Vivemos um período de incerteza no qual surgem diversas dúvidas, procuram-se soluções, e respostas para as quais a experiência e o contributo de todos é fundamental. É necessário que as empresas estejam preparadas para a possibilidade de parte (ou a totalidade) dos seus colaboradores não poderem trabalhar não só devido a doença, suspensão de transportes públicos, mas também porque a necessidade de realizar atividades à distância alargou-se às instituições educativas.

A questão que tem merecido a atenção de todos, nos últimos dias, é precisamente esta: Estarão os sistemas das empresas preparadas para que as suas equipas trabalhem remotamente?

A verdade é que uma grande maioria das organizações nacionais se focaram na tão falada digitalização de processos, mas ainda não assumiram na totalidade a transformação do posto de trabalho, ou seja, a adoção de um verdadeiro Modern Workplace.

“Sempre que falamos com os nossos clientes sobre acesso fora do perímetro físico e da rede interna, levantam-se questões sobre a gestão de identidades e controlo de acessos” Rui Costa – CTO ARMIS

Situações como esta ocorrem porque as organizações ainda não depositam total confiança nos sistemas que utilizam, acabando por não beneficiar das vantagens de mobilidade e de flexibilidade que estes potenciam.

Nos últimos anos, tanto as médias/grandes empresas como as multinacionais adquiriram tecnologias e sistemas que lhes permitem manter as suas funções ativas mesmo em regime de teletrabalho, não afetando a eficiência nem a produtividade. Importa, contudo, ressalvar algumas premissas porque nem todos os sistemas estão corretamente implementados ou configurados.

A adoção de soluções inovadoras não só facilita a colaboração entre as equipas como também nos permitem centralizar a monitorização de acessos, sabendo quem está a aceder ao quê e quando, de forma transversal, controlada e segura. Esta monitorização de acessos é facilmente aplicável pelos departamentos de IT das organizações.

Os benefícios estão à vista e tornar estas ferramentas ainda mais seguras e adaptadas a cada organização, é uma ação relativamente rápida e simples.

A necessidade de adaptação à transformação digital incidiu também sobre as instituições educativas. Se o termo “Modern Workplace” já nos é familiar, chegou a altura de “Modern Classroom” também o ser.

É possível promover uma experiência digital a professores e alunos, sem causar impactos negativos às atividades letivas. O ambiente educativo de uma sala de aulas física pode ser replicado, recorrendo a ferramentas adequadas.

Grandes tecnológicas internacionais estão a potenciar a utilização de ferramentas de colaboração e a disponibilizá-las gratuitamente para que alunos e professores possam partilhar tarefas e exercícios na comunidade escolar, organizar a agenda e até aceder aos materiais disponíveis através de aplicações simples.

A existência de um canal de comunicação para professores e alunos irá promover comunidades de estudo ativo e permanente e alavancar a experiência digital no âmbito escolar.

A nossa experiência com clientes internacionais permite-nos confirmar que é possível efetuar este tipo de configurações à distância. Por serem ferramentas user-friendly, intuitivas e de rápido deployment, as organizações podem, num espaço temporal de dias, transformar espaços de trabalho e salas de aula de uma forma escalável e executar ações para uma completa adaptação às novas necessidades.

 

Rui Costa

Chief Technology Officer | ARMIS