André Villas-Boas apresenta António Tavares para Presidente da Mesa da Assembleia Geral e Angelino Ferreira para Presidente do Conselho Fiscal e Disciplinar

André Villas-Boas anunciou ontem, quinta-feira ao final da tarde, os dois primeiros candidatos para liderar dois dos Órgãos Sociais do Futebol Clube do Porto. António Tavares é o indicado para presidir à Mesa da Assembleia Geral, enquanto Angelino Ferreira será candidato à presidência do Conselho Fiscal e Disciplinar.

165

António Tavares, detentor do número de sócio 4.608 do FC Porto, destaca-se por um percurso profissional diversificado que abrange os setores empresarial, autárquico, político e académico. Nome escolhido por André Villas-Boas como candidato à presidência a Mesa da Assembleia Geral (AG) do clube, António Tavares ocupa atualmente o cargo de Provedor da Santa Casa da Misericórdia do Porto.

Nascido em 1959 – ano em que o FC Porto se sagrou campeão nacional, antes do longo jejum de 19 anos quebrado por José Maria Pedroto em 1977/78 –, António Tavares é licenciado em Direito e doutorado em Ciência Política, Relações Internacionais e Cidadania.

Apresenta um histórico de contribuições significativas para a cidade do Porto, toda a região norte, mas também para Portugal, tendo desempenhado funções de deputado na Assembleia da República entre 1985 e 1991, e mantém-se como voz ativa nos media, com presença regular no Jornal de Notícias.

A escolha de António Tavares como candidato a Presidente da Assembleia Geral simboliza o reconhecimento da sua dedicação aos valores do FC Porto. Se eleito para o cargo, atuará como voz e representante direto dos associados, sendo a Assembleia Geral o órgão máximo do FC Porto com “o poder soberano para definir os destinos do Clube e velar pelo cumprimento desse objetivo”.

Angelino Ferreira, sócio número 7.440 do FC Porto, figura amplamente reconhecida no universo portista, integra a lista de André Villas-Boas como candidato à presidência do Conselho Fiscal e Disciplinar – órgão responsável pela fiscalização da gestão económica e financeira do Clube, e de exercer, sempre que se excedem os limites, o poder disciplinar sobre os Associados.

Na sua carreira profissional, acumula uma vasta experiência tanto no mercado de capitais como nos mundos empresarial, associativo e desportivo. Angelino Ferreira desempenhou papéis de destaque no mercado de capitais, incluindo como Diretor Geral da Bolsa de Valores do Porto e o de Corretor Oficial da mesma instituição.

No mundo da gestão na área do desporto, a trajetória é igualmente notável. A partir de 1992, Angelino Ferreira tornou-se membro do Conselho Fiscal do Futebol Clube do Porto. Posteriormente, em 1994, foi nomeado Vice-Presidente Administrativo e Financeiro da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), e em 1996 também do FC Porto. Além disso, em 1996, assumiu a gestão de todas as sociedades do Grupo FC Porto – abrangendo entidades como FC Porto, SAD, PortoComercial, Euroantas, PortoEstádio, PortoSeguro, Dragão Tour, Porto Media, Porto Multimédia, Investiantas, Porto S Partilhados e Fundação PortoGaia. Em 2003, também assumiu o cargo de Administrador da Associação Portuguesa de Estádios.

Angelino Ferreira ocupou também o cargo de CFO da Associação Empresarial de Portugal (AEP) e do Grupo da AEP, demonstrando a versatilidade e competências reconhecidas em diversas áreas.

A escolha de António Tavares e Angelino Ferreira para posições-chave no FC Porto sublinha o foco de André Villas-Boas numa liderança altamente qualificada e preparada para os desafios futuros. As suas carreiras exemplares, repletas de experiência e dedicação, são fundamentais para impulsionar o clube rumo a um patamar de excelência e profissionalismo.