Inicio Tags Tosse

Tag: Tosse

Sempre a tossir? Eis oito motivos possíveis

No seu trabalho o escritório parece uma orquestra sinfónica com toda a gente a tossir? As tosses secas combinam com aquelas tosses com muco e a comichão na garganta faz com que não parem, interferindo na produtividade.

Mas as bactérias e vírus do inverno não são as únicas coisas que podem estar a deixá-lo com uma tosse infernal. Como destaca a Men’s Health, há várias coisas que podem estar a despoletar a tosse e é preciso saber o que é que ela esconde para a poder tratar. Eis oito possibilidades:

1. Bronquite (tosse aguda). A constipação comum pode provocar um pouco de tosse seca e comichão na garganta, em conjunto com sintomas como pingo no nariz, dor de garganta e congestão. Mas se a tosse é o sintoma predominante, pode estar com uma bronquite aguda. Geralmente provoca uma tosse húmida, dinâmica, e é comum trazer muco colorido.

Pode ser viral ou bacteriana mas não espere que passe rápido. Pode durar cerca de 18 dias e aconselha-se que consulte o seu médico.

2. Pneumonia (tosse aguda). Uma tosse aguda e dinâmica e muitas vezes com expetoração sem cor ou com sangue é um indicador de pneumonia, uma doença potencialmente perigosa que é tratada com antibióticos. Pode ainda ter febre, sentir fadiga e mal-estar geral, falta de ar, e calafrios.

3. Inibidores de ACE (tosse crónica). Os inibidores de ACE são uma classe de medicação usada para tratar a hipertensão relaxando os vasos sanguíneos e aumentando a circulação do sangue. Porém, quando eles estão espelhados pelo seu corpo, aumentam a quantidade de uma substância chamada bradicinina, que pode acionar a tosse como reflexo. Geralmente é uma tosse muito seca e pode demorar cerca de três ou quatro semanas a passar depois de parar de tomar os medicamentos.

4. Gotejamento pós-nasal (tosse crónica). Quando o líquido das narinas flui para baixo, pela parte de trás da garganta, em vez de sair pelo nariz. Quando o gotejamento atinge a sua caixa de voz, irrita-a, o que desencadeia uma tosse, diz o Dr. Parsons. Geralmente consegue notar o líquido salgado a passar pela garganta, mas pode relacionar isto com a tosse.

5. Doença do refluxo gastroesofágico (tosse crónica). É uma das causas mais comuns da tosse crónica mas muitas pessoas nem sabem que sofrem deste problema de saúde uma vez que se apresenta através da tosse em vez dos sinais mais comuns como a azia ou a acidez do estômago.

6. Asma (tosse crónica). Com a asma, os tubos que transportam o ar para os pulmões contraem-se. Isso muitas vezes provoca uma chiadeira e falta de ar, mas também pode desencadear uma tosse seca. Aliás, há um tipo de asma de tosse predominante, cujo único sintoma é a tosse. O mais provável, porém, é que tenha alguns dos sintomas mais comuns.

7. Doença pulmonar obstrutiva crónica (tosse crónica). Este é uma causa grave da tosse crónica. Esta é uma doença progressiva que torna cada vez mais difícil para o paciente respirar. É geralmente provocada pelo tabagismo de longa duração ou pela exposição continuada a irritantes como o fumo ou o pó.

8. Cancro nos pulmões (tosse crónica). Apesar de ser comum pensar nisso depois de ver que a tosse dura há semanas, é muito pouco provável que passe mais de oito semanas sem outros sintomas além da tosse se de facto tem um cancro nos pulmões, destaca o Dr. Parsons. Outros sintomas associados ao cancro nos pulmões podem ser: perda de peso, tossir com sangue, fadiga e dor no peito. Se tem estes sintomas associados, consulte o seu médico.

Por que não deve desvalorizar a ‘tosse de fumador’

Numa nova campanha, o Departamento de Saúde Pública do Reino Unido alerta que muitos fumadores desconhecem os riscos de doenças incapacitantes como a doença pulmonar obstrutiva crónica (DPOC).

Esta doença, que estreita as vias respiratórias, pode fazer com que as pessoas tenham grande dificuldade em realizar tarefas simples, como subir escadas ou até falar mais rápido.

Como reporta a BBC, as estatísticas mostram que este problema atinge mais de um milhão de pessoas na Inglaterra – em cada 10 casos, nove devem-se ao tabagismo.

Para entender melhor a gravidade do problema, é preciso considerar que a DPOC é, na verdade, um conceito que abrange uma série de doenças pulmonares crónicas, como bronquite e enfisema.

Quem desenvolve este problema passa a ter dificuldades em respirar, sobretudo devido ao estreitamento das vias respiratórias e à destruição do tecido que compõe os pulmões.

Os sintomas típicos incluem falta de ar durante a prática de atividades físicas, tosse persistente e infeções respiratórias frequentes.

Na campanha veiculada pelo governo britânico, os especialistas dizem que os fumadores geralmente desvalorizam os sinais precoces da doença ao considera-los ‘tosse de fumador’.

Neste caso, continuar a fumar irá agravar ainda mais o problema e comprometer a qualidade de vida do paciente.

Apesar de não ter cura, os danos desta doença podem ser reduzidos através de algumas mudanças no estilo de vida como deixar de fumar, praticar exercício físico e tomar medicação.

EMPRESAS