“Será, portanto, um futuro muito fértil em projetos inovadores”

Em ocasião do 13º aniversário da Galbilec, José Figueiras, Diretor Executivo da marca, conversou com a Revista Pontos de Vista sobre os projetos vigentes e, ainda, os que marcarão o vindouro.

336

O portefólio da Galbilec é rico em projetos distintos e têm, em particular, estreita ligação às Santas Casas da Misericórdia, Lares, Residências Sénior, entre outros. Para melhor entender, porquê estes projetos?
Percebemos desde muito cedo que existia margem de crescimento neste mercado. Esta é uma área de atuação diferenciada, em que é necessário compreender o propósito da existência das instituições destes setores, para ser possível prestar um serviço de qualidade, quer para as instituições quer para a comunidade que estas servem.
Isto permitiu ao longo dos últimos treze anos, reunir um portfólio de projetos com um foco na área da economia social e da saúde de valor acrescentado.

Prova disso mesmo é a nova unidade funcional da Santa Casa da Misericórdia de Riba D’Ave, que contou com a Galbilec como responsável global do projeto. Que ADN a marca colocou neste e em projetos semelhantes e que os tornaram únicos no país?
O CIDIFAD é, por si só, um exemplo de projetos pioneiros, neste caso na área das demências. E é aqui que queremos estar: na linha da frente de projetos diferenciadores e com impacto real e direto no desenvolvimento das comunidades, e que sejam respostas inovadoras e diferenciadoras para as pessoas que servem.

De 1 a 3 de junho de 2023 realizou-se o 14º Congresso Nacional das Misericórdias, em Lisboa, e tem a Galbilec como patrocinador principal do evento. Além da ligação que a marca tem a projetos sociais e de saúde, qual a relação que a mesma tem, atualmente, com a União das Misericórdias Portuguesas?
Fomos patrocinadores na 14ª Edição do Congresso Nacional das Misericórdias pela relação que temos vindo a construir com uma das mais relevantes entidades no âmbito da Economia Social em Portugal.
Resultado disso, assinámos, em 2021, um protocolo institucional que visa potenciar a atividade e reforçar o objeto social das Misericórdias portuguesas, proporcionando condições favoráveis à criação de novos projetos ou requalificação dos existentes.

Neste sentido, quais os fatores que impulsionam a Galbilec a figurar o 14º Congresso Nacional das Misericórdias? Que mais-valias, os temas destacados terão não só para a marca como para o seu setor?
O setor social atravessa um período de grandes desafios, mas também de oportunidades. Mais do que apenas o reconhecimento da competência da Galbilec, termos sido patrocinadores deste evento significa o compromisso em impulsionar o progresso, a dedicação ao crescimento do setor e a aposta na inovação e construção de um legado que perdure.

Por fim, que outros projetos estão a ser «desenhados» ou estão já em curso para os próximos tempos?
Fruto dos financiamentos do PRR e do PARES 3.0, entre outros, temos estado a desenvolver diversos projetos para o alargamento de respostas sociais típicas, desde ERPIs, creches, UCCI, etc., mas também respostas diferenciadoras, com uma visão mais atualizada e inovadora do perfil da pessoa que estas respostas irão servir.
Será, portanto, um futuro muito fértil em projetos inovadores.