Inicio Tags Indústria 4.0

Tag: indústria 4.0

GERBER TECHNOLOGY A MARCAR A DIFERENÇA


Theo Ostendorf , Vice – Presidente da Gerber e Diretor Geral EMOAQue desafios enfrenta a Gerber Technology face ao cenário de tensão sentido pelos seus clientes europeus no contexto da chamada indústria 4.0?

Theo Ostendorf – A quarta revolução industrial vai transformar profundamente os processos entre as empresas, ninguém pode duvidar disso. A cooperação plena, sem interface, as normas da entidade… Desde a produção até à gestão de pedidos em rede, o tempo real das máquinas e da tecnologia de automação, a manufatura e a logística. Tudo acarreta imensos desafios, não só técnicos, como também de adaptabilidade organizacional da própria empresa.

De facto temos constatado que os nossos clientes, que estão espalhados por todo o mundo, detêm alargados conhecimentos informáticos. No entanto, não se verifica o mesmo na indústria têxtil (que representa cerca de 65 % dos clientes Gerber). Porém, os mesmos são pioneiros a adotar um modelo de referência perante a industria 4.0. Isto parece mais realista uma vez que a automatização dos processos, principalmente na costura, é parcial e limitada.

Francisco Aguiar – Acreditamos que, muito provavelmente, vamos assistir a uma introdução gradual de redes inteligentes modulares, por exemplo: melhorar a transparência na rede de abastecimento. É precisamente a este nível que a Gerber Technology intervém: apoia os clientes na utilização dos serviços como: prototipagem virtual com AccuMark 3D integração da CAO com AccuMark em geral, YuniquePLM e, finalmente, em rede com sistemas de ERP.

Lançámos as bases com o sistema GERBERconnect, de manutenção remota de comunicação, intersystem, conhecido como IoT – Internet Of Things. Estamos extremamente bem preparados para agir de acordo com as necessidades dos nossos parceiros comerciais.

Sobre fabricação digital e impressão em 3D: a mesma tem um impacto a médio e longo prazo. De que forma a mudança de paradigma acarreta consequências para os vários ramos de indústria para as quais trabalha a Gerber Technology? Vê essa tecnologia como potencial concorrente no que concerne à abordagem predominantemente bidimensional das soluções de automação?

Theo Ostendorf – A Gerber Technology não considera a impressão 3D concorrência, e certamente também não o será nas aplicações têxteis, uma vez que o tato dos materiais será sempre preeminente.

O módulo 3D do software CAO AccuMark da Gerber permite, além da prototipagem virtual e das correções de corte, o desenvolvimento e modificação de modelos a baixo custo. Quanto à forma como o design 3D irá prefigurar a produção 3D na indústria da moda… Só o futuro o dirá.

Sempre com revoluções tecnológicas. Inicialmente observámo-los com cuidado, antes de segui-los. Por exemplo, convidamos, como parte do nosso departamento de criatividade 2015, o designer israelense Danit Peleg e a sua primeira coleção inteiramente desenvolvida e produzida em 3D.

Francisco, Aguiar, Diretor Comercial Gerber e EMOA (Europe, Moyen Orient, Afrique).

Ouve-se falar imenso de ecologia e responsabilidade social. O mesmo se aplica à indústria têxtil e outros ramos também dominados pela Gerber que é dos principais fornecedores de tecnologia de automação. Os players estão comprometidos em mostrar tudo o que é possível fazer nesse sentido. Como tem sido a contribuição da empresa perante estes princípios? E enquanto fornecedor de sistema?

Theo Ostendorf – A Gerber Technology tem uma contribuição notável perante a durabilidade económica e ecológica.

Com a YuniquePLM, conseguimos obter a rastreabilidade completa dos produtos e processos de fabricação, que é um pré-requisito para a avaliação, auditoria e controlo de todos os aspetos relevantes, a este respeito, incluindo o ambiente de trabalho e o respeito das diretrizes ambientais globais e locais. Os sistemas CAO e FAO da Gerber Technology têm permitido alcançar consumos de energia e de recursos consideráveis, graças a uma melhor utilização do material, produção de filme sem gerar vácuo, durabilidade das ferramentas, tais como facas, tiras de couro, entre outros.

A questão da durabilidade tem incontestavelmente uma grande importância para a empresa assim como no desenvolvimento de novos produtos.

A instabilidade geopolítica, os conflitos armados, a crise financeira: tudo isto poderá suscitar inquietude para o consumidor e por isso influenciar invariavelmente os negócios, em particular na região EMOA (Europa, Médio Oriente e África)? De que forma tem contornado a Gerber europeia todas estas problemáticas?

Theo Ostendorf – A fragilidade da zona euro é realmente um desafio para a empresa. Uma vez que promove uma maior concorrência que não seja afetada com tais problemas. No entanto, conseguimos manter os nossos preços. Esta é particularmente a oportunidade para criar soluções abrangentes em termos de serviços. A Gerber Technology realizou estudos independentes que nos coloca numa posição «acima da média».

Além disso, as várias questões que mencionou, com razão, estão entre os desafios que as empresas enfrentam no mercado globalizado. Enfrentá-los com sabedoria e ponderação para os superar, na medida do possível, pode por isso ser encarada como uma questão de sobrevivência.

Não devemos entrar em pânico. Para a indústria Gerber há que manter uma dinâmica de inovação e até intensificá-la. Esta necessidade é particularmente aguda entre os nossos clientes, os setores de alta tecnologia, tais como processadores têxteis automotivos ou aeroespaciais, materiais inteligentes e toda a indústria de compósitos.

Dentro da EMOA, qual é o mercado que representa os maiores desafios atualmente ?

Theo Ostendorf – O mercado de exportação russo e ucraniano que se mostram completamente colapsados. Compete-nos contudo uma recuperação rápida após o fim do embargo.

Quais são, na sua opinião, os grandes desafios que se avizinham em 2016 a médio prazo para um especialista em automação como é a Gerber Technology ?

Theo Ostendorf – Em relação às áreas de desenvolvimento e fabrico de produtos de consumo acabados, como a indústria de vestuário e de embalagem, considero a tendência têxtil 2.0 interessante e que traz novas perspetivas. Com as possibilidades da internet, testemunhamos agora uma nova era da cultura da indústria têxtil internacional. Nos próximos anos, as relações dentro da rede, desde o desenvolvimento de produtos, compra e fabrico, distribuição, mas também a última etapa, vai continuar a mudar, exceto para o consumidor.

A Gerber Technology, está no mercado como pioneira de automação e líder de mercado há quase 50 anos, não poderia estar numa melhor posição para continuar a fornecer o apoio aos seus clientes globais, cerca de 26 mil no setor de vestuário, têxtil, couro e materiais compósitos, garantindo soluções de software ad hoc.

Francisco Aguiar – O mesmo se aplica aos nossos produtos de hardware com a série Paragon®, por exemplo, uma nova referência na comunicação entre o homem e a máquina e disponibilização dos dados. Acima de tudo, a empresa, especialmente nos últimos anos, alterou significativamente o seu ADN com o desenvolvimento de software e soluções de TI inovadoras. Fornecendo a mercadoria certa, no momento certo, no lugar certo. Este é o objetivo dos nossos clientes, reduzir drasticamente a proporção de devoluções, cancelamentos e armazenamento de peso. É uma atitude que o mercado valoriza.

 

Theo Ostendorf

Theo Ostendorf assumiu em maio de 2012, a gestão da EMEA , Gerber Technology , como Vice-Presidente e Director Geral. Anteriormente, fez uma pós-graduação em gestão de negócios e foi responsável pelo projeto Planeamento de Negócios e Desenvolvimento para a Europa na empresa,  que é uma das líderes a nível mundial em CAD / CAM / PDM / PLM . Desde 1991, data da sua entrada na empresa, que desenvolveu estratégias cruciais na reestruturação da Gerber na Europa e na Austrália.

 

Sobre a Gerber Technology

Fundada em 1968, inicialmente denominada de Gerber Garment Tecnologia, a empresa é fornecedora líder global de soluções integradas. A Gerber Technology apoia os clientes a automatizar processos e a gerir o design, desenvolvimento e fabrico dos seus produtos. Cerca de 27mil utilizadores em 130 países, nos segmentos de moda e vestuário, mobiliário, construção de automóveis e aeronaves, têxteis técnicos e materiais compósitos, assim como embalagens.

A empresa pertence à American Partners Industrial (AIP), uma entidade private equity com foco operacional orientada para empresas industriais, na América do Norte, que operam no mercado nacional e internacional. Está sediada em Tolland, Estados Unidos. Atualmente administra 3,2 bilhões de dólares de ativos em nome dos maiores fundos de pensão, fundações e instituições financeiras. Investe em todos os tipos de capital de desenvolvimento como os RES, aumentos de capital, reestruturações societárias e privatizações estabelecidas no volume de negócios entre 100 milhões e 1 bilião. Na Europa, a Gerber Technology tem filiais em Ismaning (Munique), Bièvres (Paris), Milão, Porto, Zaventem (Bruxelas) e Sant Vicent dels Horts (Barcelona).

 

EMPRESAS