Sonae aumenta investimento em 22% e reforça posições de liderança

Grupo estabeleceu parcerias para criar operadores líderes no retalho de saúde, bem-estar e beleza em Espanha e no crédito ao consumo em Portugal, passou a deter a totalidade do capital social da Sierra e realizou seis novas aquisições na área tecnológica.

Data:

Mensagem de Cláudia Azevedo, CEO da Sonae

“No segundo trimestre do ano, e apesar do volátil ambiente macroeconómico e de contextos competitivos desafiantes, a Sonae registou um desempenho globalmente muito positivo. Os nossos negócios continuaram a crescer com base em propostas de valor únicas para os nossos clientes e mantivemos a gestão ativa do nosso portefólio para criar valor para os nossos acionistas.
Em termos de desempenho operacional, as nossas equipas continuaram a trabalhar arduamente para mitigar os impactos da inflação nos consumidores e oferecer a melhor qualidade aos preços mais baixos, tendo sido capazes de reforçar as posições de liderança de mercado do Continente e da Worten. No setor imobiliário, a Sierra continuou a registar vendas dos lojistas dos seus centros comerciais acima dos níveis pré-pandemia, uma clara demonstração da resiliência e elevada qualidade dos nossos ativos, tendo, em simultâneo, expandido a sua atividade de serviços para novos setores e países. A NOS manteve a trajetória de melhoria do seu desempenho operacional, beneficiando dos investimentos realizados nos anos mais recentes para assegurar a melhor rede móvel de telecomunicações em Portugal, bem como da recuperação do negócio dos cinemas. Assim, no 1S23, o volume de negócios consolidado da Sonae aumentou 12% em termos homólogos para 3,8 mil milhões de euros, e o EBITDA cresceu 9% face ao 1S22, para 350M€, demonstrando a qualidade dos nossos negócios e ativos.
Apesar do ambiente desafiante e de rápida mudança, continuámos a executar importantes movimentos de portefólio neste segundo trimestre. A MC deu um passo estratégico importante, alcançando um acordo para a combinação da Arenal e da Druni em Espanha, criando – juntamente com a Wells em Portugal – um operador líder no segmento de saúde, bem-estar e beleza na Ibéria, com um volume de negócios combinado de mais de mil milhões de euros. A Bright Pixel continuou a expandir o seu investimento em empresas de base tecnológica com três novos investimentos minoritários concluídos no 2T, contando já com mais de 40 empresas no seu portefólio.
Já em julho, recebemos uma notificação da JD Sports para a aquisição da nossa participação na ISRG por 300M€, na sequência do exercício, pela Sonae, da opção de compra ou venda prevista no acordo parassocial. Após cinco anos desta parceria de sucesso, gostaria de agradecer a todos na ISRG, e, em particular, à família Segarra, pelo seu contributo para o extraordinário desempenho da empresa e desejar a todos o melhor para o futuro.
Globalmente, o nosso desempenho operacional, juntamente com a atividade de gestão de portefólio durante os últimos 12 meses, conduziu a um aumento significativo do valor do Grupo. Tendo em conta a forte geração de FCF, a nossa posição financeira foi reforçada e o LTV da holding é de 7,0%.
Neste trimestre, demos ainda passos importantes rumo aos nossos compromissos de sustentabilidade. Após um processo exaustivo e que envolveu todo o grupo, revimos a nossa estratégia de sustentabilidade, elevando os nossos objetivos para o ciclo 2023-2026, em áreas como a descarbonização, biodiversidade e consumo de água, circularidade e desenvolvimento humano. Renovámos a nossa ambição em todas estas áreas e estou certa de que vamos atingir os nossos objetivos.
Olhando para o futuro, estou confiante que o nosso portefólio de negócios líderes e a nossa forte ambição, juntamente com a nossa sólida posição financeira, garantem à Sonae a capacidade para responder às necessidades de todos os nossos stakeholders e criar valor económico e social para todos”.

Análise Consolidada 

Gestão ativa do portefólio e criação de operação líder na Península Ibérica
A Sonae prosseguiu com a sua estratégia ativa de gestão de portefólio no 1S23, nomeadamente através de parceiras e aquisições. A MC celebrou um acordo com os acionistas fundadores da Druni e da Arenal para a combinação das duas empresas (com conclusão esperada para o 2S23), a qual criará um operador líder no segmento de saúde, bem-estar e beleza na Ibéria. A Bright Pixel manteve a sua atividade de gestão de portefólio, com três novos investimentos no 2T23, totalizando seis no 1S23. Durante o 1T23 a Sonae já tinha adquirido a restante participação de 10% na Sierra e chegado a um acordo com o Bankinter Consumer Finance para uma parceria 50/50 para a criação de um operador líder de crédito ao consumo em Portugal.
Já em julho, o Grupo JD Sports comunicou à Sonae a sua intenção de adquirir a restante participação na ISRG, com uma valorização do capital próprio de mil milhões de euros. Esta transação implica para a Sonae um encaixe de 300M€ e uma mais-valia estimada de 175M€. A Sonaecom também adquiriu a participação direta da Sonae na NOS por 213M€, detendo atualmente 37,37% do capital social da empresa de telecomunicações.

Volume de negócios cresce 12% e supera 3,8 mil milhões de euros com expansão e ganhos de quota de mercado
Durante o 2T23 os negócios da Sonae continuaram a enfrentar um contexto macroeconómico desafiante, com a inflação persistentemente elevada e uma pressão significativa ao nível dos custos. No entanto, em linha com o 1T23, os principais negócios mostraram-se resilientes e foram capazes de continuar a ganhar quota de mercado em cada um dos seus ambientes competitivos. Assim, o volume de negócios consolidado aumentou 12% em termos homólogos para 3,8 mil milhões de euros, impulsionado, sobretudo, pelo forte desempenho da MC e da Worten. Este crescimento traduz a expansão dos negócios, com a abertura de novas lojas e a aposta na digitalização, bem como o reforço das suas posições de liderança, com os consumidores a reconhecerem o esforço para oferecer os melhores preços.

Margem EBITDA diminui em 0,2 pontos percentuais com extraordinários e absorção de custos
Apesar do sólido desempenho dos principais negócios, os contínuos esforços para absorver as pressões inflacionistas para os clientes impactaram a evolução da margem operacional, com o EBITDA subjacente a ascender a 301M€ e o EBITDA a totalizar 350M€, verificando-se uma redução de 0,2pp da margem face ao período homólogo. Os negócios consolidados pelo método de equivalência patrimonial continuaram a registar melhorias nos seus contributos para os resultados da Sonae, sobretudo devido ao aumento da participação na NOS.
Adicionalmente, o aumento dos custos de financiamento e o nível mais elevado de depreciações devido à expansão da rede de lojas dos negócios, conduziram a uma redução do Resultado Direto para 84M€.

Resultado líquido impactado pelo esforço para apoiar famílias e investimentos
O Resultado Líquido atribuível a acionistas atingiu 69M€, em consequência do esforço para apoiar as famílias, do aumento dos custos de financiamento e impostos, bem como do contínuo investimento na expansão e digitalização dos negócios.

Investimento cresceu 22% com expansão dos negócios e aquisições
O investimento consolidado da Sonae atingiu 684M€ nos últimos 12 meses, tendo aumentado 22% com expansão orgânica dos negócios e aquisições. O investimento operacional (Capex) ascendeu a 406M€ nesse período, tendo o investimento em aquisições e reforço de participações em negócios e empresas totalizado 278M€.
Apesar deste investimento, a dívida líquida reduziu, em termos homólogos, para 1.067M€. Consequentemente, o Grupo mantém uma sólida posição financeira, com uma alavancagem baixa, um elevado nível de liquidez disponível e um bom perfil de maturidade da dívida.

Apoio à comunidade aumenta 15% para 15,6M€
Face às crescentes dificuldades das famílias, a Sonae aprofundou a sua política de responsabilidade corporativa, dando especial destaque às doações de alimentos. Assim, o apoio à comunidade aumentou 15% no 1S23, atingindo 15,6M€.
Em paralelo, a Sonae está decidida a contribuir ativamente para a educação e requalificação para os empregos do futuro, sendo um dos promotores do programa europeu R4E (Reskilling for Employment) e do seu braço nacional PRO_MOV, que já conta com sete laboratórios formativos. A ambição do programa português passa por requalificar 25 mil pessoas nos próximos anos, contribuindo para a valorização dos formandos e para dotar a economia nacional dos recursos humanos necessários ao seu desenvolvimento.

Partilhar

Revista Digital

Revista Pontos de Vista Edição 131

Popular

Mais Artigos deste tipo

Sites de notícias locais falsos superam os reais nos Estados Unidos, revela investigação

Nos últimos meses surgiram centenas de sites que se...

CARRIS e SIBS disponibilizam pagamento com MB WAY

A partir de hoje, viajar na CARRIS é ainda...

Workshop “Plano Nacional de Prospeção no âmbito do CRM Act”

No âmbito da recente aprovação, pela Comissão Europeia, do...