Inicio Tags Mau tempo

Tag: Mau tempo

Montalegre limpa neve que bloqueia as estradas para por transportes escolares a circular

O vice-presidente da Câmara de Montalegre, David Teixeira, disse à agência Lusa que na noite deste domingo nevou com grande intensidade neste concelho do distrito de Vila Real, classificando-o como o “maior nevão”, deste inverno e primavera.

“Estamos com algumas dificuldades, há muita neve. Mas estamos a trabalhar para que as vias fiquem transitáveis e possa haver aulas”, afirmou o vice-presidente.

Embora se perspetive algum atraso no funcionamento normal dos estabelecimentos de ensino, o responsável referiu que as escolas vão abrir esta manhã

Desde as 6h00 que estão no terreno os meios da Proteção Civil (bombeiros e câmara municipal) a efetuarem as operações de limpeza das estradas.

Segundo referiu o autarca, a trabalhar estão seis limpa-neves, dois espalhadores de sal e cerca de 25 operacionais da Proteção Civil.

As zonas mais complicadas são as áreas do Parque Nacional da Peneda Gerês, como Pitões, Outeiro ou Paradela onde, segundo o responsável, se chegou a acumular “cerca de 30 centímetros de neve e gelo”.

Apesar dos constrangimentos, o manto branco tornou-se também numa atração turística que leva vários visitantes a Montalegre.

Durante a noite também se sentiram alguns constrangimentos no Itinerário Principal 4 (IP4), na zona do Alto de Espinho, Serra do Marão, perto de Vila Real, devido à neve que se acumulou na via, mas esta manhã a circulação faz-se com normalidade.

Segundo a GNR, as principais vias do distrito de Vila Real estão transitáveis.

Neve, vento e agitação marítima coloca 15 distritos de Portugal Continental em alerta amarelo

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) colocou 15 distritos de Portugal Continental em alerta amarelo no domingo devido à queda de neve, ao vento e à agitação marítima.

Para Bragança, Vila Real, Guarda, Viseu e Castelo Branco, o IPMA prevê, entre as 06:00 e as 15:00 de domingo, queda de neve acima dos 800/1000 metros subindo temporariamente para os 1000/1200 metros.

É ainda esperado vento moderado a forte, por vezes com rajadas até 80 km/hora, soprando forte a muito forte nas terras altas, onde as rajadas podem chegar aos 100 km/hora.

Situação idêntica prevê-se para os distritos de Viana do Castelo, Braga, Porto, Aveiro, Coimbra, Leiria, Lisboa e Setúbal, onde há também aviso amarelo para a agitação marítima até às 12:00 de domingo.

A partir dessa hora, o aviso é elevado para laranja devido à previsão de ondas com cinco a seis metros de altura, podendo chegar aos 10 metros.

Para os distritos de Beja e Faro, a previsão é de agitação marítima com ondas de quatro a cinco metros, sendo de esperar um agravamento a partir das 21:00 de domingo para ondas de cinco a seis metros de altura, podendo chegar aos 10 metros.

Chuva, vento forte e queda de neve no continente a partir de domingo

O estado do tempo vai agravar-se a partir de domingo com precipitação e vento forte, queda de neve acima dos 800/1000 metros e descida da temperatura, adiantou hoje à agência Lusa a meteorologista Madalena Rodrigues.

De acordo com a especialista do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), para hoje, está previsto no continente céu pouco nublado ou limpo, com alguma nebulosidade nas regiões do litoral norte e centro e possibilidade de chuva fraca ou chuvisco no Minho.

“A partir do domingo, prevê-se um agravamento do estado do tempo com precipitação, que pode ser forte, em especial nas regiões do norte e centro, queda de neve acima dos 800/1000 metros e também vento moderado a forte nas terras altas”, adiantou.

No que diz respeito às temperaturas, segundo Madalena Rodrigues, durante o dia de hoje já está prevista uma descida da mínima e da máxima.

“Estamos a falar, a partir de hoje, de uma descida da temperatura máxima entre 03 e 05 graus Celsius e da mínima entre 02 e 04, mantendo-se depois nos próximos dias mais ou menos sem grandes alterações”, disse.

Segundo a meteorologista, as máximas deverão rondar os 13 graus no Porto, 16 em Lisboa e 22 em Faro.

“Na segunda e na terça-feira vamos continuar com precipitação. Vamos ter tempo húmido, com precipitação e vento forte devido à passagem de uma superfície frontal”, concluiu.

Primavera chegou. Com chuva e trovoada

Esta segunda e terça-feira “vão ser dias com períodos de céu muito nublado. Vamos continuar com regime de aguaceiros”, indica o meteorologista Bruno Café, do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), à agência Lusa. Estão também previstas condições favoráveis à ocorrência de trovoadas, o vento vai soprar em geral fraco do quadrante norte, sendo moderado a forte nas terras altas, formação de gelo e geada e neblinas ou nevoeiro matinal.

“Em termos de temperaturas, não estamos a prever grandes alterações”, variando, “na generalidade do território, entre os 15 e os 20 graus”, diz o meteorologista, acrescentando que, no interior Norte e Centro, a variação será entre os 10 e os 15 graus. “As mínimas vão situar-se entre os 5 e os 10 graus e no interior entre os zero e os 5 graus”.

Para a Madeira, o IPMA prevê, para hoje, períodos de céu muito nublado, aguaceiros, em especial nas vertentes norte e nas terras altas, que serão de neve nos pontos mais altos da ilha, vento moderado a forte do quadrante norte, soprando temporariamente forte com rajadas até 70 quilómetros por hora nas terras altas.

Nos Açores, a previsão aponta para céu geralmente muito nublado, períodos de chuva fraca ou chuvisco, passando a aguaceiros fracos e vento bonançoso a moderado.

Prejuízos do mau tempo de fevereiro podem chegar aos 15 milhões

De acordo com o levantamento de prejuízos e medidas de apoio necessárias para os agricultores afetados pelo mau tempo no Douro e no Baixo Mondego, apresentado hoje pelo ministro da Agricultura, Capoulas Santos, foram atingidas 2.962 explorações em 57 municípios e registadas 3.115 declarações de prejuízos, já que alguns proprietários têm mais do que uma situação de danos na mesma exploração.

Capoulas Santos referiu que a confirmação precisa do montante a envolver na reparação dos estragos só pode ser feita no final do processo de obras, mas o Governo tem estimado prejuízos entre dez e 15 milhões de euros.

Os lesados que comunicaram os prejuízos durante o levantamento poderão candidatar-se a linhas de apoio entre 15 e 30 de abril e poderão começar as obras, após aprovação, sendo ressarcidos consoante a apresentação de comprovativos de despesa.

O apoio disponível refere-se à replantação das vinhas, reposição dos muros de suporte destruídos pelo mau tempo e o restabelecimento do potencial produtivo de equipamentos e infraestruturas e pode ir até um financiamento de 85%, a fundo perdido.

 

Mau tempo: Águas do rio Douro baixam, situação «está calma», diz CDOS do Porto

De acordo com a mesma fonte, a noite, ao contrário do que estava previsto, «foi calma e não houveram inundações de maior».
«As águas subiram até junto dos cafés na Ribeira, mas não houve nada. Os bombeiros não foram chamados a retirar águas, mesmo em Amarante, nem no Tâmega houve nada», acrescentou a mesma fonte Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS).

EMPRESAS