Arte e Sensibilidade – A essência dos projetos de Filipa Borges Nascimento

Nas linhas seguintes falamos de Filipa Borges Nascimento – Mulher, Arquiteta e Empreendedora, capaz de «rasgar» mentalidades através da essência que caracteriza a arte dos seus projetos de Arquitetura e Design de Interiores. A sua marca, sediada em Coimbra, tem vindo a ganhar cada vez mais espaço no mercado, apesar dos desafios que a própria nos contou numa conversa transparente e, sobretudo, inspiradora. Saiba tudo.

141

A estética, a decoração e os interiores são conceitos que ganharam a forma de amor na sua vida desde pequena. Pelo esforço da sua vontade e pelas certezas que o destino lhe devolveu, este amor materializou-se naquela que é hoje a sua marca, a Filipa Borges Nascimento, Arquitectura e Interiores.
Este amor é recente. A própria explicou-nos que o sonho de vincar uma posição no mundo do empreendedorismo e de traçar um rumo no mercado através de uma empresa sua não era uma realidade – mas quantas vezes a vida faz questão de nos mostrar caminhos que não imaginamos à partida? Esta é a poesia da sua história. Uma poesia inesperada e que hoje faz tanto sentido.
A marca tem quatro anos, sendo que os primeiros dois foram passados no Porto e, os últimos, em Coimbra, na cidade que viu nascer a nossa entrevistada e que fará crescer, ainda mais, esta empresa.
Há vários fatores que distinguem a arte dos seus projetos, mas aquela que se destaca mais é a diversidade das escolhas. “Julgo não ser possível olhar para um projeto meu e afirmar com toda a certeza que fui eu que o desenvolvi. Isto porque adapto-me ao gosto do cliente, ao que me é pedido, à arquitetura em si, à vivência das pessoas, às famílias. Há clientes que valorizam mais a zona de estar, outros a cozinha ou os espaços exteriores, onde fazem as refeições, uns são mais minimalistas, outros gostam de um toque clássico. Cada projeto é um desafio diferente”, assume a Arquiteta, acrescentando ainda que “conhecer a pessoa para quem estou a desenvolver um projeto é algo que faço sempre questão, apesar de ter uma equipa multidisciplinar preparada para tudo, acompanho o processo de A a Z para que todos os detalhes possam ser o mais personalizados possível”.
Certo é, como a própria referiu, hoje, a Filipa Borges Nascimento, Arquitectura e Interiores, conquistou uma equipa de quatro pessoas por forma a responder aos projetos que surgem. Além disso, este atelier também recebe estágios curriculares, dando a oportunidade a estudantes, ainda antes de terminarem as suas licenciaturas e mestrados, de contactarem com o mercado e com aquilo que é a realidade desta profissão.
“Há um grande trabalho em equipa que faço questão de reforçar diariamente. Esta dinâmica só traz mais-valias, tanto a mim, como às minhas colaboradoras e, sobretudo, aos clientes”, realça a nossa entrevistada.
Sabemos que, mais projetos e mais recursos humanos exigem outras condições. Devido ao elevado volume de trabalho e à equipa em perspetiva de crescimento, Filipa Borges Nascimento mudou de espaço para um maior e que será inaugurado em setembro. Nesta mesma inauguração, serão anunciadas novidades, entre as quais workshops. Ainda que não possamos falar aprofundadamente dos mesmos, a promessa que deixamos é que terão como objetivo o apoio a todas as pessoas que queiram melhorar os seus espaços.

A empatia nos projetos desenvolvidos

Entre os vários vértices dos serviços prestados por Filipa Borges Nascimento, Arquitectura e Interiores, aqueles que brilham mais aos olhos da fundadora são os que respeitam à remodelação dos interiores de habitações. A «casa» é algo que lhe diz muito.
Os projetos começam com uma primeira leitura de emoções – e este conceito não se estuda. A empatia, “é algo que me é inato. Numa breve conversa, mergulho no universo único de cada cliente e consigo captar o seu estilo e ambições, com autenticidade. E a verdade é que, até hoje, os resultados têm sido positivos”.
Contudo, nesta área, “uma das grandes limitações é, de facto, o budget que o cliente tem disponível, que vai permitir um resultado mais ou menos personalizado e diferenciado. Apesar de as pessoas terem, atualmente, mais atenção aos interiores, até o pormenor mais simples exige investimento”. Mas não devemos olhar para esta questão numa ótica negativa. Esta empresa acredita firmemente que, com pouco, se consegue melhorar o espaço interior, ajudando desde logo a fazer uma filtragem. “Se não for possível remodelar tudo, eu indico quais são as escolhas mais imediatas que farão uma maior diferença em determinado espaço”.
Em cada projeto, há um desafio e uma paixão diferente. Para a nossa entrevistada, “o momento em que tudo passa do 3D para a realidade continua a emocionar-me. Vermos a dedicação concretizada é muito gratificante e é uma bênção poder fazer o que gosto, todos os dias”.
Todos os projetos são atendidos e tidos em consideração, apesar do mais comum ser o ramo residencial. No entanto, este atelier já realizou outros de alojamento local, estúdios para turismo, algumas clínicas dentárias e, mais recentemente, um projeto de Design de Interiores para a primeira clínica do grupo Eugin, líder em tratamentos de fertilidade, em Coimbra. Quanto a este, a Arquiteta revela que “foi um projeto incrível por aquilo que representa. Foi um desafio conseguirmos dar a este espaço delicado o conforto que ele exige”.
Nesta diversidade de trabalhos concluídos, não há um que se assemelhe. Este facto, aliado à qualidade e profissionalismo do atelier, é o que tem vindo a destacar a empresa num mercado cada vez mais competitivo.

Mulher, Arquiteta e Empreendedora

Historicamente, a indústria da Arquitetura é predominantemente dominada por homens. Assim, as Mulheres, apesar de desempenharem um papel fundamental nesta profissão ao logo dos anos, muitas vezes enfrentaram desafios e preconceito de género. No entanto, a sua contribuição é notável e diversificada e muitas Arquitetas têm tido um impacto significativo na evolução da área.
Enquanto exemplo disso mesmo, a opinião de Filipa Borges Nascimento é que “na vertente dos Interiores é muito clara a evolução. Temos muitas Arquitetas de Interior e Designers de Interiores. No que respeita à Arquitetura em si, apesar dos avanços, os desafios de género persistem, principalmente no meio das obras, maioritariamente masculino. A diversidade e troca de experiências diferentes fortalece a visão criativa e capacidade de realizar projetos excecionais, e é uma pena que, em alguns casos, a nossa opinião ainda não seja bem aceite, por sermos mulheres”.
Quando questionada sobre como é, para si, conjugar a vertente de Mulher, Arquiteta e Empreendedora, a nossa entrevistada não hesitou em referir que, efetivamente, a mais difícil das três é ser Empreendedora, “não por ser Mulher, mas pela falta de apoio que sinto no nosso país. Temos uma carga fiscal imensa. Gostava de aumentar a minha equipa para poder dar resposta com mais celeridade a todas as solicitações de projetos, e proporcionar-nos melhores condições, mas os impostos proporcionais que estão associados são enormes, limitando muito o meu lado, e de todos os empregadores, numa fase de expansão que sofre de tantas dores de crescimento”.
Além destes desafios acrescidos, a Arquiteta afirma que “a grande dificuldade nesta área é a falta de mão de obra. E isto tanto a nível das obras, como a nível de fabrico e produção de peças por medida, artes que as pessoas, erradamente, julgam menores como a Carpintaria, a Marcenaria, a Serralharia, entre outros. O que acontece é que acabamos por sobrecarregar o trabalho dos nossos fornecedores, limitando a sua capacidade de resposta, o que culmina em atrasos que não conseguimos controlar”. A mesma acrescenta ainda que, “as próprias instituições de ensino deviam valorizar e divulgar estas profissões”.
Uma das poucas certezas da vida é que somos, de facto, todos diferentes – com skills e habilidades distintas. Todas as profissões importam e todas as áreas têm impacto no mundo que conhecemos hoje. Importa abraçar, doravante, todas as artes esquecidas.

Novidades vindouras

A mudança para Coimbra, há dois anos, revelou ser determinante neste caminho de sucesso. Mais projetos surgiram e mais pessoas se juntaram a esta história. Hoje, é possível planear um futuro mais coerente, organizado e luminoso. E é exatamente isso que Filipa Borges Nascimento tem em mente.
É tempo de olhar para o vindouro. Além dos workshops que serão revelados em setembro deste 2023, também foi incrementado um serviço de Consultoria (presencial ou online) onde, a Fundadora desta marca, disponibiliza sugestões que podem melhorar o espaço de quem a procura, de forma rápida e eficaz.
O seu compromisso é que, por acaso da sua vocação (ou do destino), a poesia desta história não ficará por aqui. Fique atento a todas as novidades.