Inicio Tags Holanda

Tag: Holanda

EFTA conquista prata em concurso europeu

Além da brilhante prestação de ambos os alunos, a EFTA destaca-se, por mais um ano consecutivo, desta vez na categoria de Cockatail, trazendo para Portugal a medalha de prata.

A AEHT promove este concurso anual para estímulo e contacto entre escolas, estreitando relações entre os  participantes provenientes de diferentes partes da Europa. Esta é uma oportunidade de crescimento e aprendizagem para os jovens participantes dos níveis secundário, pós-secundário e superior, bem como de teste às suas capacidades e formação. Colocando-se à prova, exibem as suas competências e conteúdos aprendidos ao longo dos Cursos que frequentam.

A EFTA considera ainda que a participação dos seus alunos em competições desta dimensão é um estímulo para os jovens e um facto revelador da qualidade do ensino ministrado na Escola.

Nas últimas 9 edições em que marcou presença a EFTA conquistou 7 medalhas: 3 medalhas de Prata na categoria de Receção, 1 medalha de Prata na categoria de Culinary Art, 1 medalha de Prata na categoria de Tourism Destination, 1 medalha de Prata na categoria de Cocktail, a mais recente conquista da escola, e 1 medalha de Bronze na área de Culinary Art.

Este é o maior e mais prestigiado concurso europeu de Escolas de Hotelaria e Turismo e, este ano, contou com 550 participantes, provenientes 20 países Europeus. Mais uma vez, a EFTA esteve ao nível do que de melhor se faz na Europa no que respeita ao ensino e formação nas áreas do Turismo e Hotelaria.

Quatro voos cancelados entre Portugal e Holanda devido a mau tempo

“Devido às condições atmosféricas nos Países Baixos, foram cancelados hoje, no aeroporto de Lisboa, dois voos Lisboa/Amesterdão e vice-versa (um TAP e um KLM). Foi igualmente cancelado o voo da Ryanair Lisboa/Eindhoven e vice/versa”, informou fonte oficial da empresa, pelas 14:00.

No Porto foi cancelado um voo da TAP de ligação de Lisboa/Amesterdão e vice-versa, acrescentou a mesma fonte, que recordou que os aeroportos holandeses estiveram fechados durante a manhã.

O balanço mais recente da tempestade que assola vários países do norte da Europa contabilizou pelo menos três mortes na Holanda e na Bélgica, além de corte de estradas e encerramento de aeroportos.

Com o registo de ventos até aos 143 quilómetros por hora, as autoridades holandesas ativaram o código vermelho, o alerta mais elevado.

Segundo as agências noticiosas internacionais, o mau tempo obrigou ao encerramento temporário do espaço aéreo dos aeroportos de Amesterdão e de Roterdão, provocando o cancelamento de centenas de voos.

Os dois aeroportos internacionais anunciaram que o espaço aéreo deverá ser reaberto gradualmente ao longo da tarde, altura em que se espera um desagravamento das condições meteorológicas.

O mau tempo também deixou comboios parados e barcos ancorados, bem como obrigou ao corte de várias estradas.

A imprensa holandesa noticiou que esta é a tempestade mais forte desde 1990.

Outros países estão a ser afetados por esta intempérie, como é o caso da Bélgica, onde a tempestade também matou uma automobilista.

Alemanha, Reino Unido e Roménia são outros dos países afetados pelo mau tempo, com relatos de escolas encerradas, portos fechados, interrupção de transportes, queda de árvores e falhas de eletricidade.

LUSA

Grávida ou gorda?

Já se sabe os reality shows têm como objetivo gerar polémica. Mas este, holandês, elevou bastante a fasquia. Chama-se ‘Neem Je Zwemspullen’, traduzindo para português será algo como ‘Traz-me o teu Fato de Banho’, e os concorrentes que participam no programa têm como desafio perceber se as voluntárias estão grávidas ou gordas, se os seus seios são verdadeiros ou não, ou se as voluntárias asiáticas são chinesas ou japonesas.

O ‘feedback’ dos telespetadores nas redes sociais não tem sido o melhor e até já circula uma petição contra o programa, que já soma quase duas mil assinaturas. Os autores da petição acusam os produtores do programa de “rebaixarem as mulheres a pedaços de carne”.

Os produtores já se defenderam destas acusações através de um comunicado, no qual argumentam que o conceito satírico do programa “é uma forma de rir de todos os tipos de preconceitos”.

Os produtores do reality show consideram ainda que ao forçarem os concorrentes a fazerem juízos baseados nas aparências, e depois a avaliarem as suas decisões, estão a desafiar estereótipos e tabus.

Holanda: extrema-direita rejeitada

“Contrariamente ao que vinha sendo afirmado, [os resultados] expressaram a rejeição da extrema-direita xenófoba e reacionária por parte da esmagadora maioria do povo holandês, no entanto, também forças de direita holandesas foram assumindo ao longo do tempo algumas conceções assumidas pela extrema-direita”, disse à agência Lusa Pedro Guerreiro, do secretariado do Comité Central do PCP.

As eleições de quarta-feira ditaram a vitória dos liberais do VVD, do primeiro-ministro holandês, Mark Rutte, com 33 deputados, enquanto o Partido da Liberdade (PVV), de Geert Wilders — extrema direita -, ficou na segunda posição, com 20 deputados (13% dos votos), quando nas últimas eleições tinha conquistado 15 assentos parlamentares.

Em declarações à Lusa, Pedro Guerreiro afirmou que os resultados mostram igualmente “um recuo e uma penalização dos partidos que têm estado no poder na Holanda, que têm profundas responsabilidades na condução e suporte às políticas da União Europeia, que se têm caracterizado pelo retrocesso social e pelo aumento das desigualdades nos diferentes países da UE”.

O responsável sublinhou ainda que “os dois partidos que têm assumido as mais importantes responsabilidades governativas são os partidos que mais recuam, particularmente o partido da família socialista, os sociais-democratas do partido trabalhista, que sofrem um recuo histórico”.

“O resultado não deverá ser utilizado para branquear as políticas da UE e as suas consequências, nem para justificar novas fugas em frente neste processo de integração, que se tem caracterizado por estar ao serviço das suas grandes potências, nomeadamente da Alemanha, e do interesse dos grandes grupos económicos”, defendeu.

Os liberais do VVD foram a formação mais votada (21% dos votos) e o seu líder, Mark Rutte, terá prioridade para tentar formar governo, embora tenha perdido oito deputados face às eleições de 2012.

Rutte poderá procurar coligar-se com os democratas cristãos do CDA ou os liberais progressistas do D66, partidos que ficaram empatados em terceiro lugar, com 19 deputados cada, uma subida de seis e sete assentos, respetivamente.

No quinto lugar ficaram o SP (Partido Socialista, à esquerda do trabalhista), que perde um deputado e fica com 14, e os Verdes da Esquerda, o partido que mais subiu nestas eleições, passando de quatro para 14 deputados, segundo a agência EFE.

Os sociais-democratas do PvdA (Partido do Trabalho), que nos últimos quatro anos governaram em coligação com o VVD, sofreram uma derrota histórica e passam de 38 para nove deputados.

O Partido dos Animais passa de dois para cinco deputados, empatando com os Cristãos Unidos, que obtiveram o mesmo resultado das últimas eleições.

Holanda instala semáforos no chão para quem não larga o telemóvel

Uma cidade holandesa está a testar um sistema de sinais luminosos, um semáforo implantado no chão para zelar pela segurança rodoviária. A ideia é que os sinais luminosos atraiam a atenção das pessoas que se distraem com telemóveis e outros aparelhos, enquanto andam na rua.

O sistema de ilumação horizontal, em LED, de nome +Lichtlijn (ou seja, +Linhaluminosa) foi instalado na proximidade de três escolas, junto a um local de travessia de rua e coexiste com os semáforos normais, verticais, usando as mesmas cores para mandar parar ou avançar os transeuntes. Tal como os semáforos verticais a que estamos habituados, as luzes horizontais variam entre o verde e o vermelho, consoante o tráfego.

A ideia do município de Bodegraven é fazer com que quem esteja distraído, a usar o smartphone, seja atraído pelas luzes no chão e tome cuidado ao atravessar a rua. “Redes sociais, jogos, o WhatsApp e música causam grandes distracções no tráfego. Podemos não conseguir alterar esta tendência, mas podemos antecipar problemas”, justifica o vereador Kees Oskam.

O sistema, +Lichtlijn (linha da luz, em português), foi desenvolvido por uma empresa local, a HIG Traffic Systems, e já foi alvo de criticas por parte da Associação Holandesa para a Segurança Rodoviária.

“Não é boa ideia ajudar os utilizadores de telemóveis a olharem para eles. Não queremos que as pessoas usem telemóveis quando estão na rua, nem que estejam só a dar uma volta. As pessoas têm sempre de olhar em seu redor, para verem se os carros param nos sinais vermelhos”, disse o porta-voz do organismo, Jose de Long.

De acordo com o jornal holandês “DutchNew”, Long acusou o sistema em causa de “compactuar com as más condutas dos peões”.

Holanda diz não ao véu islâmico

A proibição do véu islâmico que cubra o rosto foi aprovada na câmara baixa do Parlamento holandês por 132 dos 150 deputados que a compõem. A legislação, que terá ainda de passar no Senado, proíbe burqas e niqabs em alguns lugares públicos onde é crucial identificar as pessoas, como edifícios do governo, transportes públicos, escolas e hospitais.

O Tribunal Europeu dos Direitos do Homem validou em Julho de 2014 a proibição do uso do véu islâmico integral adoptada por França em 2010, considerando que não violava a liberdade de religião.

No entanto, há vários anos que este tema tem estado no topo da agenda política. O primeiro governo do actual primeiro-ministro Mark Rutte (2010-2012) já tinha proposto uma lei que proibia o véu integral em todos os espaços públicos. Só não foi avante porque este Executivo, apoiado pelo Partido da Liberdade (PVV), de Geert Wilders, caiu.

Mas a hipótese de proibir o uso do véu islâmico, pelo menos em alguns locais, nunca saiu do topo da agenda política, muito por acção de Wilders. Mark Rutte está de novo no Governo, e o PVV –segundo uma sondagem divulgada segunda-feira– vai à frente nas intenções de voto para as eleições legislativas de Março de 2017.

O partido de Wilders é um dos membros da nova constelação transnacional de extrema-direita e anti-imigração e anti-islão, de que fazem parte a Frente Nacional de Marine Le Pen ou a Liga Norte italiana. Wilders é admirador do sucesso de Donald Trump nos Estados Unidos – e o PVV ganharia 33 dos 150 deputados que compõem a câmara baixa do Parlamento, se as eleições se realizassem agora, segundo a sondagem semanal do Instituto Maurice de Hond. Actualmente, tem apenas 12 lugares.

Saída nocturna leva Holanda a expulsar ginasta dos Jogos

O ginasta holandês Yuri van Gelder foi expulso esta terça-feira pelo Comité Olímpico holandês, depois de ter desrespeitado a proibição da comitiva e ter saído e consumido álcool durante a noite de sábado, em comemoração da sua passagem à final de ginástica, em argolas. O atleta de 33 anos regressou à aldeia olímpica apenas no domingo de manhã, conta um comunicado da Federação de Ginástica da Holanda. A decisão custou-lhe a sua participação na final dos Jogos Olímpicos.

O atleta tinha conseguido o 8.º lugar na fase de qualificações garantindo o seu lugar na final de argolas DR

“É terrível para o Yuri, mas este tipo de comportamento é inaceitável”, justificou o chefe de missão holandês num comunicado esta terça-feira, citado na página do atleta. “Em termos desportivos, isto é um desastre, mas não temos outra opção, tendo em conta que houve uma violação dos nossos valores. Batalhamos por um nível de excelência e respeito por todos os acordos e regras”, acrescentou. “Este comportamento não é aceitável nem nos Jogos Olímpicos nem em qualquer outro evento desportivo”, continua Maurits Hendriks.

Na página do atleta lê-se que o ginasta irá “processar a decisão em privado” e a seu tempo emitirá um comunicado, sem, no entanto, avançar qualquer data. O atleta também ainda não se manifestou na sua conta oficial de Twitter, onde nos dias anteriores ao início dos Jogos Olímpicos ia partilhando imagens e vídeos da sua chegada e preparação.

Esta não é a primeira vez que o atleta é afastado. Em meados de 2009, Van Gelder foi apanhado num teste anti-doping que acusou consumo de cocaína, três dias antes de um campeonato nacional e ficou impedido de competir nos Jogos Olímpicos de Londres, em 2012.

A equipa holandesa está sujeita a regras restritas. Os jogadores que concluíram as suas participações devem regressar ao país para evitar distrair os colegas ainda em competição, escreve o jornal The Guardian.

54% dos holandeses querem referendo sobre permanência na UE

O líder do Partido pela Liberdade, da Holanda, Geert Wilders, considerou a vitória do Brexit no Reino Unido uma “revolta patriótica em busca da liberdade”, e deseja o mesmo para a Holanda. E parece que os eleitores holandeses também. Ou, pelo menos, quer discutir o assunto.

Uma sondagem feita pelo “EenVandaag”, programa de notícias holandês, mostrou que 54% dos eleitores desejam um referendo sobre a permanência do país na União Europeia. A mesma sondagem revela que 48% dos holandeses votariam a favor da saída, o que provoca o medo de que, depois do Brexit, surja o “Nexit” (de “Netherlad”, Holanda em inglês).

Geert Wilders já apresentou uma proposta no Congresso holandês para fazer um referendo sobre a permanência do país na União Europeia, que foi chumbada. Apenas o Partido pela Liberdade, de Wilders, votou a favor.

Como explica o El País, existem dificuldades técnicas no que toca à realização do referendo. É que eles só podem ser realizados relativamente a leis ou tratados que tenham sido adotados, mas que ainda não estejam em vigor.

Com o Partido pela Liberdade à frente nas intenções de voto, Wilders está a apelar aos holandeses para que aproveitem as eleições gerais de 15 de março de 2017 para mostrarem à União Europeia que querem mudar.

Morreu Johan Cruijff, um génio do futebol total

Morreu Johan Cruijff. O jogador holandês, ex-treinador do Barcelona e do Ajax, tinha 68 anos e não resistiu a um cancro do pulmão. A notícia foi dada pela página oficial de Facebook de Cruijff. “A 24 de março de 2016, Johan Cruijff (68) morreu pacificamente em Barcelona, rodeado da família, depois de uma luta dura contra o cancro”, lê-se nessa nota.

O ex-jogador, que consta de todas as listas dos maiores futebolistas de todos os tempos e que ganhou por três vezes a Bola de Ouro para melhor jogador do mundo, descobriu que tinha cancro em outubro do ano passado.

Nascido em 1947, Cruijff foi o expoente máximo do “futebol total”, um estilo de jogo em que todos defendem e todos atacam, que notabilizou a seleção holandesa durante a década de 1970, particularmente durante o Mundial de 1974 (que a Laranja Mecânica perdeu para a Alemanha). Na final dessa competição, em Munique, Cruijff, que era uma das sensações do torneio, esteve cara a cara com outro grande nome do futebol europeu: Franz Beckenbauer. O alemão levou a melhor nessa ocasião, mas o holandês é que foi considerado o melhor jogador do mundo logo a seguir.

Enquanto jogador, Cruijff ganhou oito campeonatos e três Taças dos Campeões Europeus consecutivas pelo Ajax e apenas um título nacional pelo Barcelona. Seria como treinador, no entanto, que Cruijff conheceria a glória no clube catalão. Entre 1990 e 1994 ganhou todos os campeonatos nacionais de Espanha, uma Taça dos Campeões Europeus e uma Supertaça Europeia. Na equipa que, em 1992, ganhou o maior título europeu, estava um rapaz então desconhecido: Pep Guardiola, que mais tarde viria a também alcançar a glória no Barça. O ex-internacional holandês teria, aliás, grande influência em treinadores como o próprio Guardiola, Louis Van Gaal, Frank Rijkaard e Laudrup.

Como a laranja se mecanizou

O nome de Cruijff está inevitavelmente ligado ao de Rinus Michels, o treinador que primeiro pôs o Ajax no caminho das vitórias europeias e, depois, quase levou a seleção da Holanda à vitória no Mundial de 1974. Johan esteve em ambos os momentos. Em 1965, quando Michels tomou conta do Ajax, Cruijff tinha apenas 17 anos mas já era uma estrela em ascensão no clube de Amesterdão. Menos de um ano depois, durante a Taça dos Campeões Europeus, o Ajax conseguia vitórias expressivas contra o Besiktas (4-1 nas duas mãos) e sobretudo contra o Liverpool (5-1 num só jogo), à data um dos clubes grandes de Inglaterra.

Cruijff e Michels conseguiram, juntos, ganhar a Taça dos Campeões Europeus de 1971 (3-0 contra o Panathinaikos) e o treinador partiu logo de seguida para o Barcelona. Uns anos mais tarde, quando pendurou as chuteiras e trocou o equipamento pelo fato de treinador, Cruijff seguiu-lhe quase as mesmas pisadas. Mas o percurso comum dos dois passou ainda pela seleção da Holanda, — que Rinus Michels transformou na máquina de futebol total que lhe deu o epíteto de Laranja Mecânica –, e pelo Los Angeles Aztecs, a equipa americana detida em parte por Elton John que queria fazer frente ao New York Cosmos onde jogava… Franz Beckenbauer.

O dream team que levou o Barça às páginas da História

Se dúvidas houvesse sobre a influência que Cruijff teve no Barcelona (e no futebol mundial), o penálti que Leonel Messi marcou há umas semanas é bem a prova disso. O nome de Cruijff foi lembrado nessa altura porque o ex-internacional holandês foi dos primeiros a marcar um penálti sem rematar diretamente à baliza.

À semelhança do que já tinha acontecido com Rinus Michels, o treinador Cruijff trocou o Ajax pelo Barça em 1988, numa altura em que o clube catalão passava por um jejum de títulos significativo. Logo na primeira época, com jogadores que marcariam essa geração (Guardiola, Koeman, Stoichkov), Cruijff conseguiu que o Barça fosse segundo na Liga, logo atrás do Real Madrid. Entre 1989 e 1994, com a chamada dream team, o Barça ganhou inúmeros títulos: quatro campeonatos nacionais, uma Taça dos Campeões Europeus (com aquele golo de Koeman), uma Taça das Taças, uma Supertaça Europeia e taças espanholas.

EMPRESAS