Ciclo de entrevistas APPSIG – SIG nos municípios

Em ano de eleições autárquicas, a Associação Portuguesa Para os Sistemas de Informação Geográfica – APPSIG pretende dar a conhecer aos seus leitores e seguidores, a importância que os SIG têm na gestão municipal e na implementação das políticas de intervenção municipais.

112

Assim sendo, a APPSIG colocou uma questão sobre a temática dos SIG no âmbito da gestão municipal e da implementação de políticas de intervenção municipais a um conjunto de municípios que apresentam manifestamente, nos últimos anos, um elevado nível de implementação e execução de projetos SIG. Este desafio que colocámos aos municípios tem como objetivo principal divulgar e promover os SIG em Portugal, bem como apresentar uma fonte de inspiração para os nossos leitores e seguidores.

Todas as questões/respostas serão publicadas na página da internet e redes sociais (Facebook, Instagram e LinkedIn) da APPSIG, bem como na página da internet do nosso parceiro Revista Pontos de Vista.

A primeira entrevista, ao Município de Vila Nova de Gaia já está disponível.

De que forma os Sistemas de Informação Geográfica (SIG) têm influenciado a gestão municipal e as políticas de intervenção municipais promovidas pelo município de Vila Nova de Gaia?

O serviço de informação geográfica (SIG) provocou uma verdadeira revolução na gestão da informação e fluxos de trabalho. Um verdadeiro serviço de informação geográfica deve ser transversal aos diversos departamentos do município colaborando na produção, tratamento e análise de informação georreferenciada, criando novos produtos de valor acrescentado. O resultado do trabalho de um departamento passou a ser base de trabalho de outro departamento, evitando a duplicação de trabalho e informação, algo que seria difícil de acontecer antes da sua existência.

Anteriormente à sua criação a informação encontrava-se dispersa pelos diferentes serviços do município, guardada localmente, apenas ao dispor de alguns. Através de um levantamento extensivo de todas as bases cartográficas, informação geográfica e alfanumérica existente. Procedeu-se à sua georreferenciação e disponibilização a todos os serviços. Este primeiro passo permitiu uma alteração do paradigma, onde a informação de interesse geral que se encontrava apenas ao acesso de alguns passou a estar ao acesso de todos de forma simples e fácil.

Um SIG com a dimensão do existente no município de Vila Nova de Gaia, não se constrói de um dia para o outro, é o resultado do investimento efectuado em técnicos especializados, criando uma equipa multidisciplinar com especial incidencia na área da Engenharia Geográfica que ao longo dos anos acompanharam a evolução dos softwares de produção e análise de informação geográfica, sejam eles opensource ou software proprietário. Criaram geoportais e dashboards para analise de informação urbanística, promoveram utilização de drones e laser scanner sendo o munício de vila nova de gaia pioneiro na utilização deste tipo de equipamentos no seu trabalho diário. Promoveram utilização de serviços europeus de disponibilização de imagens de satélite para análise do território. Transformaram o SIG num dos motores de desenvolvimento tecnológico do município.

Exemplo desse desenvolvimento foi a inovação nos procedimentos e analise nos processos de gestão urbanística, com recurso a confrontações espaciais dos cadastros georreferenciados com todos os instrumentos de gestão territoriais em vigor no município. Este procedimento permitiu aos técnicos terem mais informação e de maior qualidade ao seu dispor, com isso tomarem melhores decisões em tempo real, permitindo uma maior transparência a todo o processo de decisão.

Durante a pandemia, e sobretudo, na sua fase inicial as ferramentas de informação geográfica foram de suma importância no processamento e análise de dados, para posterior divulgação aos cidadãos. Ferramentas que eram utilizadas no dia-a-dia do município foram adotados pelos grandes meios de comunicação social para divulgação da informação. O que mostra o grau de desenvolvimento tecnológico do município.

O Município de Vila Nova de Gaia e em Particular a Gaiurb tem procurado apostar, de forma renovada, na capacitação dos seus recursos e na aquisição de todas as ferramentas necessárias. Sendo uma área muito dinâmica, e nos últimos tempos disruptiva abraçamos esta evolução e este desafio na persecução da nossa missão de serviço público que pugnamos que seja transparente, rigoroso e de qualidade. Assim, seja na área do cadastro simplificado, no BIM ou na integração de diferentes tecnologias o SIG apoia diferentes serviços seja na análise urbanística e no processo de decisão ou no âmbito das smartcitys com o processamento, análise e divulgação de toda a informação.