Inicio Tags Suécia

Tag: Suécia

Suécia volta a ser o país com a melhor reputação mundial

Com uma população combinada inferior a 27 milhões de pessoas e um Produto Interno Bruto de cerca de 1,8 mil biliões de dólares (semelhante ao da Rússia), os países escandinavos – Suécia, Noruega, Finlândia e Dinamarca – conquistaram o Top 10 de um novo estudo dedicado à reputação de nações, revelado pelo Reputation Institute. Os outros países que formam o Top 10 – Suíça, Nova Zelândia, Canadá, Austrália, Holanda e Irlanda – demonstram que atributos como beleza natural, traços políticos, conforto, bem-estar e ética são os que mais contribuem para a reputação das nações.

Portugal ocupa a 16ª posição e tem um nível de reputação “forte/robusto”, sendo um dos 17 países que gozam de uma reputação “excelente” ou “forte”. Os restantes apresentam uma reputação “moderada” a “pobre”. Outra curiosidade é o facto de Portugal ser considerado um dos países com mais notoriedade e reputação a nível internacional.

Os países com melhor reputação, liderados pela Suécia pela segunda vez consecutiva, foram reconhecidos pela ética, elevada transparência e baixos indicadores de corrupção. Em contraste, as superpotências mundiais, que incluem os EUA, China e Rússia, revelaram uma reputação considerada “fraca”. Por exemplo, as impressões sobre transparência e os níveis de corrupção nos EUA atingiram mínimos históricos. No entanto, a noção de que os EUA é um bom país para se fazerem negócios deu um salto para o nível de “forte”.

O estudo Country RepTrak 2019 realizou-se entre os meses de Março e Abril pelo Reputation Institute, uma consultora global dedicada à avaliação e gestão da reputação através de soluções tecnológicas. O estudo baseou-se em inquéritos individuais de 58.000 indivíduos, de oito países que formavam o antigo G8 – Canadá, França, Alemanha, Itália, Japão, Rússia, Reino Unido e EUA. Cada país foi avaliado em três dimensões – Ambiente Apelativo, Governo Efetivo e Economia Avançada. À liderança do ranking, a Suécia junta a liderança em Comportamento Ético, seguido de perto pelos outros países escandinavos. No estudo, a Suécia granjeou avaliações “excelentes” – a mais alta avaliação possível – nas categorias de país amigável, seguro, bonito, estilo de vida apelativo, agradável, ético, transparente e baixos níveis de corrupção.

“Capacidade de acolhimento, segurança, beleza e ética continuam a ser os indicadores mais valorizados na reputação dos países. Estes indicadores por si só representam mais de metade da reputação de um país. Tal como as empresas e os CEO com melhor reputação no mundo, os países com reputação mais forte são proativos no que diz respeito à gestão da opinião pública” – Nicolas Georges Trad, COO do Reputation Institute e responsável global pelas operações da consultora.

Os 10 países com melhor reputação no mundo, de acordo com o Country RepTrak de 2019 são:

·         Suécia

·         Suíça

·         Noruega

·         Finlândia

·         Nova Zelândia

·         Canadá

·         Dinamarca

·         Austrália

·         Holanda

·         Irlanda

Extinção de fogos florestais na Suécia poderá demorar semanas

O responsável da Agência de Proteção Civil sueca, Dan Eliasson, assegurou em conferência de imprensa que atualmente “os maiores fogos não podem ser extintos” e que os efetivos no terreno estão a tratar do perímetro dos incêndios.

Segundo Eliasson, o objetivo das operações de contenção é evitar a propagação dos fogos enquanto se espera por uma alteração das condições meteorológicas no país, que atualmente enfrenta temperaturas extremamente elevadas.

“Os serviços de emergência estão a trabalhar para minimizar a propagação, enquanto esperamos que o tempo mude. Isto poderá demorar semanas”, afirmou Eliasson, segundo o jornal Dagens Nyheter.

O incêndio de maiores dimensões já queimou cerca de 8.500 hectares do município de Ljusdal (no centro do país), segundo cálculos dos bombeiros citados por meios de comunicação locais, que expressam a dificuldade em conter as chamas apesar da ajuda internacional.

Segundo a rádio pública sueca, “centenas de pessoas” foram obrigadas a abandonar as suas residências, por precaução, devido ao avanço das chamas nos pequenos municípios das províncias de Jämtland, Västerbotten, Gävleborg e Dalarna.

O centro e o sul do país são os mais afetados, no entanto contam-se fogos em todo o território sueco.

“A situação em que nos encontramos é rara”, disse o primeiro-ministro sueco, Stefan Löfven, durante uma visita a uma das regiões mais afetadas.

No combate aos 50 incêndios florestais registados encontram-se todos os corpos de bombeiros disponíveis, incluindo os que estavam de férias, centenas de voluntários coordenados pela Cruz Vermelha e cerca de 500 soldados, auxiliados por dois helicópteros e por um avião de transporte.

A Suécia pediu na quinta-feira ajuda à União Europeia (UE), através do Mecanismo Europeu de Proteção Civil.

A Noruega enviou 10 helicópteros e a Itália e França forneceram dois hidroaviões cada.

A multiplicação dos incêndios em curso no país deve-se à vaga de calor pouco habitual, após semanas sem chuva, verificando-se em Upsalla, a 70 quilómetros a norte de Estocolmo, temperaturas recorde superiores a 33 graus.

Este mês já se registaram três vezes mais incêndios na Suécia do que no mesmo período do ano passado.

LUSA

ABBA regressam a estúdio 35 anos depois para gravar dois novos temas

Num curto comunicado assinado pelos quatro músicos, os ABBA revelaram que compuseram duas músicas, uma das quais intitulada “I still have faith in you”, que serão estreadas em dezembro num programa televisivo produzido pela NBC e pela BBC.

No entanto, o grupo aparentemente descarta a hipótese de se reunir para interpretar os temas, já que anuncia a presença digital dos quatro músicos num “projeto avatar”.

“Sentimos que, passados 35 anos, podia ser divertido juntar forças e ir para um estúdio de gravação. Assim o fizemos. E pareceu que o tempo parou e que só estivemos separados por umas curtas férias. Foi uma experiência extremamente feliz”, afirmaram.

Os ABBA formaram-se nos anos 1972 e conquistaram fama internacional depois de vencer o festival Eurovisão da Canção em 1974 com a música “Waterloo”, seguindo-se êxitos como “Super Trouper” e “Dancing Queen”, vendendo milhões de discos.

Separados em 1982, os quatro membros – Björn Ulvaeus, Agnetha Faltskog, Benny Andersson e Anni-Frid Lyngstad – nunca mais se viriam a reunir, até agora.

LUSA

Suécia: cinco raparigas violam rapaz

A vítima, de 15 anos, também afegã, terá sido espancada e arrastada pela floresta, no norte de Estocolmo, antes de ser violada durante uma hora, na madrugada de 15 de outubro, dizem os advogados.

As cinco suspeitas, com idades compreendidas entre os 16 e os 17 anos, foram acusadas do crime de violação agravada de menor, punido pela lei sueca até cinco anos de prisão para adultos e cinco anos de detenção juvenil para menores.

As adolescentes terão, segundo a acusação, filmado partes do ataque e ameaçado o rapaz quanto à publicação do vídeo nas redes sociais, caso ele apresentasse queixa na polícia. Os advogados dizem ainda que o jovem foi “brutalmente agredido”, “amordaçado” e “cuspido” e que o “ataque planeado” o deixou com marcas, ferimentos na cabeça e dentadas nas costas.

Segundo a agência “Associated Press”, todas as jovens poderão ter chegado à Suécia como requerentes de asilo desacompanhadas. A acusação pede que as cinco sejam deportadas e impedidas de regressar mesmo depois de terem cumprido as presumíveis sentenças, que ainda não foram ditadas.

Nenhuma das acusadas confessou o crime.

Clube sueco entra em campo com idosos em vez de crianças. Porquê?

Normalmente, os jogadores fazem-se acompanhar por crianças na fase inicial de uma partida de futebol numa tentativa de sensibilizar os adeptos para as boas práticas no futebol, mas na Suécia resolveu fazer-se algo diferente.

O AIK Solna quis homenagear os seus sócios mais antigos no encontro com o Gefle IF e os jogadores entraram em campo com os associados mais velhos do clube.

Entre eles estava o antigo presidente da UEFA, Lennart Johannsson, de 86 anos, ele que também é presidente honorário do clube.

A iniciativa tinha como objetivo captar a atenção dos sócios com idades mais adiantadas e atraí-los para os jogos do AIK. A campanha incluí descontos nos bilhetes e transporte gratuito a partir de vários lares de terceira idade.

Ministra da Educação sueca demite-se depois de ser apanhada a conduzir com álcool

A ministra da educação sueca, Aida Hadzialic, pediu a demissão este sábado depois de ter sido apanhada pela polícia a conduzir com álcool no sangue.

Hadzialic anunciou que, há uns dias, quando regressava de um concerto, foi submetida a um teste de álcool que confirmou que tinha 0,2 miligramas de álcool no sangue, a quantidade mínima que na Suécia se considera delito. Em Portugal, o limite legal é de 0,5 miligramas de álcool.

“Decidi pegar no carro porque acreditava que já não estava sob o efeito do álcool”, afirmou a ministra, admitindo estar “profundamente arrependida” e “furiosa” consigo própria.

Em comunicado, o primeiro-ministro sueco, Stefan Lofven, também já lamentou ter de perder a colega de trabalho, que apresentará oficialmente a sua demissão na segunda-feira.

Um ferido num tiroteio num centro comercial na Suécia

Um tiroteio num centro comercial em Malmo, na Suécia, provocou pelo menos um ferido, noticiou a SIC Notícias. O ferido foi levado para o hospital e o centro comercial foi encerrado.

A polícia cercou o local depois dos disparos, que aconteceram por volta das 16 horas (hora local), noticiou o jornal sueco The Local. Neste momento ninguém pode sair do centro comercial.

“Está uma confusão lá dentro, mas um homem foi baleado, provavelmente na perna. O homem foi levado para o hospital”, disse a oficial de polícia Lotta Svensson ao jornal local Sydsvenskan.

Ainda não se conhecem as motivações do crime, mas o jornal The Local acrescenta que a região de Malmo é palco frequente de crimes relacionados com gangues.

Cientistas de Coimbra ajudam a enfrentar riscos de incêndio na Suécia

Com esse propósito, o Centro de Estudos sobre Incêndios Florestais da Associação para o Desenvolvimento da Aerodinâmica Industrial (ADAI) da UC, realiza em diferentes localidades da região Centro, entre hoje e sexta-feira, um programa em que participam cientistas e técnicos suecos ligados à temática dos incêndios.

O professor Domingos Xavier Viegas, diretor da ADAI, disse hoje à agência Lusa que a iniciativa, financiada pela União Europeia (UE), aposta na mobilidade e troca de experiências de peritos “para melhorar a colaboração de vários países” afetados pelos fogos florestais.

O programa em Portugal vem na sequência de outro idêntico realizado na Suécia, em abril do ano passado, no qual participaram técnicos e cientistas locais, além de portugueses e espanhóis.

“Esta iniciativa foi motivada por um incêndio de grandes proporções que destruiu cerca de 15 mil hectares na região de Sala, no centro da Suécia, em agosto de 2014, causando duas vítimas mortais”, refere uma nota da ADAI.

Este grande incêndio “é encarado pelas autoridades suecas como uma indicação do futuro possível devido ao aquecimento global, tendo por isso motivado a tomada de diversas medidas de antecipação e de melhor preparação e equipamento para poder fazer face de um modo mais eficaz a eventos semelhantes”, segundo Xavier Viegas.

O programa de intercâmbio começou na manhã de hoje, em Coimbra, e inclui outras localidades da região Centro “com interesse para a temática da investigação científica, da formação e da prevenção dos incêndios florestais em Portugal”.

“Queremos dar a conhecer aos participantes suecos os procedimentos adotados em Portugal”, afirmou aquele professor catedrático da Universidade de Coimbra.

Além de sessões temáticas, estão previstas visitas ao Laboratório de Estudos sobre Incêndios Florestais, que a ADAI possui junto à pista de meios aéreos da Lousã, e ao polo da Escola Nacional de Bombeiros, também neste concelho do distrito de Coimbra.

O quartel dos Bombeiros Sapadores de Coimbra, os centros de coordenação distrital de Coimbra e Viseu, a área de ensaios de campo da Gestosa (Castanheira de Pera) e a zona percorrida pelo grande incêndio do Caramulo (Tondela), em 2013, serão igualmente visitados pelos peritos dos três países.

Além dos técnicos suecos e da ADAI, participa na ação o engenheiro espanhol David Caballero, especialista em incêndios na interface urbano florestal.

A iniciativa é suportada financeiramente pelo Programa da Proteção Civil da UE, que visa promover “ações de colaboração internacional destinadas a melhorar a operacionalidade” de agentes de proteção civil europeus, designadamente através da “incorporação de conhecimentos e resultados” da investigação científica.

A ADAI conta com a colaboração da Autoridade Nacional de Proteção Civil, GNR, UC, Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas, Instituto Português do Mar e da Atmosfera, Escola Nacional de Bombeiros, Companhia de Bombeiros Sapadores de Coimbra, câmaras municipais de Castanheira de Pera e de Tondela.

 

EMPRESAS