Inicio Tags Psicologia e a doença mental nas mulheres

Tag: psicologia e a doença mental nas mulheres

A questão da psicologia e a doença mental nas mulheres

Com o tempo, foi abandonando a figura de mera dona de casa e assumindo postos de trabalho, cargos importantes de variadíssima ordem, os quais lhe foram dando um papel menos submisso.

Atualmente, apesar das desigualdades entre géneros serem menores, esta continua a carregar, ainda, todo o tipo de obrigações inerentes ao seu papel de mulher, ser esposa, mãe e dona de casa, o desgaste e a fadiga vão-se acumulando, ficando assim mais vulneráveis a doenças mentais, tais como ansiedade, depressão, fobias, pânico, insónias e diminuição do desejo sexual.

Entre os transtornos mentais os mais comuns nas minhas pacientes são a depressão, a bipolaridade, Estado-Limite da personalidade e problemas relacionados com ansiedade.

As causas de cada um dos distúrbios variam de mulher para mulher e cada caso é avaliado individualmente.

Os transtornos mentais são disfunções no funcionamento da mente, que podem afetar qualquer pessoa e em qualquer idade e, geralmente, são provocados por complexas alterações do sistema nervoso central.

Charles Darwin, o brilhante naturalista britânico, famoso por ser o pai da teoria da seleção natural e da evolução, percebeu a importância de compreender a forma como nos emocionamos.

 Do ponto de vista evolutivo, o estudo das expressões de Darwin sugere que todos os organismos dispõem de mecanismos emocionais primordiais, inatos e conservados, que nos ajudam a sobreviver. Esta “sobrevivência” a que este se refere retrata, no entanto, ações psicológicas (mecanismos de defesa) têm por finalidade reduzir qualquer manifestação que pode colocar em perigo a integridade do ego, onde o indivíduo não consiga lidar com situações que por algum motivo considere ameaçadoras. São processos subconscientes ou mesmo inconscientes que permitem à mente encontrar uma solução para conflitos não resolvidos no nível da consciência. As bases dos mecanismos de defesa são as angústias. Quanto mais angustiados estivermos, mais fortes os mecanismos de defesa ficam ativados. (Freud)

A ansiedade é um dos transtornos mentais mais comuns, principalmente em mulheres. Pode ser um desdobramento da depressão, mas também aparece muitas vezes sozinha e pode causar complicações na vida de quem desenvolve esse tipo de transtorno.

Os transtornos mais comuns nas mulheres são a depressão, transtorno de ansiedade, transtorno disfórico pré-menstrual (SPM), distúrbios alimentares e o transtorno de stress pós-traumático.

Segundo a OMS em Portugal, a prevalência de sintomas de depressão (ligeira e grave) nas mulheres é de (13,59%).

Várias pesquisas mostram uma maior vulnerabilidade feminina aos transtornos mentais, isto pode ser devido às alterações no sistema endócrino que ocorrem no período pré-menstrual, pós-parto e menopausa.

Pode até parecer que estamos a falar da tensão pré-menstrual, a famosa TPM, mas o Transtorno Disfórico Pré-Menstrual é algo mais forte e mais sério. Este pode atingir até 10% das mulheres e apresenta sintomas muito parecidos com os de uma Transtorno Pré-Menstrual convencional, porém, muito mais fortes. Alguns deles são, ansiedade, dores intensas nos seios, retenção de líquidos, irritabilidade e distúrbios de apetite e do sono.

A principal causa do transtorno disfórico pré-menstrual é a alteração de transmissão de neurotransmissores, os responsáveis por fazer a comunicação entre os diversos setores do sistema nervoso. Entre os neurotransmissores, o mais afetado é a serotonina, que, quando alterada, deixa de inibir os sintomas que causam o transtorno.

O Transtorno de stress pós-traumático é, também, um tipo de transtorno que atinge diversas mulheres por diferentes motivos, violência doméstica, abuso, etc, neste tipo de transtorno especificamente, além do fator hormonal, também existe o fator social. Os principais sintomas do transtorno e stress pós-traumático são, agitação e agressão, ataques de pânico, stress agudo, pensamentos suicidas e tensão extrema.

Apesar do fator social ser de extrema relevância para o número de mulheres que desenvolvem este transtorno, muitas mulheres também desenvolvem o transtorno de stress pós-traumático após um parto difícil/traumático, que pode afetar até mesmo uma próxima gravidez.

Felizmente, quase todos os transtornos têm um tratamento tranquilo, que apesar de envolver acompanhamento psicológico e medicamentos, mostram resultados e proporcionam melhoras significativas na vida de quem os faz.

A melhor forma de prevenir a depressão é cuidando da mente e do corpo, com alimentação saudável e prática de atividades físicas regulares. Saber lidar com o stress e compartilhar os problemas com amigos ou familiares é outra alternativa, que pode ser aliada à prática de alguma atividade integrativa e complementar, como yoga, por exemplo.

Ajudam a prevenir a depressão leitura, aprender coisas novas, ter hobbies, viajar e se divertir. Essas práticas mantém a cabeça ativa e a ocupam com pensamentos positivos.

EMPRESAS