InterContinental Luanda – O ponto de encontro para Histórias memoráveis

Numa entrevista exclusiva com o Diretor-Geral do Hotel InterContinental, em Luanda, Angola, explorámos a essência por detrás deste empreendimento, desde o seu entusiamo ao abraçar o projeto, até aos pontos distintivos que o destacam como um dos melhores no mercado. O próprio salientou ainda, o papel ativo do Hotel no crescimento económico e turístico de Angola, enfatizou a importância de contribuir para o desenvolvimento local e ressalvou como a cultura lusófona permeia a experiência oferecida.

760

Desde 1946, o Hotel InterContinental, que faz parte da renomada cadeia de hotéis InterContinental Hotels & Resorts, sob o prestigiado grupo global IHG Hotels & Resorts, tem cativado turistas de todo o mundo, estabelecendo-se como um ponto de encontro para líderes de estado, um cenário para discursos que moldam o curso da história e o palco de algumas das histórias de amor mais célebres de todos os tempos.

Com uma tradição rica e um compromisso inabalável com a excelência, o InterContinental Hotels & Resorts tornou-se sinónimo de exploração ousada e descoberta cultural. Cada estadia neste hotel é uma jornada única, repleta de oportunidades para desvendar os encantos da cidade de Luanda e as suas tradições. A experiência oferecida vai muito além do conforto e luxo – é uma imersão cultural local e uma oportunidade de ampliar o conhecimento do mundo através das viagens.

Certo é, no InterContinental, em Luanda, os hóspedes são recebidos como uma mistura de sofisticação e hospitalidade calorosa. As instalações são projetadas para responder às necessidades dos turistas modernos, acabando por oferecer, nesse sentido, uma variedade de comodidades de classe mundial. Desde quartos elegantemente decorados, até restaurantes que exploram sabores autênticos de culinária local e internacional, cada detalhe é cuidadosamente considerado para proporcionar uma estadia (e experiência) memorável.

Importa referir também que, além do conforto dentro de portas, a localização do InterContinental, em Luanda, permite que os hóspedes explorem facilmente as atrações da cidade, mergulhando na história rica, arte e cultura que esta região de Angola tem para oferecer. Seja para negócios ou lazer, este hotel resulta num ambiente propício para momentos inesquecíveis.

A conclusão é fácil: cada estadia no Hotel InterContinental é mais do que um simples alojamento, é uma oportunidade de criar lembranças duradouras, de vivenciar a excelência em hospitalidade e de participar na tradição de uma marca que tem sido um farol para turistas apaixonados pelo mundo.

Comecemos por falar sobre a história do Nuno Neves. Seja a nível profissional ou pessoal, o que nos pode contar da sua jornada até ao momento?
Tem sido uma epopeia cheia de emoções, de descobertas e acima de tudo de aprendizagem a cada dia da minha vida.

É licenciado em Turismo e Gestão Hoteleira e conta com diversos anos de experiência e conhecimento nesta área. O que é que mais gosta nesta sua atividade?
A relação humana e o facto de ser reconhecido pelas pessoas no geral. Principalmente a possibilidade de deixar legados para o futuro pelos sítios onde tenho trabalhado.

Algo inerente a todas as carreiras e a todos os setores de atividade são os desafios e conquistas que se vão colocando no caminho. Assim, em ambos os casos, o que é que mais marcou a sua carreira na indústria da hotelaria?
Desafios que ao início parecem impossíveis de virem a ser ultrapassados, mas depois com muita vontade e garra são um êxito e histórias de sucesso.

Certo é que, atualmente é Diretor-Geral do InterContinental, Luanda, em Angola, uma cadeia de hotéis do grupo global IHG Hotels & Resorts. De forma a contextualizar o leitor, como surgiu esta oportunidade e com que sentimento a encarou?
Esta oportunidade surgiu num contexto muito peculiar no meio da pandemia da Covid-19, em que o IHG estava à procura de um DG com o meu perfil, pois não o tinha na sua carteira de dados. Assim que soube o que era e em Luanda aceitei logo sem reticências.

Há três anos, quando aceitou e abraçou este desafio, a que objetivos se propôs alcançar seja para si, enquanto Diretor Geral, como para o projeto e sua qualidade, longevidade e diferenciação?
Implementar e assegurar que o primeiro hotel de uma cadeia Internacional em Angola seja uma realidade e que se solidifique no futuro.

Há mais de 70 anos que o InterContinental Hotels & Resorts tem vindo a encantar turistas e amantes de viagens um pouco por todo o mundo – e também em Angola. O que é que, na sua opinião, diferencia este complexo hoteleiro de outros da região? Quais são as características ou serviços que fazem deste hotel um dos melhores?
A aposta no treino constante dos funcionários através dos nossos standards e a consistência do serviço.

A sustentabilidade é, hoje, um dos temas mais importantes e que mais convém aprimorar. Sendo este um dos mais conhecidos hotéis do mundo, de que forma garante o seu impacto positivo a longo prazo?
O IHG aposta muito forte na sustentabilidade e trabalhamos com objetivos anuais tangíveis para obter o máximo nesta área.

O InterContinental, em Luanda, afirma que está a dar ao mundo do setor para o futuro do país. Para melhor entender, o que quer isto dizer?
Com a nossa presença em Luanda, Angola está automaticamente no mapa mundial pois operamos mais de seis mil hoteis no mundo, ligados a um sistema de reservas e publicidade presentes em todas as áreas e estruturas turísticas do mundo.

Além disso, este complexo hoteleiro tem vindo a desempenhar um papel ativo no crescimento económico e no setor turístico de Angola. Assim, como é que o mesmo tem contribuído para o desenvolvimento económico e turístico do país?
Através do bom nome que vai saindo dos nossos clientes que nos visitam de todos os quadrantes privados, económicos e políticos dos cinco continentes.

Sabemos que, por exemplo, o InterContinental tem recebido cimeiras mundiais, em que estão presentes chefes de estado, importantes não só para o país como para o mundo. Que importância tem a realização destes eventos? Que outras iniciativas este complexo hoteleiro implementa para promover negócios, turismo local e apoiar a economia do país?
Trata-se de uma imagem de marca que se está a estabelecer, e cada vez fica mais solidificada e consistente.

Falemos, agora, da Lusofonia, espaço que Angola integra. Em que medida a cultura lusófona influencia a experiência oferecida pelo InterContinental?
Os futuros grandes hoteleiros Angolanos irão ser formados aqui, consequentemente esta geração irá fomentar a Lusofonia pelo mundo.

Como observa, atualmente, a cooperação entre os países de língua portuguesa, nomeadamente no setor do turismo? Em que medida o InterContinental e o próprio grupo IHG Hotels & Resorts promove esta união e a incentiva?
De uma forma muito positiva, mas não muito tangível porque nós estamos inseridos na àrea de Médio Oriente e África.

Considerando a sua experiência no InterContinental, em Luanda, e a influência da Lusofonia, como visualiza o futuro do hotel e a sua contribuição contínua para o desenvolvimento turístico e cultural não só de Angola, mas também na comunidade lusófona em geral?
Através de exposições periódicas de arte e de vez em quando festivais gastronómicos.

De uma forma geral, que planos estão previstos para 2024? Que novidades o InterContinental, em Luanda, irá apresentar e que ambições espera alcançar ao longo destes meses?
Basta apostar na consistência geral e pouco a pouco tentar fazer algo mais. Aqui em Luanda não dá para inventar muito nem ter sonhos que à priori nunca irão ser realizados.

Para terminar, o que significa, para si, ser Diretor Geral deste complexo hoteleiro?
HONRA e ORGULHO.