Unir Portugal, Bélgica e Luxemburgo: um propósito CCLBL

A Câmara de Comércio Luso-Belga-Luxemburguesa (CCLBL) tem como missão apoiar os seus membros eficazmente. Dentro de uma temática tão atual como esta, foi em conversa com a Revista Pontos de Vista que Yvonne Bernardino, Vice-Presidente e Representante da CCLBL no Luxemburgo, explicou quais as vantagens em ser um membro da mesma, bem como irá ser promovida no futuro a sua modernização. Saiba tudo.

232

A Câmara de Comércio Luso-Belga-Luxemburguesa tem como missão promover as relações comerciais entre os mercados português, belga e luxemburguês, tal como o próprio nome indica. Tendo estes três países como foco, qual é o papel da CCLBL? Que tipo de trabalho é realizado?
A CCLBL tem membros que estão maioritariamente localizados/operam nos três países, assim sendo é de primordial importância que a Câmara se mantenha informada da realidade económica, social e cultural em cada um deles. Para isso, a CCLBL conta com a colaboração dos seus parceiros locais em cada um desses países. Através de uma comunicação contínua com os seus membros, a Câmara tem a capacidade de identificar as necessidades de cada um nos diferentes mercados o que permite a criação de uma base de informação em termos de oportunidades e dificuldades em cada país. Desta maneira, a Câmara tem a possibilidade de apoiar os seus membros de uma forma mais relevante e eficaz bem como de responder a pedidos de esclarecimento e colaboração vindos de outras entidades. É ainda importante mencionar que a organização e participação em eventos permite uma interação e dinamização entre indivíduos e empresas dos diferentes países, o que consequentemente impulsiona as relações entre eles.

Sabemos que o Luxemburgo, um dos países com a qual trabalham, é o maior centro financeiro europeu. Que mais-valias este atributo pode trazer à CCLBL tendo em conta as áreas onde atuam?
A economia do Luxemburgo é estável, rating AAA, inovadora e vai muito além do seu centro financeiro. Para além da tradicional siderurgia, tem a indústria espacial, sector marítimo, automóvel e mobilidade inteligente (centros tecnológicos de investigação e desenvolvimento), Clean e Health Tech; Logistica e turismo de negócios e congressos. E ainda, ICT, comunicação, produção cinematográfica, de animação e áudio visual. Estes últimos, tão bem conhecidos da maior parte dos portugueses, mas muitas vezes não são associados com o Luxemburgo, um exemplo claro é o Grupo RTL. É exatamente por esta diversidade e estabilidade, pela sua relação histórica com Portugal, pela grande comunidade portuguesa residente no Luxemburgo e pelos setores económicos em que ambos os países têm apostado nos últimos anos, que se complementam bem. Existe um grande potencial económico e social a desenvolver entre eles. Por um lado, as atividades económicas, a crescente e incessante procura de mão de obra qualificada no Luxemburgo. E por outro, a realidade empresarial e económica portuguesa, mão de obra qualificada (quer pelo investimento na educação como pela aposta do governo português nos últimos anos para atrair talentos em novas tecnologias) e o merecido reconhecimento da qualidade dos produtos e know-how português pelo público em geral. Daí a CCLBL começar a desenvolver a sua atividade no Luxemburgo.

Possuem várias especialidades, nomeadamente o Networking, Organização de Eventos, Ações Comerciais e de Informação, entre outras. Que objetivos estão alinhados em cada uma delas para que realizem o trabalho a que se comprometem com sucesso?
A CCLBL implementou no decorrer deste ano a representação de diferentes setores económicos a nível da sua administração. Com esta abordagem, a Câmara pretende que exista uma maior proximidade e acessibilidade facilitada ao ‘know how’ destes ‘experts’ nas suas respetivas áreas de negócio. Os representantes de cada setor promovem também a organização de eventos de networking entre empreendedores e empresas relacionados ou com interesse na área. A Câmara apoia na promoção dos diferentes produtos e serviços oferecidos pelos seus membros através dos canais digitais da CCLBL. Finalmente, a CCLBL permite aos seus membros terem visibilidade e acesso a eventos relacionados com investimento e apoios públicos disponíveis. Para que a Câmara proporcione oportunidades de qualidade e relevantes às necessidades dos seus membros, é pontualmente organizado um questionário que procura precisamente identificar as propostas dos membros para que seja criada uma sinergia da qual ambas as partes podem beneficiar.

Estabelecer relações comerciais entre Portugal, Bélgica e Luxemburgo, – não sendo já um propósito recente – o que significa nos dias de hoje? O que tem vindo a mudar nestas relações?
É certo que o propósito da CCLBL sempre foi o de promover e reforçar as relações económicas, sociais e culturais entre os três países que esta representa. Contudo, à medida que o tempo passa este objetivo vai adquirindo novas dimensões e exigindo diferentes respostas. Neste momento, temos verificado um grande crescimento em termos de empreendedorismo quer derivado pela inovação ou pela necessidade de adaptação às exigências do mercado. Assim sendo, a Câmara tem focado na comunicação e promoção da atratividade e apoios a nível social e económico disponíveis nestes países. Para além disso, e tendo em conta que vivemos num mundo cada vez mais interligado, a Câmara tem investido na criação de contatos e reforçando as relações com diferentes instituições e organizações nos três países (e.g. instituições de Trade & Investment, Associações Empresariais, outras Câmaras de Comércio, entre outros).

Quais são as maiores vantagens em ser um membro da CCLBL?
De uma forma sucinta, os membros da CCLBL têm benefícios em seis áreas-chave. A primeira é ‘Networking’ quer através da sua rede de contatos ou dos representantes de setor. Ainda inserido neste tópico, a Câmara oferece acesso gratuito à plataforma online de ‘matchmaking’ para negócios CONNECTS. A segunda é a ‘Promoção’ quer seja de eventos, de produtos, ofertas de trabalho, e de qualquer outra informação que os nossos membros gostassem de ver partilhadas através dos canais digitais da Câmara e da sua Newsletter mensal. A terceira é na ‘Facilitação’ que consiste em criar uma ligação entre as empresas e instituições que possam auxiliar na resolução das suas questões como Aicep, FIT, AWEX, Hub Brussels, Lux Innovation, entre outros. Para além disso, a CCLBL introduziu recentemente o programa ‘Meet the Experts’, que visa a colocar empresas e indivíduos interessados em investir ou a se instalarem em Portugal, frente a frente com especialistas que poderão esclarecer as suas questões relativas a este processo. O programa ‘Meet the Experts foi desenvolvido para apoiar empreendedores e empresários. A quarta é ‘Pesquisa’ quer a nível de um determinado mercado ou de outro assunto, a Câmara reúne o máximo de informação possível para esclarecer as questões que são colocadas. A quinta são os ‘Eventos’  que a Câmara organiza e se disponibiliza a coorganizar a apoiar na sua promoção em parceria com os seus membros e dos quais estes beneficiarão ainda de um acesso privilegiado e antecipado. Finalmente, a sexta é nas ofertas exclusivas ‘Membro para membro’ que consiste em descontos, promoções ou prioridade em produtos ou serviços providenciados por e para os membros da CCLBL. Para saber mais sobre os benefícios que a Câmara oferece aos seus membros, podem consultar o nosso site.

É de conhecimento geral que o número de portugueses a emigrar para o Luxemburgo todos os anos aumenta. De que forma é que este facto impulsiona as relações entre os países? Podemos afirmar que o crescimento do Luxemburgo muito se deve aos portugueses?
A contribuição da comunidade portuguesa para o desenvolvimento do Luxemburgo é indiscutível. Pela sua “longevidade”, tamanho, integração e diversidade. Segundo dados recentes vivem atualmente no Luxemburgo 120.000 portugueses, este número estagnou a partir de 2017 e mais recentemente baixou ligeiramente. É uma comunidade bem integrada e muito diversa e isso reflete-se na variedade de atividades económicas existentes entre os dois países. Esta apresenta um grande dinamismo, trabalha e cria empresas que vão de setores tradicionalmente ligados ao início da imigração portuguesa no Luxemburgo, como a construção civil, limpezas, logística, mas também às finanças, média e educação, entre muitas outras. Atualmente grande parte da população do Luxemburgo tem alguma ligação com Portugal: as ditas segundas e terceiras gerações. Estas pessoas, muitas vezes altamente qualificadas, são reais “embaixadores” de ideias novas, porque tem uma ligação forte aos dois países, um bom conhecimento das línguas e das realidades sociais, políticas e económicas de ambos os países. Representam uma geração móbil e digital. A comunidade portuguesa, é certamente um impulso muito importante para a continuação de relações existentes, mas também para a emergência de novos projetos, produtos e oportunidades. Gostaria de salientar que a imigração é uma via de dois sentidos. De acordo com dados oficiais portugueses em 2019, cerca de 300 luxemburgueses residiam em Portugal.

Já é habitual a realização de seminários, feiras, missões económicas, entre outros eventos, em vários setores como a energia, transportes, meio ambiente, saúde… O que podemos esperar da CCLBL daqui para a frente?
Continuaremos com a modernização da CCLBL – governance, novos serviços, comunicação e imagem, alargar a nossa rede de liaison officers. Quanto a eventos, estamos a preparar alguns para o primeiro semestre de 2022, que dependendo das medidas sanitárias no momento, serão em modo presencial, digital ou híbrido. A título de exemplo, temos um evento que está a ser preparado conjuntamente com instituições luxemburguesas para empresas que queiram investir em Portugal. Para além deste, outros eventos estão a ser preparados com membros e empresas de renome e que envolvem por vezes os 3 países – Portugal, Luxemburgo e Bélgica. Durante estes eventos, planeamos utilizar produtos e tecnologia de alguns dos nossos membros luxemburgueses, tendo assim a oportunidade de inovar e mostrar interativamente o que os nossos membros fazem – win-win.

Certo é que a CCLBL tem vindo a reforçar a sua presença em Portugal contando atualmente com oficiais de ligação no Porto e em Braga, no sentido de aproximar as empresas no norte do país. Qual a importância desta expansão?
Através dos Liaison Officers, a CCLBL consegue uma maior proximidade com os seus membros a nível regional permitindo assim um acesso facilitado aos seus serviços. Para além disso, existe a vantagem indiscutível de poder contar com um representante a nível local que poderá fornecer informação detalhada e atualizada das oportunidades quer a nível de networking, investimento e financiamento. na região. A Câmara espera no futuro poder aumentar a sua presença física no território nacional, nomeadamente no centro, sul e regiões autónomas do país. Para além da presença física em Portugal, a Câmara conta com representação no Luxemburgo através da Vice-Presidente Yvonne Bernardino.