“O Sucesso das minhas Equipas, é o que faz de mim uma Pessoa de Sucesso”

“Agir no momento certo, da forma certa e com as ferramentas certas, é o segredo do sucesso da alta performance”. Quem o garante é Ana Cristina Costa, CEO do Afrigroup e Administradora Executiva do Grupo Daimic. Em entrevista, a própria, contou-nos as mais-valias de ter uma equipa de profissionais capacitados e motivados a fazer mais e melhor.

308

Atualmente, a Ana Cristina Costa é CEO do Afrigroup e desenvolve a sua atividade em três áreas de atuação: Consultadoria, Auditoria e Formação, neste grupo empresarial. Que soluções aqui se encontram para auxiliar o crescimento e desenvolvimento empresarial das PME e Grandes Empresas?

Efetivamente ser a CEO Afrigroup é fácil, porque lidero e acompanho uma equipa de excelentes profissionais que todos os dias com o seu conhecimento e profissionalismo, cooperam com as equipas dos nossos clientes na resolução das suas adversidades, desafios e exploram oportunidades. No último triénio, o mercado angolano está muito exigente no que concerne ao acompanhamento das oportunidades que são inúmeras, a Covid-19 dificultou a implementação de novos negócios com grandes adaptações às circunstâncias epidemiológicas e diferenças cambiais agressivas, indústrias com necessidade de acompanhar as políticas de incentivo económico alinhados a programas de financiamento com regras específicas na diversificação da economia, e atualmente temos mais uma enorme missão de maximizar as oportunidades como os programas governamentais, como o planagrão, a planapecuária, planapesca e prodesi. Para além disso, temos de olhar para o potencial do fomento empresarial e do fomento habitacional. Todos estes programas fazem parte das políticas governamentais de continuidade 2022-2026. Há um esforço muito grande em conquistar a atenção dos investidores estrangeiros para as oportunidades que o atual Governo quer ver implementadas com sucesso no setor primário e secundário. A AIPEX – Agência de Investimento Privado e Promoção das Exportações de Angola, tem tido um papel fulcral na dinamização e na divulgação de uma nova Angola, com portas mais acolhedoras em termos de acesso nas suas fronteiras, observando-se uma melhoria de acesso aos diversos tipos de visto, o investimento estrangeiro facilitado quer em  termos de valor, quer na retirada da obrigatoriedade de sócio nacional e, por fim mas não menos importante, desburocratização para o tratamento das documentações necessárias, licenças, entre outros, necessárias às atividades e aos seus investidores.

Além disso, é também Administradora Executiva do Grupo Daimic, uma das redes de concessionários de destaque em Angola. Quais os fatores que tornam este Grupo distinto e especial no mercado?

O nosso ADN e a cultura empresarial fundamentalmente. Acreditamos no que fazemos todos os dias, na capacitação das nossas equipas e, principalmente, num negócio de transparência e credibilidade. Somos um grupo com presença no mercado angolano, há mais de 30 anos, e somos conhecidos por pessoas de palavra, mesmo que não haja contrato escrito e especialmente numa relação de fidelização e de continuidade. Temos muitos clientes que compraram o seu primeiro carro connosco e regressam no momento da segunda aquisição, não pela questão do preço do carro, mas pela forma como foram tratados e acompanhados. O nosso serviço de pós-venda de qualidade e inovação cada vez mais é o foco de fidelização dos nossos clientes.

A experiência profissional da Ana Cristina Costa permite, em ambos os Grupos, potencializar o alinhamento entre o saber e o fazer. De que forma esta mesma experiência é valor acrescentado para o Afrigroup e para o Grupo Daimic?

O saber e o saber fazer, é uma mais-valia a qualquer profissional da área financeira, isto porque potencializa não só as melhores práticas de planeamento, mas também de gestão diária das atividades operacionais e financeiras. Quando a nossa equipa tem alguma dificuldade, é importante ter a sensibilidade das suas tarefas, das suas adversidades de trabalho e ter a capacidade de no momento apresentar soluções válidas e de aplicação imediata.

Dá-lhes segurança e principalmente é importante contestar o que se ouve, o que nos dizem, ou o que os números nos apontam, com conhecimento de causa. Desconfie de uma equipa que diz que está sempre tudo bem, isso não é verdade, ou o trabalho não está a correr na sua melhor performance. Equipa que funciona e é audaz, realiza as suas tarefas, debate e apresenta as suas próprias ideias e, principalmente, apresenta as suas dificuldades para que o seu líder possa melhorar o que precisa de ser melhorado.

Mas mais do que ter uma líder capaz de motivar as suas equipas, é ter Capital Humano, dedicado a fazer mais e melhor pelas empresas que integram. Quer no Afrigroup, quer no Grupo Daimic, em que medida as equipas têm sido a fórmula do sucesso de ambas as marcas?

Liberdade de expressão e apresentação de ideias, numa comunicação direta e transparente, equipas com objetivos claros. A cultura empresarial de que poderás fazer melhor todos os dias, e um dar o exemplo, não se pode exigir aquilo que não se faz.

Face aos setores que falamos, nomeadamente a automóvel, a consultoria, a formação, entre outras, e tendo em conta os desafios diários que surgem, é simples conquistar, reter e motivar bons profissionais? Por que motivo?

Apesar do setor de atividade diferente, todos os negócios têm algo em comum: produtos e serviços de qualidade fazem a diferença. É a qualidade que faz com que a experiência do nosso consumidor o faça regressar à nossa empresa. É essa experiência que o faz escolher a nossa empresa, o nosso produto, o nosso serviço em detrimento da nossa concorrência. A formação de quadros, é a parte da equação fundamental, porque a experiência começa no contacto que o cliente tem com a nossa empresa, a forma como é cumprimentado, atendido, esclarecido. O melhor vendedor no mundo é um cliente satisfeito. Quando a nossa empresa é recomendada por um cliente, onde é transmitida a sua experiência positiva, suscita logo a curiosidade e a ansiedade a outro potencial cliente, em querer aquele produto e serviço que ouviu maravilhas.

Para terminar, sendo CEO do Afrigroup e Administradora do Grupo Daimic, que mensagem especial gostaria de deixar às suas equipas neste fim de ano?

Que todos podemos ser melhores todos os dias e atingir o sucesso pessoal e profissional. Que quanto mais desafiantes são as nossas atividades, mais valor e importância o nosso contributo tem. Agir no momento certo, da forma certa e com as ferramentas certas, é o segredo do sucesso da alta performance. Eu dou-lhes sempre o meu exemplo, venho de avós camponeses, pai militar e mãe doméstica com o quarto ano, ou seja, a primária concluída, mas isso não limitou os meus sonhos e os meus objetivos. Com quase 41 anos, com três filhos, três livros escritos e quase já numa fase muito avançada da quarta obra, sinto que ainda tenho muita coisa que quero fazer e posso fazer. Então, não quero que ninguém nas minhas equipas limite os seus sonhos, que se limitem ao que conhecem nas suas histórias, mas que lutem por si e para si. Tenho a certeza que farão a diferença. O sucesso das minhas equipas, é o que faz de mim uma pessoa de sucesso. Sou muito grata pelos meus colaboradores aqueles que estão, os que já passaram e os que ainda passarão, porque todos os dias aprendemos coisas novas… umas técnicas outras não, mas todos os dias alguma coisa aprendemos de novo, até com as experiências menos positivas. O meu lema sempre foi, ou ganho ou aprendo, nunca perco nada na minha vida. Para ano de 2023, quero que todos se excedam nos seus pedidos, objetivos e metas, que se proponham a superar-se, qualificar e recriar a sua melhor versão como ser humano e como profissional. O mundo está em construção, e nós somos seres inacabados. Todos os dias há algo novo em nós! Desejo a todos um excelente ano 2023.