“Estou empenhada em contribuir para um ambiente onde a equidade de género seja uma realidade”

Monique Pontes, Engenheira Elétrica de formação e, hoje, Gestora de Projetos na Levitec, conversou com a Revista Pontos de Vista sobre a igualdade de género no setor. A própria acredita que ainda existe um longo caminho a percorrer neste sentido, tendo, por isso, o objetivo de contribuir com a sua «voz», enquanto Mulher de sucesso na área.

138

Gostaríamos de começar por conhecer um pouco mais sobre a Monique Pontes. O que nos pode contar sobre o seu percurso profissional até ocupar a posição de Gestora de projetos?
Na minha jornada profissional, desde jovem nutri a crença na capacidade humana de alcançar qualquer objetivo. Natural do Brasil, sempre tive duas paixões distintas: as artes cénicas e os cálculos. Mesmo não tendo engenheiros na família mais direta, percebi que a Engenharia era meu caminho e comecei a fazer Engenharia Elétrica. Graduei-me na universidade de Pernambuco – UPE com especialização em engenharia elétrica eletrotécnica e desde o início envolvia-me em trabalhos coletivos e laboratórios de pesquisa. A minha jornada profissional teve início como estagiária na multinacional Siemens, onde passei quase cinco anos absorvendo conhecimento e experiência.
Em busca da realização de um sonho, decidi migrar para Portugal e me tornei a primeira da minha família a concluir o mestrado, com especialização em Sistemas de Energia no ISEP, Porto. Essa jornada exigiu persistência e determinação para construir uma carreira profissional a partir do zero e demonstrar o meu valor por meio do trabalho árduo num novo país. Enfrentei diversas dificuldades ao recomeçar em um ambiente completamente novo, porém, com dedicação e esforço, consegui estabelecer-me profissionalmente. Comecei minha trajetória na Efacec e, posteriormente, na Jayme da Costa (JdC), empresas portuguesas que me acolheram e contribuíram significativamente para o meu desenvolvimento profissional no Porto.
Em busca de expansão e crescimento, vim para Lisboa para trabalhar na Levitec, empresa espanhola que chegou em Portugal em 2022, onde encontrei a oportunidade de mergulhar no mundo da gestão de projetos, especialmente na área logística e de maneira mais recente, em centros de dados. Tem sido uma experiência enriquecedora.

Com base na sua experiência como Gestora de projetos na Levitec, que pontos considera diferenciadores nesta empresa?
Na empresa que trabalho hoje vejo um grande foco em trazer profissionais qualificados e com a motivação necessária para que seja dado o máximo de qualidade e eficiência aos nossos clientes, sempre tendo em conta o valor humano, de diversidade e equidade.
No que diz respeito à igualdade de género, como analisa a participação das Mulheres no campo da Engenharia na atualidade? Enquanto Engenheira de formação, considera que existem desafios neste contexto?
No que menciona o tema à igualdade de género, é inegável que ainda enfrentamos desafios significativos no mundo da Engenharia. Como mulher e profissional da área, reconheço profundamente a importância de abordar esta questão. Ao longo da minha jornada, tenho sentido de forma pessoal a falta de representatividade feminina na Engenharia. Apesar disso, encontrei inspiração em mulheres incríveis e determinadas que têm deixado a sua marca.
Acredito firmemente que a representatividade é fundamental para encorajar mais mulheres a seguirem carreiras nas áreas das tecnologias. Embora estejamos a ver um aumento neste número, ainda há um longo caminho a percorrer. É essencial que as futuras gerações tenham mais exemplos femininos aos quais possam recorrer para se inspirar e para quebrarem os estereótipos de género associados às profissões técnicas.
Encaro o desafio da igualdade de género na Engenharia como uma oportunidade para efetuar mudanças significativas. Quanto mais mulheres se dedicarem e se destacarem na Engenharia, mais naturalizada será a presença feminina na área. Estou empenhada em contribuir para um ambiente onde a equidade de género seja uma realidade, que a diversidade seja valorizada e onde todas as pessoas tenham igualdade de oportunidades para alcançar seus objetivos.

Na sua opinião, qual é o papel das empresas como a Levitec na promoção da igualdade de género? De que forma, estas marcas podem contribuir para uma cultura mais inclusiva e equitativa?
Na Levitec, tenho observado uma consciencialização significativa sobre a importância da igualdade de género. A empresa valoriza profissionais qualificados, independentemente de ser homem ou mulher, e busca ativamente criar um ambiente onde todos tenham as mesmas oportunidades de crescimento e desenvolvimento profissional.
No ano de 2023 a Levitec recebeu o Prémio de Melhores Práticas na Gestão da Diversidade, Interculturalidade e Migrações em Aragão, na Espanha. Demonstrando que as práticas internas já são reconhecidas externamente.
No entanto, é importante reconhecer que o desafio da baixa representatividade feminina não é exclusivo da empresa, mas sim um reflexo de questões estruturais mais amplas presentes em diferentes contextos, como a falta de representatividade feminina nas universidades e até mesmo o interesse de jovens em seguir a área das tecnologias.
Para promover uma mudança efetiva e sustentável, é necessário abordar as causas subjacentes da falta de representatividade feminina desde a raiz. Isso inclui a implementação de medidas que incentivem jovens mulheres a considerarem carreiras na área da Engenharia desde cedo, como programas de orientação, workshops e iniciativas educacionais que destaquem o papel das mulheres na ciência, tecnologia, engenharia e matemática.
Em suma, a promoção da igualdade de género requer um esforço conjunto de empresas, instituições educacionais e da sociedade como um todo. Ao reconhecer e enfrentar os desafios existentes, podemos criar um futuro onde todas as pessoas, independentemente do seu género, tenham as mesmas oportunidades de crescimento e realização profissional.

2024 foi considerado, pela Ordem dos Engenheiros, o Ano da Igualdade de Género na Engenharia. Quão importante é, na sua perspetiva, esta iniciativa? É possível, assim, melhorar a representatividade das Mulheres e promover um ambiente mais inclusivo em áreas tradicionalmente dominadas por Homens?
É extremamente importante a iniciativa da ordem dos engenheiros. Devido a essa iniciativa tenho participado dos eventos relacionados ao tema e assim a oportunidade de conhecer mulheres e homens incríveis que estão no mesmo caminho da equidade, pois valorizam sua importância. Como mencionado anteriormente, senti a necessidade durante toda minha carreira profissional de contribuir e sinto que hoje estou em um grupo cheio de pessoas que entendem e estão na mesma luta.
A promoção de um ambiente inclusivo parte da educação e entendimento que todas as pessoas podem ter a profissão que desejarem e também devem ter as mesmas oportunidades. Dar voz e luz ao tema de equidade de género faz com que existam criação de medidas para minimizar esse impacto e consciencialização populacional. Esse tema esta a ser abordado na Engenharia, mas creio que em outras profissões também há a falta de representatividade masculina e faz-nos refletir que o importante é termos a consciência de que a diversidade, igualdade e respeito pela escolha das pessoas é a base de uma sociedade justa.

Tendo em conta o seu percurso inspirador, gostaríamos de lhe pedir para deixar uma mensagem a todas as jovens que ambicionam seguir uma carreira na Engenharia. Face aos temas anteriormente abordados, o que gostaria de lhes dizer?
“Sigam sua intuição e seus sonhos com determinação, força e foco. Tendo em mente que tudo que poem energia cresce e que com esforço no caminho a evolução é certa”.