Inicio Tags Internet

Tag: Internet

Portugueses passam duas horas por dia na internet

Assim são os internautas portugueses segundo o estudo “Net Behaviour – Comportamento da População Portuguesa na Internet”, levado a cabo pela PSE. O estudo, um dos mais ambiciosos e minuciosos de sempre feitos em Portugal, analisa os hábitos online da população portuguesa e conclui, ainda, que cada internauta, em média, faz 72 visitas na internet por dia, ocupando 2 horas.

No que toca a setores, é o dos Media que os portugueses visitam mais na internet (média de 117 visitas mensais por internauta), seguindo-se os classificados (80 visitas por mês), retalho (44), banca (26) e turismo (25). Já no tempo da visita, os dados mudam. É nos classificados que, em média, os internautas passam mais tempo (98 segundos por visita), seguindo-se o retalho (93), automóvel (92), turismo (88) e telecomunicações (82).

Os portugueses fazem na sua maioria (26% do total das buscas), pesquisas comparativas sobre análise de produtos e/ou serviços e respetivos preços seguido de pesquisas sobre temas relacionados com viagens, turismo e outras atividades de lazer (25%) e pesquisas sobre IT, incluindo reviews e comparações de produtos (22%).

“Quem são os Internautas portugueses e quais as suas principais preferências de navegação? Quando é que acedem à Internet e quais são as suas principais pesquisas? Em que setores de atividade cada perfil comportamental está mais presente e em que marcas navegam?” são estas algumas das questões a que o presente estudo responde e que pensamos ser essenciais para as marcas de todos os setores saberem com quem comunicam digitalmente” afirma Nuno Santos, Chief Analytics & Strategy Officer da PSE. “Em Portugal há uma média mensal de quase 7 milhões de internautas que navegam pela internet por mais de 364 milhões de horas, o que fizemos neste estudo, foi criar perfis comportamentais para estes internautas, arrumando-os em 15 personas e analisando a sua interação com 11 dos principais setores de atividade” conclui.

Profiles dos internautas portugueses

  • The Browser – é o perfil com maior presença na Internet em Portugal, sendo responsável por cerca de 19% do total de visitas realizadas mensalmente. Na sua navegação não se vislumbram preferências, pelo que é considerado um perfil de navegação genérica;
  • Urban Professional – maioritariamente do género masculino, residentes na região urbana, com profissões qualificadas e com ensino superior. As suas preferências de navegação indicam que a utilização da Internet é realizada numa ótica profissional. Verifica se uma clara preferência pela navegação na Internet em horário laboral;
  • Home Rider – são Internautas com profissões qualificadas e nível de ensino tendencialmente superior.
  • Estes Internautas apresentam uma utilização da Internet como complemento à sua atividade profissional. Em média, por dia, realizam 41 visitas, sendo este valor inferior à média global;
  • Online Student – são Internautas jovens e na sua maioria estudantes. Na sua utilização da Internet existe uma preferência de navegação claramente superior à média global, nas temáticas Televisão e
  • Filmes e Conhecimento Científico e Cultura;
  • Young Communicator – são Internautas jovens, maioritariamente do género feminino, com preferências de navegação em Redes Sociais e Aplicações e Chat;
  • Social – são maioritariamente do género feminino, com maior preferência pela navegação em páginas de Internet de Redes Sociais O seu número médio de visita diárias é inferior à média global;
  • Googler – maioritariamente do género masculino, que apresentam maior preferência pela navegação a Sites de Pesquisa;
  • Power User – caraterizam se pelo seu elevado volume de visitas. Apesar de representarem apenas 5 dos Internautas portugueses o conjunto destes Internautas é responsável por cerca de 22 do total
  • de visitas realizadas Estes são os Internautas que estão “sempre online”;
  • Bon Vivant – são Internautas adultos e maioritariamente do género masculino A sua utilização da Internet é realizada numa ótica de diversão/lazer;
  • High Up Generation – são adultos jovens, de ensino superior e de classe social elevada;
  • Struggling Generation – são adultos jovens, tendencialmente do género feminino, pertencentes a uma classe social inferior e com empregos menos qualificados e/ou desempregados;
  • Shopping Comparison Seeker – são adultos jovens, do género masculino, de classes sociais mais baixas e com profissões menos qualificadas e/ou estudantes. Demonstram uma clara preferência por pesquisar sobre Comparison Shopping;
  • Senior Discoverer – são Internautas seniores (com mais de 55 anos) que na sua maioria se encontram reformados. Estão a “dar os primeiros passos” na Internet, apresentando uma utilização da Internet que pode ser classificada como “elementar”;
  • Senior Explorer – São internautas séniores que se encontram profissionalmente inativos. “Sabem o que estão a fazer online”;
  • Night Bird – são tendencialmente internautas mais jovens e do género masculino. O seu grande fator diferenciador é a navegação durante o período noturno.

ONU pede a governos e redes sociais medidas para travar crimes de ódio

Fonte LUSA

Pedimos aos administradores de redes sociais e aos governos que trabalhem juntos no desenvolvimento de legislação que tenha em conta a base dos direitos humanos para reduzir os riscos de novos crimes de ódio“, indicou o porta-voz do Alto Comissariado, Rupert Colville.

No sábado em El Paso, uma cidade do Texas maioritariamente hispânica localizada perto da fronteira com o México, um homem de 21 anos abriu fogo num centro comercial, matando 22 pessoas (oito cidadãos mexicanos) e ferindo outras 26.

O suspeito terá divulgado um manifesto na internet antes do ataque em que defendia a necessidade de os “brancos” deterem a “invasão” de imigrantes, especialmente dos hispânicos.

Colville assinalou a preocupação do organismo das Nações Unidos com “o aumento de ataques nos Estados Unidos contra sinagogas, mesquitas ou o do clube noturno de Orlando” (em junho de 2016 pelo menos 50 pessoas foram mortas e 53 feridas na discoteca LGTBI).

“Condenamos o racismo, a xenofobia e a intolerância em todas as suas formas, incluindo o supremacismobranco e apelamos a todos os governos, entre eles o dos Estados Unidos, para tomarem medidas para erradicar a discriminação”, adiantou o porta-voz.

Face às vozes que acusam o presidente norte-americano, Donald Trump, de ter favorecido discursos racistas, Colville disse que “as autoridades têm a responsabilidade de as suas ações não contribuírem de modo algum para estereótipos que levem à discriminação ou violência”.

O ex-Presidente dos Estados Unidos Barack Obama criticou na segunda-feira a existência de intervenções públicas no seio da sociedade que “normalizam sentimentos racistas”, criando um clima de medo e ódio que pode desembocar em episódios de grande violência.

Falando a propósito dos dois tiroteios nos Estados Unidos que provocaram pelo menos 32 mortos no fim de semana, Obama rejeitou vigorosamente “retóricas suscetíveis de encorajar” atos de violência, sem nunca nomear Trump.

No mesmo dia, o presidente norte-americano classificou os tiroteios como “crimes contra a humanidade” e defendeu que o país deve condenar a ideologia da supremacia branca.

 

Fonte LUSA

Portugueses aderem cada vez mais às entregas de refeições ao domicílio

© RÁDIO REGIONAL

Segundo o Nielsen Connected Commerce Report 2018, os portugueses com acesso à internet compraram online especialmente viagens, produtos de moda, bilhetes para eventos, produtos de papelaria e produtos tecnológicos. No entanto, o dinamismo é claro no que diz respeito à compra de refeições para entrega ao domicílio, tendo este consumo aumentado 9% em relação a 2017.

“Num cenário de crescente confiança e de recuperação do consumo, a Nielsen tem vindo a observar uma maior procura por soluções que ofereçam uma maior qualidade de vida e mais tempo para atividades de lazer. Com efeito, também no e-commerce verificamos esta tendência, com as soluções de conveniência (como a entrega de refeições) e de lazer (como as viagens) a crescerem de uma forma muito notória”, comenta Mafalda Silva Ferreira, Client Development Senior da Nielsen.

No que diz respeito à compra online de produtos de mercearia embalada e frescos, a Nielsen registou aumentos de 3% e 2%, respetivamente, e as oportunidades de crescimento são evidentes. Este relatório revela que os consumidores estão mais disponíveis para a compra online de produtos de mercearia quando lhes são oferecidas determinadas opções de compra e garantias de qualidade. Questionados sobre quais as ações que os encorajariam a comprar este tipo de artigos através da internet, os portugueses demonstraram especial interesse na possibilidade de devolução caso os produtos não cumpram o pretendido (51%), na substituição de artigos no próprio dia (42%) e no serviço de entrega gratuita (42%).

Enquanto no passado o comércio eletrónico se focava essencialmente em produtos não perecíveis como viagens, moda e livros, temos assistido nos últimos tempos a um crescimento de compras online noutras categorias. Para Mafalda Silva Ferreira, “a oportunidade do e-commerce em Portugal existe e é real também para os Bens de Grande Consumo. O desafio para marcas e retalhistas é exatamente ir ao encontro das necessidades e missões de compra do shopper, desenvolvendo uma oferta específica para a compra online, com base na segurança, no sortido, na conveniência e na simplicidade”.

____________________________

 Sobre o estudo Connected Commerce Report 2018

O Nielsen Connected Commerce Report 2018 analisa o comportamento do consumidor global conectado, o seu comportamento de compra e a evolução das diferentes categorias, apontando perspetivas futuras de crescimento. Este relatório identifica ainda as categorias mais procuradas e com maiores crescimentos, assim como as expetativas dos consumidores no que se refere à sua experiência online. Os insights irão ajudar as empresas de Bens de Grande Consumo a formular estratégias para melhorar as experiências de compra dos consumidores no mundo digital. 

Sobre a Nielsen

A Nielsen Holdings plc (NYSE: NLSN) é uma empresa global de gestão de medição e análise de dados, que proporciona a mais completa e confiável visão sobre os mercados e os consumidores em todo o mundo. A Nielsen reúne os seus próprios dados com dados de outras fontes, de forma a ajudar os seus clientes em todo o mundo a compreender o que está a acontecer no presente e o que irá acontecer no futuro e qual a melhor forma de utilizar esse conhecimento. Há mais de 90 anos, a Nielsen oferece dados e análises inovadoras e com grande rigor científico, e continua a desenvolver continuadamente novas formas para dar resposta às mais importantes questões que as indústrias de media, publicidade, retalho e Bens de Grande Gonsumo enfrentam atualmente. A Nielsen, empresa cotada na Standard & Poors 500, está presente em mais de 100 países, representando mais de 90 por cento da população mundial. Para mais informações, visite www.nielsen.com.

Já está disponível o primeiro site em português com informação sobre doença de LHON

Disponível para já em sete línguas, e agora em português, o site dá resposta a uma das lacunas associadas a esta doença, a falta de informação, através de informação cientificamente validada.

Sendo uma doença rara, são poucos os que dela ouviram falar, mesmo aqueles que podem estar em risco. Sensibilizar para o problema é um dos objetivos deste novo site, que torna acessível informação sobre esta doença hereditária, incapacitante e que provoca uma perda de visão rápida e, na maior parte dos casos, permanente em jovens ou adultos, afetando gravemente a sua qualidade de vida.

Confirma, por exemplo, que a doença é indolor e que as perturbações a ela associadas surgem de forma abrupta, causando, na maioria dos casos, uma redução grave na visão dos dois olhos no espaço de semanas ou alguns meses. Explica de que forma os genes estão envolvidos – grande maioria dos casos está associada a uma anomalia do material genético (ADN) das mitocôndrias -, que os homens afetados não transmitem a doença aos filhos ou que o oftalmologista é o médico de referência para a realização dos rastreios.

Confirma ainda a existência de um medicamento (o único) aprovado para o tratamento da doença e refere que, para os que se encontram em risco, a prevenção passa pela redução do consumo de tabaco e álcool.

Cisco prevê mais tráfego IP nos próximos cinco anos do que em toda a história da Internet

© Jornal Económico

Contudo, isto é apenas o início. Segundo o último relatório anual Visual Networking Index (VNI) da Cisco, em 2022 haverá mais tráfego a atravessar as redes globais do que em todos os “anos de internet” anteriores até ao ano de 2016. Por outras palavras, será criado mais tráfego em 2022 do que nos 32 anos que passaram desde a criação da internet.

De onde virá o tráfego? De todos nós, dos nossos equipamentos e da forma como utilizamos a internet. Até 2022, 60% da população global serão utilizadores da internet. Mais de 28 mil milhões de dispositivos e conexões serão online. E o vídeo preencherá 82% de todo o tráfego IP. 

“A dimensão e a complexidade da internet continua a crescer de forma que nunca imaginámos. Desde o primeiro relatório VNI em 2005, o tráfego aumentou 56 vezes, acumulando 36% de crescimento anual, tendo em conta que mais pessoas, equipamentos e aplicações acedem às redes IP,” refere Jonathan Davidson, Senior Vice President & General Manager, Service Provider Business, da Cisco. 

“Os fornecedores de serviços em todo o mundo estão focados na transformação das redes para melhor gerir e direcionar tráfego, enquanto oferecem experiências da mais elevada qualidade. A nossa investigação contínua ajuda-nos a obter e a partilhar informação valiosa sobre a tecnologia e as transições de arquitetura que os nossos clientes devem fazer para serem bem-sucedidos”, acrescenta. 

Principais previsões para 2022

O VNI da Cisco analisa o impacto que utilizadores, dispositivos e outras tendências terão nas redes IP globais durante um período de cinco anos. De 2017 a 2022, a Cisco prevê: 

1.- O tráfego IP global será três vezes maior  

  • Espera-se que o tráfego IP global alcance os 396 Exabytes por mês até 2022 (122 Exabytes por mês em 2017), o que representa um tráfego anual de 4.8 Zettabytes para 2022.
  • Em 2022, a hora mais movimentada de tráfego de internet será seis vezes mais ativa do que a média. A hora de tráfego de internet mais agitada irá crescer cerca de cinco vezes (37% do crescimento anual) de 2017 a 2022, alcançando 7.2 Petabytes por segundo até 2022. Comparativamente, o tráfego médio de internet irá crescer cerca de quatro vezes (30% do crescimento anual) durante o mesmo período, alcançando 1 Petabyte em 2022.

2.- Os utilizadores globais de internet representarão 60% da população mundial

  • Existirão 4.8 mil milhões de utilizadores de internet até 2022, desde os 3.4 mil milhões contabilizados em 2017 (45% da população mundial).

3.- Os dispositivos de rede global e as conexões chegarão aos 28.5 mil milhões

  • Em 2022, existirão 28.5 mil milhões de conexões e dispositivos pessoais fixos e móveis (18 mil milhões em 2017) – o que equivale a 3.6 conexões/dispositivos por pessoa (2.4 em 2017). 
  • Mais de metade de todos os dispositivos e conexões globais serão de máquina-para-máquina (M2M) em 2022, 34% em 2017. No total, haverá 14.6 mil milhões de conexões provenientes de TV’s inteligentes, acessórios, dispositivos, etc., 6.1 mil milhões contabilizados em 2017. 

4.- A velocidade média da banda larga fixa e móvel e do Wi-Fi irá pelo menos duplicar

  • A nível mundial, a velocidade média de banda larga fixa irá multiplicar-se quase por dois entre 2017 e 2022, desde os 39 Mbps até 75,4 Mbps.
  • As velocidades médias das conexões Wi-Fi multiplicar-se-ão por mais de dois desde os 24,4 Mbps até aos 54 Mbps.
  • A velocidade média de banda larga móvel multiplicar-se-á por mais de três, de 8.7 Mbps até 28,5 Mbps. 

5.- Vídeo, jogos e multimédia gerarão mais de 85% de todo o tráfego

  • O tráfego de vídeo irá multiplicar-se por quatro em 2022, representando 82% do total de tráfego IP, desde 75% em 2017.
  • O tráfego gerado por jogos irá multiplicar-se por novo entre 2017 e 2022, representando 4% do total de tráfego IP em 2022.
  • O tráfego proveniente de tecnologias de realidade virtual e aumentada utilizadas por consumidores e empresas crescerá exponencialmente. Em 2022, alcançará 4 Exabytes mensais, desde os 0,33 Exabytes mensais em 2017.

Crescimento de tráfego IP por regiões (2017 – 2022)

  • Ásia-Pacífico: 173 Exabytes mensais em 2022 (multiplicando-se por 4; crescimento anual de 32%).
  • América do Norte: 108 Exabytes mensais em 2022 (multiplicando-se por 3; crescimento anual de 21%).
  • Europa Ocidental: 50 Exabytes mensais em 2022 (multiplicando-se por 3; crescimento anual de 22%).
  • Europa Central e Oriental: 25 Exabytes mensais em 2022 (multiplicando-se por 3; crescimento anual de 26%).
  • Médio Oriente e África: 21 Exabytes mensais em 2022 (multiplicando-se por 6; crescimento anual de 41%).
  • América Latina: 19 Exabytes mensais em 2022 (multiplicando-se por 3; crescimento anual de 21%). 

Metodologia do Relatório Cisco VNI

O relatório Cisco VNI baseia-se em análises e dados reais sobre a utilização de dados fixos e móveis elaborados por analistas independentes, com os quais a Cisco realiza as suas próprias estimativas sobre o tráfego IP global e a adoção de serviços. Pode aceder a uma descrição detalhada da metodologia utilizada no Relatório completo. O Relatório Cisco VNI completo inclui projeções e tendências globais, regionais e nacionais associadas com redes fixas e móveis. Também inclui informação adicional e análises sobre a IoT por setores verticais, adoção de IPv6, crescimento de tráfego por aplicação, padres de tráfego, implicações da tendência cord cutting, pontos de acesso Wi-Fi, rendimento da rede de banda larga e desafios de segurança da rede. 

Recursos adicionais

  • White paper completo do Cisco VNI IP Traffic Forecast Update (2017-2022)
  • Perguntas e respostas frequentes sobre o Relatório
  • Ferramenta do Cisco VNI Complete Forecast Highlights
  • Siga as notícias, anúncios e atividades relacionadas com o Relatório VNI no Twitter (#VNI y @CiscoVNI).
  • Para mais informação sobre as notícias e atividades da Cisco no que diz respeito aos fornecedores de serviços, visite o blog SP360.

 

Principais impulsionadores do tráfego IP global (2017-2022)

 

 

 

 

 

Crescimento do tráfego IP global (fixo e móvel) 2017-2022

 

 

 

 

 

Crescimento global por tipo de dispositivos/conexões (2017-2022)

 

 

 

 

Crescimento global das conexões M2M (2017-2022)

 

 

 

 

Consumo médio global de banda larga em Internet (2017-2022)

 

 

 

 

 

Tráfego IP global por tecnologia de acesso (2017-2022)

Acerca da Cisco

A Cisco (NASDAQ: CSCO) é líder mundial em tecnologia e tem ajudado a manter a Internet a funcionar desde 1984. As nossas pessoas, produtos e parceiros ajudam a sociedade a estar conectada de forma segura e encontrar hoje a oportunidade digital de amanhã. Para ter acesso aos Comunicados de Imprensa em português visitar http://www.cisco.com/web/PT/press/press_home.html.

Para mais informações visite http://thenetwork.cisco.com e http://newsroom.cisco.com/emearnetwork/.

Milhares manifestam-se em Moscovo pela liberdade na Internet

Um tribunal russo ordenou a 13 de abril o bloqueio da popular aplicação, com 200 milhões de utilizadores em todo o mundo, mas a Telegram, desenvolvida pelo empresário russo Pavel Durov, prometeu manter a aplicação a funcionar e repetiu que fornecer tais informações violaria o direito à privacidade dos utilizadores.

Em consequência, a autoridade reguladora das comunicações russa bloqueou alguns servidores de empresas tecnológicas como a Google, Apple e Amazon, o que afetou milhões de ‘sites’, entre os quais o YouTube e o Gmail, mas não perturbou, até agora, o funcionamento da Telegram.

Hoje, feriado na Rússia, milhares de pessoas, entre as quais opositores ao Presidente russo, Vladimir Putin, manifestaram-se numa rua do centro de Moscovo com cartazes com inscrições como “Pela liberdade de expressão” ou “Abaixo o czar”.

O protesto, convocado pelo quase desconhecido Partido Libertário da Rússia, foi autorizado pela câmara municipal.

O dirigente opositor Alexei Navalny, que ganhou popularidade através de um blogue em que denunciava casos de corrupção de membros do governo russo, participou no protesto e acusou as autoridades de violarem a privacidade dos cidadãos.

“Ligo a televisão e vejo a notícia de que uns tipos decidiram que querem ter o direito de ler tudo o que eu escrevo no Telegram. Não vou tolerar isso!”, disse Navalny aos manifestantes, agradecendo ao fundador da Telegram.

“Obrigado Pacha [diminutivo de Pavel] Duroc por teres apelado à resistência, porque resistir é isto, é fazermos qualquer coisa, não nos calarmos”, disse.

O fundador da Telegram, Durov, escreveu numa rede social que a manifestação “não tem precedente” e disse sentir-se “orgulhoso de ter nascido no mesmo país” que os “milhares de jovens progressistas” que se manifestaram.

Durov, que também criou a rede social Vkontakte, a maior da Europa, acrescentou que “a Rússia está numa encruzilhada” na qual se vai decidir se a liberdade na internet é ou não inegociável.

Nos últimos anos, a Rússia adotou uma série de leis que limitam a liberdade na Internet e a privacidade dos utilizadores.

Uma dessas leis impõe aos operadores de telemóveis que registem os dados de chamadas e mensagens durante vários meses e outra prevê que ativistas possam ser multados ou presos por mensagens que tenham colocado nas redes sociais.

LUSA

Venda e anúncio de animais pela Internet com novas regras

Com a portaria, pretende-se impedir que “animais criados sem as condições previstas na lei, eventualmente portadores de doenças contagiosas ou de anomalias hereditárias” sejam anunciados e vendidos na Internet sem que os vendedores possam ser responsabilizados.

Só podem ser anunciados como raça pura os animais que estejam registados no Livro de Origens português, em que consta o registo genealógico dos animais.

A atividade de criação e venda exige registo prévio obrigatório através de comunicação, o que pode ser feito nos próximos três meses.

Quando se trate de raças classificadas como potencialmente perigosas, isso deve estar de forma explícita nos anúncios.

LUSA

Contribuintes têm até quinta-feira para validar despesas no e-fatura

Até dia 15 de fevereiro, os contribuintes podem validar, no portal e-fatura (https://faturas.portaldasfinancas.gov.pt), as faturas que permanecem pendentes — por não estarem inseridas nas categorias certas -, corrigir valores ou informações de faturas mal inseridas ou acrescentar novas faturas.

Os contribuintes devem verificar se as suas faturas foram devidamente comunicadas pelos agentes económicos e, caso detetem alguma omissão, devem proceder ao registo das faturas em falta (na área ‘complementar informação faturas’).

Podem também verificar se as faturas estão inseridas no setor de despesas adequado, podendo reafectá-las, caso a entidade emitente tenha registado junto da Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) o Código de Atividade Económica (CAE) correto.

A partir deste ano, todos os contribuintes são obrigados a entregar o IRS pela Internet.

Até 15 de fevereiro, os sujeitos passivos de IRS devem também confirmar ou alterar os dados relativos à composição do agregado familiar e outros elementos pessoais relevantes, nomeadamente informação sobre residência alternada de dependentes em guarda conjunta estabelecida em acordo de regulação do exercício das responsabilidades parentais, para que a AT disponibilize o IRS Automático ou pré-preencha o ‘modelo 3’ com estes elementos pessoais atualizados.

Eis algumas das principais áreas nas quais será possível obter deduções no IRS:

+++ Despesas gerais familiares +++

A dedução à coleta correspondente a 35% do valor das despesas suportadas pelos membros do agregado familiar com um máximo de 250 euros por sujeito passivo. Aqui entram as contas com o supermercado, vestuário ou combustíveis, por exemplo.

+++ IVA nos bens e serviços +++

Dedução de 15% do IVA suportado por qualquer membro do agregado familiar em despesas com serviços de reparação e manutenção de veículos e motociclos, alojamento e restauração, cabeleireiros, estética e veterinários.

Além disso, é possível a dedução da totalidade do IVA das despesas com a compra do passe social mensal por membro do agregado.

No entanto, a dedução está limitada a 250 euros por agregado e as despesas têm de estar documentadas com fatura.

+++ Despesas de educação +++

Dedução de 30% das despesas com educação e formação por cada elemento do agregado familiar, até 800 euros. Inclui, entre outras, despesas com creches, jardins-de-infância, propinas, livros, manuais e refeições escolares.

As despesas de educação só são dedutíveis desde que prestadas por estabelecimentos de ensino integrados no sistema nacional de educação ou reconhecidos pelos ministérios competentes.

De acordo com o Código do IRS, os estabelecimentos públicos de ensino devem comunicar à Autoridade Tributária e Aduaneira o valor das propinas e demais encargos considerados dedutíveis até ao final do mês de janeiro do ano seguinte àquele em que ocorreu o respetivo pagamento.

As despesas com cantinas também são dedutíveis, desde que o prestador de serviços tenha como código de atividade de fornecimento de refeições escolares. Neste caso, os sujeitos passivos devem indicar no Portal das Finanças quais as faturas dizem respeito a alimentação em cantinas.

+++ Despesas de saúde +++

Dedução de 15% das despesas de saúde por qualquer membro do agregado familiar até 1.000 euros. Inclui despesas com seguros de saúde, consultas e exames, medicamentos e despesas com produtos médicos e ortopédicos e oftalmológicos, desde que isentos de IVA ou cobrados à taxa mínima (6%).

Inclui também bens e serviços desta natureza sujeitos à taxa normal de IVA (23%), desde que suportados por receita médica.

O e-fatura ainda não inclui o valor das taxas moderadoras, uma vez que os estabelecimentos públicos de saúde comunicam à Autoridade Tributária e Aduaneira o valor das taxas moderadoras pagas pelos sujeitos passivos até ao final do mês de janeiro do ano seguinte àquele em que ocorreu o respetivo pagamento, ficando então essa informação disponível na página pessoal de cada contribuinte no Portal das Finanças no site do IRS.

+++ Despesas com rendas e imóveis +++

À coleta do IRS devido pelos sujeitos passivos é dedutível um montante correspondente a 15% do valor suportado por qualquer membro do agregado familiar com as importâncias suportadas com rendas, tituladas com fatura ou recibo de rendas eletrónico ou comunicadas por declaração de modelo acessória, até 502 euros.

É dedutível também um valor até 15% dos juros de créditos à habitação contratados até 31 de dezembro de 2011, até 296 euros.

+++ Lares +++

É dedutível um valor que corresponde a 25% das despesas com lares de terceira idade e apoio domiciliário, até um valor total de 403,75 euros.

LUSA

Normas novas para tornar mais seguros pagamentos eletrónicos

As novas regras visam implementar a diretiva (lei comunitária) relativa aos serviços de pagamento (DSP2), recentemente revista, e procuram modernizar os serviços de pagamento na Europa de modo a acompanhar a rápida evolução deste mercado e permitir o crescimento do mercado europeu do comércio eletrónico, de acordo com a Comissão.

A mera introdução de uma senha ou dos dados de um cartão de crédito deixará, na maior parte dos casos, de ser suficiente para realizar um pagamento: em certos casos, será necessário um código, válido para uma única operação, juntamente com os outros dois elementos independentes.

“Permitirão aos consumidores utilizar serviços inovadores prestados por terceiros, designadamente pelas chamadas empresas de tecnologia financeira (‘FinTech’), garantindo simultaneamente uma rigorosa proteção e segurança dos dados dos consumidores e das empresas da UE. Entre esses serviços figuram as soluções de pagamento e os instrumentos de gestão das finanças pessoais mediante a agregação de dados de diferentes contas bancárias”, sublinha o executivo comunitário.

Um dos principais objetivos da DSP2 é aumentar o nível de segurança e de confiança nos meios de pagamento eletrónicos, nomeadamente exigindo que os prestadores de serviços de pagamento desenvolvam uma “sólida autenticação do cliente”.

As normas técnicas de regulamentação foram elaboradas pela Autoridade Bancária Europeia, em estreita cooperação com o Banco Central Europeu, e indicam a forma como se deve concretizar a “sólida autenticação do cliente”.

“O objetivo é reduzir significativamente os atuais níveis de fraude em relação a todos os métodos de pagamento mas, sobretudo, aos pagamentos em linha protegendo a confidencialidade dos dados financeiros dos utilizadores”, indica a Comissão, acrescentando que “as novas normas reconhecem contudo que, em certos casos, é possível alcançar um nível aceitável de segurança nos pagamentos por formas diferentes que não a utilização dos dois elementos independentes da sólida autenticação do cliente”.

Na sequência da adoção pela Comissão das “Normas Técnicas de Regulamentação”, o Parlamento Europeu e o Conselho dispõem de três meses para se pronunciar sobre as mesmas e, em função do resultado desse período de escrutínio, as novas normas serão publicadas no Jornal Oficial da União Europeia, após o que os bancos e outros prestadores de serviços de pagamento terão um prazo de 18 meses para adotarem as medidas de segurança e os instrumentos de comunicação necessários.

LUSA

Prevê-se que em 2025 90% dos portugueses vão ter internet

O evento realiza-se hoje no Meo Arena em Lisboa e termina na quarta-feira, esperando receber cerca de uma centena de oradores que se irão reunir em dois auditórios e que este ano terá França como país convidado.

De acordo com as principais conclusões do estudo anual da economia e da sociedade digital em Portugal, produzido pelo ACEPI, em 2009, apenas 48% dos portugueses utilizavam a internet, tendo a percentagem subido para 73% em 2017.

Em termos de compras ‘online’, se em 2008 apenas 13% dos portugueses compravam, o ACEPI estima que este ano 36% dos portugueses façam compras ‘online’ e que em 2025 sejam já 59%, o que corresponderá a um volume de 8,9 mil milhões de euros.

De acordo com o estudo, 85% dos portugueses que compram ‘online’ já o fizeram em ‘sites’ estrangeiros e a China é o país onde os portugueses compram com mais frequência.

Em 2008, o número de registos de domínios .pt era de 248 mil, alcançando os 317 mil em 2012 e os 873 mil em 2016.

O Portugal Digital Summit 2017 é uma iniciativa da ACEPI inserida no âmbito da ACEPI Portugal Digital Week para fomentar a análise e a troca de experiências dos principais intervenientes dos vários sectores de atividade no contexto da transformação digital e do seu respetivo impacto no aumento da competitividade, da produtividade e do emprego, contando para tal também com um espaço de exposição e apresentações.

Fundada em 2000, a ACEPI é uma organização não-lucrativa com o objetivo de promover o meio digital junto das empresas, dos consumidores e do Estado.

EMPRESAS