Inicio Tags Natal

Tag: Natal

Valor das compras com Multibanco cresceu no início da época de Natal

Ainda segundo a empresa gestora da rede Multibanco, o valor médio dos pagamentos em lojas, nos terminais de pagamento automático do Multibanco, foi de 40 euros, menos um euro do que entre 24 e 30 de novembro de 2014.

No entanto, o número de transações foi maior, de 17,6 milhões, pelo que foram gastos 699 milhões de euros em compras nos primeiros dias da época de Natal, quando em período comparável de 2014 foram gastos 646 milhões de euros.

Já em termos de levantamentos feitos nas caixas automáticas da rede Multibanco, houve uma diminuição de 5,9% face ao período comparável do ano passado para 512 milhões de euros.

Também caiu o valor médio levantado por dia, em um euro, para 63 euros.

No total, no período entre 23 e 29 de novembro, foram efetuados 8,1 milhões de levantamentos no valor de 512 milhões de euros e feitas 17,6 milhões de compras no valor de 699 milhões de euros.

Assim, somando os números disponibilizados pela SIBS, nos primeiros dias da época natalícia foram processados 1211 milhões de euros na rede Multibanco em Portugal.

Londres, Nova Iorque e Ponta Delgada lideram preferências dos portugueses este Natal

Os dados apontam para que, do total de viagens reservadas para o período natalício, 5% se referem a voos internacionais, 8% a voos dentro de Portugal Continental e Ilhas, e os restantes 87% a voos para o continente europeu.

Entre os destinos nacionais, Ponta Delgada, Funchal, Lisboa, Porto e a Ilha Terceira são os mais procurados por aqueles turistas nacionais que buscam a essência do Natal tão característico português.

A representar já 87% do total de reservas, as viagens para o Continente Europeu ganham cada vez mais expressão. As cidades de Londres, Paris, Genebra, Roma e Barcelona lideram o top de destinos mais visitados por portugueses nesta época do ano. As vastas ofertas culturais comemorativas das tradições natalícias, como por exemplo as Feiras Natalícias, levam cada vez mais turistas lusos a visitar outros países onde o Natal não seja sinónimo de Bacalhau, bolo-rei, Missa do Galo e duradouras refeições em família.

A representar 5% do total de reservas no período, as viagens internacionais, ganham ainda pouca expressão por entre a comunidade portuguesa. Nova Iorque, Marraquexe, e a cidade vietnamita de Ho Chi Minh City são os destinos mais visitados por Portugueses no Natal de 2015.

Apesar de caracterizada por ser a época da família, do regresso a casa, do afeto e do carinho, são cada vez mais os portugueses que optam por passar uma noite da consoada diferente e fora do seu país. Conhecer novas culturas, novos destinos e novas práticas natalícias é, segundo os dados da eDreams, cada vez mais uma prioridade dos turistas portugueses.
Maioria dos Portugueses optam por férias Natalícias de 4 dias

Em 2015, 27% dos turistas portugueses que adquiriram as suas viagens de Natal durante o mês de outubro optaram por pernoitar na cidade de destino durante 4 dias, sendo que 17% dos turistas escolheram viagens de 3 e 5 dias.

O estudo agora apresentado pela eDreams revela ainda que a TAP é a companhia aérea mais requerida pelos turistas portugueses para os voos no período em análise, seguida das operadoras low cost Ryanair e easyJet.

Presentes de Natal: vestuário e brinquedos lideram a lista de compras

Brinquedos

Depois do vestuário e dos brinquedos, surgem na lista de presentes para oferecer os perfumes e relógios, que este ano conquistam 35% das intenções de compra, ultrapassando os produtos culturais (34%), que em 2014 ocupavam o terceiro lugar. Na lista prosseguem outras categorias, como os equipamentos e artigos de desporto (19%), os vouchers de oferta (19%), os cabazes (9%) e os equipamentos informáticos (7%).

De um modo geral, constata-se que são os consumidores entre os 35 e os 44 anos (85%) e entre os 25 e 34 anos (82%) os que se mostram mais generosos, revelando uma maior intenção de oferecer presentes neste Natal. Já os indivíduos mais velhos, entre os 55 e os 65 anos, são aqueles que apresentam a menor intenção de comprar presentes (68%).

Depois do vestuário, os brinquedos são o principal presente para oferta para a generalidade das faixas etárias, com exceção dos indivíduos entre os 18 e os 24 anos. De facto, os consumidores mais jovens colocam os perfumes e relógios (46%) e os produtos culturais (37%) à frente dos brinquedos (32%).

Na análise por classe socioeconómica, verifica-se que, sem surpresas, são os indivíduos da classe mais alta (AB) que mais tencionam comprar presentes para oferecer (90%). Já a classe mais baixa (C2/D) apresenta uma intenção de consumo mais comedida: apenas 64% dos indivíduos pensam comprar presentes para dar neste Natal.

Este estudo foi desenvolvido em colaboração com a Nielsen, tendo sido realizados 600 inquéritos por telefone, a indivíduos de Portugal continental, de ambos os sexos, com idades compreendidas entre os 18 e os 65 anos, entre os dias 28 de setembro e 1 de outubro de 2015. O erro máximo é de +4.0 para um intervalo de confiança de 95%.

Natal. Mais de 50% dos portugueses usa subsídio para presentes

Maior parte dos portugueses usam subsídio de Natal para comprar presentes

Mais de metade dos portugueses, 55%, tenciona utilizar o subsídio de Natal para comprar presentes, revela o mais recente estudo do Observador Cetelem, sobre as intenções de consumo nesta época.

Esta percentagem é superior à registada em 2014 (46%), mas longe dos 82% verificados em 2011, assinala o mesmo documento.

De salientar que cerca de 8% dos portugueses afirmam não comprar presentes de Natal.

Questionados sobre se utilizam o subsídio de Natal para comprar presentes, um quarto dos portugueses afirma utilizar apenas uma pequena parte. Já 27% dos consumidores confessam utilizar uma parte significativa e apenas 4% utilizam todo o subsídio, mas não o consideram suficiente. Uma percentagem ainda considerável de consumidores (26%) afirma não receber subsídio de Natal.

Na análise por faixa etária, constata-se que os indivíduos com idades compreendidas entre os 35 e 44 anos são os que mais afirmam utilizar o subsídio de Natal para comprar presentes (72%), seguidos pelos consumidores entre os 25 e 34 anos (64%). Este último grupo apresenta a maior percentagem de inquiridos que afirmam utilizar o subsídio de Natal na totalidade e de o considerar insuficiente (7%).

Este estudo foi desenvolvido pelo Observador Cetelem, em colaboração com a Nielsen, tendo sido realizados 600 inquéritos por telefone, a indivíduos de Portugal continental, de ambos os sexos, com idades compreendidas entre os 18 e os 65 anos, entre os dias 28 de setembro e 1 de outubro de 2015. O erro máximo é de +4.0 para um intervalo de confiança de 95%.

55% dos portugueses tencionam usar o subsídio de Natal para comprar presentes

Esta é uma percentagem acima da que era registada em 2014 (46%), mas longe dos 82% verificados em 2011. O mesmo estudo revela ainda que cerca de 8% dos portugueses afirmam não comprar prendas de Natal.
Questionados sobre se utilizam o subsídio de Natal para comprar presentes, um quarto dos portugueses afirma utilizar apenas uma pequena parte. Já 27% dos consumidores confessam utilizar uma parte significativa e apenas 4% utilizam todo o subsídio, mas não o consideram suficiente. Uma percentagem ainda considerável de consumidores (26%) afirma não receber subsídio de Natal e 8% dizem receber, mas não utilizá-lo para comprar presentes.

Na análise por faixa etária, constata-se que os indivíduos com idades compreendidas entre os 35 e 44 anos são os que mais afirmam utilizar o subsídio de Natal para comprar presentes (72%), seguidos pelos consumidores entre os 25 e 34 anos (64%). Este último grupo apresenta a maior percentagem de inquiridos que afirmam utilizar o subsídio de Natal na totalidade e de o considerar insuficiente (7%).

Este estudo foi desenvolvido em colaboração com a Nielsen, tendo sido realizados 600 inquéritos por telefone, a indivíduos de Portugal continental, de ambos os sexos, com idades compreendidas entre os 18 e os 65 anos, entre os dias 28 de setembro e 1 de outubro de 2015. O erro máximo é de +4.0 para um intervalo de confiança de 95%.

Porto inaugura iluminações de Natal a 27 de novembro

Porto NatalNo próximo dia 27 de novembro, a cidade do Porto desperta para o Natal, inaugurando as iluminações que se vão estender, este ano, a mais de 40 ruas e praças da cidade. O momento será simbolicamente assinalado nos Aliados, às 21,30 horas, junto à Árvore de Natal da cidade (que será ligada com fogo de artifício, seguida por um concerto dos Retimbrar) mas também com a abertura da pista de gelo que, até 27 de dezembro, ocupará a placa inferior da Avenida dos Aliados, entre outras surpresas.

LUZ, MÚSICA, FESTA

Tal como já sucedeu em 2014, as iluminações de Natal vão acender-se uma semana mais cedo do que era habitual, prolongando-se até 10 de janeiro de 2016. Para viver em pleno esta quadra, a Câmara Porto preparou um vasto programa de animação e diversão para toda a família, que se estenderá por seis semanas, entre concertos de rua, espetáculos de dança e novo circo, intervenções artísticas, performances, mercados e feiras, oficinas de contos, mas também carrosséis, palácios de bonecas e as já obrigatórias pistas de gelo natural, que funcionarão na Avenida dos Aliados e Rotunda da Boavista. A Câmara e a Associação dos Comerciantes do Porto voltarão a distribuir 35 mil vouchers pelas lojas de comércio tradicional da Baixa e Boavista para acesso gratuito às duas pistas, assim como 1.000 vouchers para estacionamento no Silo Auto.

“OURO SOBRE AZUL”

Este ano, o Natal no Porto promete ser “ouro sobre azul”. Uma conjugação que tem a fama de ser perfeita e que constituirá o tema dominante nas iluminações de Natal da cidade. Milhares de pontos azuis e dourados, conjugados em formas simples (maioritariamente redondas e estreladas), proporcionarão a atmosfera ideal para a quadra, em linha com a nova imagem gráfica do Porto. Reforçando a ligação emocional à marca da cidade, também a Árvore de Natal, que voltará a ser erguida na Praça General Humberto Delgado, junto à Paços do Concelho, será vestida de dourado e decorada com grandes esferas azuis. Com 26m de altura por 14m de largura, será mais uma vez um ponto de visita obrigatório durante o Natal, até pelas várias iniciativas que estão previstas para este local, todas as sextas, sábados e domingos, sempre a partir das 17,30 horas, aquando da ligação das luzes. Comparativamente a 2014, quando as iluminações de Natal se estenderam por quatro novas artérias da cidade (ruas do Freixo, Estação, Ferreira Borges e Sousa Viterbo), totalizando então 30 ruas, este ano as iluminações vão abranger um total de 41 localizações, chegando agora, por exemplo, às ruas da Constituição, Martin Moniz, João Pedro Ribeiro ou à Avenida Rodrigues de Freitas. De destacar, ainda, o reforço das iluminações em locais como a Avenida dos Aliados, Palácio das Artes, as ruas de Ramalho Ortigão e Costa Cabral ou a Praça Filipa Lencastre. Serão, assim, 368 elementos (mais 40 do que em 2014) a decorar e iluminar o Porto, num investimento que supera este ano os 118 mil euros (no ano passado, foram gastos 100 mil euros). O valor global, incluindo o programa de animação, é este ano de 180 mil euros, contra os 161 mil de 2014, num aumento integralmente suportado pela entrada de novos patrocinadores.

NOVIDADES NOS ALIADOS

Para além de uma nova Árvore de Natal, a Avenida dos Aliados terá, em 2015, outras novidades de monta durante a quadra, a começar por uma pista de gelo natural descoberta, que ocupará uma área de 300m2 e estará em funcionamento até 27 de dezembro, dia em que se realizará a S. Silvestre do Porto. Outra das surpresas será uma instalação, de caráter imersivo, da autoria do coletivo Moradavaga, na Praça da Liberdade. Denominada “Whispering Forest”, será constituída por 41 árvores que oferecerão diversas experiências, nomeadamente sonoras, a quem vagueie e explore este concentrado de bosque em pleno coração da cidade. No plano oposto dos Aliados, a calçada da Praça General Humberto Delgado acolherá, entre 27 de novembro e 10 de janeiro, uma intervenção artística da autoria de Hazul. Intitulada “HOLON”, será concretizada em 10 suportes circulares e outras tantas ilustrações do artista. Associada a uma estrutura de iluminação, permitirá uma leitura diurna e outra noturna.

MAIS DIVERTIMENTOS NA ROTUNDA DA BOAVISTA

Juntamente com os Aliados, a Praça Mouzinho Albuquerque será outros dos pontos de visita obrigatórios durante o Natal. De 27 de novembro a 10 de janeiro, acolherá a Praça da Fantasia, com todo o tipo de atrações e divertimentos. Além de uma rampa e duas pistas de gelo natural (uma coberta e, este ano, também uma exterior), haverá ainda espaço para carrosséis, pistas de carros, jogos tradicionais, uma mini roda gigante, carinhos de choque, cinema 5D, uma casa do Pai Natal e espetáculos de magia com contos da Avó Augusta. Mas este ano os divertimentos chegam também à Praça da Batalha, onde até 4 janeiro os mais novos poderão divertir-se com vários carrosséis. Instalado na Praça Gomes Teixeira, junto à Reitoria da Universidade da Porto, o Palácio das Bonecas é outros dos espaços que seguramente as crianças vão querer visitar neste Natal. Entre 27 de novembro e 29 de dezembro, estará de portas abertas e com workshops temáticos organizados aos fins de semana.

CONTAR, DANÇAR E CANTAR O NATAL

Até ao dia de Natal e sempre aos fins-de-semana, não faltarão motivos para sair à rua e assistir aos vários espetáculos de dança, performances, novo circo e concertos de música alusivos à quadra. A par das muitas atividades itinerantes que percorrerão o Porto – e onde se inclui uma viagem de elétrico pela cidade ou um “Caçador de Sonhos” -, a Árvore de Natal dos Aliados será o palco preferencial de iniciativas como o “Conto de Natal” interpretado pelos alunos do Centro de Dança do Porto, as Oficinas de Contos e os Ateliers de Panquecas Criativas da Saphir Cristal, as XMAS Lazy Sessions, as Vozes de Natal, as Christmas Carols ou ainda o espetáculo de novo circo João & João. Durante o mês de dezembro regressa igualmente o ciclo de concertos “Natal à Porta”, com jazz ao sábado e ópera ao domingo, sempre a partir das 15h30, à entrada de um edifício emblemático da cidade.

FEIRAS E MERCADOS

Durante o Natal, serão também várias as Feiras, Mercados e Mercadinhos que animarão a cidade, com propostas que vão desde o artesanato às velharias, passando pelo design, a joalharia, a moda, a gastronomia, os brinquedos, as ilustrações ou a arte urbana. Entre as iniciativas que constituem novidade durante a quadra natalícia, destaque para o regresso da Artesanatus à Praça D. João I e para a 2.ª edição do Artes & Ofícios do Porto, novamente na Praça dos Poveiros, ambas entre 27 de novembro e 23 de dezembro. Realce ainda para a estreia do Up Street Porto – Mercado de Arte Urbana na antiga dependência do Banco Montepio, na Avenida dos Aliados, a 28 e 29 de novembro, e para uma edição especial de Natal que juntará o Mini Porto Belo e o Flea Market, a 12 de dezembro, no parque de estacionamento do Silo Auto.

PASSAGEM DE ANO

As boas vindas ao Novo Ano são já uma tradição na principal sala de visitas da cidade, palco de uma festa aberta a toda a população na Avenida dos Aliados. Desta vez, a entrada em 2016 será celebrada com um concerto especial de Pedro Abrunhosa & Comité Caviar, que se iniciará às 23,00 horas e se prolongará por três horas e meia de espetáculo e que inclui a contagem decrescente que antecederá o tradicional fogo de artifício, lançado de vários pontos dos Aliados e, este ano, ainda com mais surpresas.

Um roteiro que combina chocolate, Natal e a Rua Castilho

O evento, sob a tutela da Câmara Municipal de Lisboa e do programa “Lisbon Shopping Destination”, tem como objectivo dinamizar zonas e ruas de comércio tradicional da zona de Lisboa.

Ao longo do dia do evento poder-se-ão encontrar várias atividades: provas de vinho, ações de beleza, provas gourmet, atuações de DJ, apresentação de coleções de vestuário Outono/Inverno, divertimentos para crianças, ativações de marca e também algumas ofertas, descontos e campanhas especiais. O roteiro é constituído por lojas como Franck Provost, Topázio, Vip Exective Hotel Diplomático ou Hoss Intropia.

A Caixa Geral de Depósitos é o patrocinador principal deste evento e disponibiliza um desconto exclusivo para clientes da instituição bancária que façam compras com os seus cartões. Em frente ao Edifício Castil, estará um ponto de ativação CGD onde poderão ser facultadas informações sobre as campanhas de desconto.

Natal: Portugueses vão comprar mais com cartão de crédito

De acordo com o Observador Cetelem, a intenção de utilizar o cartão de crédito para pagar as compras de Natal aumentou face ao ano passado. Em 2014, 11% dos portugueses com cartão de crédito tencionavam utilizá-lo como forma de pagamento. Este ano, a percentagem chega aos 18%. O montante a ser pago com cartão de crédito também aumentou consideravelmente, tendo passado dos 360 para os 444 euros, o valor mais alto dos últimos cinco anos.
Desde o Natal de 2012, ano em que os portugueses gastaram cerca de 251 euros com cartão de crédito, houve um aumento de 193 euros. O Observador Cetelem revela ainda que 18% dos utilizadores de cartão de crédito tencionam gastar entre 250 a 500 euros, 17% entre 100 a 249 euros e 15% entre 500 a 1000 euros. Apenas uma pequena minoria tenciona ir além dos 1000 euros (3%).
Os indivíduos entre os 35 e 44 anos são os consumidores que mais possuem cartão de crédito (45%). No entanto, os inquiridos com maior intenção de utilizar essa forma de pagamento nas compras de Natal têm entre 25 e 34 anos (32%). Os mais jovens, entre os 18 e os 24 anos, são os que menos possuem cartão de crédito (7%) e que menos tencionam utilizá-lo nas compras de Natal (3%).
Na análise por classe socioeconómica, verifica-se que são os consumidores pertencentes à classe mais alta (AB) que mais têm cartão de crédito (53%) e que apresentam maior intenção de utilizar esta forma de pagamento nas compras natalícias (39%). No sentido inverso, 14% dos indivíduos da classe mais baixa (C2/D) possuem cartão de crédito, dos quais apenas 5% pretendem utilizá-lo para fazer face aos gastos com o Natal.
Este estudo foi desenvolvido em colaboração com a Nielsen, tendo sido realizados 600 inquéritos por telefone, a indivíduos de Portugal continental, de ambos os sexos, com idades compreendidas entre os 18 e os 65 anos, entre os dias 28 de setembro e 1 de outubro de 2015. O erro máximo é de +4.0 para um intervalo de confiança de 95%.

Lazer/viagem é o presente que os portugueses mais querem oferecer a si próprios

O mais recente estudo do Observador Cetelem revela que as viagens lideram a lista de presentes que os portugueses querem adquirir para si (13%). No ano passado, a lista era encabeçada pelos smartphones, que ocupam agora a segunda posição (11%). À questão “pensa fazer alguma compra importante para si este Natal?”, 32% dos portugueses responderam com “sim” ou “talvez”. Uma percentagem ligeiramente superior da que era registada no ano passado (29%).

Além de artigos de lazer/viagens e smartphones, este Natal os portugueses querem oferecer a si próprios tablets (7%), telemóveis (5%) e computadores pessoais (5%). Seguem-se os eletrodomésticos (3%), a eletrónica de consumo (3%) e o mobiliário (3%). São menos os portugueses que neste Natal pensam fazer obras de remodelação/decoração (2%), adquirir automóvel (2%), equipamentos de desporto (2%), bricolagem/jardinagem (1%), bens imobiliários (1%) e motos/scooters (1%).

O Observador Cetelem divulga ainda que a categoria lazer/viagens lidera em todas as faixas etárias, com exceção dos mais jovens, que colocam os smartphones na frente. Cerca de 27% dos indivíduos com idades entre os 18 e os 24 anos revelam a intenção de adquirir, para si, smartphones. Já os indivíduos entre os 25 e 34 anos (22%) e entre os 35 e 44 anos (16%) são aqueles que mais pretendem oferecer a si mesmos artigos de lazer/viagem neste Natal.

Este estudo foi desenvolvido em colaboração com a Nielsen, tendo sido realizados 600 inquéritos por telefone, a indivíduos de Portugal continental, de ambos os sexos, com idades compreendidas entre os 18 e os 65 anos, entre os dias 28 de setembro e 1 de outubro de 2015. O erro máximo é de +4.0 para um intervalo de confiança de 95%.

EMPRESAS