Inicio Tags Cuidados

Tag: cuidados

Pele seca? Leia isto

A má qualidade de sono é um dos males das sociedades atuais. Os humanos são o único ser vivo à face da Terra que não dorme por opção, mas as consequências de tal escolha são muitas e cada vez mais impactantes.

Além de ser um ‘atentado’ para a boa saúde mental, as poucas horas de sono promovem uma maior sensação de cansaço e também uma maior incapacidade de seguir uma alimentação saudável. Mas não só: dormir mal também arruína a pele.

Embora a pele seca seja uma condição mais comum na velhice e até esteja associada às temperaturas frias do outono e do inverno, são já vários os estudos que associam as poucas horas de sono à perda de água transepidérmica, isto é, à queda dos níveis de hidratação da pele, deixando-a seca, baça e quebradiça.

À revista Women’s Health, a médica dermatologista Marina Peredo explica que ter uma boa rotina de sono todas as noites – e que tal inclua as horas suficientes de descanso – é meio caminho andado para dar ‘saúde’ à pele, porém, combater a secura cutânea requer ainda a perda do hábito de tomar banho com a água demasiado quente, uma vez que a temperatura elevada vai fazer com que a pele fique ainda mais seca.

Procurar reduzir os níveis de humidade no quarto é também uma opção a ter em conta, assim como esfoliar devidamente a pele e aplicar um creme anti-secura, de modo a deixar a superfície cutânea mais hidratada.

Pela sua segurança, não faça isto no banho

Quedas, choques, lesões, dores e vergonha são coisas que se querem evitar quando está a tomar banho.

A Men’s Health norte-americana listou as cinco coisas que não deve fazer no banho, por questões de segurança:

1. Tomar banho durante uma trovoada. É perigoso estar perto de qualquer canalização ou fios internos durante uma trovoada, diz Mary M. Cooper, do Lightning Injury Research Program da Universidade de Illinois, em Chicago. Por isso, evite tomar banho, duche, lavar loiça à mão, usar telefones com fios, ver televisão ou usar o computador ligado à corrente durante a trovoada.

2. Usar chuveiros antigos. Quase um terço dos chuveiros contém bactérias potencialmente perigosas, de acordo com um estudo da Universidade do Colorado. Isto por que estão cheios de cantos e recantos que proporcionam um habitat ideal para os micróbios. Pode lavá-los com lixívia mas as bactérias irão eventualmente voltar a crescer.

3. Não ter tapete no chuveiro ou na banheira. De acordo com um estudo de 2011 dos Centros de Controlo de Doenças e Prevenção, mais de 230 mil lesões acidentais ocorreram em banheiras ou chuveiros em apenas um ano. Cerca de 20% ocorrem devido a escorregadelas por não terem tapetes.

4. Usar a esponja de banho durante demasiado tempo. São ótimas para esfoliar a pele e remover as células mortas mas também ficam cheias de germe e bactérias. Lave a sua esponja de banho uma vez por semana e seque-a muito bem. Mas troque-a a cada dois meses.

5. Fazer sexo. O chão escorregadio, o fluxo constante de água quente e o espaço limitado para se mexer fazem do chuveiro um local pouco ideal para o sexo, para não mencionar o risco de queda.

Em prol do bem-estar do idoso ou dependente

Pedro Leite Antunes e Adelaide Antunes

Há cerca de oito anos e já com algum know-how na área Pedro Leite Antunes decidiu associar-se à mãe, Adelaide Antunes, e lançar no mercado uma empresa dedicada aos cuidados domiciliários. “Inicialmente, fizemo-lo com recurso a uma marca de raiz norte americana que na altura estava representada em Portugal, o que nos proporcionou um nível de organização mais capaz”, explica Pedro Leite Antunes, CEO da empresa.
A dada altura a marca saiu do país e, nesse momento, decidiram lançar a própria marca – Culsen® – associada a uma área de negócio que a família já possuía relativa à venda de tecnologias de apoio, ou seja os vários materiais que auxiliam o tipo de serviço que prestam.
A empresa tem como missão influenciar positiva e significativamente o bem-estar dos idosos, adultos dependentes e as suas famílias, através da prestação de todo o apoio necessário para que estes possam permanecer nas próprias casas com o máximo de segurança e conforto.
A Culsen® especializou-se na prestação de cuidados essencialmente não-clínicos abrangentes e de confiança, que englobam o apoio nas atividades da vida diária e nas tarefas quotidianas mais comuns, tais como companhia, cuidados básicos e de higiene pessoal, preparação das refeições, gestão da medicação, apoio noturno, compras, recados e assistência em saídas, cuidados domésticos, entre outros serviços especializados.
Com uma equipa de cuidadores com cerca de 30 profissionais, composta essencialmente por agentes de geriatria e auxiliares de ação médica, a empresa presta apoio a mais de 25 famílias. Tendo já apoiado centenas de clientes.
A desenvolver a sua atividade em todo o Grande Porto os serviços de cuidados domiciliários da Culsen® podem ser continuados ou temporários “o nosso espectro de serviços é bastante alargado, podem ir de uma simples visita de poucas horas, quando se trata apenas de cuidados básicos e de higiene pessoal, até às 24 horas, nos sete dias da semana”.
Além dos cuidados básicos, “é preocupação da Culsen® combater a solidão e promover a estimulação global dos nossos clientes idosos ou dependentes”, afirma Pedro Leite Antunes.

Papel que a Culsen® assume na sociedade

“Procuramos ter uma abordagem por duas vias. Por um lado, no que respeita à prestação de cuidados enquanto atividade económica, profissionalizar o mais possível a atividade. Para isso responsabilizamos muito os nossos cuidadores, pois também nós assumimos uma enorme responsabilidade junto dos nossos clientes, e focamo-nos em gerir os cuidados com o maior profissionalismo, com uma supervisão atenta e um acompanhamento próximo. Deste modo, a nossa comunidade estará mais consciente e confiante de que estes cuidados podem e devem ser prestados por entidades organizadas.
Uma outra perspetiva é a de conseguirmos influenciar significativamente o bem-estar dos seniores, permitindo-lhes que permaneçam em casa no espaço que lhes é familiar e mostrar à sociedade que muitas vezes não é necessário recorrer a instituições com internamento para que o idoso esteja bem, acompanhado e em segurança.

Projetos

No que se refere a 2016 pretendem aumentar a equipa interna (serviços de apoio técnico e administrativos) em dois elementos e a equipa externa em cerca de 60 por cento, o que permitirá consolidar a marca, dar continuidade à melhoria de processos internos e reforço do posicionamento da empresa na sociedade.
Num futuro próximo crescer no que respeita à presença física, alargando o âmbito de atuação para outros territórios além do Grande Porto.

EMPRESAS