Inicio Autores Posts por Vanessa Ferreirinha

Vanessa Ferreirinha

142 POSTS 0 COMENTÁRIOS

11º Wine in Azores realiza-se este fim de semana em São Miguel

Design Awards Wine in Azores

Em prova estarão mais de dois mil vinhos, os chefes de cozinha reconhecidos marcam a habitual presença, há cocktails, provas cegas, a terceira edição do “Wine in Azores Design Awards” e a primeira edição do “Best Wine in Azores”, bem como um sem número de atividades e muita animação.

A ilha de São Miguel vai encher-se de cores, aromas e sabores, mas desta vez será pela elevada concentração de vinhos: está a chegar a 11ª edição do festival vínico Wine in Azores. Vão ser três dias intensos, num verdadeiro tributo aos cinco sentidos! O Wine in Azores é o maior evento empresarial e o foco de todas as atenções em São Miguel, realiza-se nos dias 18, 19 e 20, no Pavilhão de Exposições da Associação Agrícola de São Miguel, na Ribeira Grande, das 15 às 24h00.

O certame é oficialmente inaugurado às 15h30, no dia 18 de outubro, com a presença das entidades regionais e do organizador, Joaquim Coutinho Costa, da Gorgeous Azores, que promete “uma grande festa” à semelhança das edições anteriores, sendo que “há sempre novidades a acontecer, sejam iniciativas da responsabilidade dos stands, dos chefes de cozinha ou dos produtores de vinhos”, destacou. Certo é que neste evento vínico “será possível aprender sobre vinhos, gastronomia e também divertir-se”, garante.

Para além dos mais de dois mil vinhos em prova, de todos os tipos, e de todas as regiões de Portugal, há irresistíveis iguarias para os acompanhar nas habituais tasquinhas e ainda um renovado cartaz de reconhecidos chefs de cozinha para brilhantes demonstrações gastronómicas ao vivo, como José Júlio Vintém, Paulo Mota, Renato Cunha, Tiago Santos, Miguel Castro e Silva, Francisco Gomes e ainda Luís Portugal, vencedor do MasterChef, e Pedro Jorge, vencedor do Masterchef Júnior, entre outros.

Em destaque estão os Concursos, que este ano são três. O “Wine in Azores Design Awards” premeia a imagem e criatividade dos rótulos dos vinhos presentes no evento, o concurso é promovido com o apoio da revista Paixão Pelo Vinho, parceira do Wine in Azores desde a primeira edição. Serão atribuídos prémios aos primeiros três classificados e cinco Menções Honrosas. Uma vez mais o grupo Cegos Por Provas trata de avaliar em prova cega os vinhos dos Açores para os premiar e este ano, pela primeira vez, organizam também o “Best Wine in Azores”, em busca dos melhores vinhos presentes no certame, distinguindo-os nas várias categorias:  espumante; branco; rosé; tinto; fortificado / naturalmente doce.

A Ribeira Grande, em São Miguel, é o destino de eleição até domingo. Três dias emocionantes, vividos no Wine in Azores entre vinhos, cocktails, gastronomia, música, animação e até, imagine, trotinetes elétricas, afinal a proteção do ambiente nesta ilha de rara beleza é uma preocupação constante. Um brinde!

Mutações nos genes BRCA geram cada vez mais interesse

Cerca de 72% das mulheres portadoras de mutações patogénicas no gene BRCA1 e cerca de 69% das mulheres portadoras de mutações patogénicas no gene BRCA2 vão desenvolver cancro da mama até aos 80 anos [1], revelam os dados mais recentes. Um tema que, segundo Tamara Milagre, presidente da Evita – Associação de Apoio a Portadores de Alterações nos Genes Relacionados com Cancro Hereditário, gera cada vez mais curiosidade, mas onde se sente “uma enorme falta de consciencialização de alguns profissionais de saúde, como o médico de família, que está na linha da frente e que muitas vezes desconhece a possibilidade de haver uma síndrome de cancro hereditário na família, mesmo tendo os casos todos pela frente”.

No Mês Internacional de Prevenção do Cancro da Mama, que se assinala em outubro, o tema vai estar em destaque com a campanha “saBeR mais ContA”, no âmbito da qual se vai realizar a sessão de esclarecimento “As mutações genéticas BRCA e o cancro”, no próximo dia 17 de outubro, pelas 15 horas, no Auditório do IPO Lisboa. A conversa vai ser moderada por Adelaide de Sousa e contará com especialistas na área da oncologia e genética humana, associações de doentes e testemunhos reais.

Antes da pessoa saber se é portador de mutação, a primeira abordagem, na maioria dos casos, é ‘Como posso fazer o teste genético?’”, refere. “Depois, as dúvidas dependem da situação”, acrescenta, mas costumam ser muitas, algumas sem resposta atempada. “O maior desafio atualmente é o seguimento correto numa consulta multidisciplinar, pois os centros especializados precisam de aumentar a sua capacidade de resposta para quem decide avançar com cirurgias preventivas”, refere Tamara Milagre, que confirma que “o tempo de espera neste momento é bastante longo em algumas instituições”.

O cancro da mama é um tumor que, apesar de ser dos que apresenta maior capacidade de prevenção secundária, “tem uma alta incidência e uma alta mortalidade”, acrescenta Vítor Rodrigues, presidente da Liga Portuguesa Contra o Cancro (LPCC). Para o especialista, é “a combinação do diagnóstico precoce e, particularmente do rastreio, e os progressos terapêuticos alcançados que permitiram uma significativa diminuição da taxa de mortalidade”, considerada, no entanto, “insuficiente”.

“É necessário também que o cancro da mama diagnosticado seja objeto, por parte das instituições de saúde (estruturando a oferta do serviço) e dos médicos (referenciando os casos suspeitos), de atenção quanto à possibilidade, felizmente diminuta, de se estar perante uma síndrome familiar. Caso esta exista, pode permitir formas de prevenção dirigidas a familiares que podem estar em risco”.

No que diz respeito aos testes que identificam as mutações genéticas, Isália Miguel, oncologista do IPO Lisboa, esclarece que “uma pessoa saudável pode ser referenciada se tiver confirmada uma mutação no gene BRCA1 ou BRCA2 num familiar próximo”, devendo também ser referenciados “utentes em cuja família existam diagnósticos oncológicos, nas seguintes situações: tenham ascendência judaica e um ou mais casos de cancro da mama ou ovário; haja três casos de cancro da mama em duas gerações consecutivas, com um diagnosticado antes dos 50 anos em familiares de primeiro grau; exista um caso de cancro de mama e um caso de cancro do ovário em familiares de primeiro grau; hajam dois casos de cancro do ovário e agregação de casos de cancro da mama e cancro da próstata (pelo menos dois casos, um deles antes dos 65 anos)”.

Quanto à referenciação, esta deve ser feita “pelo médico de família, por médicos de especialidades hospitalares, ou a pedido do próprio ou da família”, pedidos que “são sujeitos a uma triagem prévia pela equipa médica e de enfermagem da clínica de risco familiar”. 

Após a entrega do resultado do teste genético, “é feito aconselhamento, que inclui não só uma proposta de vigilância (clínica, imagiológica e analítica) e estratégias de redução de risco. No que diz respeito aos familiares, é explicado ao doente que existe 50% de risco de transmissão da mutação ao longo das gerações e que esta é independente do sexo, sendo os seus familiares convidados a fazer o teste genético”.

A campanha “saBeR mais ContA”, uma iniciativa da Evita, da Liga Portuguesa Contra o Cancro, da Sociedade Portuguesa de Genética Humana, da Sociedade Portuguesa de Ginecologia, da Sociedade Portuguesa de Senologia e da Sociedade Portuguesa de Oncologia e da AstraZeneca, conta ainda com uma exposição fotográfica, com testemunhos de famílias onde houve diagnóstico de cancro da mama e/ou ovário, associados à mutação BRCA, e outros que realizaram o teste genético, que poderá ser vista de 7 a 21 de outubro na estação de metro do Marquês de Pombal, em Lisboa (junto ao acesso à linha amarela).

Cartão de Crédito PUZZLE, o novo influenciador digital no Instagram

A campanha é composta por três vídeos do Youtube que mostram portugueses a viajar pela Ásia, Norte de África e América do Sul e que tentam fazer compras em diferentes estabelecimentos, mas não conseguem entender o que o comerciante lhes diz. A partir do momento em que apresentam o Cartão de Crédito Puzzle, o vendedor reconhece-o e começa a falar português fluente.

Desta forma, o Cartão de Crédito torna-se muito viajado ao ponto de se transformar num influenciador digital e a partilhar todas as suas viagens e férias na conta de Instagram da Puzzle.

Esta ação 100% digital, tem como objetivo comunicar uma das principais características do cartão de crédito PUZZLE, diferenciadora face ao restante mercado português – a isenção de taxas de processamento internacionais e taxas de conversão em levantamentos e compras fora de Portugal.

Para além deste benefício exclusivo, o Cartão de Crédito Puzzle permite parcelar as compras feitas em Portugal ou no estrangeiro.

A adesão é feita online de forma totalmente automática e sem burocracia, e por isso o Cartão de Crédito Puzzle está disponível entre três a cinco dias após aprovação.

 Oferece ainda a possibilidade de migrar dívidas de outros cartões de crédito e poupar nos juros.

A campanha está presente no Instagram da Puzzle @creditospuzzle e no Facebook em https://www.facebook.com/CreditosPuzzle/

Link para primeiro vídeo da campanha

Portugal é o segundo país da Europa a apresentar maior maturidade no que se refere à transformação digital dos RH

Apesar de 59% dos responsáveis de RH confirmarem que a digitalização se encontra integrada na estratégia corporativa da sua empresa, apenas 2 em cada 5 classificam a liderança como o principal impulsionador neste processo de transformação. Além deste resultado contraditório, a falta de compreensão relativamente ao que a transformação digital envolve ou deveria envolver está a impedir a evolução e, em última análise, a oportunidade das empresas adquirirem qualquer tipo de vantagens comerciais e competitivas.

“Pensar nas mudanças que a digitalização traz ao negócio e garantir que os colaboradores desenvolvem as competências necessárias para o futuro, torna-se fundamental para as empresas continuarem a ser competitivas e a atrair talento”, refere Marco Gomes, Principal da Mercer. A maioria das empresas entrevistadas confirmaram que estão a tirar partido dos acordos de trabalho flexível e compreendem a importância que estes têm para a retenção dos seus colaboradores.

O estudo da Mercer questionou mais de 600 gestores de RH em diversas indústrias, em sete mercados europeus, sobre o progresso da transformação digital na sua empresa e o seu papel na mesma. Apesar de se encontrarem na posição ideal para ajudar a impulsionar a transformação digital em toda a empresa, tendo muitos pontos de contacto com os colaboradores, apenas 3% dos gestores de RH consideram essa tarefa como uma responsabilidade sua.

Os Recursos Humanos também ficam para trás quando se trata de digitalizar as suas próprias atividades: apenas 40% dos entrevistados têm uma estratégia documentada de Tecnologia de Informação de Recursos Humanos (HRTI) e somente 33% já iniciou a sua implementação.

“A maioria das empresas sabe que a transformação digital é a chave para se manterem competitivas e para a aceleração do crescimento, mas a falta de compreensão e concordância sobre o seu significado, quem é o responsável e como deverá ser feito, está a atrasar a evolução”, refere Marco Gomes. “Para ter sucesso, as empresas precisam de uma imagem clara do que significa esta transformação digital para todas as partes envolvidas no negócio e os líderes das empresas terão um papel fundamental na aceleração, comunicação e implementação da estratégia digital. Com a transformação já integrada na estratégia empresarial, são necessárias ações claras, para que os líderes possam agir de acordo com os melhores modelos, que melhor conduzirão ao envolvimento e à evolução”, conclui.

 Índice de Transformação Digital de RH

Integrado no estudo, a Mercer criou o HR Digital Transformation Index para avaliar a evolução das empresas no que diz respeito à transformação digital nos departamentos de RH e em toda a empresa. O Índice é composto por nove principais níveis: estratégia digital corporativa e maturidade digital, digitalização humana (cultura digital, força de trabalho digital, liderança ágil, novo trabalho e colaboração) e digitalização de RH (serviços, organização e processos de RH digitais). O índice classifica os mercados numa escala de 1 a 5, sendo 5 o mais maduro. De acordo com o estudo, face aos mercados abrangidos, o Reino Unido encontra-se classificado como o país que apresenta uma maior maturidade no que se refere à transformação digital de RH, seguido por Portugal.

“As conclusões do índice mostram-nos que as empresas com as pontuações mais elevadas são as mais inovadoras, mais ágeis e mais atrativas para os colaboradores”, refere Marco Gomes. “Estar na vanguarda da transformação digital traz às empresas efeitos positivos a vários níveis. Por exemplo, níveis mais elevados de digitalização traduzem-se em menos trabalho administrativo. Para os responsáveis de RH, isso significa mais tempo para o seu core business e para a consultoria estratégica”.

Tivoli Hotels & Resorts inaugura primeiro hotel na China

Chengdu é um dos principais centros económicos, comerciais e financeiros do sudoeste da China. Reconhecida pelo seu clima ameno e gastronomia típica, Chengdu é também a base mundial da investigação e criação de pandas gigantes, que atrai cerca de 3,5 milhões de visitantes por ano, juntamente com uma variada oferta de atrações históricas.

Este novo hotel está a ser construído em parceria com a Companhia de Desenvolvimento de Construção Urbana e Rural de Chengdu, Qingyang Limited. Situado na zona oeste de Chengdu e no extremo sudoeste do centro comercial e de convenções do parque Chengdu International Intangible Cultural Heritage Exhibition Park, fica ainda muito próximo do Nancaoping Ecology Park e do campo de golfe Tianfu.

O Chengdu International Intangible Cultural Heritage Exhibition Park foi criado com o intuito de promover o intercâmbio cultural, exibindo diversas culturas do mundo, em salas de exposição criadas especificamente para esse fim. As experiências interativas incluem diversas artes e ofícios, como trabalhos em papel e pintura de madeiras. Ao longo do ano, o parque abriga também um conjunto de atividades recreativas e de entretenimento que celebram a diversidade cultural.

Com abertura prevista para o final de 2019, o Tivoli Chengdu at Cultural Heritage Park fica situado junto do Oaks Chengdu at Cultural Heritage Park, totalizando 400 alojamentos de diferentes categorias, desde quartos deluxe até suites e apartamentos.

As duas propriedades vão dispor de oito opções de restauração, incluindo um all-day-dining, gastronomia chinesa, cafés e uma zona de lounge com bar. Além de uma estadia de qualidade superior e das experiências gastronómicas, os hóspedes poderão também usufruir de um spa de luxo e de um centro de fitness, de um clube infantil e de uma área de reuniões e banquetes com equipamento de última geração.

Com uma história que remonta a 1933 em Lisboa, a marca iniciou a sua expansão para o Brasil em 2007 e, mais recentemente, para o Qatar. O ano 2019 é marcado pelo início de um novo capítulo, com o primeiro Tivoli na China, levando o espírito cosmopolita e o estilo sofisticado da insígnia para o Extremo Oriente.

Suécia volta a ser o país com a melhor reputação mundial

Com uma população combinada inferior a 27 milhões de pessoas e um Produto Interno Bruto de cerca de 1,8 mil biliões de dólares (semelhante ao da Rússia), os países escandinavos – Suécia, Noruega, Finlândia e Dinamarca – conquistaram o Top 10 de um novo estudo dedicado à reputação de nações, revelado pelo Reputation Institute. Os outros países que formam o Top 10 – Suíça, Nova Zelândia, Canadá, Austrália, Holanda e Irlanda – demonstram que atributos como beleza natural, traços políticos, conforto, bem-estar e ética são os que mais contribuem para a reputação das nações.

Portugal ocupa a 16ª posição e tem um nível de reputação “forte/robusto”, sendo um dos 17 países que gozam de uma reputação “excelente” ou “forte”. Os restantes apresentam uma reputação “moderada” a “pobre”. Outra curiosidade é o facto de Portugal ser considerado um dos países com mais notoriedade e reputação a nível internacional.

Os países com melhor reputação, liderados pela Suécia pela segunda vez consecutiva, foram reconhecidos pela ética, elevada transparência e baixos indicadores de corrupção. Em contraste, as superpotências mundiais, que incluem os EUA, China e Rússia, revelaram uma reputação considerada “fraca”. Por exemplo, as impressões sobre transparência e os níveis de corrupção nos EUA atingiram mínimos históricos. No entanto, a noção de que os EUA é um bom país para se fazerem negócios deu um salto para o nível de “forte”.

O estudo Country RepTrak 2019 realizou-se entre os meses de Março e Abril pelo Reputation Institute, uma consultora global dedicada à avaliação e gestão da reputação através de soluções tecnológicas. O estudo baseou-se em inquéritos individuais de 58.000 indivíduos, de oito países que formavam o antigo G8 – Canadá, França, Alemanha, Itália, Japão, Rússia, Reino Unido e EUA. Cada país foi avaliado em três dimensões – Ambiente Apelativo, Governo Efetivo e Economia Avançada. À liderança do ranking, a Suécia junta a liderança em Comportamento Ético, seguido de perto pelos outros países escandinavos. No estudo, a Suécia granjeou avaliações “excelentes” – a mais alta avaliação possível – nas categorias de país amigável, seguro, bonito, estilo de vida apelativo, agradável, ético, transparente e baixos níveis de corrupção.

“Capacidade de acolhimento, segurança, beleza e ética continuam a ser os indicadores mais valorizados na reputação dos países. Estes indicadores por si só representam mais de metade da reputação de um país. Tal como as empresas e os CEO com melhor reputação no mundo, os países com reputação mais forte são proativos no que diz respeito à gestão da opinião pública” – Nicolas Georges Trad, COO do Reputation Institute e responsável global pelas operações da consultora.

Os 10 países com melhor reputação no mundo, de acordo com o Country RepTrak de 2019 são:

·         Suécia

·         Suíça

·         Noruega

·         Finlândia

·         Nova Zelândia

·         Canadá

·         Dinamarca

·         Austrália

·         Holanda

·         Irlanda

Jamie Oliver’s Pizzeria sugere uma refeição equilibrada

No âmbito do Dia Mundial da Alimentação, que se comemora no próximo dia 16 de outubro, o restaurante realça o facto de utilizar nos seus pratos produtos e ingredientes sazonais e locais.

Apesar do destaque serem as pizzas artesanais, a carta contempla tudo aquilo que os clientes esperam: uma seleção de acompanhamentos e saladas frescas para que a refeição seja rica e equilibrada.

Após um mês da sua abertura, o Jamie Oliver’s Pizzaria apresenta um vasto leque de opções que tem sido do agrado de todos os clientes, uma vez que se distingue pelos diferentes padrões alimentares e ingredientes utilizados – provenientes de fornecedores italianos e portugueses que partilham e promovem práticas de produção sustentável, free range e welfare.

Esta é uma conduta que se torna muito inspiradora para toda a equipa, que é formada para ter um conhecimento profundo sobre todos os ingredientes e pratos que são servidos.

Não era um espetáculo, conseguir construir uma casa para quem precisa?

Num momento musical único, para todos os gostos e cujo valor de bilheteira reverte na totalidade para a construção da Casa Porto Seguro, a  Associação Portuguesa Contra a Leucemia (APCL) marca a noite de 23 de outubro, no Campo Pequeno, em Lisboa, com o Concerto Solidário Todos por uma Casa.

O concerto Todos por uma Casa junta Ana Bacalhau, Carlão, Gisela João, Sofia Escobar, Tim, Paulo de Carvalho e a Orquestra Sinfónica Promenade e convida todos – dos apreciadores de música clássica aos amantes do Hip-Hop – a contribuir para proporcionar um Porto Seguro a doentes deslocados em tratamento em Lisboa. Os bilhetes estão à venda na Ticketline e nos locais habituais.

A APCL divulgou recentemente nas suas redes sociais um vídeo onde é possível conhecer a realidade de doentes a quem a Casa Porto Seguro já fez falta. Paulo de Carvalho e Ana Bacalhau também já deixaram nas redes sociais um convite aos portugueses, para que se juntem por esta causa.

A Casa Porto Seguro é um projeto da APCL, que prevê a reconstrução de uma casa próxima do IPO Lisboa e do Hospital Santa Maria, os dois centros de tratamento de cancros do sangue doenças hemato-oncológicas em Lisboa, que vai alojar doentes com cancros do sangue e seus familiares deslocados de casa e em situação de carência económica.

Centro Colombo recebe “Retratos Contados de Alice Vieira”

Patente na Praça Central até dia 27 de outubro, a exposição vai homenagear uma figura incontornável da literatura nacional, reconhecendo o seu trabalho e contributo para o panorama cultural.

 

“Retratos Contados de Alice Vieira” vai expor retratos, objetos pressoais, como a máquina de escrever, e também livros que celebrem os 40 anos da obra literária da escritora, contribuindo para que o seu trabalho nunca deixe de ser reconhecido. 

 

Este é um projeto promovido por Nélson Mateus, grande amigo de Alice Vieira, que se dedicou a esta iniciativa, dando a conhecer aos visitantes as diferentes faces da escritora, enquanto criança, jornalista, mulher, amiga, mãe e avó, bem como todas as fases da sua vida.

 

O objetivo primordial desta exposição é enaltecer Alice Vieira como uma figura transversal a várias gerações, dando a conhecer a vida e obra da escritora aos visitantes mais jovens, e contribuindo para que o seu nome seja sempre uma referência. 

 

Paulo Gomes, diretor do Centro Colombo, revela-se orgulhoso por receber em estreia esta iniciativa. “Os portugueses têm um carinho especial pela Alice Vieira. Todos nós em alguma fase da vida, já sorrimos e aprendemos com as personagens fabulosas dos livros da Alice. Esta homenagem é mais do que merecida e temos o maior prazer em recebê-la nesta “nossa” casa”, conclui.

 

O Centro Colombo tem sido palco de iniciativas culturais de relevo, onde se destaca o projeto A Arte Chegou ao Colombo, com exposições de artistas consagrados, nomeadamente portugueses, como por exemplo, Joana Vasconcelos, Paula Rego ou mais recentemente, Vieira da Silva. Assumindo de forma clara o objetivo de ser um espaço de referência de consumo e lazer, o Centro Colombo reforça a sua oferta cultural, oferecendo aos seus visitantes uma exposição que celebra a vida e obra de Alice Vieira, nome incontornável da literatura portuguesa.

 

De 17 a 27 de outubro, “Retratos Contados de Alice Vieira” estará patente na Praça Central, uma exposição que comemora os 40 anos da obra literária da escritora Alice Vieira. 

Concurso de ideias Born from Knowledge 2019: vencedores vão desde tendas para refugiados a esperança para a osteoartrose

Poderiam não passar de ideias, mas o espírito empreendedor daqueles que as conceberam e o apoio das instituições de ensino superior que as viram nascer, transformaram-nas em projetos inovadores com viabilidade de negócio. Uma tenda biónica capaz de resolver problemas como a falta deste tipo de suporte para deslocados, nomeadamente refugiados, e a escassez de água que lhes devia ser destinada; um projeto que resolve o desperdício alimentar e cria novos produtos naturais que poderão ser reintroduzidos no mercado agroalimentar; um composto químico que poderá vir a gerar um medicamento para travar a evolução de doenças artríticas, designadamente, a osteoartrose; e, finalmente, uma plataforma online de partilha de experiências, que valoriza a conciliação entre o estudo ou trabalho e o lazer.

Estão encontrados os quatro vencedores da segunda edição do concurso de ideias Born from Knowledge, uma iniciativa da Agência Nacional de Inovação (ANI), que distingue as melhores ideias de negócio provenientes de Instituições de Ensino Superior portuguesas e, cuja final, ontem, no Instituto Politécnico da Maia, distinguiu os projetos:

  • Na categoria “Materiais e Tecnologias Avançadas de Produção”, Nautilus, Universidade de Évora;
  • Na categoria “Recursos Naturais, Ambiente e Alterações Climáticas”, AgroGrin TECH, Universidade Católica Portuguesa;
  • Na categoria “Saúde e Bem-Estar”, ProtexAging, Universidade de Coimbra;
  • Na categoria “Turismo, Indústrias Culturais e Criativas”, BackBone, Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril.

Nautilus: Um abrigo portátil para migrantes

Guerras e outros conflitos, fome e más condições de vida e, cada vez mais, as alterações climáticas geram todos os anos milhões de deslocados. Segundo o Alto Comissariado para os Refugiados, o número de refugiados bateu, no ano passado, o maior recorde dos últimos 20 anos. São mais de 70 milhões de pessoas – e falamos apenas dos que estão registados. Começa a haver falta de abrigos e teme-se que os 20 litros de água limpa e segura que, pelas normas internacionais, devem ser assegurados aos refugiados, deixem de estar garantidos.

Face a este cenário, Inês Secca Ruivo e Cátia Bailão Silva conceberam uma tenda biónica, que promete ajudar as pessoas em risco humanitário, mas que também poderá ser comercializada para o público em geral. A tenda Nautilus, além de ser um abrigo facilmente transportável, incorpora um tecido com propriedades hidrofílidas e hidrofóbicas, que permite a recolha, recuperação e conversão da humidade ambiental em água limpa e segura para ingestão, bem como seu armazenamento e transporte. Com um design atrativo, a tenda, para uma ou duas pessoas, é facilmente montada e desmontada, e, graças às suas alças ergonómicas, é perfeitamente transportável de forma confortável nas deslocações.

As mentoras do projeto, que teve início em 2015, com a tese de mestrado de Cátia Bailão Silva, perspetivam produzir e distribuir as tendas Nautilus em 2022.

PXA4 pode chegar a medicamento para a Osteoartrose e outras doenças da idade

Estima-se que a Osteoartrose, a forma mais comum de artrite, afete atualmente 90 milhões de pessoas em todo o mundo e gere gastos de mais de 700 biliões de dólares por ano. Em 2050, deverá afetar 130 milhões. Muito associada ao avanço da idade, a doença afeta cada vez mais jovens, sobretudo praticantes de desporto.

Muito incapacitante, o seu desenvolvimento pode ser travado por um composto natural encontrado por uma equipa de alunos e docentes/investigadores da Faculdade de Farmácia da Universidade de Coimbra. O PXA4 ativa o mecanismo celular que trava a evolução dos danos causados pela idade. Propriedades que os mentores já testaram in vitro com bons resultados. Atualmente estão a ser desenvolvidos os estudos pré-clínicos de segurança e eficácia e em várias aplicações. O próximo passo serão os testes em modelo animal.

Acabar com o desperdício da indústria alimentar pode gerar milhões de retorno

É cada vez mais insustentável: todos os anos, despejamos no lixo mais de mil milhões de toneladas em todo o mundo. Responsável por muito deste desperdício está a indústria alimentar. Além do produto que vai para os aterros, as empresas deste setor têm de gastar milhões no seu tratamento e depósito. Práticas que são insustentáveis para o ambiente e para o próprio orçamento da indústria. O projeto AgroGrin TECH tem, como se percebe, um enorme potencial de negócio. Trata-se de uma técnica completamente verde e amiga do ambiente que transforma o desperdício em novos produtos a serem reintroduzidos na agroindústria.

A equipa de investigação da Universidade Católica Portuguesa do Porto (Escola Superior de Biotecnologia) está atualmente focada na indústria da fruta, mas futuramente, a tecnologia, já patenteada, pode ser aplicada a outras áreas do setor alimentar. Existe já um trabalho desenvolvido na empresa Nuvifruits, que gera todos os anos 385 toneladas de desperdício. A transformação de casca de ananás em produtos como enzimas ou farinhas, que podem depois ser vendidos ao setor da produção da carne e a outros, permitiria à empresa, um retorno de 1 milhão de euros.

BackBone para fomentar o desenvolvimento de soft skills entre os jovens

Nasceu na Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril e quer chegar ao mundo. O objetivo da plataforma online é capacitar jovens, dos 15 aos 30 anos, a desenvolver as suas competências sociais por intermédio de iniciativas coletivas de aprendizagem experiencial. Os serviços da BackBone (experiências criadas em conjunto, eventos, masterclasses, formação de equipas, mentoria, entre outros), direcionados a pessoas ou empresas, contribuirão para a criação de uma comunidade de jovens com ideias próprias e fortalecerão as competências pessoais mais valorizadas no atual mercado do trabalho.

Conciliar bem-estar e ocupação profissional é um dos objetivos da BackBone que acredita existir atualmente uma sobrevalorização das hard skills, que nos conduzem a mundo cada vez mais competitivo e sem espaço (e tempo) para o desenvolvimento pessoal.

BfK Rise: Programa de Aceleração Tecnológica de três meses

Estes foram os quatro escolhidos de um total de 30 projetos a concurso, representando instituições de ensino superior (públicas e privadas) com que a ANI desenvolve parceria. Os quatro, bem como aqueles que venceram a edição do ano passado, têm entrada direta para o programa de Aceleração em ciência e tecnologia “BfK Rise”, também da responsabilidade da ANI. Além destes, outros projetos poderão candidatar-se até 15 de novembro. Estão previstas três edições –  Norte, Centro e Alentejo – em que os participantes terão ao longo de três meses o acompanhamento próximo de uma rede de mentores, constituída por outros empreendedores, entidades parceiras da ANI, empresas, entre outros. O objetivo é capacitá-los de forma a poderem acelerar o processo de transferência de conhecimento em produtos ou serviços para o mercado.

EMPRESAS