as pessoas que nos rodeiam. Temos de qualificar as pessoas, apostar na sua formação e ajudá-las a encontrar a sua verdadeira vocação”, explica o diretor geral da Samsys.

EVENTO

Também Rúben Soares, Sócio-Gerente da Samsys, reforça a importância dos temas que têm vindo a ser trabalhados nos eventos anuais da Samsys. Temáticas direcionadas para mover pessoas e levá-las a agir. “As pessoas sabem o que querem fazer, têm ideias e sabem o que têm de fazer, mas depois passam a vida a procrastinar. O principal problema do desenvolvimento pessoal e profissional é este. Daí querermos voltar a focar e reforçar esse aspeto neste evento. É importante levar as pessoas a agir, é importante motivá-las. Acreditamos que a motivação é como o banho: deve tomar-se todos os dias. E a regularidade dos nossos eventos vai nesse sentido”, explica Rúben Soares. Na Samsys procuram, diariamente, ajudar os seus parceiros a crescer, mas Rúben Soares afirma que não é só com a tecnologia que as empresas crescem. “O fator humano é muito importante e é aqui que está a diferenciação de cada empresa. Temos de apostar no desenvolvimento das suas capacidades e das suas soft-skills”, conclui o sócio-gerente da Samsys.

IMG_9293

O QUE ELES DIZEM…

“Tenho acompanhado as seis edições deste evento. Como parceiro é importante estarmos presentes para apoiar a Samsys, para além de que é uma oportunidade para a partilha de conhecimento e crescer profissionalmente”, Fernando Félix, Webcomum – Agência Online.

“É o primeiro ano que estamos presentes neste evento e está a ser surpreendente a quantidade de pessoas que estão presentes. Como parceiros da Samsys sairemos daqui mais enriquecidos e a conhecer melhor aquilo que é o universo da Samsys e dos seus parceiros”, Bruno Noversa, Grupo Solartel.

“Consideramos este evento importante para a empresa e para os clientes da Samsys, pois é uma ótima forma de fazer networking, troca de experiências ou encontrar novos parceiros com o dinamismo que aqui se vive”, Pedro Neves, colaborador de uma empresa cliente da Samsys.

“É um dia inovador, mas já estamos habituados a que os eventos da Samsys nos surpreendam, superando as expectativas. Como parceiros da Samsys saímos ainda mais motivados e inspirados para conquistar o mercado”, Nélson Ferreira, SCI Informática.

“Já venho há quatro anos aos eventos da Samsys. São eventos que cativam da forma como apresentam e abordam diferentes temas. Contribui para o nosso progresso e a vontade que a Samsys tem de vencer e fazer com que os outros também vençam dá-nos uma motivação extra”, Manuel Resende, Póvoa Conta LDA.

“É a primeira edição em que estamos presentes e está a ser uma agradável surpresa. Estou a gostar da organização e da qualidade do evento. Vinha à procura de algo que me acrescentasse mais valor como pessoa e como profissional e isso já aconteceu. Este evento é o local ideal para isso”, Carlos Vidago, LR Health & Beauty.

Motivação, liderança e solidariedade em evento que reuniu mais de 1500 pessoas

Na passada terça-feira, dia 27 de junho, a cidade de Gondomar recebeu a 6.ª edição de uma iniciativa que reúne cada vez mais pessoas e que aposta no aprimoramento de conhecimentos em áreas como motivação, liderança e marketing relacional: o «Dia do Cliente», uma ação promovida pela Samsys, uma consultora especializada no setor das tecnologias de informação.

Tendo a iniciativa coincidido com o dia da realização do concerto solidário «Juntos por Todos», e numa altura em que o flagelo dos incêndios se abateu sobre o nosso país, o evento ficou também marcado por momentos de partilha e solidariedade através de uma iniciativa levada a cabo pela Sage – um dos patrocinadores do evento – através do seu projeto de responsabilidade social corporativa (Sage Foundation). A ação passou pela organização de uma recolha de fundos junto de todos os participantes, que irá reverter a favor das famílias afetadas pelos incêndios em Pedrógão Grande.

Pelo palco do Multiusos de Gondomar passaram peritos em gestão, inteligência emocional, liderança, linguagem corporal e neurociência – como João Catalão, Nuno Fontes, Paulo Moreira, Alexandre Monteiro, Jamil Albuquerque e Fernando Rodrigues – e ainda seis empresárias que debateram a aplicação destes vetores no dia-a-dia das suas organizações. Nos momentos de transição de oradores, o Multiusos enchia-se de luz e cor, ora com danças de salão, ilusionismo ou duetos de piano/voz ou até mesmo com dinâmicas de grupo ao ritmo do zumba ou do crossfit.

O networking surgiu de forma espontânea ao longo do evento, com especial enfoque nas pausas para coffee break ou almoço. Lorenzza Fernandes, empresária no ramo da multimédia, considera que “esta é a melhor forma de trocar contactos entre empresários e de potenciar o nosso negócio, porque o ambiente é propício e todos estão com o mesmo espírito e com uma dose de motivação extra”. Relativamente ao painel de palestras, como espectadora, considera que “é importante termos a noção de como pôr em prática as ideias que temos em mente e aqui no evento aprendemos técnicas para passar da teoria à prática”, conclui.

A Samsys, entidade responsável pela organização do evento, acredita que é na partilha de contactos, de conhecimentos e de tempo, que está o segredo dos bons negócios. Para Samuel Soares, diretor geral da empresa, “a boa liderança é algo que faz falta no nosso país. O derradeiro desafio de um líder é criar outros líderes, perpetuando valores e conhecimento. Este evento é, nem mais nem menos, do que um dia de partilha entre todos e uma fonte de princípios que os empresários podem (e devem) levar para as suas organizações”. Segundo Rúben Soares, diretor executivo da Samsys, “é tempo de agir e aquilo em que acreditamos é que é na ação, no ‘fazer’, que está o crescimento das empresas. Muitos clientes têm excelentes ideias mas falta-lhes coragem para inovar. A verdade é que, muitas vezes, é na capacidade para arriscar que está o sucesso e o fator distintivo que todos querem ter”, afirma.

O dia foi, ainda, marcado por uma surpresa: a apresentação do novo livro de Samuel Soares, diretor geral da Samsys, cujo título é «O caminho do sonhador. O poder dos sonhos no caminho do sucesso» e que reitera esta necessidade crescente de valorização das chamadas soft skills (perfil humano) comparativamente às hard skills (perfil técnico) dos profissionais.

Homem ameaçou explodir prédio em Gondomar

O caso aconteceu em Rio Tinto, Gondomar, quando o homem “colocou a mãe e o irmão fora de casa, à força”, se barricou em casa e ameaçou explodir botijas de gás.

O alerta foi dado pelas 21h00 de terça-feira levando à evacuação do prédio de oito andares, revelou hoje a PSP.

De acordo com fonte do Comando Metropolitano do Porto da PSP, as forças policiais estiveram, na noite de terça-feira, cerca de uma hora no bloco 5 da rua Bairro da Ponte, a retirar os moradores das casas devido à ameaça de explosão e a tentar que o homem saísse da habitação onde se barricou, depois de forçar a mãe e o irmão a sair.

O homem “trancou-se com móveis e outros objectos” para impedir a entrada no apartamento, mas após uma “manobra de distracção” das forças policiais, abriu a porta de casa “para espreitar” e acabou detido, acrescentou a PSP.

EMPRESAS