Teixeira Duarte – Engenharia e Construções: um player de renome na promoção da Saúde, Segurança e Higiene no Trabalho

No âmbito do Dia Mundial da Segurança e Saúde no Trabalho, efeméride anualmente celebrada a 28 de abril, conversámos com Cláudia Tavares, Responsável pelos Sistemas de Gestão da Teixeira Duarte – Engenharia e Construções, que nos deu a conhecer as práticas e políticas da empresa relativamente à melhoria contínua destas questões. Saiba tudo.

321

Considerando o longo percurso da Teixeira Duarte e o facto de a mesma se ter consolidado como um dos maiores Grupos Económicos Portugueses, poderia partilhar um panorama que tenha contribuído para a excelência operacional da mesma?
Ao longo da sua história centenária, a Teixeira Duarte – Engenharia e Construções, S. A. sempre seguiu uma estratégia de gestão de recursos humanos forte em medidas que visam a melhoria da qualidade de vida de todos aqueles que com ela colaboram em qualquer dos mercados onde opera. Esta visão reflete-se numa postura socialmente responsável no que toca à promoção da saúde, segurança e higiene no trabalho.
Relativamente à saúde no trabalho, salienta-se a política de vigilância da saúde dos colaboradores, o que se concretiza através da realização generalizada de exames de saúde, de visitas aos postos de trabalho e do acompanhamento de situações de doença.
São disponibilizados, nos diversos mercados, mecanismos de apoio no âmbito da medicina curativa, seja de forma direta (serviços internos), seja de forma indireta (protocolos com clínicas privadas e/ou seguros de saúde).
É disponibilizada aos colaboradores a possibilidade de acederem a serviços médicos e medicamentosos, o que, face à realidade de alguns dos países onde a Teixeira Duarte – Engenharia e Construções, S. A. opera, são fundamentais no acompanhamento clínico e no acesso aos cuidados de saúde primários por parte dos mesmos.
Relativamente à promoção da segurança/prevenção de acidentes, as ações desenvolvidas são baseadas nos fatores de risco identificados, nomeadamente comportamentos de risco, ruído laboral, condições laborais, procedimentos de emergência, entre outros.
O planeamento dos trabalhos é efetuado com a devida antecedência pelas equipas de produção e equipas de Segurança, Qualidade e Ambiente (SQA) em conjunto, para garantir a adoção das melhores soluções do ponto de vista da execução da tarefa e da implementação de soluções que permitam a minimização de riscos.
Em Portugal e no Brasil, as boas práticas da Teixeira Duarte – Engenharia e Construções, S. A. no que toca à saúde e segurança dos seus colaboradores são reforçadas pela certificação em sistemas de gestão de segurança e saúde ocupacional no âmbito da Norma ISO 45001, propiciando uma gestão mais abrangente e eficaz dos riscos operacionais e contribuindo para a proteção dos colaboradores e para um melhor desempenho. De referir ainda que, em Moçambique, a participada Teixeira Duarte – Engenharia e Construções (Moçambique), Limitada mantém também certificados os seus sistemas de gestão de segurança e saúde ocupacional no âmbito da Norma ISO 45001.

Reconhecendo que a Teixeira Duarte é certificada pela norma internacional ISO 45001, que práticas têm vindo a ser implementadas pela empresa para garantir um ambiente de trabalho seguro e saudável? Além disso, de que forma essas práticas se traduzem em resultados tangíveis para a empresa e para os colaboradores?
A empresa agrega na unidade dos Sistemas de Gestão de cada mercado todos os técnicos de segurança no trabalho, ambiente e controlo de qualidade. Estas unidades reportam diretamente à Gestão de Topo, tal como preconizado pela ISO 45001.
A centralização dos profissionais e a uniformização dos sistemas de gestão permitem uma resposta eficaz às necessidades da produção em cada mercado, garantindo a presença de técnicos para acompanhamento dos trabalhos, quer nos estaleiros de obra, quer nos estabelecimentos fixos, e a inerente elaboração de todos os documentos e registos necessários.
A transmissão de uma mensagem agregadora de que todos contribuem para a existência de ambientes seguros é fundamental para a manutenção dos profissionais motivados, para a promoção da segurança e para a criação e manutenção de ambientes saudáveis e seguros.
O investimento da Teixeira Duarte na saúde e segurança dos colaboradores, incluindo subcontratados, protege as pessoas e evita custos que podem ir para além das fronteiras da própria empresa. Os baixos índices de sinistralidade que a empresa regista consistentemente ao longo dos anos refletem este investimento.

Quais são as perspetivas futuras da Teixeira Duarte no que diz respeito à melhoria contínua das políticas e práticas de saúde e segurança no trabalho? Existem áreas específicas de foco para fortalecer ainda mais o compromisso da empresa com o bem-estar das equipas?
A melhoria da segurança e saúde no trabalho da construção civil exige o cumprimento de medidas que vão muito para além da implementação de EPC’s e da utilização de EPI’s.
Umas das áreas de foco da empresa é a exposição ao ruído laboral e as vibrações produzidas pelos equipamentos. Estas são circunstâncias de trabalho que geram doenças profissionais e onde a execução de campanhas de medição constitui atualmente um desafio.
Os resultados destas campanhas poderão evidenciar a necessidade de investimento em equipamentos mais recentes, que produzam menos ruído e menos vibrações, melhorando assim os contextos laborais mais expostos.
A promoção de deslocações do Serviço de Medicina do Trabalho aos estaleiros de obra, para que, em conjunto com a equipa de Segurança, verifique quais as ações a tomar para melhorar o dia a dia dos colaboradores é também uma medida a incentivar com vista a minorar potenciais doenças profissionais.

No âmbito do Dia Mundial da Segurança e Saúde no Trabalho, celebrado anualmente a 28 de abril, e tendo o forte compromisso da Teixeira Duarte com o tema, tem sido um objetivo envolver ativamente os colaboradores na promoção de estilos de vida saudáveis e na consciencialização sobre a importância da saúde física e mental no trabalho? De que forma?
Anualmente, esta data é assinalada pela Teixeira Duarte nos seus vários mercados, através da realização de múltiplas ações para maior sensibilização dos colaboradores e reforço da resiliência das suas operações face aos respetivos riscos profissionais.
Mas a sensibilização para a saúde e segurança não se esgota na celebração desta data.
No Brasil, por exemplo, a Teixeira Duarte realiza anualmente a Semana Interna de Prevenção de Acidentes e Meio Ambiente (SIPATMA). Uma iniciativa com duração de uma semana, sendo realizadas ações todos os dias – atividades coletivas, workshops, exposições, palestras – para reforçar junto de todos os colaboradores a importância da segurança do trabalho, da preservação do meio ambiente, da ética e da sustentabilidade de uma forma global.
No âmbito da promoção da saúde, em particular, são também dinamizadas várias atividades, como rastreios, ações de sensibilização e formação em matéria de saúde, abrangendo-se temas como as doenças oncológicas (campanhas “Outubro Rosa” e “Novembro Azul”), saúde mental (campanha “Setembro Amarelo”) e prevenção de doenças de elevada incidência em mercados específicos, como as doenças transmitidas por mosquitos.
Estes eventos são partilhados na intranet da Empresa.

Num contexto global em constante evolução, quais considera serem os principais desafios do futuro no que diz respeito à Saúde e Segurança no trabalho
As exigências de um mundo globalizado, com novas formas de trabalho, e no caso da construção, com uma constante mudança da localização do posto de trabalho, aumenta os desafios de planeamento o que pode dificultar o equilíbrio entre a vida profissional e a vida pessoal e familiar.
Não é possível prever com exatidão o tipo de tecnologias que existirão no futuro, a forma como serão integradas no mundo do trabalho e o impacto que terão – positivo ou negativo – no domínio da Segurança.
No entanto, espera-se que estas transformações evoluam num sentido inclusivo e centrado no ser humano, enfatizando a importância da aprendizagem ao longo da vida e do desenvolvimento contínuo de competências.
A inclusão de educação e formação em Segurança nas iniciativas de aprendizagem ao longo da vida pode ajudar os trabalhadores e os empregadores a adaptarem-se aos novos e persistentes riscos, bem como a melhorar resultados neste âmbito no trabalho.