Inicio Tags Torres Vedras

Tag: Torres Vedras

Torres Vedras: Alunos fecham escola e protestam contra más condições

“De madrugada fecharam a escola colocando uma corrente e um cadeado e a GNR foi chamada ao local de manhã para abrir os portões”, disse à agência Lusa Hugo Torrado, comandante do Destacamento da GNR de Torres Vedras, no distrito de Lisboa.

Cerca de duzentos alunos da escola do ensino básico do 2.º e 3.º ciclos concentraram-se de manhã em frente à escola e parte dos manifestantes ainda se encontrava no local pelas 10:40.

Contactada pela Lusa, a direção do Agrupamento de Escolas de São Gonçalo, a que pertence o estabelecimento, não quis prestar declarações.

LUSA

Nuno Rebelo + “Não – Músicos Ensemble” no Teatro-Cine apresentação com participação da comunidade local

O “Não-Músicos Ensemble” é um projeto cujas apresentações públicas se fazem com a participação da comunidade local: o ensemble constitui-se com quem esteja disposto e disponível para participar, gente com poucos ou nenhuns conhecimentos musicais, que tiveram disponibilidade para participar num workshop com a duração de uma semana e vontade de viver a experiência da música, em espetáculo.

O desafio foi o de criar uma peça musical para apresentação em concerto, que consiga ser interessante desde o primeiro ao último minuto, sem escrever uma única melodia ou definir uma única nota, recorrendo apenas à organização de eventos sonoros e seu resultado cénico. Contando, acima de tudo, com a disponibilidade, generosidade e empenho de quem nela participa e com  direção artística de Nuno Rebelo.

Na primeira parte deste espetáculo, Nuno Rebelo apresenta-se a solo, num pequeno concerto de música improvisada onde as técnicas experimentais aplicadas à guitarra elétrica nos transportarão para um universo sonoro pouco habitual neste instrumento.

Nuno Rebelo

Nuno Rebelo nasceu em Torres Vedras, em 1960. Formado em Arquitetura pela Escola Superior de Belas Artes de Lisboa, desde muito cedo se dedicou exclusivamente à música, sendo autodidata nesta área. Durante a década de 80 destacou-se na música Pop, integrando os “Streetkids” (1980-82) e dirigindo os “Mler ife Dada” (1983-89). De 1990 a 92 dirigiu o grupo instrumental “Plopoplot Pot” e, entre 93 e 95, a “Poliploc Orkeshtra.
No cinema, criou música para filmes de José Nascimento, Edgar Pera, Ricardo Rezende, Jorge António, Jorge Paixão da Costa, entre outros. No teatro, criou música para encenações de José Wallenstein, João Garcia Miguel, Paulo Filipe Monteiro, António Feio e Águeda Sena. Na área da dança, criou música para coreografias de Mark Tompkins, Vera Mantero, Constanza Brncic, João Fiadeiro, Paulo Ribeiro, Aldara Bizarro, Cosmin Manolescu, Malpelo, entre outros.

Trabalhou com músicos como Agusti Fernandez, Agusti Martinez,  Albert Cirera, Alexander Frangenheim, Alfredo Costa Monteiro, Damo Suzuki, DJ OLive, Eric M, Ferran Fages, Francesco Cusa, Fried Dahn, Gianni Gebbia, Graham Haynes, Gregg Moore, Hilmar Jensson, Hiroshi Kobayashi, Jakob Draminsky Hojmark, Jean-Marc Montera, Joan Saura, John Bisset, Kato Hideki, Le Quan Ninh, Liba Vilavecchia, Michael Moore, Michael Vatcher, Paolo Angeli, Peter Kowald, Phillipe Aubry, Shelley Hirsch, Tom Chant, Matt Davis, Victor Nubla, Vincent Peter, Xavier Maristany, bem como com a maioria dos improvisadores portugueses, destacando-se as suas colaborações frequentes com o violinista Carlos Zingaro e com o baterista Marco Franco.

Tem lecionado workshops de técnicas experimentais para guitarra elétrica, improvisação livre, improvisação estruturada, esculturas sonoras e música com a comunidade.

Os bilhetes custam 5 euros e estarão disponíveis  no Teatro-Cine de Torres Vedras para compra às terças e sextas das 09h00 às 13h00 e 14h00 às 17h00 a partir das 18h00 em dias de espetáculo com uma lotação de 400 pessoas.

Ana Kap [frança] apresentam “Trauma Show” , um concerto traumaticamente bom

Ana Kap é um trio formado em 2009 que, além de um manifesto génio musical, revela um sentido de humor muito particular. Nas palavras da banda, “Ana Kap, é Nino Rota desfrutando de uma chávena de café na margem do rio Marne, é um clube de jazz fumarento, habitado bailarinas de uma ópera de Oulan Bator, é a Yvette Horner de braço dado com James Bond durante o baile anual da Grande Orquestra do Consulado Helvético Oriental (também conhecido como o GOCHO)”.

Ana Kap, também é o nome de uma mulher que vive no Texas, e é por isso que este trio retirou um ‘n’ de Anna, para não se meter em problemas (nunca se sabe …).
Ana Kap, por último, mas não menos importante, são Pierre Millet no trompete, Manuel Decocq no violino e Jean Michel Trotoux no acordeão.

Este concerto destina-se a maiores de 6 anos e o preço do bilhete é de 5 euros (o passe “Acordeões do Mundo” que dá acesso aos 5 concertos tem um custo de 15 euros).

Os concertos do Festival Internacional de Acordeão de Torres Vedras – “Acordeões do Mundo” têm continuidade nas seguintes datas e com os seguintes artistas:

2 novembro | Tino Costa – 50 Anos de Carreira [Portugal]
3 novembro | Guillem Anguera [Catalhunha/Espanha]
4 novembro | MOTIV [Portugal]

A 14.ª edição do Festival Internacional Acordeão de Torres Vedras “Acordeões do Mundo” é uma organização da Câmara Municipal de Torres Vedras e do Teatro-Cine de Torres Vedras, integra o programa das Festas da Cidade 2017; tem o patrocínio do Arena Shopping; Água oficial: Vimeiro; Hotel oficial: Ô Hotel Golf Mar.

Torres Vedras adia apresentação das “Festas da Cidade 2017” devido a incêndios

Em comunicado a Câmara Municipal de Torres Vedras fez saber que as festividades terão início dia 23 de outubro e não a 17, amanhã, como estava previsto, devido aos incêndios.

Na sessão serão apresentadas as diversas áreas que compõem o programa do Festival Internacional de Acordeão de Torres Vedras e das Festas da Cidade 2017  e contará com as presenças do presidente da Câmara Municipal de Torres Vedras, Carlos Bernardes, bem como do diretor artístico do Festival “Acordeões do Mundo”, João Garcia MiguelNesta sessão serão apresentadas as diversas áreas que compõem o programa do Festival Internacional de Acordeão de Torres Vedras e das Festas da Cidade 2017  e contará com as presenças do presidente da Câmara Municipal de Torres Vedras, Carlos Bernardes, bem como do diretor artístico do Festival “Acordeões do Mundo”, João Garcia Miguel.

Suzie’s Velvet inaugura “Noites do Parque” 2017 Jazz no parque Choupal

Suzie’s Velvet é um grupo de jazz que recria o ambiente deslumbrante e nostálgico da década de 40 de Hollywood, mantendo-se fiel aos arranjos musicais originais e a uma sonoridade vintage de cabaret. O repertório é essencialmente composto por temas norte-americanos das décadas de 30 e 40 marcado pelo swing e blues, sob a influência de famosos grupos vocais como “The Andrew Sisters” ou “The Mill Brothers“.

Bruno Pernadas: Guitarra e Banjo
Inês Sousa: Voz
João Correia: Bateria
Mário Franco: Contrabaixo
Suzie’s Velvet Promo

Este concerto destina-se a toda a família e a entrada é livre.

“Noites do Parque 2017” terá continuidade nas seguintes datas:

5 de agosto | André Miguel Santos & MOB Ensemble
12 de agosto | Chão da Feira

Informação sempre atualizada em: www.cm-tvedras.pt

Edição “Be Fashion Santa Cruz 2017” vai à praia em Torres Vedras

Na rua José Pedro Lopes estende-se uma passerelle com cerca de 60 metros, na qual os manequins desfilarão as coleções primavera/verão das lojas aderentes de Santa Cruz e Torres Vedras. Nesta ação, onde se juntam caras bem conhecidas de todos e cerca de 20 crianças/ jovens manequins amadores do concelho de Torres Vedras, pretende-se proporcionar uma noite agradável em família, assim como atrair público a Santa Cruz e dinamizar o comércio torriense.

Igualmente importantes são os manequins do concelho Ana Seara, Catarina Santos, Diogo Oliveira, Fausto Santos, Leandro Bernardo, Márcia Ferreira, Margarida Rodrigues, Margarida Santos, Maria Santos, Raquel Silva, sara Santos, Tatiana Neves e Telmo Matias.

A roupa estará a cargo das seguintes lojas: Roupitas, Optivisão, Papoila, Aloha| Girls and Boys, Manel Sport, FC…in, La Bianca, 7 ais, Bella Donna e a estilista torriense Marta Lee.

O hairstyle e makeup estão a cargo de Corte à la Carte e ML MakeUP, respetivamente.
O “Be Fashion” Santa Cruz 2017 tem o patrocínio da Tecsport e conta com a parceria do Hotel Santa Cruz.

“Brinquedos e Brincadeiras” em Torres Vedras

Há momentos em que a “Grande Festa da Criança” se destina apenas a grupos escolares, mas nos dias 1 e 3 de junho a festa é para toda a família. Os horários são os seguintes:

30 de maio a 2 de junho | 09h00 às 15h00 | grupos escolares
1 de junho [Dia Mundial da Criança] | 17h00 às 20h00 | público em geral
3 de junho| 10h00 às 13h00 e das 15h00 às 20h00 | público em geral

“Oeste Infantil – A Grande Festa da Criança” constitui um evento lúdico e educativo, destinado a crianças dos 3 aos 12 anos, que conta com a organização e participação de diversos agentes da comunidade educativa. A entrada é gratuita e os mais novos têm à sua disposição dois pavilhões, com mais de 40 espaços de atividades que lhes proporcionam momentos de diversão, aprendizagem e criatividade. Também no exterior contarão com muita animação.

Entre “brinquedos e brincadeiras”, os mais novos aprendem enquanto se divertem. Contamos com a presença de todos para momentos muito divertidos!

Carnaval de Torres Vedras 2017: um caso sério de brincadeira

 

Sexta-feira, 24 de fevereiro, arranca cedo, às 09h30, com a realização do tradicional Corso Escolar, no qual participarão cerca de 7200 alunos, acompanhados por 950 auxiliares e professores, de 78 estabelecimentos de ensino do concelho de Torres Vedras. Este é um dos corsos mais concorridos do Carnaval, com toda a família a querer assistir ao desfile destas pequenas grandes figuras. Com música no pé e uma alegria contagiante, as nossas crianças mostram com orgulho o trabalho que realizaram na escola e mostram que é de pequenino que se “entranha o bichinho”.

A cerimónia de entronização de Suas Altezas Reais, os Reis do Carnaval de Torres Vedras, acontece a partir das 22h30, com partida da Estação de Comboios, cortejo pelo centro da cidade e entronização na Avenida 5 de Outubro, em frente ao edifício da Câmara Municipal. Trata-se de um momento solene, de forte sátira, em que Dom Troikado Chamuçado da Bela Geringonça e Dona Klintoriana Emproada Emborrachada receberão as Chaves da Cidade, das mãos do presidente da Câmara Municipal. A partir de então, os destinos de Torres Vedras ficam na mão de Suas Altezas Reais, pessoas muito conhecidas na terra que se distinguem por serem grandes foliões e sempre dois homens por tradição (Ricardo Miranda (rei), e Ricardo Rodrigues (rainha)).
A animação prossegue noite dentro, com a loucura habitual que só conhece quem por cá passa. A partir das 22h30 há Dj´s nos palcos da Praça Machado Santos e na Praça Sagres (Jardins de Santiago).

Sábado, 25 de fevereiro, traz-nos o corso noturno e a realização do Concurso dos Grupos de Mascarados, a partir das 21h00. Um salutar convívio entre cerca de 2 mil mascarados, de mais de 40 grupos, que vão preencher o perímetro do corso e mostrar que, a criatividade aliada à sátira social e política, são o que torna o Carnaval de Torres único e diferente. Quem vence o concurso não é importante, o importante é esta agradável “brincadeira”. O Tó’Candar, aquele carro carregado de colunas e com uma banda que toca ao vivo, também sai à rua, fazendo com que a multidão o acompanhe no percurso e dance noite dentro.

Depois do corso há a noite do Carnaval de Torres… aquela que nunca acaba. DJ´S Carnaval no palco da Praça Machado Santos, Praça Sagres e Mercado Municipal.

Família que gosta de “brinquedos e muita brincadeira” vai ao corso diurno de domingo, 26 de fevereiro, a partir das 14h30. Esta é a ocasião para se divertir com os mais novos e perceber porque é que em Torres Vedras todos fazemos parte deste Carnaval. Aqui terá a oportunidade para admirar o notável trabalho de artistas plásticos locais nos carros alegóricos e perder-se com os grupos de mascarados, as bandas de música, os nossos cabeçudos, Zés Pereiras, serpentinas e os tradicionais “cocotes”.

O ideal seria “sentir a vibração” do Carnaval de Torres in loco, mas no caso de estar longe pode assistir ao programa da TVI “Somos Portugal”, em direto do corso de domingo, das 12h30 às 13h00 e das 14h00 às 20h00.

Todas as noites temos os palcos com Dj’s a animar os foliões e o domingo não será exceção.

Segunda-feira, 27 de fevereiro, vem demonstrar que não há idade para se entrar na folia. A partir das 14h30, mais de 800 seniores vão divertir-se na realização do Baile de Máscaras Tradição, na Expotorres. É absolutamente surpreendente verificar a energia destes nossos foliões.

Já a partir das 21h00, terá lugar o Corso Trapalhão que é o que o nome indica. Só terá de vir mascarado ou disfarçado. Neste corso não nos preocupamos com o “parecer”, basta “ser”. Tirar uns trapinhos velhos do baú e vir para o Carnaval de Torres Vedras faz parte da tradição. Talvez por isso, esta seja a noite da “matrafona” por excelência, com direito a concurso a partir das 23h00. A “matrafona”, típica do Carnaval de Torres, não é mais do que um homem vestido de mulher. É que antigamente, quando os homens trabalhavam a terra e as mulheres não podiam sair de casa para se divertir, o mais fácil e prático para mascarar era vestir a roupa da senhora. Assim nasceram as “matrafonas”.
Junte-se aos milhares que fazem deste corso uma verdadeira trapalhada!

Terça-feira, 28 de fevereiro, regressamos a partir das 14h30 ao Corso Diurno, com toda a habitual animação. Este é o dia em que os Torrienses vivem “em pleno” o seu Carnaval. Dá-se tudo o que ainda se tem, descarrega-se por completo a bateria… afinal este é o último dia do Carnaval.

1 de março, quarta-feira,  acaba-se a brincadeira. A partir das 21h00, realiza-se o Enterro do Entrudo, com aquele ambiente pesaroso e bem carpido que a todos relembra que Carnaval… só para o ano!

Que venham todos ao Carnaval mais português de Portugal porque a vida são dois dias… e o Carnaval de Torres são 6!

De 24 de fevereiro a 1 de março entre connosco nesta grande brincadeira.

Torres Vedras, um concelho Green Destination

“Se cada um localmente contribuir, julgo que garantimos um contributo a nível mundial. Em Torres Vedras temos feito esse trabalho”, começa por explicar o presidente.

Com um plano estratégico de turismo sustentável para o concelho aprovado no final de 2016, o nosso entrevistado garante que “esta era uma das áreas que nos faltava integrar. De acordo com o território, Torres Vedras, planeia sob dois eixos de referência, a “Cultura” e a vertente “Sol e Mar”.

CULTURA, SOL E MAR, QUE PROJETOS?

“É para nós uma prioridade apostar no património, nomeadamente, nas Linhas de Torres Vedras e no Castro do Zambujal. Do ponto de vista da inovação, há uma forte aposta na valorização e na sua requalificação e, por outro lado, é nosso objetivo torna-los produtos turísticos. Desta forma, foi recentemente criada na organização a Área da Marca “Torres Vedras”.

“Nesta área, pretendemos apostar por via da diferenciação e na valorização do Castro do Zambujal, que é único do ponto de vista patrimonial a nível da Península Ibérica e mundial. Iremos dar início à sua reabilitação no primeiro semestre de 2017 e potenciá-lo posteriormente para a componente de visitação.

As Linhas de Torres Vedras estão inseridas num contexto com mais cinco municípios. Estas estendem-se do Atlântico até ao Tejo. O contributo de Torres Vedras tem sido importante na sua divulgação e promoção. Desejamos fazer este trabalho de forma persistente, por isso mesmo, aliámo-nos a dois operadores turísticos para apostar no mercado interno e inglês. A par disto, iremos abrir também no primeiro semestre de 2017, o Centro Interpretativo das Linhas de Torres Vedras, no Forte de São Vicente, sendo que este é um ponto essencial no que toca ao acolhimento de turistas”, revela o presidente.

Sobre “Sol e Mar”, “todo o trabalho que temos vindo a desenvolver e que se verifica no QualityCoast, visa justamente a promoção do turismo sustentável em áreas costeiras. Temos 20 quilómetros de costa, praias bandeira-azul. É neste modelo que surge a criação do Green Destinations para o território de Torres Vedras.

EMBAIXADOR GREEN DESTINATIONS

“As responsabilidades são acrescidas e estão ao nível da honra que foi aceitar o compromisso”, garante Carlos Bernardes.

O que exige o cargo? “Poder estar disponível em função da experiência que Torres Vedras tem tido ao longo deste processo da promoção do turismo sustentável e assim dar o meu contributo para que mais territórios se tornem, também, Green Destinations”.

“12 Municípios da Comunidade Intermunicipal Oeste são QualityCoast e Green Destinations”, este foi um trabalho desenvolvido em função daquilo que se pretende enquanto embaixador desta causa.

Alguns dos critérios estabelecidos para a obtenção da classificação são a promoção de emprego – ligado à economia verde, o uso dos recursos locais, bem como a promoção e utilização de produtos locais.

Note-se que Torres Vedras passou de certificação básica, em 2009 para, em apenas sete anos, conquistar a platina (2016).

Factos? “Há mais dormidas nos nossos hotéis, há mais diversidade por quem nos procura, essencialmente no mercado externo. Os principais eram espanhóis, mas os franceses foram quem mais nos procurou ano passado”.

GREENFEST

É o maior evento de sustentabilidade realizado em Portugal. Onde é apresentado o que de melhor se faz no âmbito da sustentabilidade, nas vertentes social, económica e ambiental. Um evento dirigido a toda a população, que conta com a presença de empresas, autarquias e escolas. O objetivo? Sensibilizar os visitantes para as questões intrínsecas à sustentabilidade e à partilha de melhores práticas.

Carlos Bernardes mostra-se empreendedor e defende que há um acrescento que pensa fazer todo o sentido: “a sustentabilidade é ditada muitas vezes como tendo três pilares, eu gosto de lhe acrescentar um quarto para que ela não balance. Além dos elementos economia, social e ambiental, acrescento o modelo de governança”, que o autarca define como essencial, através da participação dos cidadãos.

O TURISMO NO PAÍS

“Portugal tem feito um percurso brilhante no que concerne ao turismo. Porto e Lisboa são dois pólos exemplares daquilo que é o crescimento do turismo, exemplos que podem estender-se ao restante território português. O turismo é experienciação e, por isso, estou convicto que o turista que venha visitar Torres Vedras viverá ótimas experiências.

O turismo é sem dúvida uma área em pleno crescimento, onde o Governo tem tido um cunho muito importante naquilo que tem sido feito a este nível nas várias dimensões da promoção de Portugal”, conclui o nosso entrevistado.

Não se esqueça, Torres Vedras o lugar… “à beira-mar plantado, a 30 minutos da nossa capital”.

Praias de Torres Vedras com sistema único no mundo para daltónicos

Doze praias de Torres Vedras são as primeiras no mundo a ter um sistema de informação para banhistas daltónicos, que foi inaugurado, este sábado, pela secretária de Estado para a Cidadania e Igualdade, no arranque da época balnear.

A câmara de Torres Vedras adotou o sistema internacional de identificação de cores, “ColorAdd”, desenvolvido pelo designer Miguel Neiva, nas bandeiras e nos contentores de recolha seletiva de resíduos das praias.

“Nas praias temos as bandeiras, de várias cores, e ter uma bandeira que ajuda as pessoas daltónicas a poderem saber as condições do mar pode parecer um projeto pequeno, mas é um ato extraordinário de integração”, defendeu Catarina Marcelino, à agência Lusa.

A secretária de Estado lembrou que a dificuldade de não conseguir identificar as cores “é uma perturbação muito grande no dia-a-dia de qualquer pessoa e leva à exclusão social de pessoas, ao ‘bullying’ nas escolas e ao insucesso escolar e social”, sublinhando que, por isso, é “um projeto que ajuda à inclusão de pessoas e a ter uma sociedade mais igual”.

Para a governante, trata-se de um projeto de inclusão social e contribuiu para ter uma sociedade “mais igual”, já que se estima que 10% dos homens são daltónicos, enquanto o daltonismo afeta apenas 0,5% das mulheres em todo o mundo, sendo por isso um problema também de género.

O sistema de informação para daltónicos, que no areal das praias se torna visível com mais uma bandeira hasteada, na qual se inscreve um símbolo identificativo da respetiva cor, foi implementado nas praias Azul, Santa Cruz Centro, Física, Formosa, Mirante, Navio, Pisão, Santa Helena, Santa Rita-Norte, Santa Rita-Sul, Foz do Sizandro e Porto Novo.

Com o projeto, o município pretende que “ninguém fique de fora, se necessitar de ir ao banho”, disse o presidente da câmara, Carlos Bernardes.

A ideia foi concebida pelo designer Miguel Neiva já em 2000, mas só em 2008 veio a concluir o projeto de investigação dedicado a este código de identificação de cores para daltónicos, que até agora se disseminou por 60 países.

Contudo, só hoje chegou às praias em todo o mundo, sendo as de Torres Vedras as primeiras praias inclusivas do mundo.

EMPRESAS