Sintomas do Olho Seco podem agravar no Verão!

Conforme o verão se aproxima, é importante lembrar que a incidência de alguns problemas oculares pode variar de acordo com as estações do ano. A Síndrome do Olho Seco é um exemplo clássico disso. Destaca-se pela sua frequência e intensidade, que tende a agravar-se durante os meses de verão devido a mudanças ambientais e comportamentais típicas deste período.

1885

Salgado-Borges. MD, PhD, FEBO, Diretor Clínico da Clinsborges, Embaixador em Portugal do TFOS (Tear Film & Ocular Surface Society) e Membro da EUDES (European Dry Eye Society)

www.clinsborges.pt / www.salgadoborges.com

O que é o Olho Seco?

Para compreender o porquê de os sintomas do olho seco tenderem a aumentar no verão, é essencial entender o que é a Síndrome de Olho Seco. Trata-se de um distúrbio que causa desconforto ocular pela instabilidade do filme lacrimal e, consequentemente, pode danificar a superfície ocular se não for tratado atempadamente. Os olhos necessitam de lágrimas para se manterem saudáveis e confortáveis. No entanto, quando há um desequilíbrio ou deficiência no sistema lacrimal, ou quando as lágrimas evaporam mais rápido do que o expectável, o paciente pode manifestar sintomas do olho seco.

Porque é que o Verão intensifica os sintomas do Olho Seco?

São vários os fatores ligados ao verão que podem contribuir para o agravamento da Síndrome de Olho Seco. A utilização mais frequente do ar condicionado, que seca o ambiente, a exposição prolongada ao sol, a insuficiente ingestão de água, o cloro das piscinas, o sal do mar e a exposição excessiva aos aparelhos digitais, são alguns dos fatores que potenciam este problema.

Além destes, existem outros fatores de risco que, quando aliados aos anteriormente mencionados, agravam ainda mais esta condição. Estes incluem o envelhecimento (especificamente a menopausa na mulher), efeitos secundários de alguns medicamentos como os anti-histamínicos, doenças que afetam a capacidade de produzir lágrimas, como a artrite reumatoide e a Síndrome de Sjogren, e o uso prolongado de máscaras de proteção facial.

Dicas para o Verão

Embora seja uma estação repleta de atividades agradáveis ao ar livre, pode aumentar a incidência e intensidade dos sintomas do olho seco. Mas, com algumas medidas preventivas, é possível desfrutar das atividades de verão e manter a saúde dos seus olhos quase intacta. Partilho assim algumas dicas para aplicar no seu dia a dia:

Proteger os olhos do sol: A exposição excessiva ao sol pode aumentar a evaporação das lágrimas e, por isso, é fundamental usar óculos de sol com proteção UV, que bloqueiam os raios UV nocivos. Além disso, sempre que possível, deve tentar manter-se à sombra durante o horário mais quente do dia.

Hidratar-se: A desidratação pode contribuir para a secura ocular. Certifique-se de beber água suficiente ao longo do dia, especialmente se estiver ao sol ou praticar atividades físicas.

Cuidado com o ar condicionado: O uso frequente do ar condicionado pode ressecar o ambiente, o que pode agravar qualquer sintoma de olho seco. Sempre que possível, ajuste o ar condicionado para uma temperatura moderada e tente evitar o fluxo direto de ar sobre os olhos.

Usar óculos de natação: Se gosta de nadar, lembre-se de que o cloro das piscinas e o sal do mar podem irritar os seus olhos. Nesses casos, usar óculos de natação pode ajudar a proteger os seus olhos durante essas atividades.

Limitar o tempo de exposição aos ecrãs: A exposição excessiva aos aparelhos digitais pode contribuir para a secura ocular, pois tendemos a piscar menos quando olhamos para os ecrãs. Fazer pausas regulares para descansar os olhos é essencial. Sugiro sempre aos meus pacientes seguir a regra 20-20-20: a cada 20 minutos; observe um objeto a 20 pés de distância (cerca de 6 metros) por pelo menos 20 segundos e pestaneje ou pisque os olhos.

Evitar a exposição ao fumo: O fumo de fogueiras ou churrascos pode irritar os olhos e piorar os sintomas do olho seco. Tente posicionar-se de modo a evitar que o fumo vá diretamente para os olhos.

Manter a higiene ocular: Manter os olhos limpos e livres de detritos ou poeiras. Se possível, usar soluções de limpeza ocular para lavar os olhos após um dia ao ar livre.

Descansar os olhos: Reservar um tempo para fechar os olhos e permitir que eles descansem, especialmente após longos períodos de leitura, trabalho ao computador ou exposição ao sol.

Estas dicas, aliadas a uma consulta regular com o seu oftalmologista, podem ajudar a prevenir o agravamento da Síndrome de Olho Seco durante o verão e garantir que possa aproveitar ao máximo esta estação, mantendo os seus olhos saudáveis.

Tratamento e Prevenção

O tratamento do olho seco varia significativamente, dependendo da gravidade dos sintomas e da causa subjacente. Em casos de condição ligeira, simples alterações no estilo de vida e o uso de lágrimas artificiais (sem conservantes) podem ser suficientes para proporcionar alívio. Entretanto, em casos de condição moderada ou grave, é necessário um tratamento especializado. Neste contexto, o Centro Integrado de Olho Seco (CIOS) representa um recurso valioso para os pacientes. Trata-se de um centro de excelência que se dedica ao estudo, diagnóstico e tratamento desta condição, disponibilizando aos pacientes uma ampla variedade de opções terapêuticas. As abordagens utilizadas no nosso CIOS incluem medicamentos para aumentar a produção de lágrimas, técnicas de conservação de lágrimas, tratamentos para inflamações das pálpebras, e o uso de tecnologias emergentes tais como a Luz Intensa Pulsada (IPL) e o PRGF – Endoret.

Adicionalmente, o Centro Integrado de Olho Seco tem um papel crucial na prevenção da Síndrome de Olho Seco em Portugal, através da educação dos pacientes e da promoção de hábitos saudáveis.

Importante:
Preste Atenção aos Sintomas

O diagnóstico precoce é crucial para o tratamento efetivo da Síndrome de Olho Seco. Se apresentar sintomas como sensação de ardência, prurido, sensação de areia ou corpo estranho no olho, vermelhidão, hipersensibilidade à luz, visão enevoada, dificuldade em usar lentes de contacto, lacrimejo excessivo, é fundamental procurar logo que possível um atendimento especializado.

Além destes sintomas, também podem surgir relatos de sensação de olhos cansados, principalmente ao final do dia ou após períodos prolongados de leitura ou utilização de computador. Em alguns casos alguns dos sintomas podem ser piores pela manhã, principalmente em pacientes com disfunção das glândulas de Meibomius.

Importante referir que estes sintomas não são exclusivos do olho seco e podem ser indicativos de outras condições oculares. Portanto, sugiro a realização da avaliação por um oftalmologista para que possa obter um diagnóstico correto.

Conclusão

O verão é sem dúvida uma época para desfrutar do clima quente, das férias e de momentos relaxantes, mas também é um período no qual devemos redobrar o cuidado com a saúde dos nossos olhos. Assim, é evidente que há a necessidade de estar atento a qualquer alteração ocular e procurar assistência médica caso seja necessário. A prevenção é sempre o melhor remédio e a nossa saúde ocular merece tanta atenção quanto a nossa saúde em geral.

Cuide bem dos seus olhos e aproveite ao máximo a estação mais quente e relaxante do ano!