A importância do vocabulário para o sucesso da sua comunicação escrita

1591

Analita Alves dos Santos

A escrita é uma das ferramentas mais poderosas à nossa disposição, um meio através do qual expressamos ideias, comunicamos histórias e partilhamos pensamentos. Contudo, a capacidade de utilizar a língua de forma eficaz e cativante precisa de ser trabalhada. A questão da falta de vocabulário é um dos problemas apontados por aqueles que utilizam a escrita no seu quotidiano como algo que gostariam de melhorar. Neste contexto, os livros emergem como aliados preciosos na busca de uma expressão mais rica e diversificada.
Os livros, verdadeiros tesouros de conhecimento, são autênticas fontes de novo vocabulário. Ao mergulhar nas suas páginas, deparamo-nos com palavras de uso menos frequente, algumas até consideradas «difíceis», que têm o poder de enriquecer não apenas a escrita, mas também a expressão oral. Trabalhar a sinonímia é outra grande estratégia para aumentar o seu vocabulário.
Vejamos, por exemplo, a palavra «casa».  Se necessitar de a utilizar num mesmo texto, várias vezes, não precisa de a repetir. Estes são alguns sinónimos de «casa» que poderá utilizar em função do contexto criativo: «residência», «habitação», «domicílio», «apartamento», «prédio», «edifício», «morada», «moradia», «vivenda», «teto», «nicho», «assento», «fogo», «lar», «família», «ninho».
Agora, imagine o efeito multiplicador e enriquecedor ao interiorizar este conceito de recorrer à sinonímia na sua escrita do dia-a-dia. A língua, como uma paleta colorida nas mãos de um pintor talentoso, oferece-nos uma infinidade de nuances e possibilidades. Ao explorar os sinónimos, estamos a adicionar camadas de significado, profundidade e beleza ao nosso texto.
Olhar para os livros como uma fonte de vocabulário é uma opção inteligente para quem deseja aprimorar a sua expressão escrita. Os escritores, ao construírem as suas narrativas, utilizam uma diversidade de vocábulos, alguns dos quais desconhecidos por nós. E a curiosidade é aguçada. Quando nos deparamos com uma palavra nova, não a ignoremos. Antes, abracemo-la como uma pérola que acrescentaremos ao nosso tesouro linguístico (tenho o feliz hábito de apontar as «novas palavras» nas últimas páginas dos livros onde as encontro; deixo-lhe esta sugestão).
Compreender a riqueza de trabalhar os sinónimos e aumentar o vocabulário é crucial para elevar a qualidade da nossa escrita a um novo patamar. Não se trata apenas de evitar a repetição exaustiva de palavras, mas de enriquecer a nossa comunicação, tornando-a mais envolvente e sofisticada. A busca de sinónimos é uma jornada que nos leva a explorar a riqueza da língua, a descobrir nuances e a expandir os horizontes do nosso vocabulário.
Detetar nos livros novas palavras, ao estilo Sherlock Holmes, um hábito a adquirir.
No livro «Erros de Português Nunca Mais» abordo no segundo capítulo a temática do «aumente o seu vocabulário» com mais de 90 palavras de uso menos habitual.
Deixo-lhe hoje este meu livro, «Erros de Português Nunca Mais», como uma proposta essencial para melhorar a sua escrita. Apresento como um dos exemplos incluídos nesta obra, a palavra «críptico», que no contexto da citação abaixo, significa «oculto», «difícil de perceber ou de interpretar». Eis uma palavra que poderá utilizar em breve.
«Os prognósticos de Badini eram sempre muito crípticos, mas disso dependia a sua beleza e a sua precisão.»

Para onde Vão os Guarda-Chuvas, Afonso Cruz

«Erros de Português Nunca Mais» encontra-se à venda online e nos locais habituais.