Hotel Continental Horizonte: Uma Homenagem à cultura Angolana

Carlo Martins, Diretor F&B do Hotel Continental Horizonte, um projeto situado no coração da Maianga, em Luanda, contou à Revista Pontos de Vista a sua inspiração para a viagem sensorial que se «vive» dentro destas paredes, preenchidas com sentimento, cultura e bons produtos angolanos.

307

Atualmente é Diretor F&B do Hotel Continental Horizonte, um projeto situado no coração da Maianga, em Luanda. O que nos pode contar sobre a sua experiência ao trabalhar neste espaço?
Está a ser uma experiência a todos os níveis muito enriquecedora e desafiante. Todos os dias somos (Hotel Continental Horizonte) obrigados a reinventar-nos, a readaptar-nos e a inovar graças a um mercado hoteleiro que está cada vez mais competitivo, a um cliente que tem cada vez mais cultura turística seja de lazer ou corporate, que nos obriga, no bom sentido, a ter um serviço e um produto de topo a nível mundial que o faça sentir em Angola tão bem como em qualquer grande capital mundial.

É impossível ficarmos indiferentes à riqueza dos detalhes que remetem à cultura angolana, mas também à impressionante arquitetura contemporânea que caracteriza o Hotel Continental Horizonte. De que forma esta fusão este o moderno e o tradicional se reflete no serviço de Food & Beverage?
Toda a nossa base de F&B é uma homenagem à cultura, aos bons produtos que Angola e África têm, à sua história. Foi essa a nossa inspiração para a viagem sensorial que os clientes e amigos que nos visitam podem encontrar nos nossos outlets. Ao contrário de muitos, nós não fomos contra as nossas raízes, mas utilizamos estas para dar sabores e experiências distintas seja através da nossa comida, ou dos nossos cocktails de assinatura, usando técnicas e produtos atuais, distintos como por exemplo o nosso sushi Angolano.

Como líder na área de F&B, como garante que a equipa sob a sua supervisão mantenha os mais altos padrões de qualidade e atendimento, contruindo assim para a reputação do Hotel como referência no setor em Angola?
É imperativo estar sempre presente na operação, acompanhando esta e intervindo sempre que necessário. É fulcral apostar na formação constante. Apesar da procura por posições na área de F&B ter sido muito grande por parte de profissionais de marcas reputadas pelo mercado e com vasta experiência, nós optamos por contratar profissionais sem experiência e darmos nós a formação, o que faz com que estes sejam formados mediante a filosofia de trabalho que queremos implementar, em certa parte facilitou-nos a nos diferenciar da concorrência e a dar um serviço único e próximo do cliente.

Um dos aspetos mais cativantes do Hotel Continental Horizonte é a sua capacidade de criar uma atmosfera que não só acolhe os hóspedes, como também os emerge na cultura angolana. No seu entender, em que medida essa atmosfera influencia a perceção dos clientes sobre a qualidade e autenticidade da experiência dos mesmos?
É fulcral pois quem nos visita vem à procura de autenticidade, Angolana no nosso caso, que aliamos à sofisticação. Além do mais, somos privilegiados pela nossa localização que dá aos nossos clientes uma perspetiva realista daquilo que é Luanda, Angola, especialmente do nosso rooftop onde temos uma vista de 360º, uma vista “purista” e verdadeira da beleza natural da nossa cidade.

No contexto da lusofonia, onde a diversidade cultural é celebrada e valorizada, o Hotel Continental Horizonte destaca-se como um ponto de encontro para pessoas de diferentes origens e nacionalidades. De que forma o departamento de F&B contribui para a promoção dessa interculturalidade e na criação de experiências gastronómicas?
Costumo dizer que um hotel sem um departamento de F&B apurado, é um hotel sem alma, são paredes vazias e sem sentimento. As sensações que tornam uma simples estadia em algo memorável, intercultural vem da experiência que colocamos na mesa dos nossos estimados clientes e Amigos, ou nas bebidas.

À medida que o Hotel Continental Horizonte se estabelece como uma referência no setor hoteleiro angolano, quais são os principais desafios que antevê como Diretor F&B, para manter as relevâncias e a competitividade do projeto num mercado em constante evolução?
Numa altura em que se ouve falar da entrada de players internacionais no nosso mercado, é importante sermos criativos, estudar e, mais importante, criar novas tendências, aliás parte do nosso sucesso deve-se à forma diferenciada com que entramos no mercado, apresentando produtos novos que estão a ter um forte impacto perante o nosso mercado. Os Angolanos e os turistas que nos visitam precisavam e precisam de produtos diferenciados, de qualidade como aqueles que encontramos facilmente nas grandes capitais mundiais. Chegou a hora de nós, Angola, também criarmos produtos novos e inovar. Angola tem tudo para ser o destino líder de África.

Por fim, olhando para o futuro, quais são as suas perspetivas para o crescimento e desenvolvimento do Hotel Continental Horizonte? Como planeia continuar a elevar o padrão de excelência em serviços de F&B?
As perspetivas que temos são muito positivas, tendo em conta o feedback que temos recebido por parte daqueles que nos escolhem para permanecer em Luanda. Sabemos que temos um produto diferenciado, personalizado e de alta qualidade nos outlets, o que nos diferencia e muito dos concorrentes que trabalham para um produto massificado e que se torna cada vez mais obsoleto.
No departamento de F&B e na parte dos eventos, estamos a espacializar-nos nos eventos “pop up” adaptados à realidade financeira de cada cliente e feitos à medida deste, eventos “taylor made”.
Está também previsto criarmos um laboratório de mixologia para os bares e de gastronomia para a cozinha a cargo do Chefe Executivo Fábio Ramos onde vamos ser mais arrojados e criar os nossos produtos, armas fundamentais para quem criar tendências.
Finalmente, continuar a apostar na formação da excelente equipa que temos e que está ao nível das melhores a nível mundial.
Uma equipa embaixadora do bom que se faz em Angola e que recebe elogios todos os dias de clientes das mais diversas nacionalidades conhecedoras da realidade turística internacional.
Não é por mero acaso que apesar de termos aberto há pouco tempo, já temos nomeações para prémios internacionais, representando, e bem, Angola.