“Toda a nossa estratégia assenta nos pilares da Sustentabilidade”

A Sustentabilidade é hoje um conceito cada vez mais em voga. Contudo, para que essa promoção efetiva da Sustentabilidade seja uma realidade visível e com efeitos, é necessário fazer mais do que simplesmente falar sobre este termo (sustentabilidade). Desta forma, fomos conversar com Apolónia Rodrigues, Presidente da Associação Dark Sky, que nos deu a conhecer como a instituição tem timbrado a sua orgânica e estratégia assente em pilares da Sustentabilidade. Mas conheça mais e descubra um exemplo claro da promoção da Sustentabilidade.

1014

O Dark Sky® Alqueva nasceu com bases e pressupostos distintos enquanto projeto e evoluiu para uma marca destino a par do crescimento da sua reputação. Após anos de atividade, prémios e reconhecimentos a nível internacional, quem é hoje esta marca?
É uma marca em consolidação associada a um destino que está em crescimento. Desenvolver uma marca destino assente nos pilares da sustentabilidade é sempre algo muito complexo, não somente pelo que está em causa, mas acima de tudo pela rede igualmente complexa de competências de diversas entidades que por vezes têm interesses conflituantes. Por outro lado, os reconhecimentos e prémios, assumem-se como uma responsabilidade acrescida que deve ser entendida como extensível não apenas aos parceiros da Rede Oficial Dark Sky® Alqueva mas também ao território e às suas entidades.

Destinos Starlight são lugares que têm poluição luminosa muito baixa, onde os visitantes podem desfrutar de oportunidades únicas e inigualáveis para o ver o céu noturno – e Alqueva é um deles. O que faz com que este destino, alinhado com o projeto Dark Sky® seja único e, por isso, especial?
Além de uma excelente qualidade do céu noturno, é necessário incluir na análise a estabilidade da atmosfera e a sua transparência. Mas também a disponibilidade do recurso, o céu noturno, e aí importa referir que em média este destino apresenta um potencial de 286 noites de céu limpo. Sobre estes quatro critérios surge um quinto e que é analisado pela qualidade da oferta turística ao nível do alojamento, restauração, atividades de animação e do património natural e construído. Neste campo, desde o início do desenvolvimento do projeto que foi dada grande importância à oferta de serviços associada ao astroturismo e por isso dedicámos muito tempo a desenvolver as nossas atividades.
O que faz este destino tão especial é o alinhamento, que diria quase perfeito, daquilo que é fundamental para um destino de astroturismo de qualidade. E neste alinhamento incluímos a conjugação do céu noturno protegido de excelente qualidade com a paisagem (ainda) diversificada, a oferta turística criada especificamente pelo Dark Sky® e os seus parceiros, a identidade do território e, sem nunca esquecer outro fator muito importante, a disponibilidade do seu céu noturno.

A preocupação do Dark Sky® com o ambiente é real. A Associação tem o orgulho de ser signatária da iniciativa “Global Tourism Plastics Initiative”, liderada pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente e pela Organização Mundial do Turismo. Como signatária, que visão é aqui representada?
O Dark Sky® estipulou um conjunto de compromissos enquadrados nos objetivos da iniciativa liderada pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente “United Nations Environment Programme” e pela Organização Mundial do Turismo (OMT), em colaboração com a Fundação Ellen MacArthur. Em qualquer estratégia de sustentabilidade é muito importante estabelecer metas que nos permitam atingir os objetivos, por exemplo de redução do consumo de energia, diminuição da poluição luminosa, diminuição do uso de plásticos, entre outros. Mas quando conseguimos que esse trabalho esteja integrado numa estratégia mais ampla, como é o caso desta iniciativa, acabamos por conseguir amplificar as nossas conquistas e obter mais valias ao nível de ferramentas e de conhecimento que nos permitam ir mais longe.
É por estes motivos que também estamos associados à iniciativa One Planet Travel with Care e nos juntámos à Declaração de Glasgow.

Até 2025, a Associação Dark Sky® compromete-se com diversos pontos, nomeadamente em eliminar artigos e embalagens de plástico que sejam problemáticos ou desnecessários. Para a atividade deste destino marca, quão importante é este tipo de medidas?
É muito importante pois toda a nossa estratégia assenta nos pilares da sustentabilidade. E isto significa que em todo o nosso trabalho temos sempre de ter uma preocupação acrescida com o impacto que geramos a curto, médio e longo prazo. O mesmo se aplica aos gestos do dia a dia, seja na criação de give-aways, no embalamento dos nossos materiais, ou nas atividades que desenvolvemos. Em todas as atividades que desenvolvemos ou nas que estamos a criar, por vezes surgem desafios acrescidos para que possamos manter os nossos compromissos, mas são esses desafios que nos ajudam a encontrar soluções que tenham menos impacto no ambiente, especialmente no que respeita o uso de plásticos.

Considera que o Dark Sky® Alqueva contribui, ainda, para o desenvolvimento, sensibilização e consciencialização da importância do incremento de medidas sustentáveis em todo o Alentejo? Que impacto o fomento desta ideia traz ao território e a toda a rede de parceiros?
Estamos convictos que sim, especialmente pelo trabalho que desenvolvemos há anos no combate à poluição luminosa. Gostaríamos de conseguir contribuir ainda mais, mas os recursos necessários para o desenvolvimento do destino são muito elevados e não nos deixam muita margem de manobra. Toda a sensibilização e consciencialização associada à sustentabilidade requer elevado envolvimento de recursos humanos, para além de recursos financeiros. E com recursos escassos temos de fazer escolhas.

Prova do reconhecimento deste destino de astro turismo é os prémios que tem angariado ao longo dos tempos. Falando do recentemente conquistado World’s Responsible Tourism Award 2022, de que forma esta distinção reforça a missão de proteção do céu noturno, que nasceu em 2007?
Estes reconhecimentos contribuem para o fortalecimento do trabalho e permitem mostrar que estamos a caminhar no sentido correto. A visibilidade acrescida ajuda-nos a chegar a outros públicos alvo fundamentais para a nossa missão de proteção do céu noturno, seja ao nível local, regional, nacional e internacional. A proteção do céu noturno está intimamente ligada ao objetivo quase zero de poluição luminosa e à qualidade do ar. Mas no que toca a poluição luminosa, apesar de poder ser óbvio que é necessário reduzir o excesso atual, a verdade é que este tema é muito sensível e difícil de trabalhar.