“O mais importante na vida não são as promessas que fazemos, mas as que cumprimos”

A nível profissional é Consultora Imobiliária, Professora e Organizadora de Eventos. A nível pessoal rege-se por valores como a persistência, a resiliência e o foco. Falamos de Sílvita Bulhosa, da sua visão sobre a vida e da sua missão na sociedade enquanto Mulher Exemplo que conquistou o universo dos negócios. Conheça tudo sobre a nossa entrevistada.

119

A Sílvita Bulhosa é, atualmente, Consultora Imobiliária, Professora e organizadora de eventos. Para começar, como foi o seu caminho até ingressar neste universo e quais foram os desafios mais significativos que enfrentou ao longo da sua carreira até então?
Os meus maiores desafios são: ser mulher e mãe. Por esse motivo, todos os restantes estavam relacionados com essa premissa – ser muito boa profissional, contudo, focada em nunca falhar como mãe.
Ao longo da minha vida profissional deparei-me com vários desafios, ser professora requer que capacite os jovens com valores, atitudes e muito conhecimento de modo que os motive para o seu sucesso escolar e futuramente profissional, portanto assumo assim uma postura de reflexão idealizando uma escola de todos para todos.
Ainda ao nível profissional como diretora financeira, consultora imobiliária e organizadora de eventos, um dos desafios maiores era gerenciar a diversidade, em idade, género, etnia e nacionalidades (uma das minhas vantagens é falar fluentemente inglês e francês) que, como é suposto, cada um com as suas especificidades e motivações.

Fazendo uma retrospetiva, o que é que a inspirou a entrar no mundo imobiliário e o que é que a motiva diariamente nesta profissão?
O trabalho mais desafiador que tive até ao momento foi pertencer ao GGE (Gestor Geral do Empreendimento), no Porto Capital Europeia da Cultura 2001, como Responsável de Custos de todas as empreitadas, esta iniciativa foi acompanhada por um forte investimento na recuperação e construção do espaço público da cidade. Por exemplo, a recuperação do Jardim da Cordoaria da Praça da Batalha e da Praça de D. João I, e as novas construções, o Edifício Transparente e Casa da Música obra emblemática deste evento, conheci muitas pessoas únicas e marcantes.
Diariamente o que me motiva são as pessoas, as relações humanas, sem dúvida.
Como consultora imobiliária, um trabalho de pessoas para pessoas, o meu segredo é ouvi-las, compreender o que pretendem e encontrar o melhor imóvel que se adapta às suas necessidades, seja no momento da sua casa própria ou do seu investimento.

A representatividade feminina é uma questão importante em diversos setores. Como verifica, atualmente, o papel das mulheres na liderança ou em posições de destaque no imobiliário? Que desafios ainda existem?
Tantos desafios… A luta feminina por espaço no trabalho é uma caminhada perseverante, e isso não é diferente para as mulheres no mercado imobiliário. Felizmente, hoje o panorama é muito mais promissor e auspicioso do que era há algum tempo, no entanto, isso não elimina os desafios que invariavelmente temos de percorrer no setor.
Esses desafios incluem, mas não se balizam, a diferenças salariais, assédio no trabalho e dificuldade de conseguir os melhores cargos. A boa notícia é que esses obstáculos não impediram muitas outras mulheres de conquistar seu espaço, e hoje contamos com exemplos de sucesso.

De que forma analisa a contribuição das mulheres neste setor, especialmente em termos de perspetivas e abordagens? Sabendo que a Sílvita Bulhosa conta com skills fortes de negociação, acredita que há diferenças nos estilos de negociação ou abordagens entre agentes imobiliários femininos e masculinos?
Sem dúvida nenhuma que existem abordagens completamente diferentes.
A minha base de formação é Contabilidade e Administração com uma especialização em Finanças Internacionais. Conhecimento é poder e o meu é muito objetivo e prático por ter como base a área de Administração. Toda a minha vida profissional foi em cargos de administração ou gestão, trabalhando diretamente com os CEO’s das empresas, o que me permite ser muito prática, sem rodeios nem tempo a perder. Nesse sentido, confirmo que sou bastante diferente das colegas com quem trabalho normalmente no ramo imobiliário, mas a base feminina, ou seja, como mulher, não gosto de impasses. Por esse motivo, sou facilitadora de forma garantir que o negócio se irá concretizar. Os colegas masculinos, por norma, querem sempre o melhor negócio possível, o que pode levar a um impasse no negócio e consequentemente a sua não concretização.

Quais foram as suas maiores conquistas como Consultora Imobiliária? Existe alguma realização específica que tenha sido particularmente significativa para si, enquanto mulher profissional neste setor?
A minha maior conquista foi o primeiro imóvel para venda, no valor de três milhões de euros. O mesmo foi colocado à venda numa sexta-feira, tive um contacto no sábado, fizemos visita na terça-feira e na semana seguinte estamos a fazer o CPCV (Contrato de Promessa Compra e Venda).
A grande conquista foi que o imóvel estava à venda por outros colegas em várias agências diferentes. Comprometi-me com o vendedor a vender o imóvel em três meses se o contrato fosse em exclusivo comigo – e consegui cumprir essa promessa. O mais importante na vida não são as promessas que fazemos, mas as que cumprimos. Para mim, promessa tem que ser cumprida SEMPRE.

Que conselhos daria a todas as jovens que estão agora a iniciar as suas carreiras no setor imobiliário?
Causa impacto em cada tarefa que vais fazer. Olha e questiona como podes elevar isso para o próximo nível e faz-te confiante sobre ti mesma.
Estes conselhos são para qualquer género. Eu penso que, não todas obviamente, as mulheres não têm tanta confiança interior e tendem a ser muito duras e críticas sobre si mesmas, mais do que precisam. Então espero que todas elas vão em frente e confiem que se alguém consegue, são elas mesmas.

Estamos a iniciar um novo ano. Que ambições tem para os próximos meses, seja a nível pessoal como profissional? O que gostaria de alcançar?
Nada de novo. Vou manter-me fiel a mim mesma e aos meus princípios. Trabalhar muito e foco. Vou deixar uma dica sobre como planifico todas as minhas pretensões.
As metas em 2024 têm que ser S.M.A.R.T:
S – Specific – Crie metas específicas;
M – Measurable – Crie metas mensuráveis;
A – Achievable – Crie metas alcançáveis;
R – Relevant – Crie metas relevantes;
T – Time-bound – Crie metas temporais.
Os meus dez mandamentos:
1 – A vida é uma só! Eu sou responsável pelo que faço;
2 – Ser independente potencializa o sucesso;
3 – Controlo emocional;
4 – Diferente e única sempre;
5 – Flexibilidade perante as mudanças;
6 – Desistir nunca é uma opção;
7 – Reclamações são perda de tempo;
8 – Disciplina acima de tudo;
9 – O Risco leva-me para frente;
10 – Plano de vida bem definido.
E, por fim, a minha linha orientadora:
persistência, resiliência e foco.

E-mail: silvitabulhosa@century21.pt

Telm.: 933 301 249