Inicio Tags Natal

Tag: Natal

Natal sem chuva mas com frio

Em declarações à agência Lusa, o meteorologista do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) explicou que no sábado (véspera de Natal) e no domingo (dia de Natal) prevê-se céu pouco nublado ao limpo, vento fraco, formação de geada e neblina e nevoeiro no interior norte e centro.

“O céu apresentar-se-á pouco nublado ou limpo, poderá ter alguns períodos de maior nebulosidade na região do Norte e Centro, em especial na região Norte, haverá também condições para a formação de geada e neblina ou nevoeiro, que no nordeste transmontano e Beira Alta poderá persistir ao longo do dia durante o fim de semana do Natal”, adiantou.

 

Em busca do presente perfeito? A ciência ajuda-o

Alguns presentes são excelentes para oferecer, mas não para receber. É isto que defende o estudo liderado por Jeff Galak, da Carnegie Mellon University, cuja publicação põe a nu os vários erros cometidos pelas pessoas que estão na posição de oferecer um presente.

Um dos principais erros prende-se com o facto de as pessoas que oferecem se focarem no momento em que o presente é aberto e não na forma como ele vai ser utilizado no futuro. Os recetores não estão a observar o momento, eles são os protagonistas. Por isso, aquilo que pensam diz respeito precisamente à utilidade do presente no futuro.

“Não individualize demais os seus presentes. As pessoas muitas vezes dão maus presentes por insistirem em comprar algo diferente para todos”, este é o primeiro conselho deixado pelo The New York Times, num artigo dedicado ao tema. Mais vale dar algo que saiba que a outra pessoa vai gostar, algo mais ou menos garantido, e não exagerar demasiado na escolha do presente.

Em segundo lugar, se tiver a oportunidade, deixe a pessoa decidir aquilo que quer. E se souber aquilo que a pessoa quer, é melhor não inventar. Dê-lhe aquilo que ela quer. Os investigadores Francesca Gino e Francis J. Flynn reuniram cinco estudos no Journal of Experimental Social Psychology que mostram que quem recebe os presentem apreciam mais aqueles que eles pediram especificamente do que aqueles que não pediram.

Além disso, não vale a pena perder muito tempo a pensar e a comprar os presentes, porque, desde que o presente satisfaça, os recetores geralmente não consideram o tempo gasto na escolha do presente.

É daquelas pessoas que, por receber inúmeras caixas de chocolates no Natal, tende a redistribuí-las como presentes para outras pessoas? Não precisa de ter vergonha de o admitir, nem tenha medo de ofender quem lhe deu esses chocolates originalmente. Aliás, um estudo de Harvard mostrou que eles não se sentem assim tão ofendidos.

Quem dá acredita que quem o recebe tem o poder de fazer o que quer com o presente. No entanto, quem recebe sente que as pessoas que lhe ofereceram o presente têm ainda algum poder sobre ele. No final, tudo se resume a um mal entendido. Sabendo disto, este Natal pode ter a consciência mais tranquila quando estive a re-oferecer um presente.

Os presentes que vão ser mais oferecidos este natal

Segundo um estudo da Deloitte divulgado esta segunda-feira, os portugueses estão menos pessimistas do que os restantes europeus pela primeira vez desde 2009 quanto ao poder de compra.

De acordo com o Estudo de Natal 2016, os centros comerciais continuam a reunir a preferência dos consumidores portugueses para realizarem as suas compras entre os dias 1 e 24 de dezembro, optando por hipermercados e supermercados apenas para compra de alimentos e brinquedos, enquanto nos outros países europeus onde o estudo foi realizado os formatos preferidos são as cadeias de retalho especializado e as lojas de rua.

Em Portugal, o gasto esperado para as épocas festivas é de cerca de 360 euros por agregado familiar, um ligeiro aumento pelo terceiro ano consecutivo, “depois de um período de queda iniciado em 2008, ano em que o consumo esperado foi de aproximadamente 640 euros por agregado familiar”, sinaliza a consultora.

No entanto, desde 2014, o consumo declarado em Portugal é superior ao consumo esperado, indiciando que as expectativas dos portugueses poderão estar a ser “demasiado conservadoras”.

Os portugueses identificam a diminuição do rendimento disponível e a conjuntura económica como os principais motivos para limitarem o seu consumo durante a época festiva.

Em média, 12% dos inquiridos em Portugal e 10% em toda a Europa afirma não pretender comprar presentes este ano.

O estudo da Deloitte avalia também a perceção dos consumidores relativamente ao estado atual da economia.

As expectativas de evolução da economia para 2017 são negativas na generalidade dos países europeus, mas em Portugal, e pela primeira vez desde 2009, os portugueses revelam-se menos pessimistas do que os europeus relativamente à evolução do seu poder de compra.

O estudo de Natal da Deloitte foi realizado em nove países europeus, entre 12 e 24 de outubro de 2016, e incluiu 6580 consumidores (760 consumidores em cada um dos países), com idades entre os 18 e os 75 anos.

O presente que toda a gente irá gostar

Chega o natal e com ele os anúncios mais originais, repletos de magia, diversão e ternura.

Veja o exemplo do anúncio da marca britânica “John Lewis”.

https://youtu.be/aLx3HOpsklg

Tarde de inauguração das luzes do Porto equivalente a noite de São João

Primeiro foi a vez da árvore se acender. Em frente à câmara, em plena Avenida dos Aliados, foram muitas as pessoas que preencheram as ruas e esperaram para ver o espetáculo preparado pela câmara municipal da cidade invicta. Famílias inteiras, namorados e amigos ali se juntaram para dar as boas vindas à época natalícia.

O espetáculo inicial ficou marcado pelo fogo de artifício e pelo iluminar da árvore de Natal. Sensivelmente meia hora mais tarde foi a vez dos enfeites de rua se acenderem e completarem o ambiente quente e iluminado, tipicamente natalício.

Este foi mais um dia de festa na cidade do Porto, uma cidade que se caracteriza pelas suas gentes.

O 1º de dezembro fez lembrar a mítica noite de 24 de junho, São João.

AEBA REVELA VENCEDOR DO CONCURSO «TORNE O SEU NATAL NUM SONHO ESPECIAL»

Já é conhecida a vencedora do concurso “Torne o seu Natal num sonho especial – compre no comércio local”, promovido pela AEBA – Associação Empresarial do Baixo Ave e pela Câmara Municipal da Trofa. O cupão de Maria Celeste da Silva Barbosa, depositado no Talho Concorde, foi o apurado, de forma aleatória por extração direta, e a sorteada vai receber um prémio de 500€. A extração do cupão vencedor, que decorreu hoje nas instalações da AEBA, foi acompanhada por Mafalda Cunha, Vice-Presidente da AEBA, Helena Maia, Vice-Presidente da Assembleia Geral da AEBA e Flávio Sá, Comandante do Destacamento Territorial de Santo Tirso.

No concurso foram registados 20,791Kg de cupões recolhidos pelas 95 lojas aderentes. A loja que registou o maior número de cupões foi a FLASH, com 3,555Kg. O concurso que decorreu entre 9 de dezembro e 6 de janeiro, inseria-se no programa de atividades natalícias na Trofa – «O Natal na Trofa está na Moda», e tinha como objetivo dinamizar a economia do comércio local. Para concorrer, os participantes só tinham de fazer compras numa das lojas de comércio aderentes e preencher um cupão de participação.

A pessoa identificada no cupão será contactada pela Associação nos 5 dias úteis após o sorteio e o prémio será entregue mediante a apresentação de um documento identificativo da pessoa a que corresponda o cupão sorteado. O prémio não reclamado no prazo de 30 dias reverterá para uma instituição de solidariedade social, designada pela Secretaria-Geral do Ministério da Administração Interna.

Apple foi a grande vencedora deste Natal

Segundo um estudo da Flurry Insights, citado pelo The Next Web, 49% de todos os produtos ativados em dezembro de 2015 pertenciam à Apple, ‘batendo’ a Samsung, que ficou em segundo lugar, por quase 30%.
Os dispositivos Nokia, da Microsoft, conseguiram a terceira posição com apenas 2%, com a LG a ficar com o quarto lugar e 1,7% das ativações. A chinesa Xiaomi, com 1,5%, ficou na quinta posição.
A Flurry Insights acredita que o sucesso da Apple se deve aos dispositivos com ecrãs maiores. No último ano, 27% das vendas de smartphones foram feitas em phablets, uma subida de 14% em relação a 2014.

Mais de um milhão de turistas entraram em Macau na semana do Natal

De acordo com o Corpo de Polícia de Segurança Pública, entre 20 de dezembro, feriado que celebra o Dia de Estabelecimento da Região Administrativa Especial de Macau, e o dia 26 do mesmo mês, entraram na cidade 1,649 milhões de pessoas, entre as quais 1,087 milhões eram turistas.

No mesmo período saíram, pelas fronteiras terrestres e marítimas e através do aeroporto, 1,647 milhões de pessoas — o posto fronteiriço das Portas do Cerco revelou-se o mais movimentado, tanto em entradas como em saídas.

O aumento do número de turistas durante estes sete dias, em comparação com o ano passado, contraria a descida geral dos visitantes, já que até ao final de novembro Macau recebeu 28,08 milhões de pessoas, menos 3,1% do que em igual período de 2014.

É assim que o seu corpo reage aos excessos de fim de ano

Ceia de Natal

Não há dieta que resista a esta época festiva. Fim de ano é altura de pedir desejos e pensar nas resoluções de ano novo, mas é também altura de comer… até ‘abarrotar’.

A pensar nisso, a BBC Brasil foi saber de que forma o organismo reage aos típicos excessos de Natal e da passagem do ano.

Começamos por descansar os mais preocupados com a alimentação e com a saúde. “Nada faz mal se for ingerido com moderação”. É a garantia deixada por Barry Campbell, da Universidade de Liverpool, no Reino Unido.

“Tudo depende do quanto cada um se excede”, disse à BBC o gastroenterologista, explicando que os excessos não se repercutem só na subida de peso e dos níveis de colesterol.

Quando ingerimos alimentos ricos em gordura, as bactérias presentes no nosso sistema digestivo ressentem-se. Não é difícil perceber, então, que a proporção entre bactérias benéficas e microrganismos prejudiciais pode ser alterada pela má alimentação.

Tais mudanças fazem-se sentir, por norma, no curto prazo. Se após o período festivo compensar com alimentação mais leve e equilibrada, os efeitos não se vão fazer sentir no longo prazo.

Mas o mesmo não se pode dizer se as delícias do Réveillon continuarem a fazer parte da sua rotina diária após o início do ano. Tenha em conta que, como explica um estudo publicado na revista científica New England Journal of Medicine, é mais difícil perder peso após as férias. E cada quilo que se ganha e não se perde de seguida contribui para o aumento de peso na idade adulta.

E não se esqueça do exercício físico. Algumas caminhas para começar o ano vão dar uma ajuda preciosa à sua forma física.

Apple dominou época natalícia

Apple

De acordo com os dados fornecidos pela plataforma de analítica Flurry, a Apple teve quase metade das ativações de dispositivos móveis durante a época natalícia com 49.1%, deixando uma grande margem para a segunda classificada, a Samsung, com apenas 19.8%.

Como aponta o TechCrunch, os consumidores também ‘falaram’ a favor de dispositivos móveis de grandes dimensões, mais conhecidos como ‘phablets’. Estes dispositivos, com dimensões acima de 5.5 polegadas de ecrã, reuniram a preferência de 27% dos consumidores enquanto no ano passado apenas 13% optaram por eles.

A acompanhar esta tendência está o número cada vez mais reduzido de smartphones de dimensões médias e os praticamente inexistentes 1% de consumidores que ainda optam por telemóveis de pequenas dimensões.

EMPRESAS