Inicio Tags App

Tag: app

Lançada app para reduzir morte de animais nas estradas

“A aplicação vai permitir saber onde existe maior atropelamento de animais para tomarmos medidas mais eficazes e conseguirmos reduzir as mortes”, explicou a bióloga da direção de engenharia da IP, Graça Garcia, numa apresentação na sede da empresa, em Almada, no distrito de Setúbal.

Com a ajuda dos cidadãos, a informação registada sobre a morte de um animal, em qualquer estrada do país, vai ser incluída numa base de dados já existente, uma vez que a IP dinamiza o projeto Life Lines desde 2014, com várias iniciativas de preservação da natureza.

A ferramenta digital foi desenvolvida em parceria com a Universidade de Évora e, segundo o coordenador do projeto na instituição, António Mira, além de mitigar efeitos negativos, pretende-se “sensibilizar as pessoas e envolvê-las”.

De acordo com o responsável, entre 2005 e 2019, morreram 81.972 animais nas estradas portuguesas, com maior incidência em anfíbios, aves e mamíferos.

“As mortes acontecem mais no outono e afetam sobretudo animais de pequena dimensão, como os anfíbios. Há uma mortalidade em massa, mas passam despercebidos por serem pequenos. As pessoas questionam porque andamos a gastar dinheiro a salvar rãs e sapos, mas estes animais são importantes, por exemplo, para evitar pragas”, frisou.

Ainda assim, como sublinhou Graça Garcia, “não é só a segurança dos animais que está em causa, mas também das pessoas, para evitar acidentes”.

O Life Lines tem vindo a ser testado no Alentejo Central e dinamizou várias medidas para “minimizar o efeito barreira que as estradas criam aos habitats” de corujas, anfíbios ou mamíferos, que podem posteriormente ser replicados onde for necessário, segundo a bióloga.

No caso das aves, foram colocadas barreiras de rede e vegetação arbustiva para que voem mais alto, assim como refletores que expandem a luz dos faróis na direção das áreas exteriores à via.

Já para os animais terrestres, foram implementadas passagens hidráulicas e vedações que os encaminham para as mesmas, além de um sinal de trânsito “inovador” em Portugal, que alerta os condutores de que estão num troço com grande risco de atropelamento de anfíbios.

A aplicação já está disponível para ‘download’ no Google Play, é gratuita e permite registar a mortalidade de um animal em qualquer estrada do país, a espécie, o sexo, a idade, as coordenadas GPS e fotografias, no entanto, se o condutor não souber nenhuma destas informações, existe a opção “não sei”.

Além da IP e da Universidade de Évora, também cooperaram neste projeto os municípios de Évora e Montemor-o-Novo e a ONG Marca — Associação de desenvolvimento Local.

Emirates apresenta possibilidade de criar playlist personalizada antes da viagem

A Emirates acaba de introduzir uma nova funcionalidade na sua app que permitirá aos passageiros criar as suas próprias playlists antes do voo e sincronizá-las de acordo com os seus lugares a bordo. Os passageiros podem, assim, planear a viagem ainda com mais eficiência e maximizar a sua experiência a bordo, através da app da Emirates para que, a qualquer momento, possam explorar o longo catálogo de entretenimento.

O ice, o premiado sistema de entretenimento a bordo da Emirates, atingiu um novo marco, oferecendo já mais de 4.000 canais de entretenimento. Neste momento, o catálogo inclui mais de 1.000 filmes – mais do que qualquer outra companhia aérea – dezenas de milhares de faixas de música, podcasts e jogos.

Sir Tim Clark, Presidente da Emirates Airline, referiu: “mantendo a nossa promessa de ‘Fly Better’, as nossas equipas trabalham incansavelmente para proporcionar experiências de viagem cada vez melhores. Cada detalhe é cuidadosamente avaliado, enquanto procuramos melhorar e desenvolver continuamente os produtos e serviços para os nossos passageiros. Esta nova funcionalidade da app da Emirates vem elevar a fasquia na experiência do passageiro mesmo antes de entrar no avião. Os nossos passageiros podem agora navegar pelo conteúdo incomparável que oferecemos e criar as suas playlists de entretenimento no seu tempo livre para, mais tarde, quando se sentarem confortavelmente nos seus assentos, bastar apenas sincronizar e carregar no play”.

A capacidade de sincronização está atualmente disponível em mais de 100 aviões Boeing 777 da Emirates e será disponibilizada progressivamente em toda a frota nos próximos meses, incluindo nos A380. Com uma base global de passageiros, a Emirates oferece opções de entretenimento em 44 idiomas e, a cada mês, mais de 100 filmes são adicionados ao sistema. A Emirates garante que os seus passageiros mais jovens recebam também uma grande variedade de filmes infantis e canais de TV. Além dos mais de 75 filmes da Disney, da Marvel e infantis, há também mais de 50 canais de televisão, incluindo o Cartoon Network, Nickelodeon, CBeebies e Disney Channel.

O ice também apresenta conteúdo variado, como os canais Food and Wine, da Emirates, oferecendo aos passageiros uma perceção daquilo que acontece do lado de lá, de como são criados os seus menus a bordo; cursos de Formação LinkedIn, com profissionais especializados; além de cursos de idiomas no uTalk, com lições para principiantes.

A app da Emirates é um parceiro de viagem que permite que os passageiros possam reservar voos, hotéis, alugar carros, passeios e atrações. Além do catálogo do ice, os viajantes podem ainda explorar os menus e listas de vinhos do seu voo com um mês de antecedência da data de partida. A aplicação da Emirates também inclui mapas de assento 3D que permitem aos passageiros navegar pelo interior do A380 da Emirates e do Boeing 777, durante a escolha dos assentos, e explorar a espaçosa cabine antes de embarcarem.

A app da Emirates é gratuita e está disponível para download em dispositivos iOS ou Android.

O que mudou nos hábitos dos portugueses no último ano

Sabia que em 2018 encerraram mais de 1798 restaurantes, bares e cafés em Lisboa e no Porto? No mesmo período temporal, a Zomato registou a abertura de 1894 espaços de restauração.

Ao todo, são mais de 19 mil os espaços de restauração distribuídos entre Margem Sul, Lisboa e Porto – incluindo as recém-lançadas cidades de Póvoa de Varzim e Vila do Conde. A cozinha portuguesa continua a liderar as aberturas dos restaurantes mas, em 2018, os restaurantes de cozinha vegan, vegetariana e saudável foram a segunda maior tendência.

As palavras mais pesquisadas
No topo das pesquisas de 2018 estiveram palavras como “sushi”, “brunch”, “pizza”, “tapas” e cozinha “italiana”. Ao sábado e ao domingo dá-se o pico das pesquisas, revelando que os portugueses gostam mais de comer fora ao fim-de-semana. Dos 9 milhões de visitantes da Zomato em 2018, 65% situa-se nas faixas etária 25-44 anos e 56,4% é do sexo feminino – parece que na hora de decidir onde comer, a mulher tem um pouco mais de peso.

De acordo com os hábitos de pesquisa recolhidos em 2018, a pesquisa no mapa para encontrar novos restaurantes é a funcionalidade mais pesquisada na Zomato e, logo depois, guardar os restaurantes a visitar no separador de favoritos . Depois, os utilizadores avaliam os restaurantes, partilham fotografias sobre os mesmos, chamadas para o restaurante e, por fim, a escrita de opiniões – apreciada pelos utilizadores mais fãs.

A Zomato lançou ainda em 2018, o novo sistema de reservas Book Lite e, em apenas 6 meses registou mais de 13 mil reservas em restaurantes, facilitando o processo de gestão aos restaurantes aderentes através do smartphone. Os utilizadores passam assim facilmente a poder reservar mesa nestes espaços através de um simples clique.

Em 2018, o serviço de subscrição Zomato Gold foi atualizado e expandiu as suas ofertas a bebidas, além de pratos, aumentando a sua rede de parceiros em 1200 restaurantes e bares em Lisboa e no Porto.

Sobre a Zomato
A Zomato é uma app de descoberta de restaurantes, que disponibiliza informação sobre mais de um milhão de restaurantes em 23 países.

O conteúdo detalhado e atualizado da Zomato inclui os menus dos restaurantes, fotos tiradas pelas equipas que percorrem as ruas nas várias cidades onde está presente, coordenadas e outras informações; os utilizadores podem avaliar e dar opinião sobre os restaurantes, bem como criar a sua própria rede de foodies com recomendações personalizadas.

Em Portugal, a plataforma conta com 1,9 milhões de visitas por mês, sendo a plataforma descoberta de restaurantes mais completa para quem procura opções para comer fora, entregas ao domicílio, serviço de take-away ou sair à noite. A plataforma está disponível nas versões web ( www.zomato.com ) e mobile (iOS, Android e Windows Phone).

A Campanha de Natal da Zomato oferece presentes a dobrar com Zomato Gold

O Natal ficou mais dourado com a campanha de Natal do Zomato Gold – a subscrição integrada na app Zomato que tem levado foodies de Norte a Sul do país a descobrir novos sítios para comer e beber fora de casa e ter acesso a ofertas em todos eles, em Lisboa e no Porto.

A partir de hoje, todos os subscritores que escolham comprar uma subscrição de 3 meses (24€), 6 meses (34€) ou de 12 meses (59€) para si, recebem uma segunda subscrição Zomato Gold de oferta com a duração de três meses para oferecer a alguém especial e tornar esta quadra ainda mais única. Esta campanha está disponível até ao dia 23 de dezembro.

Um presente “ dois em um ” destinado a todos os amantes de comida e de experiências gastronómicas diferentes todos os dias mas que não dispensam uma boa companhia para partilhar as suas refeições.

O Zomato Gold é a subscrição que oferece o segundo prato mais caro da conta ou até duas bebidas gratuitas nos vários parceiros que se distribuem entre Lisboa e o Porto, numa lista em crescimento constante e que já engloba uma grande variedade de restaurantes e bares.

Até ao momento, os membros Zomato Gold somam 95 mil visitas aos restaurantes e bares parceiros, nas duas cidades. A Zomato estima que, em cada ida ao restaurante exista uma média de 2.6 pessoas sentadas à mesa. Sendo o consumo médio por pessoa de 15 euros, a Zomato afirma que o Zomato Gold já gerou mais de três milhões e setecentos euros em lucro nos parceiros.

Para mais informações sobre o Zomato Gold: www.zoma.to/gl
Regulamento da campanha: bit.ly/NatalZomatoGold

Sobre a Zomato
A Zomato é uma app de descoberta de restaurantes que disponibiliza informação sobre mais de um milhão de restaurantes em 23 países.
O conteúdo detalhado e atualizado da Zomato inclui os menus dos restaurantes, fotos tiradas pelas equipas que percorrem as ruas nas várias cidades onde está presente, coordenadas e outras informações; os utilizadores podem avaliar e dar opinião sobre os restaurantes, bem como criar a sua própria rede de foodies com recomendações personalizadas.

Em Portugal, a plataforma conta com 8,5 milhões de visitas por mês, sendo a plataforma de descoberta de restaurantes mais completa para quem procura opções para comer fora, entregas ao domicílio, serviço de take-away ou sair à noite. A plataforma está disponível nas versões web ( www.zomato.com ) e mobile (iOS, Android e Windows Phone).

Ministra da Presidência lança app educacional sobre direitos humanos

© Reuters

lançamento da nova plataforma para ‘smartphone’, criada pela Epic Student, decorreu num complexo desportivo em Almada, no distrito de Setúbal, através de um torneio entre 120 estudantes do 9.º ano.

A iniciativa inseria-se nas comemorações dos 40 anos de adesão de Portugal à Convenção Europeia dos Direitos Humanos e, neste sentido, os alunos participaram em diversos desafios, que culminaram na apresentação de uma proposta para melhorar problemas sociais nas suas escolas.

“Estamos aqui por causa de uma declaração que tem 40 anos, mas que é muito atual, tão atual que hoje, das cinco propostas que ouvimos aqui, houve uma que provavelmente não estaria aqui há 40 anos, portanto, os Direitos Humanos vão-se modernizando e até já temos aqui o direito à proteção dos nossos dados, da nossa privacidade e informação, o que hoje é tão importante. No final do dia quem ganhou foram os direitos humanos”, frisou Maria Manuel Leitão Marques, em discurso no final do torneio.

A ministra referia-se à proposta vencedora, do Agrupamento de Escolas de Pinhal de Frades, no Seixal, com o tema ‘Protege os teus Dados’.

“Em todas as escolas existem vários boatos sobre certos assuntos, certas pessoas e na nossa escola já foram criadas páginas nas redes sociais onde foram várias pessoas difamadas e onde disseram coisas que não era verdade. Por isso, queremos promover o direito à privacidade”, explicou à agência Lusa a aluna Gabriela, porta-voz do grupo.

O ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, também esteve presente e falou sobre como a aplicação é importante para que os jovens perceberem os direitos humanos e cidadania.

“Hoje é um dia importante, é um dia de celebração e um dia de pensarmos nesta questão da cidadania, porque todos somos cidadãos de corpo inteiro e os jovens devem começar a ter estas preocupações para poderem verdadeiramente fazer diferente na sua turma, escola, bar ou freguesia. É absolutamente fundamental esta aplicação”, disse.

No Torneio da Cidadania 2018 participaram cinco agrupamentos dos municípios de Almada, Seixal e Sintra.

Em segundo lugar ficou a proposta do Agrupamento de Escolas Miguel Torga, em Sintra, com o tema ‘Educação com voz’, que pretende fazer com que os alunos sejam ouvidos, e em terceiro lugar, a ideia ‘Que a fome não nos impeça de comer’, do Agrupamento de Escolas da Caparica, em Almada, que tem o objetivo de ajudar alunos com dificuldades económicas.

Em declarações à agência Lusa, o fundador da Academia My Polis Bernardo Santos, explicou que este é um recurso educativo que pode ser usado “dentro e fora da sala de aula”, que ajuda os alunos aprender “de uma forma mais interativa e divertida”.

O objetivo dos criadores é que a aplicação passe a ser usada nas escolas do país “já nos próximos anos letivos”.

Apesar de ter sido eleito um grupo vencedor, o desafio não fica por aqui, segundo o fundador, e até ao fim do período letivo os alunos devem tentar implementar as iniciativas, até porque a Epic Student vai voltar às escolas para “perceber qual a ideia com mais impacto” nas comunidades escolares.

A presidente da Câmara Municipal de Almada, Inês de Medeiros, também saudou a iniciativa.

“Acho que deram todos sinais de esperança e valores essenciais que nos devem mover a todos, que é o da inclusão, da solidariedade, com algumas noções muito importantes como o direito à privacidade e obviamente nunca, jamais, que a fome impeça de estudar, de viver e de realizarmos os sonhos”, referiu.

LUSA

Dois refugiados sírios fazem app para fintar a burocracia alemã

Dois refugiados sírios que vivem na Alemanha estão a desenvolver uma app para ajudar outros refugiados, e também cidadãos alemães, a sobreviverem à burocracia germânica. A aplicação chama-se Bureaucrazy (um trocadilho em inglês entre as palavras “burocracia” e “louca”) e poderá ser lançada a 1 de janeiro de 2017.

Segundo o The Guardian, a ideia surgiu quando Munzer Khattab, um refugiado sírio de 23 anos, foi até a uma morada onde supostamente ficava um centro de emprego. Não se enganou, chegou lá, mas mesmo assim bateu com o nariz na porta. É que, apesar de já ter sido um centro de emprego, o edifício estava naquele momento em obras. Ou, também, quando Ghaith Zamrik, refugiado sírio de 19 anos, ficou a saber que tinha de assinar um total de oito documentos assim que chegou a Berlim e apenas quatro estavam traduzidos para árabe. “Foi muito frustrante”, disse àquele jornal. “Até os meus amigos alemães têm dificuldades com a burocracia. Imagine-se o que é que para um recém-chegado.”

A aplicação Bureaucrazy está a ser desenvolvida com a ajuda da ReDI, uma escola empenhada em “ensinar capacidades para escrever código que criem oportunidades de emprego e emancipação económica para refugiados”. Entre outras coisas, a aplicação terá uma ferramenta que permitirá traduzir documentos em alemão para árabe ou inglês ou um mapa que indique a balcão de atendimento a que cada pessoa se deve dirigir consoante a questão de que pretender tratar.

Em declarações ao The Guardian, a fundadora daquela escola, Anen Kjær Riechert, disse que gostava que a aplicação servisse com uma maneira de realçar as capacidades de alguns dos 1,2 milhões de refugiados que chegaram à Alemanha vindos da Síria. “Se queremos ajudar pessoas que estão presas em campos de refugiados em todo o mundo ou que estão a ser traficadas, temos de emancipá-las e colaborar com pessoas como Munzer e Ghaith”, disse. “Eles sabem de experiência própria como é uma situação destas e dessa maneira podem fazer parte da construção de soluções reais.”

Neste momento, os dois refugiados estão à procura de financiamento (o crowdfunding pode ser uma das vias) e de programadores profissionais que possam ajudar no desenvolvimento da app. Na sua página oficial do Facebook, já receberam contactos de pessoas que queriam ajudar nessa área e também de outras que se ofereceram para fazer as traduções de documentos oficias em alemão.

Wikipedia tem uma nova aplicação para Android

Meses depois da aplicação iOS, o Wikipedia decidiu renovar a sua aplicação Android, dando um novo design e novas funcionalidades.

O ecrã principal da aplicação vai passar a mostrar o feed ‘explorer’ onde são recomendadas fotografias, artigos e outros conteúdos com base no que o utilizador leu antes ou em eventos atuais. Explica o The Next Web que o feed está dividido em cards, semelhante ao Google Now, dependendo do tipo de sugestão.

Também será possível ver a imagem e a fotografia do dia, artigos escolhidos pelos editores do Wikipedia, os cinco artigos mais populares do dia e artigos gerados aleatoriamente.

“Da investigação à Intervenção”

Cristina Vieira

O que é? A Psicomotricidade é a ciência que tem como objeto de estudo o ser humano através do seu corpo em movimento na sua relação com o espaço, com o outro e consigo próprio, tanto na dimensão motora, como cognitiva e emocional.
Nos últimos anos tem vindo a ser motor de um significativo desenvolvimento científico-profissional, o que promoveu a sua compreensão e aceitabilidade na comunidade científica a nível nacional e internacional.
“O desenvolvimento emergente da Psicomotricidade tem vindo a colocar novos desafios, relacionados com o desenvolvimento de modelos de formação, linhas de pesquisa e formas de enquadramento profissional, aptos a responder às novas necessidades sociais”, revela a nossa entrevistada.
A APP surgiu neste contexto de desenvolvimento em 2001 como uma associação profissional, sem fins lucrativos, com o objetivo de “promover o conhecimento do perfil profissional do Psicomotricista, impulsionar o estudo e a divulgação de conhecimentos científicos, investigar, formar ou colaborar na formação no âmbito da Psicomotricidade, assim como estabelecer os contactos nacionais e ou internacionais, considerados necessários” – a associação é um dos membros do Fórum Europeu de Psicomotricidade (FEP), entidade que representa esta área profissional a nível Europeu e da Organização Internacional de Psicomotricidade e Relaxação (OIPR), que integra países europeus, americanos e do Médio Oriente.

APP – Qual o desiderato?

A sua missão passa pela promoção das práticas formativas e profissionais da área da psicomotricidade, a nível nacional, tendo em conta as especificidades das regiões Norte, Centro, Sul, Madeira e Açores.
A entidade, além de ser dinâmica na divulgação e representação da Psicomotricidade como domínio científico, realiza também várias formações complementares  com condições especiais para os seus associados, tais como a Psicomotricidade no Meio Aquático, a Psicomotricidade em Idade pré-escolar, a Psicomotricidade na Saúde Mental ou na Gerontomotricidade, estando em preparação uma formação na área da terapia assistida por animais.
Têm ainda a revista “A Psicomotricidade” de caráter anual, em versão online, com o principal objetivo de promover um distinto nível de padrões no âmbito da investigação científica e académica.
“Na revista temos artigos inovadores de caráter conceptual, investigação qualitativa e quantitativa, revisões extensivas e compreensivas de investigações, análise política, estudos de caso, bem como pesquisas sobre criação ou validação de instrumentos de avaliação psicomotora ao contexto nacional e artigos descritivos de boas práticas de intervenção psicomotora”. “Neste momento, estamos a trabalhar para que esta seja indexada e bilingue (inglês – português) para potenciar a divulgação do nosso conhecimento no estrangeiro, no próprio Fórum Europeu de Psicomotricidade e na Organização Internacional de Psicomotricidade e Relaxação”, conta Cristina Vieira, presidente da associação.

Pela constituição de uma Ordem de Psicomotricistas

De acordo, com o Regulamento atualmente em vigor, em Portugal, o Psicomotricista é o profissional com uma formação mínima de 1º ciclo (licenciatura), em Psicomotricidade.
Sendo que a profissão de psicomotricista está regulamentada nas instituições particulares de solidariedade social, mas ainda não está regulamentada pelo ministério da educação e pelo ministério da saúde, a APP continua a desenvolver várias iniciativas com a finalidade de promover a regulamentação da profissão pelas entidades competentes do Estado Português.
Dessa forma, Cristina Vieira, revela que o caminho passa pela constituição de uma Ordem “já temos um código deontológico em vigor, temos um regulamento profissional em vigor, ou seja as principais estruturas que uma Ordem deve ter, iremos por isso avançar com a proposta na Assembleia da República de constituição de uma Ordem de Psicomotricistas, pois acreditamos que esse passo facilita e pode agilizar os processos da regulamentação da profissão”.

II Congresso Nacional

Nos dias 4, 5 e 6 de março realiza-se, em Vila Real, o II Congresso Nacional de Psicomotricidade, sob o tema “Desafios da Psicomotricidade numa sociedade em mudança. Da Investigação à Intervenção”
O congresso propõe-se ser um espaço de reunião e de partilha de conhecimentos entre a comunidade dos psicomotricistas, mas também para os profissionais, académicos e investigadores interessados nas questões relativas à Psicomotricidade “possibilitando o debate sobre o estado atual do conhecimento nesta área científica e profissional”.
No evento estarão presentes pessoas relevantes para a área científica, não só em Portugal, como no estrangeiro, tal como o professor Jean Michel Albaret da Universidade de Toulouse e o professor Franco Boscaini da Universidade de Verona – ambos colaboram cientificamente e regularmente com Portugal.
Este congresso promovido pela Associação Portuguesa de Psicomotricidade, conta com a parceria da Universidade de Trás – os – Montes e Alto Douro, a Faculdade de Motricidade Humana da Universidade de Lisboa e a Universidade de Évora.

Associação Portuguesa de Psicomotricidade
Av. Miguel Bombarda, 70, 1º andar, Lisboa e geral@appsicomotricidade.pt

Quer saber que marcas protegem trabalhadores, animais e meio ambiente? Esta app responde

É esse o objetivo de uma app lançada pela empresa social australiana Good On You: ajudar o consumidor a decidir na hora de comprar se o quer fazer tendo presente que uma determinada marca respeita estes valores éticos.

A Good On You foi criada por um grupo de pessoas que defende o consumo consciente e respeitador de valores como a proteção dos trabalhadores, ambiente e animais. A empresa social beneficiou de uma campanha de crowdfunding em julho deste ano e desenvolveu a sua própria app — gratuita e disponível para Android e iOS —  para listar marcas de vestuário, calçado e acessórios com representação na Austrália e algumas no mundo.

Para cada marca foi feita uma avaliação, entre cinco níveis — excelente, boa, é um começo, não é boa o suficiente, evitamos —, com base no que cada empresa faz quanto ao respeito pelos direitos dos trabalhadores, nomeadamente a não existência de trabalho infantil, a defesa da segurança no trabalho e o direito à sindicalização e salários justos. Na questão ambiental, as marcas são avaliadas quanto ao impacto direto ou indireto do que produzem no meio ambiente, sendo tida em conta a utilização de materiais amigos do ambiente, quantidade de água, produtos químicos ou uso de embalagens recicláveis. Quanto aos animais, a empresa terá uma melhor avaliação se não usar peles verdadeiras ou tiver uma utilização equilibrada do couro.

Estes dados são recolhidos pela Good On You junto de organizações independentes como a Fair Trade, a Ethical Clothing Australia ou a Global Organic Textile Standard, bem como de ONGs.

Atualmente, a app tem uma lista de mais de 3000 marcas e ratings relativos a mil, com a empresa a indicar que pretende aumentar em breve este número. Além de ter acesso à avaliação destas empresas, a app sugere como alternativa marcas semelhantes que têm uma posição melhor ou ajuda a encontrar empresas com base no estilo, orçamento e valores éticos do utilizador.

Através da função Your Voice (a sua voz), o utilizador pode ainda enviar um feedback à marca sobre se considera o seu trabalho positivo ou negativo quanto aos valores éticos que segue.

O presidente-executivo e cofundador da Good On You, Gordon Renouf, sublinhou, em declarações ao Mashable Australia, que a “moda é uma indústria que tem um grande impacto no ambiente, direitos laborais e animais” e é considerada “como a segunda indústria mais poluidora no mundo”.

Segundo Gordon Renouf, no próximo ano, a Good on You pretende alargar as suas avaliações a empresas de cosmética e produtos de higiene pessoal.

EMPRESAS