Deceuninck – Marca de Referência Global

Marca de referência, a Deceuninck é, cada vez mais, considerada um dos principais players a nível mundial no que concerne ao setor de portas e janelas, apresentando soluções sustentáveis, inovadoras e promotoras de valias para o cliente final. Em Portugal, o desafio da Deceuninck não é diferente e passa sempre por continuar a calcorrear um caminho assente nesses desígnios de excelência. A Revista Pontos de Vista conversou com Giorgio Grillo, Diretor Geral da Deceuninck Espanha e Portugal, que nos deu a conhecer diversos pontos da marca que lidera, e que nos permitem compreender as razões que levam a Deceuninck a estar numa posição cimeira na sua área de atuação.

228

Sabemos que a Deceuninck se estabeleceu em Portugal em 2017. Desta forma, como analisa a evolução da empresa no mercado português e quais foram os principais marcos e desafios enfrentados nestes sete anos?
A Deceuninck está presente em Portugal desde os anos 80 do século passado. Em 2017, devido a alterações no mercado, decidimos alargar a nossa presença, apostando, sobretudo, na produção de janelas e portas que ficam em Portugal em vez das que habitualmente são produzidas no país, mas que são maioritariamente exportadas para França e Espanha. Isto significou um grande desafio em todas as frentes, desde a vertente comercial à logística, cujos resultados estão já consolidados, ultrapassando largamente a presença no mercado que tínhamos até 2016.

A Deceuninck destaca-se no mercado europeu pela aposta na sustentabilidade, na inovação e na formação de uma estrutura comercial altamente qualificada. Como é que estes valores têm sido incorporados na estratégia da empresa em Portugal?
Todos estes fatores fazem parte da filosofia empresarial que a Deceuninck desenvolve nos mais de 90 países em que opera. E Portugal não podia ser diferente. Além disso, embora a nossa sede seja em Espanha, pensamos e agimos seguindo uma dinâmica uniformizada, ou seja, através de uma unidade de mercado que é o Mercado Ibérico, sem distinção de países.

A qualidade do produto é uma parte essencial da abordagem da Deceuninck e do reconhecimento da mesma. Neste sentido, de que fotma garantem a qualidade dos vossos produtos no mercado português e, consequentemente, a vossa competitividade no país, uma vez que existe uma oferta muito vasta no setor das portas e janelas?
A qualidade não é um fim em si mesmo, é o resultado de uma correta execução de todos e cada um dos processos que nos levam a oferecer produtos de alto desempenho, tanto do ponto de vista da eficiência energética como do isolamento acústico. Mas não apenas nos nossos processos internos, pois também incluímos e fornecemos a formação necessária aos nossos clientes sobre o fabrico de uma janela ou porta e a sua correta instalação, com o único objetivo de garantir o conforto que o utilizador final espera e de cumprir o paradoxo de um bom produto, ou seja, passar despercebido porque funciona bem e oferece o desempenho que se espera dele, que é de excelência.

Portugal tem as suas particularidades no setor da construção, reabilitação e renovação. Quais têm sido os principais desafios que a Deceuninck tem enfrentado na adaptação ao contexto deste mercado e qual tem sido a abordagem diferenciada da empresa nestes segmentos?
Dada a nossa presença global no mercado das janelas e portas de alto desempenho, o nosso trabalho quotidiano consiste em oferecer soluções que respondam às particularidades da cultura de construção dos mercados em que estamos presentes. Do ponto de vista do produto, Portugal não tem colocado grandes desafios, exceto no que diz respeito à gama de acabamentos de cor, dada, por exemplo, a caraterística que encontramos em cidades como Lisboa e o Porto, em que as janelas têm caixilho verde ou azul, respetivamente, e folha branca. Uma caraterística que é uma marca destas importantes cidades e que resolvemos ao incluir estas cores na nossa gama de acabamentos.
Por outro lado, acreditamos que a língua não deve ser uma barreira, pelo que dispomos de pessoal bilingue e toda a nossa documentação está disponível em ambas as línguas, facilitando o acesso à nossa marca, às nossas diretrizes e à compreensão das mais valias dos nossos produtos.

Além disso, a presença da Deceuninck em Portugal não se limita à esfera comercial. Que exemplos nos pode dar do impacto social e ambiental das atividades da empresa no país? Como é que a marca contribui para as iniciativas locais de sustentabilidade e responsabilidade social?
Como indiquei anteriormente, a nossa forma de entender e fazer negócios vai para além do mero produto e da sua gestão comercial.
O Grupo Deceuninck estabeleceu para si próprio desafios significativos para reduzir a sua pegada de carbono em todo o mundo e já estão em vigor medidas para o conseguir, incluindo ações por parte dos nossos clientes. Por exemplo, recolhemos as sobras e retalhos da produção dos nossos clientes para reutilizar estes materiais em novas janelas, reduzindo o consumo de energia das matérias-primas em 90%. Isto também inclui o tratamento de janelas em fim de vida, embora no mercado ibérico as janelas instaladas ainda estejam em serviço e estimamos que a recolha e o tratamento posterior destas janelas comecem num espaço de dez anos.
Em breve iremos lançar uma ferramenta de software para que os nossos clientes possam medir a sua pegada de carbono e tomar as medidas necessárias para a reduzir antes da entrada em vigor das medidas restritivas da UE.
Sem esquecer que o próprio produto, uma janela ou porta de alto desempenho, aumenta o isolamento térmico, reduzindo a fatura energética da casa.

Em que medida é que a empresa investe também no desenvolvimento dos colaboradore? Diria que esta perspetiva de aprendizagem constante tem sido crucial para o sucesso da empresa no mercado português?
A Deceuninck concebe, fabrica e comercializa sistemas de perfis de janelas e portas de alto desempenho. São os nossos agentes autorizados, a que preferimos chamar de parceiros, e que transformam o nosso produto em vendas ao nível de portas e janelas, para os quais consideramos essencial a formação, atividade que desenvolvemos com eles desde o primeiro dia. E não só em termos de fabrico, mas também em termos de instalação de janelas, marketing e até gestão de negócios. Esses processos e essa filosofia são essenciais para garantir o sucesso da marca, a qualidade dos produtos e o conhecimento sobre os mesmos.

Finalmente, quais são as perspetivas e objetivos a longo prazo da Deceuninck em Portugal, e como é que a empresa pretende manter e reforçar a sua posição de liderança neste mercado?
Estamos claramente empenhados em crescer em conjunto com os nossos parceiros em Portugal e continuar a desenvolver o mercado ibérico, oferecendo soluções inovadoras e sustentáveis como os nossos perfis ThermoFibre, os reforços Forthex em vez do tradicional reforço metálico e a circularidade de todos os nossos produtos, tudo com o único objetivo de proporcionar conforto e poupança ao cliente final.