“O NOSSO SERVIÇO JURÍDICO É FEITO COM EXCELÊNCIA, RIGOR E ÉTICA”

A “sensibilidade, perspicácia, flexibilidade e polivalência” são as características que, segundo Patrícia de Jesus Monteiro, a diferenciam no dia-a-dia enquanto mulher e profissional da área do direito. É através da PJM Advogados – escritório do qual é fundadora – que estabelece uma relação com os clientes baseada na confiança, proximidade e competência técnico-jurídica.

234

É com profissionalismo, ética, personalização e excelência que a PJM Advogados tem vindo ao longo da sua existência a apresentar soluções a cada cliente na área do Direito. Prima-se pela harmonia e otimização de esforços, que a Revista Pontos de Vista tem vindo a promover e dar a conhecer. De forma a celebrar as cem edições, como descreve esta parceria?
O nosso serviço jurídico é feito com excelência, rigor e ética. Com o aparecimento da pande­mia, apostamos numa comunica­ção simples e direta, em meios de comunicação digital com o intuito ape­nas de informar. A nossa relação com a Revista Pontos de Vista é muito importante para a divulgação da PJM ADVOGADOS porque reforça a nossa informação junto dos particulares e empresas. Pretendemos transmitir que a advocacia preventiva é o caminho certo para prevenir a ocorrência de litígios e antecipar situações. A digitalização e o acesso a plataformas digitais, numa Era em que o contacto físico é proibido, permitem valorizar a relação cliente/advogado acarretando um vínculo mais dinâmico e flexível. O cliente está cada vez mais atento, mais exigente na tomada de decisões e prima por uma informação “na hora”, interativa, conjugada com as novas tecnologias e com as novas estruturas de trabalho.

A PJM Advogados tem, acima de tudo, proporcionado aos seus clientes inúmeras soluções nas diferentes áreas de atuação jurídica, acabando por fazer parte de segmentos fundamentais na vida dos mesmos. Podemos afirmar que são imensuráveis os caminhos que nos leva o direito?
Ao partilharmos conhecimentos das diversas áreas do direito acabamos por participar nas diferentes áreas da vida dos particulares e das empresas. É curioso que desde a área da família, à área dos capitais/trabalho, à área da saúde, articulamos uma formação complementar nas diversas áreas da vida, que nos permite uma constante aprendizagem pelo mundo que nos leva o direito.

No dia 8, de Março, de 2021 assinala-se o Dia Internacional da Mulher – uma data que reforça a solidariedade entre mulheres, na luta por objetivos comuns, sendo este um movimento que demonstra a sua poderosa força organizada. Quão importante é reconhecer este dia, onde não se pretende apenas comemorar, mas realizar conferências, debates e reuniões cuja finalidade é discutir o papel da mulher na sociedade?
Não valorizo a questão do género. Acredito que existem bons profissionais, com excelentes capacidades de resolução das situações. Considero que, enquanto mulher, a sensibilidade, a perspicácia, a flexibilidade e polivalência são características que me fazem diferenciar no meu dia-a-dia. Cada mulher deve estar consciente da sua auto-imagem e, necessariamente, possuir sonhos que a levem a ter motivação para se preparar física e emocionalmente para implementar a sua estratégia de atuação. A facilidade da comunicação digital ajuda-nos a deixar o nosso “traço” junto de outras entidades, através da partilha de informação e presença em debates, o que nos fortalece enquanto indivíduos (in casu, género feminino).

Há quem defenda que apesar de todas as conquistas ainda existe muito por mudar. Acredita que de facto existe ainda um longo a caminho a percorrer para a igualdade entre homens e mulheres? Como se encontra o tema no mundo da Advocacia?
Hoje em dia, o fator “tempo” que cada cliente dedica ao aconselhamento/advogado para delinear a melhor estratégia para o seu caso específico, é determinante. E como já diz o ditado, a mulher possui características natas de maior humildade, polivalência, capacidade para realizar tarefas rotineiras num reduzido período de tempo. É o cliente que nos escolhe, que nos identifica com estas mais-valias e, como mulher, não tenho vivido impedimentos significativos na concretização dos meus projetos.

Com que olhar enfrenta o futuro no domínio dos direitos das mulheres? Qual será o papel da PJM Advogados perante este desafio?
A nossa imagem de marca é, sem dúvida, femi­nina. E com base na inteligência emocional que caracteriza as mulheres, no geral, pretendemos continuar a realizar um serviço jurídico e uma comunicação assente em: dinamismo, interação, proatividade, inovação e par­tilha de informação utilitária ao consumidor, em tempo real, melhorando os vínculos dos cida­dãos com a justiça.
Consideramos que a qualidade e o profissionalismo da prestação de um serviço, por mulheres, supere e, coloque à margem, as cren­ças sobre as fragilidades aparentes de ser uma mulher advogada, jovem, a solucionar os litígios!