Aqui é Fresco: 13 anos de Proximidade e Qualidade

Em entrevista à Revista Pontos de Vista, Carla Esteves, Diretora Executiva da rede Aqui é Fresco, destaca os 13 anos de sucesso da marca e reforça o seu compromisso com a proximidade e a qualidade que, ao longo de todo este tempo, tem vindo a caracterizá-la no mercado. A própria confidenciou-nos, ainda, as metas para este ano e os planos que serão implementados para as atingir. Saiba tudo.

256

Para começar, gostaríamos de parabenizar a rede Aqui é Fresco pelo seu mais recente Aniversário. Neste contexto festivo, enquanto Diretora Executiva, poderia partilhar com os leitores alguns momentos marcantes e conquistas significativas que a marca celebrou ao longo destes 13 anos de vida?
Antes de mais, muito obrigada pelos parabéns endereçados. Para a rede ‘Aqui é Fresco’, que nasceu com a crise financeira de 2011 numa iniciativa destinada a proteger o comércio local e de proximidade da enorme recessão então vivida, existiram múltiplos momentos marcantes ao longo destes 13 anos de crescimento e de consolidação de uma rede que reúne já cerca de 700 lojas de proximidade.
Foi uma grande conquista termos assegurado ao longo destes anos uma identidade comum na qual os nossos retalhistas se reveem. Bem como conseguirmos uma marca cuja identidade assenta também, para além da qualidade dos produtos e da atratividade dos preços, em valores como a sustentabilidade, desperdício e no apoio às famílias.
Fomos expandindo o número de lojas pelo país e aumentando a faturação e enfrentámos com sucesso a pandemia, com base numa dinâmica inovadora ao nível da capacidade de resposta comercial e nas entregas ao domicílio.

Para este ano de 2024, quais são os principais desafios que a Aqui é Fresco prevê enfrentar e que estratégias estão a ser planeadas para os superar? Além disso, quais são as metas que a marca estabeleceu para este ano no que diz respeito ao crescimento, inovação ou impacto na comunidade?
Em termos de crescimento, gostaríamos de abrir 30 novas lojas em 2024, de conseguir superar a faturação de 500 milhões de euros atingida no ano passado e também de dar os passos necessários para uma presença mais alargada na região do Alentejo e Algarve, onde temos ainda muito por onde crescer. Para isso há, no entanto, que vencer o desafio que decorre da limitação do número de armazenistas e cash & carry nessa grande zona do país.
Pretendemos também que, este ano, a nossa convenção anual ‘Aqui é Fresco’ em Braga supere os resultados da edição de 2023, a qual por sua vez já tinha ultrapassado em muito a convenção anterior e que agregue igualmente um número cada vez mais representativo de fornecedores e parceiros. Tudo aponta nesse sentido, prosseguindo a dinâmica de crescimento que temos vindo a registar. Mas para o conseguirmos, obviamente, contará também muito a situação económica que o país irá viver este ano. Esperamos também que, beneficiando da entrada em funções de um novo governo, se consigam debelar os fatores que limitam quer o investimento por parte das empresas, quer o consumo por parte das famílias.

Certo é que, por falar em impacto na comunidade, o lema “Perto e de Confiança” reflete o compromisso com isso mesmo. De que forma a marca tem estado envolvida com a comunidade ao longo destes 13 anos?
O comércio de proximidade é, por definição, uma atividade com uma componente profunda de envolvimento com as comunidades do bairro onde as lojas se inserem. O dia a dia de uma loja da rede ‘Aqui é Fresco’ assenta nesses mesmo pilares que a assinatura que citou reflete: Proximidade e Confiança. São relações que se consolidam com o tempo, os diálogos diários, a troca de experiências e vivências. Nas nossas lojas ‘Aqui é Fresco’ há toda uma dimensão comunitária e humana para além das relações de natureza comerciais.

Considerando a sua experiência à frente da Aqui é Fresco, como visualiza as perspetivas para o comércio local em 2024? Existem tendências ou desafios que a rede está a antecipar e a preparar-se para superar?
Penso que já disse o essencial, na resposta à segunda pergunta. Externamente, acrescentaria apenas o desejo de que a carga fiscal sobre as pequenas empresas seja reduzida, para que não tenhamos que assistir ao encerramento de mais pequenos negócios. Internamente, mencionaria a indispensabilidade de correspondermos à tendência crescente da digitalização, quer no que respeita ao processo de compra quer à promoção das nossas iniciativas de marca junto dos consumidores. De resto, vamos melhorar ainda mais os nossos folhetos promocionais quinzenais, apostar na qualidade dos produtos a um preço competitivo e em manter ou reforçar o ritmo das ações promocionais e ofertas.

Mencionou, recentemente, o objetivo de expandir as ações de consciencialização sobre sustentabilidade. Neste sentido, que iniciativas a Aqui é Fresco está a implementar para promover a sustentabilidade, tanto dentro de lojas como em colaboração com os parceiros?
Queremos apostar fortemente, em termos de ações de sensibilização, na necessidade de prevenir o desperdício alimentar. Incluindo nestas ações os fornecedores, os lojistas e os clientes finais.
Para além das parcerias que temos com entidades como a ‘Too Good To Go’ e a ‘Unidos Contra o Desperdício’, e de ações relacionadas como a  distribuição de produtos e dos excedentes das nossas convenções para entidades como a FAM – Fundação dos Armazenistas de Mercearia – uma IPSS que desenvolve a sua atuação para a melhoria das condições de vida das pessoas com dificuldades várias – estamos a preparar uma campanha alargada que incluirá materiais de divulgação desta causa para distribuição em todas as lojas ‘Aqui é Fresco’.

Além disso, tendo em conta o constante dinamismo do mercado, que ideias, projetos ou iniciativas a marca pretende implementar para impulsionar o desenvolvimento da organização nos próximos anos? Em que medida, essas iniciativas, se alinham com os objetivos estratégicos da empresa e da sua visão a longo prazo?
Precisamente por o mercado ser muito competitivo e estar em acelerada mutação, não é nossa política revelar estratégias de médio e longo prazo. Estamos muito focados no ano 2024. Início com o arranque do nosso 13º aniversário, que teve uma forte campanha de publicidade em horário nobre na Rádio Comercial e oferta de cerca de 3.600 carinhos de compras.
Temos um calendário preenchido, com presenças em duas das principais feiras do setor, visitas a fábricas de fornecedores com clientes da área do retalho e o lançamento de seis newsletters digitais, a qual virá assim juntar-se à nossa existente revista ‘Aqui é Fresco’ semestral, como suporte de divulgação regular junto dos diferentes stakeholders.

Para terminar, gostaria de deixar uma mensagem aos clientes, parceiros e comunidades que têm sido parte integrante do sucesso da Aqui é Fresco ao longo destes 13 anos de vida?
Foram 13 anos de um caminho que seria impossível ter percorrido sem o envolvimento e empenho de cada um dos nossos parceiros, sempre orientado para um melhor serviço e uma maior qualidade dos produtos comercializados aos clientes que nos têm acompanhado. Agradecemos imenso todo esse enorme apoio ao longo destes anos, na construção deste percurso comum.
Independentemente das diferenças geográficas e das caraterísticas próprias de cada comunidade local, aquilo que nos une a todos esses stakeholders que mencionou é a certeza de que partilhamos uma mesma missão e uma mesma vontade: A de nos mantermos próximos, humanos e solidários nas relações que temos com aqueles que nos rodeiam e com quem lidamos, todos os dias.
E “the last but not the least”, agradecer a colaboração constante da minha equipa, pela sua dedicação, empenho, resiliência e trabalho sempre focados no cumprimento de todos os objetivos propostos pela Central.