Inicio Tags Qualidade

Tag: qualidade

Luzes, cama, colchão

Qual é a divisão da casa em que passa mais horas?” A pergunta é de quem vende colchões porta a porta, mas a técnica — tantas vezes eficaz — não foge à verdade. Em casa, é no quarto que passamos o maior número de horas e estas são passadas essencialmente na cama. Por vezes é difícil lembrar (as horas são poucas e o tempo que dormimos não faz parte das nossas memórias), mas é sobre o colchão que tudo acontece. É nele que procuramos o sono reparador, mas são vários os fatores que nos impedem de alcançar o objetivo. O stresse não desaparece com um estalar de dedos, as dores atacam nas piores horas e as insónias não dão tréguas. As razões são várias e a utilização de um colchão inadequado (ou velho) é uma delas.

Mais preocupado com o bem-estar e a saúde, o mundo começa a olhar de outra forma para este objeto muitas vezes preterido e, de acordo com o estudo “Mattress Markets in the World to 2020 — Market Size, Development, and Forecasts”, a indústria de colchões deverá crescer 3,8% ao ano nos próximos quatro anos. Apesar do abrandamento expectável face ao período 2009-2015 (onde o mercado mundial cresceu 5,4% todos os anos), continua a ser notório o crescimento das preocupações com o conforto na hora de dormir. Se China, França, Alemanha, Japão e Estados Unidos da América continuam a ser os maiores mercados, é nos países asiáticos que o mercado continuar a crescer, sempre a dois dígitos percentuais. Filipinas (14,2%), Vietname (12,9%) e Camboja (12,9%) são os países em que a compra de colchões mais se tem expandido.

Por cá, na Europa e com Portugal incluído, parecemos mais importados com outro tipo de investimentos (os últimos dados do Reino Unido mostram a troca de carro como uma prioridade face ao colchão) e o amigo das noites bem dormidas acaba preterido. O colchão ainda é visto como uma parte da mobília e, de preferência, deve durar uma vida. Nada mais errado, mas o facto de as garantias serem tão grandes — chegam, em algumas marcas, aos 25 anos — induz os consumidores a pensar que o tempo de vida do companheiro de todas as noites nunca será inferior ao garantido pelo fabricante.

Na hora de investir, vale a pena medir os prós e contras de cada tipo de colchão — a oferta é vasta e mesmo dentro de cada género há diferenças — e perceber qual a solução mais adequada.

Não há que ter medos ou preconceitos: dormir acompanhado não tem de ser sinónimo de dormir mal e necessidades diferentes pedem colchões diferentes. O cônjuge mais pesado deve dormir num colchão mais duro, ao passo que o mais leve pode optar por uma superfície mais mole. O gosto tem de casar com a necessidade e é preciso entender (experimentando) qual o modelo mais aconselhado. No caso dos casais heterossexuais que dormem de lado ou de barriga para baixo, as especificidades são ainda maiores e as twin beds, formadas por dois colchões na mesma cama, podem mesmo ser a única opção. Se os homens são mais volumosos nos ombros, as curvas das mulheres levam a que o corpo precise de assentar de uma forma diferente na zona da anca (caso se deite de lado) ou do peito (caso opte por dormir de barriga para baixo).

Acima, na página da direita, é possível conhecer três dos tipos de colchão mais escolhidos, sem que isso invalide a necessidade de ter em atenção diversos aspetos antes da compra. Uma coisa é certa: os consumidores que sofrem com alergias ou têm doenças como a asma encontram vantagens nos colchões de espuma de poliuretano e nos de látex.

Embora a vida útil dos colchões seja mais pequena do que muitos julgam, continua a ser necessário proceder à sua manutenção. Aspirar o colchão regularmente (de preferência a cada duas semanas) e virá-lo — se as suas características o permitirem — ajuda a preservar o material, sendo fulcral o arejamento diário do quarto (para que a humidade produzida durante a noite não fique no seu interior) e a troca semanal da roupa da cama. À higiene do colchão junta-se a sua proteção, com a compra de uma capa antiácaros a completar o pacote.

O FUTURO À TECNOLOGIA PERTENCE

As empresas dedicadas ao ramo, mesmo as mais tradicionais, têm desenvolvido novas tecnologias (que proporcionam um maior conforto sem prejudicar a saúde) e o mercado continua a renovar-se. Mas não são as únicas. O segmento do luxo entrou em Portugal com força e são várias as marcas representadas no país — onde os preços podem chegar às dezenas de milhares de euros. Ainda assim, e embora 15 mil euros possa parecer um exagero por um colchão, estes não serão os mais caros (nem os mais excêntricos). Há propostas com ligação ao smartphone (para monitorizar o sono através de uma aplicação), colchões para que um casal consiga dormir abraçado sem a possibilidade de os braços ficarem dormentes, e até uma cama que desafia a gravidade.

Talvez valha a pena olhar para o caso mais extremo. A Floating Bed da Universe Architecture, criada pelo arquiteto holandês Janjaap Ruijssenaars — depois de um processo criativo que o ocupou durante sete anos — custa 1,6 milhões de dólares (cerca de 1,4 milhões de euros), mas levita a 40 centímetros do chão. O complexo sistema magnético permite aguentar 900 kg de peso e a cama está segura por cabos (mas apenas por uma questão de estabilidade). Não a confundamos com os modelos de camas flutuantes que se prendem à parede, muito menos onerosos e surpreendentes.

Voltemos a pôr os pés no chão: por muito bom que o novo colchão seja, não será ele a fazê-lo dormir. Quando a hora de rumar ao quarto chega, há outros cuidados a ter para que o sono reparador chegue o mais depressa possível. O melhor é começar um pouco antes, com um maior cuidado quanto à luz a que se está exposto na última hora de atividade do dia — evitando dispositivos eletrónicos, como computadores ou telemóveis, ou mesmo a televisão. Ler um livro em papel parece ser a melhor opção, utilizando para isso uma luz de leitura apropriada. A temperatura do corpo também pode influenciar o sono (neste requisito o tipo de colchão também tem alguma influência) e o melhor é que o quarto tenha uma temperatura amena na hora de deitar. Bons sonhos.

Reforço contínuo da capacidade técnica e produtiva

Criada em 1992, ao disponibilizar serviços e soluções globais aos seus clientes, a Cablotec rapidamente se destacou no mercado. O que permitiu e tem permitido esta diferenciação ao longo de mais de duas décadas?
A nossa diferenciação baseia-se exatamente na nossa capacidade de oferecer soluções à medida dos nossos clientes, obedecendo sempre às exigências técnicas e níveis de qualidade que o mercado impõe. Quando falo de qualidade refiro todos os níveis, tanto de serviços como produto – desde o projeto até à conceção final do produto, incluindo um criterioso cumprimento de prazos de entrega.

Teresa da Silva
Teresa da Silva

Especificamente, qual tem sido o vosso trabalho com cada um dos setores com os quais trabalham? O facto de colaborarem com indústrias tão distintas dá-vos uma abordagem mais global do mercado?
Sem dúvida e tem sido essa diversificação um dos principais fatores do nosso sucesso. Ao nos apresentarmos no mercado como parceiros ideais para o fornecimento de “soluções globais”, temos uma responsabilidade acrescida no sentido de garantir as competências e recursos necessários aos desafios que nos vão sendo apresentados.
Ao longo da nossa atividade, têm surgido diversos desafios de extremo interesse, nos quais temos investido e temos também contado em certos projetos com a ajuda dos nossos clientes. Tem sido um trabalho progressivo e conjunto, de constante expansão, que nos permite hoje oferecer um vasto leque de soluções e a capacidade de poder acompanhar um cliente desde a fase inicial de desenvolvimento dum produto, à conceção e produção do mesmo.

Enquanto entidade que disponibiliza serviços de desenvolvimento, projeto e produção de cablagens e sistemas, de moldes e de ferramentas especializadas, que cuidados são seguidos para garantir a total segurança e qualidade destes serviços?
Cada setor obriga ao cumprimento de normas específicas técnicas e de qualidade. O único “cuidado” a ter é cumprir criteriosamente essas normas. Quando as mesmas não estão especificadas, nós mesmos as definimos de forma a garantir essa qualidade e fiabilidade. A Cablotec está certificada segundo a Norma ISO 9001 desde 1999. Desde essa altura que temos os nossos próprios critérios de Garantia de Qualidade, que são reconhecidos pelos nossos clientes.

Mais do que um chavão, a inovação deve fazer parte da estratégia das marcas. Na prática, na criação de soluções de negócio mais eficazes e personalizadas, de que modo o desenvolvimento tecnológico tem sido imprescindível? Ser uma marca inovadora gera mais confiança no cliente?
Claramente que sim. O cliente tem de sentir que temos as condições desejadas e necessárias para responder às suas necessidades.

Em qualquer organização os recursos humanos desempenham um papel fulcral. Na Cablotec, que políticas de desenvolvimento do vosso capital humano têm sido desenvolvidas? Na vossa atuação, a formação contínua ocupa um dos lugares cimeiros?
Além da formação contínua, temos apostado bastante em programas de estágio tanto curriculares como profissionais, que em muitos casos se têm traduzido na criação dos próprios postos de trabalho. Por outro lado, a baixa rotatividade dos recursos humanos, garante uma larga experiência, flexibilidade e polivalência de muitos dos nossos colaboradores.

Na senda da internacionalização trabalham essencialmente com o mercado europeu, nomeadamente Alemanha, Suíça, Espanha, Reino Unido e França. Quais são as principais exigências destes mercados? No decorrer deste ano pretendem chegar a novos países?
Trabalhamos essencialmente com os países mais industrializados. As exigências são grandes, tanto a nível de custo, qualidade e cumprimento de prazos de entrega. Começámos a exportar em 1995, tendo o nosso volume de vendas para esses mercados atingido rapidamente os 80%. Desde essa altura o nosso nível de exportações diretas tem rondado permanentemente os 70 a 80 % do volume de negócios. O mercado interno está também a crescer felizmente, havendo atualmente diversos desafios muito interessantes que queremos acompanhar.

Para o futuro, que objetivos serão concretizados para que a Cablotec continue a ser o “parceiro ideal para desenvolver, fabricar, instalar e manter soluções de conectividade”?
Temos programado nestes próximos dois anos alguns investimentos no sentido de capacitar a Cablotec de ferramentas mais eficientes de projeto e controlo de produção e manteremos a nossa política de reforço permanente de capacidade técnica e produtiva de forma a acompanharmos os desafios que o mercado nos apresenta.

Nutrição Animal e Qualidade de Vida

Rita Silva

Em Portugal, os animais de estimação são cada vez mais verdadeiros membros da família e os seus donos, felizmente, estão mais informados e mais exigentes.

Se quisermos ser abrangentes podemos falar de cinco dimensões de responsabilidade por parte do dono do animal: garantir o acesso a cuidados de saúde adequados; escolher um alimento que possa, para além da satisfação da fome, ter um impacto positivo saúde do animal e sua na longevidade; garantir ao animal um espaço digno, abrigado e confortável para viver; respeitar o comportamento natural do animal e dar-lhe a oportunidade para o viver em pleno (na ROYAL CANIN® falamos em respeitar a “animalidade” dos gatos e dos cães) e por fim, é fundamental proporcionar ao animal oportunidades para exercício físico e atividades com a sua família que o estimulem e lhe proporcionem bem-estar. Todos estes aspetos influenciam bastante a qualidade de vida dos gatos e dos cães. A ROYAL CANIN®, através dos seus alimentos de elevada qualidade pretende ser um suporte na escolha do melhor alimento pelos donos, já que esta decisão é mais complexa do que aparenta ser. Sobre a alimentação de gatos e cães existem muitas ideias preconcebidas, erradas ou demasiado influenciadas pela emoção. Por exemplo, há donos que preparam as refeições dos seus animais em casa como um ato de carinho e que também acreditam ser esta a melhor opção do ponto de vista nutricional. A base científica da ROYAL CANIN® recusa qualquer espécie de antropomorfismo (forma de pensamento que atribui características ou aspetos humanos aos animais) e não nos permite concordar com tal argumentação. Assim, também vemos como uma missão importante desbravar este caminho sinuoso de desinformação, estando próximos dos donos, quer diretamente quer por via dos nossos parceiros, de forma a partilharmos a ciência que hoje os nossos produtos representam e de forma a suportá-los na escolha do alimento para o seu animal.
A ROYAL CANIN® é mundialmente reconhecida como uma marca pioneira na inovação científica e que molda a sua história e o seu crescimento na procura constante pela precisão nutricional. Desde a fundação da marca em 1967 por Jean Cathary, um médico veterinário, que todos os produtos nascem de uma necessidade identificada em primeiro lugar no gato e no cão. Esta abordagem é o fio condutor e diferenciador de tudo o que fazemos e também aporta à empresa uma grande responsabilidade: a de não parar nunca esta procura de precisão. Às vezes dizemos que somos “teimosamente científicos” porque há mais de 46 anos que produzimos alimentos segundo fórmulas muito precisas e equilibradas que satisfazem as verdadeiras necessidades dos gatos e dos cães. E fazemos tudo isto, confiando na ciência, nos factos e no conhecimento sobre gatos e cães para o qual a marca também contribui. Somos teimosamente científicos e vamos continuar a ser: não é o caminho mais fácil, mas é aquele que nos tem permitido cumprir juntos dos gatos e cães com as promessas que os nossos alimentos fazem, porque os resultados são visíveis para os seus donos.
A ROYAL CANIN® tem uma gama completa de dietas terapêuticas (secas e húmidas) de suporte ao tratamento de algumas doenças dos gatos e dos cães e que deve ser prescrita pelas equipas médico-veterinárias, dado tratarem-se de dietas formuladas recorrendo a nutrientes específicos em doses suplementares, que têm efeitos sobre diferentes órgãos e diferentes funções do organismo. Na grande maioria das doenças dos gatos e dos cães é possível intervir com dietas especialmente formuladas para atenuar ou mesmo controlar alguns sintomas.
A ROYAL CANIN® tem o pioneirismo inscrito no seu ADN, o que tem permitido à empresa desenvolver soluções nutricionais para gatos e cães, considerando a sua idade, o seu nível de atividade e estilo de vida, o seu estado fisiológico, a raça e as suas sensibilidades. A missão da marca é ambiciosa mas é muito clara: desenvolver alimentos cada vez mais precisos e adaptados às verdadeiras necessidades nutricionais dos gatos e dos cães. Todos os alimentos formulados pela ROYAL CANIN® representam marcos históricos para a empresa, pelo seu cariz inovador, pelo que acrescentaram à ciência da nutrição animal, e pelo impacto que têm na saúde, bem-estar e longevidade dos gatos e dos cães de todo o mundo. O nosso principal desafio é a expansão contínua do território da nutrição-saúde para gatos e cães e a continuação do caminho da individualização nutricional. Por outro lado queremos chegar a cada vez mais gatos e cães em todo o mundo. Uma das nossas estratégias para continuar esta expansão é a partilha de conhecimento com todos os donos e a experimentação dos nossos produtos. Acreditamos que a compreensão dos benefícios dos nossos produtos pelos donos e a verificação dos mesmos, comprovando o seu efeito na saúde dos seus animais, são a melhor forma dos donos perceberem esta empresa e esta marca. O futuro da ROYAL CANIN® vai continuar a ser construído através da antecipação de necessidades, tendências e modos de vida que possam influenciar a saúde e bem-estar dos gatos e dos cães. Vamos continuar a descobrir novos caminhos, mesmo percebendo que nessa descoberta reside sempre alguma resistência, porque o nosso compromisso é sempre com os gatos e os cães em primeiro lugar.

Primeira empresa de engenharia em Portugal com certificação ISO9001:2015 pela SGS

Representante da SGS e Sónia Gomes, Partner da ASL Associados

A SGS atribuiu, no passado dia 23 de novembro, a Certificação ISO 9001:2015 – Sistema de Gestão da Qualidade, à ASL ASSOCIADOS, uma empresa fortemente vocacionada para a área de projeto e consultoria em engenharia civil.

O âmbito da certificação centrou-se na prestação de serviços de projetos de engenharia, gestão e fiscalização de obras, certificação energética, medições acústicas e diagnóstico de patologias em edifícios.

Ao certificar-se pela norma ISO 9001:2015, pela SGS, uma entidade independente e devidamente acreditada, esta empresa mostra não só o seu espírito pioneiro, porque falamos de uma norma recentemente atualizada e publicada, mas também o seu compromisso com a Qualidade e satisfação dos seus clientes.

A norma ISO 9001:2015 posiciona a nova versão como parte integrante dos esforços de uma organização em direção ao desenvolvimento sustentável e tem uma maior abordagem à gestão de qualidade baseada no risco, realçando-se aqui a relevância da adoção de um Sistema de Gestão da Qualidade (SGQ) como uma ferramenta de decisão estratégica.

Sobre a empresa ASL ASSOCIADOS, (www.aslassociados.com)

Na cerimónia da 2.ª edição dos Prémios Reabilitação na Construção, novembro 2015, o Júri atribuiu à ASL o 1º prémio, na categoria Gabinete. As razões da escolha são apresentadas na pág. 85 https://goo.gl/mLb504

A ASL ASSOCIADOS é uma empresa fortemente vocacionada na área de projeto e consultoria em engenharia civil. Fundada em 2006, baseia a sua estratégia de atuação na oferta de um serviço global de engenharia, nomeadamente, a Consultoria e Assistência ao Dono da Obra, a Elaboração de Estudos e Projetos Multidisciplinares, assim como todas as atividades inerentes à Fiscalização e Gestão de Obra, assegurando assistência na gestão e supervisão da sua construção (controlo de custos, prazos, encomenda e receção de materiais, coordenação e gestão de subempreiteiros em obra, etc.).

A ASL ASSOCIADOS é uma sociedade independente de quaisquer fornecedores de bens de equipamentos, construtores e instaladores.

Sobre o Grupo SGS (www.sgs.pt)

O Grupo SGS é o líder mundial no domínio da inspeção, verificação, análises e certificação. Com mais de 80 000 colaboradores, a SGS opera uma rede de mais de 1650 escritórios e laboratórios em todo o mundo.

Presente em Portugal desde 1922, a SGS conta com uma vasta equipa de colaboradores especializados, apoiados por uma rede de modernos laboratórios acreditados nas áreas Agroalimentar, Detergentes, Produtos de Higiene, Cosméticos, Dispositivos Médicos, Ensaios Não Destrutivos, Ambiental e Segurança Ocupacional.

Enquanto Organismo de Certificação, a SGS foi o primeiro a obter a acreditação para a Certificação de Sistemas de Gestão da Qualidade em 1998. Desde então, sempre liderou o mercado, inovando nos serviços, de acordo com as principais tendências internacionais, nomeadamente na certificação de Sistemas de Gestão da Qualidade, Ambiente, Segurança Ocupacional, Segurança Alimentar, Responsabilidade Social, Serviços e Produtos, entre outros.

SIMAS de Oeiras e Amadora – O Serviço Público que faz bem

José Agostinho Marques

Os Serviços Intermunicipalizados de Água e Saneamento de Oeiras e Amadora (SIMAS) são um serviço público não personalizado, de interesse local, dotado de autonomia técnica, administrativa e financeira e gerido sob a forma empresarial, no quadro da organização intermunicipal dos municípios da Amadora e de Oeiras, inscrevendo-se na administração indireta dos respetivos municípios.

São atribuições centrais dos SIMAS a distribuição de água potável, a receção e drenagem de esgotos, a construção, ampliação e conservação da rede de água e esgotos, reservatórios, estações elevatórias de água e estações de pré-tratamento de águas residuais, a construção, gestão e manutenção da rede pluvial e a prestação de outros serviços conexos com a sua área de atividade.

A criação e manutenção dos SIMAS, teve origem na necessidade de autonomizar os serviços de água e saneamento, dotando-os de uma gestão empresarial, sem perder no entanto, a sua natureza de serviço público e as suas características sociais.
Ser reconhecida enquanto Organização de excelência pela qualidade dos serviços prestados, desenvolvendo a sua atividade no respeito por elevados padrões de responsabilidade ambiental, financeira e social, são as intenções estratégicas deste serviço que em diversas áreas se tem vindo a assumir enquanto um case study da boa gestão pública.

Garantir o abastecimento público de água e a prestação de serviços de saneamento básico às populações residentes nos Concelhos de Oeiras e Amadora, de acordo com elevados padrões de qualidade nos serviços disponibilizados e na relação com a comunidade intermunicipal é, assim, a missão dos SIMAS, cujo cumprimento assenta na promoção de um modelo organizacional de gestão focalizado na otimização dos resultados, valorizando os recursos humanos e tecnológicos, de forma a criar valor acrescentado para os clientes e municípios envolvidos.

É neste quadro que a estratégia de gestão adotada se tem destacado pelo relevo conferido às políticas de gestão de recursos humanos. Porque se as palavras são relevantes, a ação concreta é, insofismavelmente, o que distingue as Organizações de excelência.

Neste sentido, a aposta clara e inequívoca no desenvolvimento e valorização do capital humano constitui-se, a cada dia, como uma marca indelével que caracteriza e distingue esta Organização. A aposta na formação, a gestão de carreiras, a valorização do individuo também nas suas dimensões sociais, com forte enfoque no apoio à família, à parentalidade e à saúde, tem permitido um reforço assinalável do sentido de compromisso dos trabalhadores com a Organização, reforçando, desta forma, os níveis de identificação e de comprometimento com os objetivos do trabalho.

Neste âmbito, o desenvolvimento da valência em Segurança Higiene e Saúde no Trabalho para além de um imperativo legal, correspondeu a um posicionamento assumidamente responsável e interessado no desenvolvimento de um espaço de trabalho mais saudável, seguro e adaptado às necessidades e características dos serviços e dos trabalhadores.

Por outro lado, o desenvolvimento de uma estrutura formal orientada para a gestão integrada dos aspetos relacionados com a higiene, com a saúde e segurança no trabalho, tem facilitado a assunção de uma cultura positiva na relação que o trabalhador estabelece com o trabalho e com o meio envolvente.

A redução de acidentes e doenças profissionais, a diminuição do absentismo e o aumento da qualidade de vida dos trabalhadores, são hoje premissas das quais os SIMAS de Oeiras e Amadora não abdicam no sentido de criar processos e projetos que potenciem o aumento da produtividade e bem-estar dos trabalhadores, com impactos muito significativos na qualidade do serviço prestado e na satisfação dos clientes.

Conscientes de que o sucesso organizacional está intimamente ligado ao grau de qualificação e motivação dos trabalhadores, bem assim como das suas condições de trabalho e de vida, vários têm sido os projetos e programas desenvolvidos nestes Serviços Intermunicipalizados sob esses pressupostos.

Desta consciência destacamos alguns projetos desenvolvidos nesta área
•    Definição e implementação de uma Política de Segurança e Saúde no Trabalho e da Carta de Segurança;
•    Atividades orientadas para a promoção de ambientes de trabalho seguros e a obtenção de elevados padrões de Segurança e Saúde do Trabalho;
•    Autonomização dos Serviços de Saúde com a inclusão de valências de clinica geral e a mais recente autorização para a valência de apoio psicológico aos trabalhadores;
•    Rastreios no âmbito da promoção da saúde e bem-estar dos trabalhadores;
•    Comemoração da semana Europeia para a Segurança e Saúde no Trabalho com uma iniciativa de ginástica laboral;
•    Comemoração do Dia Mundial da Saúde com iniciativas no âmbito da adoção de estilos de vida saudável;
•    Estudos sobre os fatores que interferem negativamente na qualidade vida no trabalho em parceria com a Faculdade de Motricidade Humana;
•    Programa de prevenção interna como: o Programa anual de vacinação e o Programa de distribuição de protetores solares.

É por esse efeito com naturalidade, embora com enorme sentido de responsabilidade, que encaramos a recente atribuição do galardão Healthy Workplaces – Locais de Trabalho Saudáveis, na categoria das Grandes Empresas, onde estes serviços foram os melhores posicionados do setor público, tendo atingido um muito honroso 3º lugar, acompanhados no pódio pela Nestlé e pela REN.

prémioConsideramos que, ao pretender reconhecer e distinguir as organizações portuguesas com contributos notáveis e inovadores para a segurança, o bem-estar e a saúde física e psicológica no local de trabalho, através do Prémio Healthy Workplaces, os promotores fomentam, encorajam a replicação das melhores práticas neste domínio, assumindo um contributo, também, para a melhoria da produtividade das organizações e para a felicidade dos trabalhadores.

Afinal, este galardão confere justo reconhecimento ao caracter estratégico que a promoção do local de trabalho saudável assume nos SIMAS, da abrangência das intervenções efetuadas e pela excelência dos resultados obtidos.

Não obstante, assumimos conscientemente que este é sempre um projeto inacabado. Por esse motivo, continuaremos a aposta na avaliação e controlo dos riscos profissionais, na promoção e vigilância da saúde dos trabalhadores, na prestação de informação e disponibilização de formação relevante e na promoção da participação de todos nas atividades relativas à segurança e saúde no trabalho.

Assumimos, desta forma, um compromisso forte na persecução e melhoria contínua das boas práticas já implementadas, bem como na consolidação dos resultados alcançados.

Deste modo, estaremos, em suma, a firmar um pacto com a “sustentabilidade do serviço”, definido como um dos objetivos estratégicos dos Serviços Intermunicipalizados de Água e Saneamento de Oeiras e Amadora, através da manutenção de condições de trabalho com elevados padrões de qualidade.
Porque só assim cumpriremos o desígnio maior da nossa existência: prestar um serviço de excelência aos consumidores dos concelhos de Oeiras e Amadora.

Distinções atribuídas aos SIMAS de Oeiras e Amadora no domínio da gestão de Recursos Humanos

– Prémio Prémio Healty Workplaces – Locais de Trabalho Saudáveis, promovido pela Agência Europeia para a Segurança e Saúde no Trabalho, pela Autoridade para as Condições de Trabalho e pela Ordem dos Psicólogos Portugueses;
– Ranking das Melhores Empresa para Trabalhar 2013, promovido pela revista Exame e consultora Accenture;
– Prémio Excelência no Trabalho 2012, promovido pela parceria Heidrick&Struggles / Económico / ISCTE Business School;
– 1º Lugar no Setor Público no ranking das Melhores Empresa para Trabalhar 2012, promovido pela revista Exame e consultora Accenture;
– Case study do Observatório Português de Boas Práticas Laborais (OPBPL) estrutura independente – integrada no Centro de Investigação e Estudos de Sociologia do ISCTE – de análise às relações laborais em Portugal;
– SMAS de Oeiras e Amadora nomeados Country Representative nos European Business Awards 2011;
– Prémio Excelência em Recursos Humanos 2011, promovido pela RH Magazine;
– 1º Lugar no Setor Público no ranking do Great Place to Work 2011, promovido pelo GPW Institute Portugal;
– Prémio Nacional Boas Práticas na Administração Local nos anos de 2007/2008/ 2009, na área da Formação.

EMPRESAS