Inicio Tags Viagens

Tag: Viagens

Porto: há uma nova nova companhia de bandeira com voos diretos da cidade

O Porto continua a somar destinos e companhias aéreas de bandeira interessados em ligar-se ao seu aeroporto.

M.Adil Mohamed Korchi, responsável pela operação em Portugal, e Behhite Bouchra, chefe de escala, reuniram-se esta tarde, na Câmara do Porto, com o autarca que tem defendido que o Aeroporto Francisco Sá Carneiro não pode ser visto apenas como destino de companhias low-cost nem como secundário em Portugal.
A Royal Air Maroc vai abrir a 26 de março a rota Casablanca – Porto, oferecendo três voos semanais. Presente em Portugal há quase 41 anos, a companhia de bandeira marroquina tinha realizado esta rota, pela última vez, em 2011 e passa a operar com tarifas de 199 euros, ida e volta, já com taxas..
A Royal Air Maroc foi fundada em julho de 1953, com a fusão da Air Maroc e Air Atlas. Desde julho 2014,que voa para cerca de 90 destinos, 56 dos quais internacionais. A transportadora assegura ligações aéreas para 13 países europeus.
Além da Royal Air Maroc, outras companhias de bandeira internacionais operam já no Francisco Sá Carneiro com rotas regulares, como a Lufthansa, Turkish Airlines, TAG, Ibéria, Swiss Air, British Airways e, a partir de março, também a Air France e a KLM.

Sapo e Trip Advisor juntam-se para criar o SAPO Viagens

Viajar está na moda — e navegar pela internet em busca dos melhores destinos, hotéis e atrações turísticas também. Talvez por isso — e porque a área do turismo “é uma das indústrias que mais está a investir na área do digital” — o Sapo fez uma parceria com o Trip Advisor, “o maior site de viagens do mundo”. Da parceria resultou um novo site: o Sapo Viagens. Que surgiu de um “namoro mais ou menos mútuo”, entre o Sapo e o Trip Advisor, confessou a diretora do portal, Filipa Martins, ao Observador:

O namoro [entre o Sapo e o Trip Advisor] foi mais ou menos mútuo. Ambos os sites são líderes no seu mercado [o Sapo é o portal líder da internet em Portugal, o Trip Advisor é o site líder mundial na área das viagens], pelo que a parceria foi muito óbvia, muito natural”, afirmou.

O novo site do portal português agrega os conteúdos presentes na comunidade TripAdvisor: desde as informações sobre destinos turísticos até às mais de 300 milhões de críticas e classificações feitas pelos seus utilizadores (a cidades, a hotéis e a restaurantes, por exemplo). Mas acrescenta-lhes conteúdos próprios, produzidos por bloggers e jornalistas portugueses, da área do turismo.

“Estamos muito satisfeitos com esta parceria com o SAPO para integrar as críticas e classificações do TripAdvisor no novo Sapo Viagens”, congratulou-se Gwenael Merlin, responsável pelas parcerias do TripAdvisor, que, segundo Filipa Martins, ficou agradado com o projeto, “por ter uma vertente de comunidade, de agregar reviews de bloggers portugueses e de permitir interação” com os utilizadores.

Inicialmente, os responsáveis do Sapo pensaram integrar uma secção de Viagens no Sapo Lifestyle. Mas decidiram isolá-lo e criar um site próprio, devido ao crescimento do turismo no país e às tendências de consumo de informação dos turistas, como afirma a diretora do portal:

[O Sapo Viagens] podia ter sido uma secção a incluir no lifestyle, mas achámos que devíamos isolar. Esta é uma das indústrias que mais está a investir na área do digital”

Da decisão nasceu um site autónomo, “adaptado a todas as plataformas”, e onde os utilizadores podem interagir, através do “Bilhete-Postal”, uma rubrica onde poderão relatar as suas experiências de viagens.

O núcleo de bloggers e jornalistas de viagens portuguesas que colaborará com o projeto reúne elementos vindos de 9 blogues diferentes. Um deles é Susana Ribeiro, jornalista há mais de 15 anos e responsável pelo site Viaje Comigo, eleito em 2015 como Melhor Blogue de Viagens nos BTL Blogger Travel Awards. Susana diz que um projeto como este, “se calhar, já devia ter sido feito há algum tempo”:

O Sapo vai fazer uma coisa que, se calhar, já devia ter sido feita há algum tempo, que é agregar críticas e reviews de bloggers portugueses [num único site]. (…) Os blogues são importantes”

A nova aposta do Sapo surge por dois fatores, explicam os responsáveis. Por um lado, a indústria do turismo está a crescer, em particular em Portugal — só de 2014 para 2015 registou um crescimento de 9,3%. Por outro, o digital está em franco desenvolvimento, sobretudo na área do turismo.

Segundo dados da Organização Mundial do Turismo, de 2015, citados pelo Sapo, “95% das pessoas utilizam ferramentas digitais antes, durante e após as suas viagens, em busca de melhores experiências turísticas e o cliente médio visita ou utiliza uma combinação de 19 sites e aplicações durante uma viagem”. Nos utilizadores portugueses, a tendência não será muito diferente. E o Sapo quer liderar a oferta na área, com um site cujo modelo de negócio funcionará numa “lógica normal de internet, à base da publicidade”:

Não temos números [objetivos] para dar, mas acreditamos que teremos bons números para apresentar [no futuro], tanto em número de leitores como em rentabilidade”, afirmou.

CP reage a companhias aéreas com uma nova campanha de descontos

Dos 11.000 lugares por semana com desconto, mais de metade (6.700) destinam-se a viagens entre Lisboa e Porto, que terá em média 960 lugares por dia com reduções que podem chegar aos 62% no serviço Intercidades e aos 65% no Alfa Pendular, com preços a partir de 9,5 euros e 11 euros, respetivamente.

Em janeiro, durante a apresentação da remodelação da frota do Alfa Pendular, o presidente da CP, Manuel Queiró, prometeu para breve uma resposta ao aumento da concorrência nas ligações entre Lisboa e Porto, depois do anúncio da TAP de duplicação das ligações aéreas entre as duas cidades, passando das atuais 57 frequências semanais para 114.

A referida ponte aérea oferecerá 16 voos diários de ida e volta entre Porto e Lisboa a partir de 27 de março, utilizando os novos aviões TAP Express (atualmente Portugália) e também a frota A320 nos horários e períodos em que a procura é maior, com preços a partir de 39 euros.

Em declarações à Lusa, Manuel Queiró explica que a nova campanha de descontos da CP cabe numa estratégia comercial que é praticada desde 2013, com resultados positivos em termos de passageiros e de proveitos, que agora dá mais um passo num “ambiente concorrencial mais apertado”.

“Começámos a registar resultados acumulados desta política e não queremos que esta estratégia cristalize”, declarou, revelando que a compra antecipada com descontos representou um crescimento de 17,6% – mais 789 mil viagens — em 2014 e 2015 à transportadora ferroviária.

Sobre o aumento da concorrência, Manuel Queiró considerou que “foi positiva”, depois do reforço da operação da companhia aérea de baixo custo Ryanair, acrescentando que a ponte aérea da TAP “é um incentivo para seguir na mesma estratégia, mas com incentivo extra”.

“Estamos atentos, mas alerta, mas estamos satisfeitos com o resultado deste confronto. Vem agora a TAP, o que é um incentivo para seguir na mesma estratégia, mas com incentivos extra”, declarou.

O presidente da CP sublinhou que os passageiros — sobretudo aqueles que podem programar as viagens com antecedência — são quem mais ganha com este aumento da concorrência, referindo que a campanha de descontos não se limita às viagens entre Lisboa e o Porto.

“Lisboa — Porto é um dos percursos beneficiados, mas a campanha beneficia todo o longo curso, que faz a ligação dos centros das principais cidades, como Braga, Guimarães, Aveiro, Coimbra, Guarda, Covilhã, Évora, Beja, Faro”, declarou.

Manuel Queiró acredita que “o resultado final vai ser transportar mais passageiros” em 2016, depois de, no último ano, ter transportado mais de 112 milhões, um aumento de 2,2 milhões face ao ano anterior, com crescimento em todos os serviços, mas sobretudo no longo curso.

Aliado ao fator preço, a CP promete não descurar a qualidade do serviço, o que aliás está na origem de um investimento de 18 milhões de euros na renovação da frota do Alfa Pendular.

Dizendo-se “otimista” sobre o resultado na nova campanha, Manuel Queiró escusou-se a fazer “previsões”: “Estamos confiantes de que vai produzir o seu efeito, ainda que com um ambiente concorrencial acrescido”.

Presidente da SATA diz estar “atento” às rotas a partir do Porto

SATA

“A SATA está atenta às movimentações do mercado e não está insensível às mesmas”, declarou à agência Lusa Paulo Menezes, salvaguardando, contudo, que o grupo possui um plano estratégico, estando a trabalhar “com afinco” na sua implementação.

Sem se querer comprometer com eventuais novos cenários da operação da companhia, Paulo Menezes reafirma o cumprimento do plano, aprovado pela anterior administração da SATA, cujo capital social é detido pela Região Autónoma dos Açores.

O Plano de Desenvolvimento Estratégico 2015/2020 do grupo SATA privilegia na sua operação comercial os Açores, continente, EUA, Canadá e Macaronésia, abandonando as rotas regulares com a Europa, que se revelaram deficitárias.

Segundo o grupo SATA, o plano da operadora visa dar sustentabilidade à empresa e corrigir “desequilíbrios” financeiros que se têm agudizado nos últimos anos, bem como redimensionar e renovar o foco de negócio.

O documento contempla ainda a renegociação de uma dívida financeira de 179 milhões de euros, a redução de frotas e pessoal e cortes de custos.

No âmbito da sua estratégia, o grupo SATA já tem disponível um dos dois Airbus A-330 que pretende adquirir para realizar as suas operações de longo curso, em alternativa aos atuais Airbus A-310.

Num comunicado emitido na quarta-feira, o Sindicato do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SPVAC) reivindica o regresso da SATA Internacional às rotas que saem do Porto, depois de a operadora de baixo custo Ryanair ter anunciado que iniciará uma nova operação com voos para Barcelona, Milão, Roma e Bruxelas a partir da cidade nortenha.

A estrutura sindical pretendeu, desta forma, relembrar os “mais incautos que existe uma companhia aérea portuguesa que já explorou rotas a partir do Porto e que poderia naturalmente ocupar o espaço deixado pela TAP”.

O SNPVAC defendeu que esta companhia aérea “tem um custo de operação para estas rotas bastante inferior ao da companhia de bandeira nacional e poderia, desta forma, ajudar a criar uma plataforma giratória (‘hub’) complementar a Lisboa”.

O sindicato questionou ainda o presidente da Câmara Municipal do Porto sobre se irá exigir ao Governo da Região Autónoma dos Açores que assuma este lugar, lembrando que a SATA contribui para a Segurança Social e não sujeita os seus trabalhadores a situações precárias, factos de que acusa a Ryanair.

“Satisfação do cliente é a nossa satisfação”

Noor Momade

A operar em Moçambique desde 1994, a Cotur já foi, por diversas ocasiões, galardoada com a distinção de melhor agência de viagens a operar neste mercado. Enquanto Presidente desta entidade, que desafios daqui advêm? O que se pode esperar de uma instituição que trabalha para ser sempre a melhor do seu segmento?
Estando a Cotur, Lda. a operar em Moçambique desde 1994, e tendo sido, por diversas ocasiões, galardoada com a distinção de melhor agência de viagens a operar neste mercado, a principal mensagem que como empresa retemos das distinções que já nos foram feitas, é a de que pessoas e instituições com legitimidade reconhecem e valorizam o nosso trabalho e esperam mais e melhor de nós.
De facto, se a distinção da Cotur pode ser motivo de notícia, igualmente seria notícia o registo de baixa do seu desempenho, pelo como instituição o mínimo que esperamos de nós próprios é procurarmos manter o atual nível de qualidade dos nossos serviços, sem abdicar da ambição de procurar atingir recordes, contribuindo para que viajem cada vez mais turistas em Moçambique em particular, dessa forma ajudando o País a crescer economicamente, pois quanto maior o volume de negócios no setor do turismo, maior também a sua contribuição para o PIB.

Em termos de carteira de clientes e volume de negócios, que balanço é possível fazer deste ano que agora termina? O que foi possível concretizar?
O balanco é positivo. O mercado manteve-se estável e a COTUR continua a manter a sua cota do mercado.

Acredita que uma agência de viagem deve ser capaz de, perante a opção do cliente, dar-lhe assistência de modo a fazer melhores opções do que aquelas que sejam do conhecimento do cliente. De que modo a Cotur tem feito este apoio?
Inspirados pelo slogan de que a “satisfação do cliente é a nossa satisfação”, temos procurado agir de forma proactiva na nossa relação com o cliente, munindo-lhe de informação que lhe permita decidir por uma outra opção de entre diversas ofertas, incluindo aquelas que de princípio não eram do conhecimento do cliente.
É que se conhecemos o setor, temos que prestar uma espécie de assessoria ao cliente no momento de decidir sobre algo d importante para sua vida social, o fazer turismo. Portanto, fundamentalmente prestamos apoio ao cliente dando-lhe informação bastante sobre as opções turísticas, incluindo rotas de viagens mais cómodas e sustentáveis.

Portugal e Moçambique são países que procuram captar investimento estrangeiro, tendo, por outro lado, empresas que ambicionam a internacionalização. Na sua opinião, o que aproxima e o que afasta estas duas nações?
Portugal e Moçambique inquestionavelmente têm em comum a partilha da língua portuguesa e da gastronomia, não obstante a existência de certos pratos tipicamente africanos e que inclusivamente são apreciados por outros povos, incluindo o português.
Além disso, o passado histórico que liga os dois Países, fez com que ao nível dos governos e, acima de tudo, dos povos dos dois Países existisse uma relação de irmandade, havendo diversas famílias unidades de moçambicanos e de portugueses num e noutro País. Neste sentido, tenho dificuldade para encontrar o que afasta os dois Países, senão a distância física que os separa.

O que é que faz de Moçambique um destino turístico de excelência? Quais são as principais potencialidades do país nesta área?
Condições naturais de que o País dispõe, concretamente belas praias, uma baía de referência internacional, ilhas, fauna e flora existente em Parques e Reservas Nacionais e acima de tudo isto um povo excecionalmente hospitaleiro e uma gastronomia invejável.

O turismo tem, inegavelmente, um enorme potencial em Moçambique mas tal tem que se traduzir igualmente na oferta de produtos e serviços turísticos. Qual é o ponto de situação do país relativamente a esta oferta? O que deveria ser feito para desenvolver uma área com tanto potencial?
A esse respeito, há algo que é de domínio público, qual seja a necessidade de tornar o custo de passagens aéreas viagens domésticas sustentável face aos atuais custos, bem como o contínuo trabalho de investimento e melhoria de vias de transporte terreste.

Considera que cada ano é um desafio para a sua empresa. Tendo como base o fortalecimento das relações no mundo da lusofonia, o que podemos esperar da Cotur em 2016?
Cada ano é efetivamente um desafio para a Cotur, pois depois do balanço do término de um ano económico, o desafio que sempre se coloca é elevar a fasquia de desempenho no exercício económico seguinte.
A nível da lusofonia, o que se pode esperar da Cotur, é que enquanto agente económico do setor do turismo, contribua cada vez mais para o aprofundamento das relações de amizade entre os povos dos dois Países, concorrendo desta forma para a materialização de um dos objetivos da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) previsto na alínea b) do artigo 3º dos Estatutos da CPLP, a cooperação no domínio da cultura.

Portugueses reservam mais ‘room nights’ no Brasil em 2015

Luís Tonicha, diretor da Abreu Online, explicou num encontro com a imprensa, em Lisboa, que em termos de performance, o mercado português cresceu aproximadamente 10% em volume de ‘room nights’, no Brasil, entre 2014 e 2015.

Na Abreu Online Brasil, o mercado brasileiro tem o Nordeste como principal destino, nomeadamente, a Praia do Forte seguida, de perto, por Gramado; Rio de Janeiro e Natal.

A plataforma de reservas B2B, que pertence ao grupo português Viagens Abreu, registou, ainda, no mercado brasileiro que as vendas para o Rio de Janeiro têm também registado crescimentos, sobretudo, com as parcerias estabelecidas com as cadeias Windsor e Atlântico

, sendo de assinalar também o recente acordo com a Hyatt no Brasil, que irá inaugurar hotéis em São Paulo e Rio de Janeiro, cuja previsão de abertura é maio deste ano.

De salientar que a Abreu Online conta com escritórios em Madrid, Londres, Rio de Janeiro, Orlando e Luanda, além da sede em Linda-a-Velha, Lisboa. A plataforma trabalha com mais de 185 000 hotéis em todo o mundo, dos quais 10 000 em contratação direta.

A easyJet faz anos e disponibiliza voos mais baratos

A propósito do seu 20º aniversário, a easyJet convida os clientes a começarem a planear as suas escapadinhas de 2016.
A companhia aérea oferece 25% de desconto em 40 mil lugares por toda a Europa. Há 140 destinos para explorar.
A campanha decorre atá à meia-noite de 13 de janeiro e incide sobre voos realizados entre 4 de fevereiro e 6 de julho do próximo ano.

TAP aumenta passageiros transportados em novembro

TAP

Ainda assim, o crescimento durante o mês de novembro foi insuficiente para alcançar a recuperação anual do tráfego, com 10,544 milhões de passageiros transportados até 30 de novembro, menos 0,7% face ao mesmo período de 2014.

Em declarações à Lusa, fonte oficial da TAP realçou que novembro – no dia 12 a TAP deixou de ser uma empresa pública – foi “o melhor mês do ano”, representando “o primeiro sinal de recuperação de confiança desde maio, em que o Sindicato dos Pilotos [SPAC] fez uma greve de dez dias”.

“Logo em abril, altura em que a greve foi convocada, a confiança começou a cair e, agora em novembro, dá-se a recuperação com um sinal muito positivo”, reforçou fonte da companhia.

O crescimento do número de passageiros aconteceu nos principais mercados da TAP, com especial incidência para a Europa (11%) e África (15%), mas também para os EUA (6%) e Brasil (2,5%).

Já a taxa de ocupação — indicador de rentabilidade — aumentou três pontos percentuais em novembro, atingindo os 80%, baixando para os 73,3% ao longo dos 11 meses.

Em novembro, 90% dos voos da TAP do ‘hub’ de Lisboa foram pontuais, o que é “mais um motivo de orgulho” para a transportadora, detida maioritariamente pelo consórcio Gateway, dos empresários Humberto Pedrosa e David Neeleman.

Assim, a pontualidade média desde o início do ano subiu para os 81%, adiantou a mesma fonte.

O acordo de conclusão da venda direta de 61% do capital da TAP foi assinado no dia 12 entre a Parpública, empresa gestora das participações públicas, e o agrupamento Gateway, na presença da então secretária de Estado do Tesouro, Isabel Castelo Branco, do então secretário de Estado das Infraestruturas, Transportes e Comunicações, Miguel Pinto Luz.

Reservas de voos caem após ataques em Paris

Paris

As viagens para Paris foram afetadas imediatamente após os ataques de 13 de novembro e o número de cancelamentos desceu agora consideravelmente, sendo que as novas reservas estão a demorar a retomar o seu ritmo.

Segundo Olivier Jager, co-fundador e CEO da ForwardKeys, “a imagem que resulta dos nossos dados é de que houve cancelamentos dramáticos de última hora de planos de viagens imediatos, sobretudo entre os viajantes de negócios, após os ataques. As novas reservas também caíram drasticamente abaixo dos números do mesmo período do ano passado”.

As maiores descidas de reservas verificaram-se por parte dos EUA, China, Espanha e Itália.
As reservas acumuladas para o período das férias de Natal, em comparação com 2014, estagnou imediatamente após os ataques de 13 de novembro .
Globalmente, o número de cancelamentos de 14 a 21 de novembro aumentou 21% quando comparado com o mesmo período do ano passado, embora agora tenha regressado a níveis normais.

O número de novas reservas permanece 27% abaixo dos números do ano passado.
O cenário para o Natal permanece negro com o número de reservas de viagens para este período agora em menos 13%. Antes dos ataques terroristas, estavam 2% abaixo de igual período de 2014.

Ryanair faz voos a 5 euros em promoção de Inverno

Avião da Ryanair

A Ryanair anunciou esta segunda-feira, 23 de novembro, que as promoções de Inverno continuam, agora com voos a 5 euros em mais de 250 ligações da rede Ryanair, para viagens em dezembro.

Estes voos já podem ser reservados no site da companhia até às 24h00 de quarta-feira, dia 25, em 12 rotas de e para Portugal.

“O Inverno já chegou e para celebrar o início da estação festiva lançámos a promoção de voos 5 euros, com mais de 100,000 bilhetes disponíveis em mais de 250 rotas da rede Ryanair, para viagens em Dezembro”, afirmou Robin Kiely da Ryanair.

Em comunicado enviados às redações, a companhia avança que esta oferta já está disponível e os lugares existentes podem esgotar rapidamente.

EMPRESAS