Inicio Tags Universidade do Porto

Tag: Universidade do Porto

Investigadores do Porto querem detetar o tamanho preciso de planetas

Reitoria da Universidade do Porto

De acordo com o investigador Sérgio Sousa, membro da equipa científica do projeto, o objetivo do CHEOPS – Characterising Exoplanet Satellite – “não é descobrir novos planetas mas estudá-los melhor”, através da deteção de trânsitos de planetas extrassolares (que orbitam uma estrela que não seja o sol) utilizando fotometria de alta precisão.

O método consiste na medição da diminuição da luz de uma estrela, provocada pela passagem de um planeta extrassolar à frente dessa estrela (algo semelhante a um micro-eclipse).

Através de um trânsito, é possível determinar apenas o raio do planeta. Este método é complicado de usar, porque exige que o planeta e a estrela estejam exatamente alinhados com a linha de visão do observador, esclarece Sérgio Sousa.

“Os dados vão ser medidos no satélite e enviados para a Terra, mas depois temos que fazer um tratamento para ver realmente o que estamos a observar”, explica o investigador, que contribui também para o desenvolvimento e implementação do software para a calibração dos dados do CHEOPS.

Iniciado em 2013, o projeto tem uma duração de cinco a sete anos e um investimento de 50 milhões de euros por parte da ESA e outros tantos dos parceiros do consórcio, neste caso a Suíça, Áustria, Bélgica, França, Alemanha, Hungria, Itália, Espanha, Reino Unido, Suécia e Portugal, indica Nuno Santos, investigador e coordenador do projeto a nível nacional.

Está é a “primeira missão de classe ‘small mission’ (pequena missão) da Agência Espacial Europeia (ESA)”, refere Sérgio Sousa, acrescentando que o “baixo” investimento leva a que a seja “menor, com menos recursos e com um calendário mais curto”, comparativamente a outras missões espaciais, que duram entre dez a 20 anos.

O IA resulta da fusão do Centro de Astrofísica da Universidade do Porto (CAUP) e do Centro de Astronomia e Astrofísica da Universidade de Lisboa (CAAUL) e inclui nesta missão representantes na parte da coordenação da missão, na equipa científica e ao nível técnico (desenvolvimento do software para a calibração dos dados).

“Todas as investigações que decorrem no instituto fazem parte de uma estratégia de longo prazo por parte da equipa. Na área dos planetas extrassolares, este é um dos projetos que visa detetar e caracterizar planetas cada vez mais parecidos com a Terra”, informa Nuno Santos.

Este projeto é um caso de colaboração entre a ciência e a indústria, estando a cargo da empresa portuguesa DEIMOS Engenharia a implementação das componentes principais do Centro de Operações Científicas da missão, cujo valor ronda os dois milhões de euros.

A investigação conta também com o contributo dos investigadores Susana Barros, Alexandre Santerne e Solène Ulmer-Moll, do núcleo do Porto do IA.

Planeta em sistema solar próximo pode ter vida

Astrónomos da NASA apontaram um planeta, o Wolf 1061c, num sistema solar nas proximidades do nosso com um dos mais próximos com as condições certas para a existência de vida.
Entre estas condições está a possibilidade de haver água em estado líquido e a distância certa da estrela, que lhe confere calor suficiente para proporcionar vida sem secar nem gelar a superfície do planeta.
A distância da Terra desde planeta é calculada em 14 anos-luz, o que leva aos astrónomos da NASA a considerá-lo praticamente um vizinho, pode ler-se no Mirror.

Universidade do Porto organiza exposição no Museu Nacional de Soares dos Reis

Reitoria da Universidade do Porto

Organizada no âmbito do Ano Internacional da Luz e das Tecnologias baseadas na Luz, esta exposição reúne peças provenientes do Museu de Ciência, do Museu de História Natural, do Museu da Faculdade de Engenharia e do Fundo Antigo da Universidade do Porto, da Associação Atractor, do Museu do ISEP, do Museu de Ciência da Universidade de Coimbra e do Museu de Soares dos Reis.

Desde a luz que está presente na natureza (em minerais, seres vivos e fenómenos atmosféricos), até à luz nas crenças religiosas, mitos e superstições, passando pela evolução das fontes de luz artificial, conceções científicas e respetivas implicações tecnológicas, “Lux Mirabilis” reúne cerca de 170 peças que, nas suas múltiplas dimensões, têm por foco a luz. Para o Diretor do Museu de Ciência, José Luís Santos, esta é “a grande iniciativa da Universidade do Porto no âmbito do Ano Internacional da Luz”.

Vital para o dia-a-dia, a luz é transversal a uma variedade de áreas científicas. Possibilitou a comunicação planetária via Internet, revolucionou a indústria, a medicina e assumiu um papel especial em todas as tradições, culturas, religiões e filosofias. A Assembleia Geral das Nações Unidas proclamou este o Ano Internacional da Luz e das Tecnologias baseadas na Luz. É também em 2015 que se assinalam os 100 anos da publicação, por Albert Einstein, da Teoria da Relatividade Geral. O seu impacto na compreensão do Universo foi tremendo e o que decorre da Relatividade Geral ainda vai proporcionar o desenvolvimento de tecnologias que, de momento, não conseguimos sequer imaginar. A precisão centimétrica da localização por GPS é só um vislumbre do que será possível.

“Lux Mirabilis” nasce da vontade de fazer “uma exposição que contemplasse vertentes várias da interação da Luz com a Natureza e com o Homem”, acrescenta o Diretor do Museu de Ciência da Universidade do Porto. Para ver de terça a domingo, das 10h00 às 18h30, no Museu Nacional Soares dos Reis até 27 de março. A entrada é livre.

U.Porto comemora meio século de Apoio Social aos estudantes

Estudantes Universitárias

A Universidade do Porto vai assinalar no próximo dia 26 de novembro, os 50 anos sobre a publicação do decreto-lei que regulamentou oficialmente o Centro Universitário do Porto, organismo “fundador” do apoio social aos estudantes da Universidade e génese dos atuais Serviços de Apoio Social da U.Porto (SASUP).

Agendada para as 10h00, no Salão Nobre da Reitoria, a cerimónia vai contar com a presença de João Queirós, Diretor da Direção Geral do Ensino Superior, que irá proferir uma palestra sobre “As políticas de Ação Social Universitária: Perspetivas e Desafios para o futuro”, por João Queirós, Diretor da Direção Geral do Ensino Superior. Segue-se a apresentação do livro “Serviços de Ação Social da Universidade do Porto – Percurso e Desafios para o Futuro”, por Cristina Jacinto, diretora dos SASUP.

“Um dos desafios que teremos de saber vencer passa por identificar as modalidades de serviço de ação social que os estudantes considerem possuir valor acrescentado para as suas vidas. Nesta conformidade, os SASUP continuarão a apostar em serviços que acompanhem o processo de desenvolvimento da Universidade do Porto e contribuam para a sua consolidação”, antecipa o Reitor da U.Porto, no prefácio da obra. Caberá, de resto, a Sebastião Feyo de Azevedo encerrar a sessão comemorativa por volta do meio-dia. Da parte da tarde, as celebrações prosseguem no edifício da Faculdade de Medicina da U.Pprto (ao Centro Hospitalar São João) com a inauguração do novo “Restaurante da Unidade Alimentar de São João”, a mais recente unidade de alimentação gerida pelos SASUP.

Um pouco de história…
Os primórdios dos atuais Serviços de Ação Social da Universidade do Porto remontam a abril de 1939, ano em que foi criado o Centro Escolar nº 5 da Ala do Porto da Mocidade Portuguesa. Foi, porém, a partir da inauguração do Centro Universitário do Porto (C.U.P), em janeiro de 1942, que esta realidade se tornou mais efetiva.

Criado por ação do Prof. Domingos Rosas da Silva, o C.U.P. foi instalado na Rua da Boa Hora, nº 18 com o objetivo de “converter a Universidade num meio social de convívio e colaboração de mestres e discípulos”. Em  janeiro de 1959, o Centro é oficialmente integrado como órgão da U.Porto, vínculo que se tornaria defintivo a 24 de novembro de 1965, com a publicação do Decreto-Lei nº 46 667, que regulou o funcionamento do CUP, considerando-o como um organismo diretamente dependente do Reitor da U.Porto.

As atividades do Centro abarcaram vertentes diversas ao longo dos anos, desde a desportiva (iniciada em 1942 por ação da secção de Educação Física que, em 1949, daria origem ao que  Centro Desportivo Universitário do Porto – C.D.U.P) a uma série de ações de cariz social. A criação e gestão de cantinas, residências estudantis, serviços médicos e iniciativas de carácter cultural são alguns dos exemplos mais significativos que, ainda hoje, têm continuidade.
Em termos estruturais, o C.U.P. permaneceu ativo até 1980 (apesar de a sua extinção só ter ficado legalmente estabelecida em 1983), ano em que foi incorporado nos Serviços Sociais da Universidade do Porto (SSUP). Em 1996, os reformulados Serviços de Ação Social da Universidade do Porto (SASUP) assumem o estatuto de unidade orgânica da U.Porto.
Atualmente, os SASUP desenvolvem uma atividade alargada ao nível do apoio aos estudantes da U.Porto, que se faz sentir em domínios tão diversos como o alojamento, a alimentação, o apoio médico e a atribuição de bolsas de estudo.

EMPRESAS