Inicio Tags Berlim

Tag: Berlim

DB Schenker apresenta projeto iHub

O projeto, designado por iHub, foi concebido para mostrar de que forma um sistema apoiado por TI (Tecnologias de Informação) pode ser utilizado para gerir eficientemente frotas de veículos a diesel e elétricos.

Para concretizar esta ideia, a DB Schenker está a colaborar com várias empresas e entidades alemãs como a FRAMO, fabricante de camiões elétricos, a empresa de software PTV, o Instituto de Transportes Fraunhofer, a Infraestrutura de Sistemas IVI de Dresden e o Instituto de Logística de Combustíveis Pós-Fósseis. O projeto está a ser financiado pelo Ministério Federal Alemão de Economia e Energia.

A eletromobilidade apresenta desafios específicos no contexto das atividades logísticas para cargas LCL (carga de menos de um contentor), uma vez que este setor necessita que as entregas sejam rápidas, pontuais e de confiança. Dado que os veículos elétricos necessitam de ser recarregados com regularidade, podem ficar em desvantagem quando comparados a camiões movidos a diesel. Para mitigar esta questão, um prestador de serviços de logística que queira integrar camiões elétricos na sua frota de veículos precisa de um sistema de gestão inteligente que permita o planeamento dinâmico da viagem. Para tal, uma ordem de transporte é alocada a um camião elétrico apenas se este veículo conseguir registar o mesmo nível de fiabilidade que o camião a diesel. Esta forma de gestão será desempenhada pelo sistema iHub em desenvolvimento.

Ainda que os serviços de correio e as empresas de entregas estejam já a usar carrinhas e camiões pequenos elétricos, a experiência destas empresas não pode ser transferida para o contexto de logística, uma vez que este setor percorre distâncias mais longas e transporta cargas maiores.

Para a implementação do projeto iHub vão ser utilizados três camiões elétricos com peso total admissível de 18 toneladas métricas. Enquanto estiverem em trânsito e para evitar qualquer recarga, o software vai calcular a rota mais eficiente para os veículos. Para maximizar a eficiência, os dados operacionais são seguidos online e usados para recomendação de rotas de ação específicas.

Tendo em consideração a questão do alcance limitado dos camiões elétricos e a localização próxima do centro da cidade, a filial em Berlim foi estrategicamente escolhida como local de testes.

Sobre a DB Schenker

DB Schenker é o maior fornecedor de logística global com mais de 72 000 colaboradores em cerca de 2 000 locais em todo o mundo e é líder no transporte terrestre europeu. Conta com mais de 2200 milhares de TEU de volume exportado por frete marítimo e faz aproximadamente 1 200 voos charter por ano nas principais linhas aéreas, ligando os centros em todos os continentes. Apoia a indústria e o comércio na troca global de mercadoria através do transporte terrestre, do transporte mundial aéreo e marítimo, da logística de contratos e da gestão da cadeia de abastecimento.

A logística integrada reside nas mais importantes interseções do mundo, onde o fluxo de mercadoria cria uma ligação eficaz entre carreiras. As mais-valias dos serviços da DB Schenker garantem um fluxo de mercadoria contínuo e uma agilidade e otimização das cadeias de abastecimento, de modo a assegurar o sucesso. A empresa ocupa lugares de topo no setor automóvel, tecnologia, bens de consumo, logística de feiras, transportes especiais e logística de eventos especiais.

Ataque de Berlim: Mercado de Natal de Berlim reabre hoje ao público

Muitas dúvidas ainda pairam sobre o ataque ao mercado de Natal de Berlim na segunda-feira passada. No entanto, “apesar dos trágicos acontecimentos”, o mercado de Breitscheidplatz, localizado perto de uma das principais avenidas de Berlim ocidental, a Kurfuerstendamm, reabriu hoje às 10H00 locais, depois de a polícia ter revistado o local, informou um comunicado assinado pelas empresas Schaustellerverband Berlin e AG City.

“A decisão foi tomada em estreita coordenação com as autoridades”, afirmam os administradores do espaço. “Por compaixão”, a iluminação e as apresentações musicais foram vetadas, completa o comunicado.”Queremos oferecer um espaço para o recolhimento”, explicam as empresas.

Duas placas em memória das vítimas serão instaladas no local.”A decisão não foi fácil de tomar, numa situação assim é incrivelmente difícil tomar a boa decisão”, afirma a nota oficial.

Na segunda-feira um, camião deixou 12 mortos e 48 feridos neste mercado de Natal. O suposto autor do massacre, reivindicado pelo grupo extremista Estado Islâmico (EI), é um tunisiano de 24 anos, Anis Amri. O suspeito fugiu e está a ser procurado pelas autoridades do país, que emitiram uma ordem europeia de detenção.

Polícia de Berlim admite que incidente com camião possa ser atentado

Um camião abalroou “deliberadamente” multidão no mercado de Natal em Berlim. Pelo menos 12 pessoas morreram e 48 ficaram feridas. Autoridades alemãs tratam o caso como acto de terrorismo.

“Estamos em estado de guerra”

O ministro alemão Klaus Bouillon, da CDU, declarou esta manhã que o país se encontra em estado de guerra depois do sucedido no centro de Berlim ontem à noite. “Embora algumas pesssoas não o queiram aceitar, por verem sempre o lado bom das coisas, temos de constatar que estamos em estado de guerra”, disse o governante, que lidera a conferência de ministros regionais do Interior.

Merkel fala às 10h

A chanceler alemã, que ontem se declarou de “luto”, fará uma declaração às 11h locais (10h em Portugal continental).

Suspeito é paquistanês e tem 23 anos

O principal suspeito das autoridades neste momento é um paquistanês de 23 anos, noticia o jornal alemão Bild, que foi citado pela agência noticiosa Reuters. Naved B. terá chegado à Alemanha há cerca de um ano e vivido no centro de refugiados situado num hangar desactivado e revistado já hoje pela polícia.

Polícia pede fotos e vídeos

A polícia de Berlim está a pedir a todos os que tenham fotos e vídeos que possam dar pistas sobre o ataque na feira de Natal para lhos fazerem chegar

O homem que conduzia o camião foi detido pela polícia e está a ser interrogado.Segundo o Guardian, a polícia alemã agendou uma conferência de imprensa para as 13h locais (menos uma hora em Lisboa).

A polícia já confirmou que o homem encontrado morto dentro do camião é um cidadão polaco e que não era ele que conduzia o veículo no momento do ataque. O camião pertencia a uma empresa polaca.

Há notícia de que as forças especiais alemãs fizeram buscas no antigo aeroporto de Tempelhof, onde existe um centro de acolhimento de refugiados. Não se percebeu ainda se há alguma relação com este caso.

O presidente da câmara de Nice, Philippe Pradal, comentou no Twitter as semelhanças entre o ataque de Berlim e o que abalou a cidade francesa a 14 de Julho. “Mesmo modo de operação, mesma violência cega. O mesmo ódio às pessoas felizes. Mais do que nunca, [é preciso] combater o obscurantismo”, escreveu Pradal.

Quem era o condutor do camião?

O homem que conduzia o camião foi detido logo na noite de segunda-feira, não se sabendo ainda quem era. Segundo fontes do serviços de segurança citados pela agência alemã DPA, o homem poderá ser paquistanês ou afegão e terá chegado à Alemanha em Fevereiro de 2016 no âmbito de um pedido de asilo. A polícia, no entanto, recusou comentar estas afirmações.

Durante a noite, o ministro do Interior alemão já tinha dito que havia “muitas razões” para se pensar que este foi um atentado terrorista.

“Provável atentado terrorista”, diz polícia

A polícia está a investigar este caso como um “provável atentado terrorista”. “Os nossos investigadores acreditam que o camião foi intencionalmente conduzido contra a multidão no mercado de Natal”, escreveu a polícia de Berlim na sua conta de Twitter, nesta terça-feira de manhã.

 

Número de mortos sobe para 12

Bom dia. Abrimos este ao minuto para acompanhar os desenvolvimentos do ataque a um mercado de Natal em Berlim, que na segunda-feira à noite provocou pelo menos 12 mortos e 48 feridos. Esta é precisamente uma das informações desta manhã, com o número de vítimas mortais a ser actualizado de nove para 12.

Escolha do próximo líder da ONU gera tensões entre Berlim e Moscovo

O Governo russo condenou esta segunda-feira as tentativas da Alemanha de influenciar a corrida ao cargo de secretário-geral das Nações Unidas, atualmente ocupado por Ban Ki-moon e na qual o antigo primeiro-ministro português António Guterres tem conseguido ficar consecutivamente bem colocado até à data.

De acordo com informações do site EurActiv, as tensões entre Moscovo e Berlim por causa da escolha do próximo líder da ONU agravaram-se há mais de uma semana durante a cimeira do G20 na China, quando Angela Merkel tentou convencer Vladimir Putin a apoiar a candidatura da búlgara Kristalina Georgieva, atual vice-presidente da Comissão Europeia, em detrimento de Irina Bokova, a política que a Bulgária escolheu para disputar o cargo máximo da ONU.

A 10 de setembro, a imprensa búlgara assegurou que Putin tinha declarado o seu apoio aos planos de Merkel – uma informação de imediato desmentida pela porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros russo Maria Zakharova. Esta segunda-feira foi avançado que o primeiro-ministro búlgaro Boyko Borissov estava igualmente a ponderar substituir a sua candidata oficial, na sequência de uma conversa telefónica com a chanceler alemã.

Este domingo, entre uma notícia e outra, Zakharova assegurou que as informações eram uma “falsidade”, classificando de “inaceitável” a alegada tentativa alemã de influenciar a escolha de um candidato de outro país. “[Vladimir Putin] disse clara e categoricamente a Angela Merkel que a nomeação de um candidato ao posto de secretário-geral da ONU por um país depende exclusivamente do poder soberano desse Estado e que todas as tentativas diretas ou indiretas de influenciar essa decisão são inaceitáveis.” A opinião foi apoiada por Dmitry Peskov, porta-voz do Presidente russo.

O Governo búlgaro anunciou a candidatura de Bokova, atual diretora-geral da UNESCO, antes de 12 de julho, quando a lista final de candidatos foi anunciada, altura em que declarou que Georgieva ia continuar a ser o número dois de Jean-Claude Juncker. Contudo, a especulação sobre uma eventual candidatura da vice-presidente do executivo comunitário à ONU voltou a ganhar força na passada sexta-feira, depois da quarta votação para o cargo, na qual Guterres ficou em primeiro lugare Bokova caiu do terceiro para o quinto.

Para além de ser quase inédito alterar um nome da lista numa fase tão avançada do processo de escolha, o Código de Conduta dos comissários europeus não permite, à partida, que procurem novos empregos ou se candidatem a outros cargos durante o seu mandato. Apesar disso, diz-se que Juncker apoia as aspirações da sua vice a substituir Ban no cargo.

No Twitter, o porta-voz do Presidente da Comissão Europeia, Martin Selmayr reagiu às recentes notícias com algum pesar mas também entusiasmo, dizendo que se Georgieva for escolhida para a ONU isso “será uma grande perda” para Bruxelas mas um “motivo de orgulho para os europeus”.

Em entrevista ao EurActiv, o antigo ministro irlandês dos Assuntos Europeus Dick Roche disse, por sua vez, que apoia Bokova e lamentou o que se está a passar em torno da sua candidatura. “Irina Bokova está a ser vítima de uma campanha de rumores maliciosos lançada pelos aliados de centro-direita de Kristalina Georgieva”, disse Roche sobre a ex-deputada comunista búlgara, antes de acusar a vice-presidente da Comissão de ter “recrutado poderosos aliados, aumentando a pressão sobre o Governo búlgaro” e de ter elogiado Bokova por estar a aguentar-se “com grande dignidade”.

Costa regressa domingo a Berlim. Desta vez para apoiar cinema português

António Costa

António Costa esteve na semana passada em Berlim, numa visita oficial de caráter político, em que se reuniu com a chanceler germânica, Angela Merkel.

Esta segunda deslocação à capital alemã, de acordo com o gabinete do primeiro-ministro, terá apenas um caráter cultural e relaciona-se com a presença de oito filmes nacionais – três dos quais em competição oficial pelo Urso de Ouro – no 66.º festival de cinema de Berlim.

De acordo com uma nota do executivo, na participação nacional neste Festival de Berlim, verifica-se uma situação considerada “inédita”.

“Apesar de haver países com mais obras em exibição (casos do Estados Unidos, Alemanha, França e China), no que toca a países da dimensão de Portugal, não há paralelo em termos de comparação de presença: Oito filmes em exibição, três filmes em competição, sendo uma longa-metragem e duas curtas-metragens. É a maior participação de sempre na ‘Berlinale’ e demonstra o atual dinamismo do sector português do cinema”, sustenta-se na mesma nota.

No documento divulgado pelo Governo, ao qual a agência Lusa teve acesso, refere-se ainda que a longa-metragem em competição, Cartas da Guerra, a que assistirão António Costa e João Soares, ‘”pode ganhar o Urso de Ouro”.

“O filme é baseado na obra literária de António Lobo Antunes. Ou seja, cinema e literatura portuguesa num só ‘pacote'”, acrescenta-se.

O Governo salienta ainda que, dos oito filmes presentes em Berlim, sete são de iniciativa portuguesa (100 por cento nacionais ou coprodução maioritária) e um é coprodução com a Suíça”.

Em matéria política, o Governo sustenta que o Orçamento do próximo ano “inclui um novo incentivo fiscal para a produção de filmes em Portugal que tomará a forma de crédito fiscal” – medida “a definir em breve”.

Por outro lado, no último Conselho de Ministros, na quinta-feira, foi aprovada a alteração do acordo entre os governos português e alemão sobre as relações no setor cinematográfico, tendo em vista “facilitar e desenvolver as relações bilaterais e de cooperação na área do cinema”.

EMPRESAS