“O nosso maior objetivo é Estimular os Alunos para processos Inovadores”

A missão da Office House Capellen – uma organização de formação profissional situada no Luxemburgo – é fortalecer as bases pessoais e profissionais dos seus alunos. Inicialmente desenhada para os imigrantes, hoje já integra público de todas as nacionalidades. Ana Barreiro, Presidente da OHC e Fábio Biolcati, Parceiro EU24H, contaram à Revista Pontos de Vista de que forma a marca tem vindo a trilhar o seu caminho de braço dado com a inovação dos seus métodos de ensino.

285

A OHC é uma organização de formação profissional continuada cuja missão é o desenvolvimento pessoal e profissional, com troca de experiências, transmissão de conhecimento e promoção de valor na sociedade. Em que momento sentiu que, com esta criação, poderia fazer a diferença na sociedade Luxemburguesa?
A partir de 2016, a OHC implantou uma visão de educar e possibilitar oportunidades de desenvolver as competências pessoais e profissionais, a princípio, para os imigrantes que aqui residem. Hoje já atendemos públicos de todas as nacionalidades, incluindo luxemburgueses. A OHC aposta nas inovações e fomos o primeiro Centro de Formação a oferecer cursos e-learning e cursos em modelos híbridos: online mais professor.

Certificada pelo Ministério da Educação, a OHC colabora com instituições nacionais e internacionais, com o objetivo de oferecer aos alunos uma educação inclusiva e de qualidade. Para o efeito, possui a plataforma de formação e-learning, disponível 24 horas por dia. O que podemos encontrar nesta mesma plataforma?
Nas nossas plataformas e-learning é possível encontrar mais de 500 cursos de desenvolvimento profissional, pessoal e de idiomas. Estamos inscritos na Plataforma Nacional de Educação Lifelong-learning: https://www.lifelong-learning.lu/Recherche/Tous/ohc/pt?keyword=ohc. Fazemos parte de Projetos Educacionais e transnacionais como a EPALE: http://www.mufocom.eu/.

Em complemento, a maior inovação está no facto de a OHC oferecer cursos online de 140 idiomas e nove cursos de idiomas em total imersão com a tecnologia da realidade virtual. Que valor a mesma agrega aos alunos?
As tecnologias de Realidade Virtual (VR ou RV) estão a tornar-se mais abertas às nossas necessidades diárias. No que diz respeito à RV, foi provado cientificamente que a memorização melhora significativamente, simulando a presença real e tornando-se cada vez mais disponível para uso em várias áreas de nossas vidas. Inclusive para ensino. São excelentes oportunidades para novos métodos de ensino de línguas estrangeiras e desenvolvimento pessoal. A RV está a tornar-se uma aliada ativa de profissionais de diversas áreas e, no nosso Centro, também é uma ferramenta para professores, alunos e escolares em quase todo o mundo. Os métodos de ensino atuais são caminhos abertos para métodos inovadores. A atualização é um processo natural e evolutivo de tudo e na educação não é exceção. A Realidade Virtual (RV) facilita a aprendizagem de línguas e melhora significativamente os resultados de aprendizagem dos alunos. Os alunos memorizam um vocabulário maior por meio da prática, concentração e envolvimento na aula, devido à tecnologia de imersão. Não é apenas aprender; é experimentar a linguagem. A RV afeta a aprendizagem da linguagem devido à chamada memória espacial de uma pessoa. Só começa a funcionar ativamente devido à imersão na realidade virtual. Obtemos o efeito de absorção dinâmica de conteúdo, o que leva a um rápido aumento no vocabulário e na memorização das regras de pronúncia. A RV traz os seguintes benefícios para o processo de aprendizagem:
– Autocentrado, permitindo aos alunos navegar livremente;
– Auto-dirigido, permitindo aos alunos escolher o que querem aprender em cada nível, dentro do padrão CEFR europeu;
– Multi-sensorial, aumentando o envolvimento do aluno.
– Aumenta a retenção da aprendizagem e a motivação pessoal para o desenvolvimento do estudo.

Apesar dos tempos complexos que (ainda) atravessamos devido às consequências da Covid-19, podemos afirmar que, no caso, a OHC está muito bem preparada para responder às necessidades dos alunos, tendo em conta as soluções que oferece? Em que medida?
Devido à pandemia, a OHC foi uma ferramenta importante para a saúde mental das pessoas, pois as mesmas conseguem ocupar-se e estudar a partir de casa e utilizar o tempo para aperfeiçoar as competências profissionais.

Uma das principais visões desta organização é a promoção da integração dos alunos na sociedade. Qual tem vindo a ser a evolução neste sentido?
Toda sociedade deveria preocupar-se com o processo de integração e treino da sua população e nós somos somente mais uma ferramenta deste processo. No nosso caso, trabalhamos em colaboração com os Ministérios da Educação e do Trabalho com o propósito de capacitarmos as pessoas e recolocarmos os profissionais no mercado.

Em constante evolução e reconhecido pela qualidade dos seus serviços, o Luxemburgo é hoje um país valorizado pela Europa. O mercado está a formar profissionais para responder às suas necessidades?
O mercado de trabalho, está sempre em profunda transformação e evolução e a formação continuada de um profissional deve fazer parte do seu percurso. O Luxemburgo é um mercado que exige qualidade e vários idiomas dos profissionais. O nosso maior objetivo é estimular os alunos para processos inovadores e apostar na qualidade nas atividades profissionais.

Enquanto Presidente da OHC – qual o seu olhar para o futuro a curto e médio prazo?
Na nossa missão o importante é fortalecermos as bases pessoais e profissionais dos nossos alunos. Isso exige a curto prazo um grande esforço para sairmos da zona de conforto e descobrirmos novas tecnologias e processos inovadores de educação. No médio prazo já podemos ver os frutos que estamos a plantar na nossa estrada da Educação desde 2016 e essa é nossa maior satisfação.

wwww.officehousecapellen.com