APCC contesta declarações falsas por denegrirem todo o Setor dos Contact Centers

Pelo rigor da informação e verdade dos factos, a APCC contesta as declarações proferidas, no passado dia 26 de fevereiro, durante uma manifestação de trabalhadores de Contact Centers em Lisboa, que resultaram no ataque a um Setor de extrema importância para a economia portuguesa, com forte impacto na criação de emprego e oportunidades para as pessoas

366

Em plena campanha eleitoral, foram acusadas as Multinacionais que prestam serviços na área dos Contact Centers, instaladas em Portugal, de precariedade salarial. Enquanto Associação que representa a Indústria dos Contact Centers em Portugal, a APCC não pode deixar, perante tais falsidades, tal como a própria assume, de defender um Setor que desempenha tarefas indispensáveis para o sucesso das Empresas e Instituições modernas.

A APCC afirma que “o período de eleições é propício à lógica momentânea e míope, ao aproveitamento político e ao populismo. Tentaram denegrir todo um Setor que paga um salário médio claramente acima dos 900€ e que presta serviços essenciais aos cidadãos. Os serviços prestados pelos Contact Center são uma ferramenta essencial para qualquer atividade moderna (pós-venda, assistência técnica ou apoio ao cliente), mas também para a população em geral (linhas de apoio à saúde pública, por exemplo)”.

Consciente da importância dos Recursos Humanos no sucesso das suas operações, a APCC, em conjunto com os seus Associados, tem apostado na adoção de Boas Práticas Organizacionais, tanto ao nível social, como ao nível das remunerações e formação, potenciando assim o reconhecimento e valorização dos seus Colaboradores. No contexto atual, em que o recrutamento e retenção de talentos são tão desafiantes, as Empresas têm olhado para as pessoas e apostado na qualificação e no desenvolvimento profissional dos seus recursos humanos, com o intuito final de servir as necessidades, cada vez mais prementes, do Customer Experience.

Em Portugal, esta Indústria é detentora de uma cultura de empreendedorismo, marcada por um elevado dinamismo, inovação tecnológica e inclusão.

De salientar que a Indústria de Contact Centers tem sido uma força motriz na criação de emprego, empregando mais de 104 mil pessoas e faturando cerca de 3 mil milhões de euros, dos quais 1,8 mil milhões de euros se referem à exportação de serviços, o que contribui para o equilíbrio da balança comercial Portuguesa.

A APCC manifesta total disponibilidade para um debate sério sobre o Setor, em qualquer fórum ou meio, sempre que para tal seja solicitada.